História Doces Desejos - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Elsa, Emma Swan, Fa Mulan, Henry Mills, Lacey (Belle), Madre Superiora (Fada Azul), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Violet, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Jennifer Morrison, Josh Dallas, Lana Parrilla, Lesbicas, Lgbt, Magia, Morrilla, Once Upon A Time, Ouat, Rebecca Mader, Regina Mills, Sean Maguire, Swan Mills, Swan Queen, Swanmills, Swanqueen, Swen, Swens
Visualizações 733
Palavras 2.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite amoras e amores 😍!!! Mais um capitulo com todo carinho pra vocês, espero que gostem 💜! muito obrigada hoje e sempre por todos os favoritos e comentários, isso é maravilhoso pra mim💓!!! Bora descobrir o que vai rolar nesse pequeno "flagrante" feito por Hook e Henry??? Hehehehe!!!

Boa leitura, pessoal! 📖👓

Capítulo 14 - O barraco está armado


Fanfic / Fanfiction Doces Desejos - Capítulo 14 - O barraco está armado

Os quatro olhavam de um para o outro. Regina e Emma ainda puxando os cobertores até o queixo, constrangidas e sem saber o que dizer. Killian com o olhar fulminante e furioso, típico de quem podia fuzilar alguém a qualquer momento. Henry, ainda boquiaberto e de olhos esbugalhados, estático no mesmo lugar.

─ Que raios está acontecendo aqui, Emma??? – começou Gancho, alterado e vermelho de raiva, quebrando o silêncio – você pode começar a me explicar o que a Regina está fazendo aqui na sua cama, praticamente grudada em você???

─ Eiii, calma ai, Killian! A Regina não estava grudada em mim! Ela simplesmente dormiu aqui na minha cama, porque a cama era grande e não vi necessidade de arrumar o quarto de hóspedes e... – começou Emma, chateada.

─ Tem que ser o pirata mesmo pra chegar chegando assim mesmo, todo cheio de si! – interveio Regina.

─ A conversa ainda não chegou no castelo, vossa Majestade! Você terá a sua vez! – Esbravejou Hook, se virando para Regina – Francamente Emma, eu nunca imaginei que um dia eu fosse presenciar isso aqui, flagrar você na cama com outra mulher, ainda mais com Regina, pelos Deuses dos Mares, não sei o que seria pior, com outro homem, ou com ela! – virou-se novamente para Emma, praticamente descontrolado, passando a mão e o gancho pelos cabelos.

Regina olhou para ele com olhar fulminante, cruzando os braços. Henry continuava com a mesma cara abobalhada.

─ Hã??? Mas o que...que... meu Deus, Killian! Não! Não é nada disso que você está pensando! Você deduziu tudo errado! Não aconteceu nada entre Regina e eu! Simplesmente eu precisava conversar com uma amiga ontem e a chamei para vir aqui, e ela dormiu aqui, o que tem de errado nisso??? – disse Emma, brava e magoada com as acusações implícitas do namorado.

─ Ah, claro! O engraçado é que faz séculos que EU não durmo aqui, se é que você não se recorda! Sempre que quero ficar com você, você arruma mil e um motivos para eu não ficar! Então, o que você quer que eu pense quando eu me deparo com isso???

─ Se você não é boa companhia Gancho, a culpa não é minha! – Regina interveio, não conseguindo se controlar. Ter que simplesmente ouvir o pirata já a incomodava.

─ Regina! Pare de provocar você também! – falou Emma, nervosa.

Henry continuava atônito.

─ É ele quem está dando uma de macho metido a besta! Já vem todo nervosinho acusando coisas sem nem saber o que realmente aconteceu! Porque não vai fazer alguma coisa de útil, tipo usar esse gancho aí pra descascar algumas frutas??? – disse Regina com raiva, e ela e Hook se encaravam olhos nos olhos, fuzilando um ao outro.

─ Falou a companhia perfeita, a que nunca fez mal a Emm...

─ PAREM OS DOIS! – gritou Emma – Killian, acho que isso não é assunto para tratarmos aqui! O fato é que você está enxergando coisas que não existem e está fazendo tempestade em copo dágua! Já disse que NÃO ACONTECEU NADA ENTRE REGINA E EU!

─ Emma está dizendo a verdade, seu idiota! Porque o medo, você não se garante, não? – falou Regina, sarcástica.

