História Doces Desejos - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Elsa, Emma Swan, Fa Mulan, Henry Mills, Lacey (Belle), Madre Superiora (Fada Azul), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Violet, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Jennifer Morrison, Josh Dallas, Lana Parrilla, Magia, Morrilla, Once Upon A Time, Rebecca Mader, Regina Mills, Sean Maguire, Swan Mills, Swan Queen, Swanmills, Swanqueen, Swen, Swens
Visualizações 368
Palavras 2.827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Aqui está minhas lindas e meus lindos, mais um capítulo da atualização dupla com todo carinho para vocês!!!

Boa leitura!

Capítulo 16 - Querida irmã


Fanfic / Fanfiction Doces Desejos - Capítulo 16 - Querida irmã

Pouco tempo depois de almoçar com Henry, Regina resolveu ir á casa de Zelena. Precisava conversar com ela e desabafar e dividir um pouco das suas aflições. Sabia que a irmã não a julgaria, tinham desenvolvido uma relação muito forte, e, realmente, fraterna. Tornaram-se muito unidas. Conversar com ela lhe faria bem e aproveitaria para ver a sobrinha.

Estavam as duas na cozinha, enquanto Zelena, em seu lindo vestido verde florido até os pés, preparava um chá e Regina segurava a pequena Robin no colo, acalentando-a docemente, sentada á mesa da cozinha. Robin lhe dava seu mais lindo sorriso bangela, e não tirava os olhos da tia.

─ Gostei de você ter vindo, irmã... tem um tempinho que você não vem aqui em casa... e Robin também estava com saudades. – sorriu para a irmã e para a filha, pegando em sua pequenina mãozinha.

Regina sorriu de volta.

─ Também estava com saudade dessa bonequinha... – disse, olhando para Robin e apertando-a contra si.

─ Você me disse no telefone que queria conversar...  algo errado? – falou Zelena, servindo o chá para as duas e sentando-se de frente para Regina.

─ Bem, errado, errado não... ou pelo menos, não sei... – suspirou a morena.

Zelena ergueu uma sonbrancelha.

─ Prossiga.

─ Por favor, isso não pode sair daqui... preciso confiar em você, Zel...

─ Tem minha palavra. Fica tudo nessas paredes aqui.

Regina criou coragem, respirou fundo e continuou.

─ Zelena, já tem um tempo, não muito, mas um tempo... que ando sentindo umas coisas diferentes sabe... com relação á Emma.

─ Com relação á Emma? Como assim? Não me diga que vocês estão de treta de novo, Regina? Já não superaram essa fase, não? Estão de brigas de novo?

─ Não, não é nada disso... muito pelo contrario... eu... – parou de falar.

Zelena esperou. visto que a irmã não dizia nada, e olhava para baixo, envergonhada,  olhou ainda mais profundamente em seus olhos, tentando decifrá-los.

─ Ai, eu não sei nem como falar... – Regina engoliu em seco.

─ Regina, o que você... – disse a ruiva, e parou abruptamente, ao lhe vir uma desconfiança no pensamento. Será que...  Arregalou os grandes olhos claros para Regina, sorriu e tapou a boca com as mãos. – Não! Sis, não me diga que...

─ Calma lá, cuidado com o que vai dizer... – repreendeu-a. – eu... tenho me sentido... atraída por ela. – falou, e virou o rosto. – soltou Regina, de uma vez.

Zelena gargalhou e bateu palmas, empolgada.

─ Por Oz Regina, quem diria!!! Você de olho na loirão salvadora! Eu nunca poderia imaginar isso... como o mundo muda e dá voltas!

─ Não se empolgue tanto... e nem ria... porque nem eu estou entendendo isso ainda. Estou uma confusão só.

─ Conte-me tudo com detalhes. – A ruiva estava super curiosa.

─ A um tempo atrás, andei notando que Emma andou agindo estranhamente comigo, ficava tensa na minha presença, sentia ciúmes de Robin e dava xiliques na frente dele, e que passou a me olhar de forma diferente... e eu, me dando conta disso, acabei brincando um pouco com ela, por assim dizer... ficava provocando-a para ver suas reações, eu a encurralava de todas as formas, mas eu passei a ir longe demais nisso... e acabei... gostando. E ela, não recuava nem me parava. As vezes não sabia o que fazer, mas deixava fluir. Parecia que ela passou a ter um imã que me atraia mais e mais para ela de alguma forma, e eu não conseguia parar. Comecei a reparar em coisas de Emma, tipo seu cheiro, sua beleza, seu corpo, comecei a pensar mais em como ela era dura mas também doce ao mesmo tempo, em sua essência, e o quanto tenta sempre cuidar de todos... e ontem... ontem eu dormi na casa dela, pois ela queria conversar sobre outro assunto... e bem...