─ Se não me garanto?? Você não tem ideia do quanto me garanto, rainha... – Hook a fuzilou com o olhar.

Henry, atônito. Parado. Estátua.

─ Me diga uma coisa killian, que direito também você tem de ir entrando na minha casa e invadindo meu quarto assim hein??? – Emma falou, cruzando os braços e semicerrando os olhos.

─ Primeiro, eu não invadi, eu vim com Henry, que tem as chaves. O garoto estava preocupado com essa daí, que dormiu fora de casa sem deixar nenhum bilhete, sendo que tinham marcado um compromisso para hoje de manhã, e ela não estava lá. E ele tentou por várias vezes ligar para ela e para você, e nenhuma das duas atendia. Ele passou pelo porto porque já vinha para cá para te perguntar sobre Regina, e eu aproveitei e o acompanhei, pois também  fiquei preocupado! Ao entrar na casa, não vimos nenhum sinal de você, chamamos e ninguém respondeu, só achamos as garrafas vazias, pratos na pia e seu videogame ligado ... achamos tudo muito estranho, e resolvemos subir, para ver se você ainda dormia, mas Henry chamou pela porta do seu quarto e também não obteve resposta, então decidimos entrar! Estávamos aflitos achando que tinha acontecido alguma coisa!

─ Ai,meu Deus, é verdade, meu compromisso com Henry... dormimos e esquecemos de colocar o despertador... e nossos celulares acabaram as baterias, com certeza... – disse Regina, colocando as mãos na cabeça, também acometida pela ressaca. Tateou até achar o celular na cômoda, e realmente ele estava sem bateria, assim como o de Emma.

─ Tá vendo??? Esqueceu até do filho! Pelo jeito a noite foi boa mesmo, a contar pelas garrafas lá embaixo... quanto vocês beberam hein??

Henry, paralisado.

─Ora, seu... não ouse... eu não te devo satisfações! – disse Regina com raiva

─ Aiii, vocês estão me deixando com dor de cabeça... – disse Emma, fechando os olhos e colocando as mãos nas têmporas.

─ Imagino mesmo querida, dá pra desconfiar o porque, a ressaca aí deve estar brava não é??? – disse Killian, totalmente desnorteado e falando tudo que lhe vinha a mente. Estava muito chateado.

─ Killian, por favor! – grunhiu Emma

─ Falou o pirata que não bebe uma garrafa de rum por dia! – esbravejou Regina.

─ O que??? Prove isso!!! – alterou-se Kiilian.

Henry, parado e atônito. A boca ainda aberta.

Regina e Emma ainda não tinham saído da cama e discutiam com Hook em pé de frente a elas.

A confusão e o barraco estavam armados. Os três falavam ao mesmo tempo, com vozes gritadas e alteradas. Em um determinado momento, quem visse de fora não conseguiria entender nada do que estava acontecendo ali, de tanto que as vozes se misturavam.

─ Eu não vou ficar aqui tentando te convencer de nada, pirata! Minha consciência está limpa! – gritou Regina.

─ Consciência, Regina??? Ora, quem é você pra vir falar em consciência??? – gritou Killian de volta.

─ Killian, pare! Você está agindo como criança! – gritou Emma.

─ Isso mesmo! Volte para a Terra do Nunca, você se dá bem lá, afinal, é o lugar de quem nunca cresce... – debochou Regina.

─ Eu que estou agindo como criança??? É isso mesmo??? Agora vai defender a Regina, Emma? É um complô das duas, é isso mesmo??? – disse Hook com raiva.

─ Vou defender ela sim, porque quem está descontrolado é você por algo que não existe! Aiiii ! – a loira voltou a colocar as mãos na cabeça para aliviar a dor.

─ Deixa, Swan... quem tem cabeça dura, não muda! –revidou Regina, olhando torto para o pirata.

─ Ahh não, já chega! Agora eu quem estou errado??? Era só o que me faltava!  E... e... eiii, garoto! Quer me dar uma ajuda aqui, por favor? – disse Hook, notando a presença de Henry e se dando conta que o jovem estava parado no mesmo lugar e que não tinha dito nenhuma palavra até agora e não tinha tido nenhuma reação.

Henry piscou, e olhou para Gancho, como se tivesse acabado de sair de um momento de  transe.

─ Hein? Ah, sim... eu... eu... AAAAAAAAAAAAAAAAAA!!! – gritou Henry.