Zelena esperava, de boca aberta, super atenta e ansiosa.

─ Ah meu Deus, a coisa está ficando boa... Senhor, me abana... continue, continue!!! – pediu Zelena, se ajeitando mais na cadeira e olhando diretamente para a irmã mais nova, adorando a história.

Regina a olhou e respirou fundo.

─ Digamos que as coisas esquentaram um pouco... bebemos muito vinho, estávamos bêbadas, jogamos um jogo e ... e... não vou entrar em detalhes, mas digamos que nós conseguimos parar antes que as coisas fossem longe demais. – virou o rosto e ruborizou.

─ Uiiiii... uau!!! – Zelena ria e batia palmas. – aiii irmã, tudo bem, respeito que você não queira falar agora, mas depois eu vou querer saber o que rolou de mais quente, não me deixe curiosa, minha mente está viajando aqui já!

─ Zelena!!! Isso é serio!!! Eu não sei o que fazer.

─ Eu sei irmã querida... mas é que é tudo tão... uau!!! Você e Emma... combinam viu??? Tem meu apoio!

A prefeita rolou os olhos.

─ Vai te catar, vai!

─ E você vai catar a Emma – riu Zelena, cantarolando – bom, mas falando sério... Regina, você precisa colocar esses sentimentos aí em ordem. Só você poderá dizer o que se passa em seu coração. Dê um tempo, sei lá... analise, espere um pouco.

─ Sim... sei que você tem razão. É isso que vou fazer. Eu precisava falar disso com alguém... Emma passou a mexer comigo de forma diferente. Resolvi provoca-la apenas por brincadeira, para ver ela ficar sem graça, mas o tiro saiu pela culatra. Ela não sai da minha cabeça... e pra ajudar, passei a sentir ciúmes do pirata também, droga!

─ Vixeee... – a ruiva se encolheu... – tem esse lado aí também, irmã... você duas são comprometidas... você esta prestes a ir embora...

─ Nem me lembre desse detalhe... – suspirou a morena – eu não sei o que pensar e o que fazer. Estou um turbilhão por dentro, Zelena...

─ Que nem te falei... tempo. – falou, pegando na mão de Regina. A pequena Robin adormecera no colo de Regina.  – não tome nenhuma decisão ou ato precipitado. Analise bem o seu coração primeiro. Tem coisas e pessoas envolvidas nisso. Mas, se vocês duas passarem a ter certeza de algo, porque não seguir o que sentem? Porque não deixar os sentimentos fluírem?

Regina suspirou.

─ Bom... Emma pode estar apenas confusa, sentido uma atração diferente, apenas isso, coisa passageira... ainda não sei. Não conversei com ela abertamente sobre nada disso. Ficamos apenas nas entrelinhas. Apenas estou me baseando nas suas ações e nos seus atos.

─ Emma nunca ficou com mulheres?

─ Não... em um dos nossos assuntos na casa dela, ela me disse. Nunca nem sequer deu um selinho em outra mulher.

─ Ao contrario de você né Sis, que pintou e bordou... sua fama na Floresta Encantada não me deixa mentir... – Zelena deu um sorriso safado para a irmã, que fechou os olhos.

─ Aiiiii, por favor, não me lembre dessa fase da minha vida... – escondeu o rosto nas mãos. E voltando o olhar para a irmã – você também não pode falar muito não né irmãzinha? Você também já deu algumas escapadas que eu sei...

Zelena corou.

─ Pode ir parando... eu... eu... apenas tive algumas aventuras pequenas no decorrer do caminho, apenas isso... elas eram bonitinhas e ... ahhh deixa pra lá!  – pigarreou e logo tratou de mudar de assunto, arrancando um sorriso divertido de Regina. – Bom, mas voltando ao assunto... como eu ia dizendo, apenas deixe as coisas fluírem. Está bem? Se for algo passageiro, vocês duas logo saberão.

─ Obrigada Zelena... me sinto um pouco mais leve...

─ Não tem do que me agradecer. Sabe que pode me contar qualquer coisa... e quero participar do desenrolar disso daí hein?

Regina sorriu, por fim. Conversar com Zelena lhe fez realmente bem.

─ Pode deixar... lembre-se: segredo, por favor, ok?

─ Com toda certeza – sorriu de volta.

As irmãs finalizaram esse assunto, e retomaram o chá, com gostosas risadas e assuntos aleatórios, que perdurou até o meio da tarde.