E todos foram surpreendidos por um Henry eufórico e totalmente feliz, que pulou em cima da cama de Emma com um baque, abraçando suas duas mães ao mesmo tempo.

─ Mães, porque não me contaram??? Poxa, eu teria dado todo  o meu apoio! Vocês estão juntas a quanto tempo, sem eu saber??? Nossa, que legal!! Massa demais!!! Huhuuuullll!!!– disse, com um sorriso de orelha a orelha, abraçando as duas pelo pescoço, completamente animado.

Regina e Emma não conseguiram falar nada naquele momento, apenas se entreolharam, surpreendidas com a atitude de Henry e de boca aberta ficaram.

Killian não estava acreditando naquela reação repentina de Henry e apenas ficou parado, boquiaberto e sem piscar.

─ Ei, garoto!!! Eu ainda estou aqui, esqueceu???  - falou Killian atônito, chamando o menino de volta, e apontando para ele mesmo.

─ Oh, Killian, me desculpe, me desculpe mesmo! Não é nada contra você brow, eu gosto muito de você, mas cara, minhas duas mães juntas, isso não é demais??? – vibrou o menino rindo alegremente, ainda quase sufocando suas mães, dando um beijo na bochecha de cada uma.

Agora era Killian quem ficou sem palavras, de boca ainda aberta e com os braços soltos ao lado do corpo. Não, não podia acreditar que estava ouvindo isso de seu enteado e que aquilo estava acontecendo.

Foi Regina quem quebrou a vibração de Henry.

─ Filho, ei, me escute! – disse a morena, desfazendo o aperto de Henry e pegando o rosto dele nas mãos. – que história é essa de você querer eu e Emma juntas? Você não escutou sua outra mãe??? Não aconteceu nada entre nós duas, vocês estão entendendo tudo errado!

Finalmente Emma conseguiu dizer alguma coisa, depois de passada a surpresa pela reação do garoto.

─ Exatamente, Henry! Regina está certa! Não houve nada! Vocês estão enxergando fantasmas!

─ Ahhh... então tá... se vocês dizem... – disse o menino, visivelmente murcho e decepcionado,  arqueando os ombros. – mas puta que pariu, seria do caralho se...

─ OLHA A BOCA, garoto! Nem eu nem Regina te ensinamos esse palavreado aí – falou Emma alto, dando um tapa de leve no ombro do filho.

Regina estava se segurando para não rir das reações do filho e acabou dando um leve sorriso de canto.

Killian olhava para Henry ainda sem acreditar.

─ Todo mundo enlouqueceu aqui, é isso, ou é impressão minha?  Que hospício é esse onde me encontro? - disse Gancho, balançando a cabeça

─ Bom, Emma, eu vou me trocar e vou embora com Henry... vou deixar você a sós pra conversar com o cabeça de melão do seu namorado... quem sabe daqui umas horas ele não se acalma e consegue entender as coisas de uma vez, mostrando que tem um pouco de cérebro além de rímel ... Henry, me espere – disse Regina, se levantando de um salto, pegando suas roupas e indo até a suíte da loira para se trocar, enquanto Hook continuava fuzilando-a com o olhar e Emma assentia com as mãos na cabeça.

Regina se trocou, despediu-se de Emma e chamou  Henry para irem. Ao passar pela porta do quarto, deu uma ultima olhada fuziladora para Gancho antes de desaparecer escada abaixo. Fez o feitiço e consertou a mesa de Emma no caminho.

Emma ficou a sós com Killian e foram para a cozinha conversar. Pegou um remédio para dor de cabeça e ressaca, o tomou e se sentou na mesa da cozinha, com Killian em frente a ela.

─ Sei que está com dor de cabeça Emma, mas eu acho que mereço uma explicação...

─ Killian, eu já te disse!  - começou a loira, rolando os olhos - Eu estava precisando conversar com uma amiga ontem, e chamei Regina para vir aqui... você é meu namorado, mas precisa entender que é diferente, sei que você é meu amigo e companheiro, mas tem coisas que uma mulher só se sente a vontade para conversar com outra mulher, com uma amiga... você está certo, ela trouxe vinho e nós bebemos mesmo bastante, ela fez lasanha e jogamos um pouco de videogame para nos distrairmos. Ficou muito tarde e ela estava alterada pelo álcool e como não iria conseguir ir embora por magia, falei para ela dormir aqui, não podia permitir que ela dirigisse alcoolizada. Nos descuidamos e esquecemos de colocar o despertador para ela voltar para casa, e nossos celulares apagaram. E foi só.

Emma lembrava-se exatamente de tudo que aconteceu na noite anterior. Ficou bêbada , mas não inconsciente. Era um pouco fraca para beber, mas mesmo assim a bebida não tinha o poder de faze-la não se lembrar do que tinha feito. Sentiu um pouco de vergonha e engoliu em seco. É claro que Killian jamais poderia saber do que aconteceu ali.

─ Ok... – Hook respondeu, ainda um pouco desconfiado. – eu acredito em você. Me desculpe mesmo amor... Regina eu até desconfio que tenha alguma tendência, mas você, eu deveria saber, e sei, que você não tem nenhuma tendência lésbica... – sorriu e piscou para ela, de forma marota.

Emma rolou os olhos, suspirou  e abaixou a cabeça nas mãos.

─ Por Deus, Killian...

─ Por favor, não me culpe... coloque-se no meu lugar... flagrando esse tipo de cena, ainda mais com o braço dela em cima da sua cintura, você também não iria pensar besteira?

─ Ela deve ter feito isso durante o sono, sem querer... mas tudo bem.. .eu te entendo, de certa forma. 

─ E também fiquei magoado porque você dificilmente deixa eu dormir aqui com você... e quando vi Regina na sua cama fiquei possesso de ciúmes...

─Larga de ser bobo Killian... não tem motivos para isso... eu tenho alguns incômodos durante a noite, que não gostaria que você presenciasse e... por favor, não quero falar sobre isso agora, está bem?

─ Está bem... eu respeito o seu tempo.

─ Obrigada...

─ Estamos bem, então? – perguntou Hook, sorrindo docemente.

─ Estamos bem. – respondeu.

─ Quer que eu fique aqui com você? Como está sua dor de cabeça?

─ Não precisa... sei que de sábado seu trabalho é intenso... você deve voltar. Eu ficarei bem, não se preocupe. Nos vemos mais tarde.

─ Então está bem, love... até mais tarde. Qualquer coisa, me chame. – deu um beijo em sua testa e um abraço em Emma, e se foi, de volta para o trabalho.

E Emma ficou a sós com seus pensamentos. Na verdade, ela queria isso, precisava ficar sozinha, não queria que Killian ficasse por ali agora. Se jogou no sofá da sala e ficou repassando no pensamento todos os momentos que teve com Regina. O cheiro do seu perfume ainda estava em seu corpo... e como era delicioso! Pensou na confissão da sua bissexualidade, nas conversas na cozinha, Regina a encurralando, investindo contra ela, o filme, o jogo... aquele jogo, que foi sua perdição! As roupas sendo tiradas, o seio de Regina ainda em sua mão, e parecia que ainda podia senti-lo perfeitamente, o mamilo rijo enquanto o acariciava de leve... O jogo que foi virando para um lado perigoso pouco a pouco, até culminar em Regina em cima dela, no sofá... se a prefeita não tivesse bloqueado o que estavam fazendo, Emma não podia imaginar até onde teriam chegado. Estremeceu só de pensar. E sorriu, ao mesmo tempo. Pois Regina a respeitou muito, sabia que podiam se arrepender de algo e não quis correr o risco de abalar a amizade que ambas possuíam. A respeitou porque sabia que estavam bêbadas, e não seria certo fazer aquilo alcoolizadas, Regina foi muito integra, e não se aproveitou dela de forma mais profunda . Isso só fez Emma ter ainda mais certeza que os sentimentos por Regina estavam passando da linha de apenas atração física para algo mais. Suspirou. Ficou molhada de novo ao se lembrar dos acontecimentos. Subiu para sua suíte, com o intuito de tomar o banho gelado que acabou não tomando antes de ir dormir, mas não sem antes se lembrar da reação inesperada de seu filho no quarto dela e dar uma risada gostosa ao se lembrar da atitude dele. Henry. Era um garoto fantástico. Sempre a surpreendendo...

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Algumas pessoas estavam com medo da reação do Henry, e, no fim das contas, ele é o própio presidente do fã clube oficial Swanqueen, hahahahahaha 😅😅😂😂!!! Não esqueçam de comentar e dizer
o que acharam amores, é muito importante pra mim e eu amo interagir com vocês😍! Um bjão e até o próximo!💋💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...