 

#####

 

 

Após a conversa com Zelena, Regina se pôs a caminhar até a loja de Gold. Já tinha entrado em contato com ele a fim de lhe dizer que Emma já havia lhe contado tudo a respeito da poção, e que a loira a havia autorizado a acompanhar o processo. Emma também já havia mandado uma mensagem á Belle dizendo que Regina já sabia de tudo. Gold não se opôs, pois a presença de Regina ou mesmo de Zelena já fazia parte do acordo entre ele, Emma e Belle. A morena também havia mandado um whatszap para Emma avisando que estaria na casa de Gold e Belle para acompanhar o inicio do preparo da poção, e Emma havia respondido que logo mais também passaria por lá.

Assim, em um quarto mais oculto da loja, Gold deu inicio ao processo de preparo da Poção da Transição Temporária, ao lado de Regina, com Belle também entrando e saindo, acompanhando o que podia. Os dois estavam separando alguns ingredientes lado a lado, enquanto o caldeirão fervia a todo vapor. A campainha da loja toca. Era Emma. Belle foi atender, recebendo a amiga com um abraço e direcionando-a até os fundos da loja, onde Rumple e Regina se encontravam. A loira adentrou o recinto. Seu olhar imediatamente se cruzou aos de Regina, por um momento onde ambas se encararam e as respirações aceleraram. Esses olhares, mais do que nunca, passaram a se intensificar e a provocar reações nos corpos e nas mentes das duas mulheres, a cada vez que acontecia. Deram um meio sorriso constrangido uma para a outra, resultado da noite anterior.

─ Olá senhorita Swan! – disse Gold, sorrindo – já demos inicio. Pegue uma cadeira e fique a vontade.

─ Obrigada... vou olhar um pouco o que vocês estão fazendo. – respondeu

Emma, ao lado de Belle, ficaram observando Gold e Regina trabalharem. Emma tentava absorver o máximo de aprendizado que conseguia. Os dois iam explicando a ela o que iam fazendo, e o que era cada ingrediente.

Já quase a noitinha, Gold e Regina estavam encerrando o trabalho por aquele dia, enquanto o caldeirão descansava com a primeira parte dos ingredientes já dentro dele. Era um preparo lento e de muito cuidado. Emma se despediu deles enquanto eles terminavam de guardar cada ingrediente em um recipiente diferente, recolocando-os nos armários de Gold.

─ Gente, eu já vou... muito obrigada por tudo por enquanto... precisam de ajuda com a limpeza e organização?

─ Não se preocupe... aqui só eu mesmo que entendo, senhorita. – Gold sorriu de canto.

─ Ok, então... tchau, pessoal! – já ia saindo quando sentiu uma mão pegar seu braço.

─ Emma... será que poderíamos conversar um minuto, antes de você ir? – Regina perguntou.

─ Claro... – Emma respondeu, e as duas seguiram para fora da loja, ficando em frente a porta de entrada, na calçada.

Ambas olharam para os lados se certificando que não havia ninguém ali.

─ Emma... – começou Regina. – quero saber se está tudo bem entre a gente... eu ... nem sei o que dizer sobre a noite passada e... você se lembra de tudo que aconteceu?

─ Sim, eu me lembro... está tudo bem, Regina... vamos... vamos esquecer... estávamos bêbadas e... não sabíamos o que estávamos fazendo direito e ... não sabíamos... n-não é isso? Estavamos fora de si e ...– respondeu Emma, com a respiração acelerando e o coração batendo rápido. Parou de falar e encarou a morena.

A respiração de Regina também acelerou. Passou os olhos da boca para os olhos de Emma e involuntariamente apertou os lábios.

─ Sim... é isso mesmo... não sabíamos o que estávamos fazendo... – disse, mais baixo do que o normal, e passou as costas da mão direita pelo ombro desnudo da loira, e depois em sua bochecha, arrancando arrepios da mesma. Emma fechou os olhos ao sentir a maciez do toque de Regina.

─ Então está bem... está tudo certo... n-não se preocupe... e Regina... quero te agradecer... por você ter nos parado no momento certo... você foi muito integra... muito obrigada por isso...por tido a consciência que eu não estava tendo – disse Emma, dando um sorriso sem graça para a morena.

─ Não tem do que agradecer Emma... era o certo a se fazer... – Regina sorriu para ela, também sem graça.

Emma deu um passo para trás, querendo fugir o mais rápido possível dali. Tentava falar normalmente e regularizar a respiração – tchau Regina... nos vemos. Uma boa noite.

─ Sim, nos vemos... – respondeu Regina, e Emma deu mais um passo para trás, se virando rápido e praticamente correndo em direção ao seu carro.

Ali, sem que elas percebessem, Belle via tudo da janela da loja.

Regina suspirou. Mais uma vez, aquele magnetismo da loira, que vinha mexendo intensamente com seu corpo e seu coração. Tentou afastar os pensamentos, se virou para pegar sua bolsa dentro da casa de Gold, despediu-se dele e de Belle, e também foi para casa.

 

 

#####

 

 

Emma pretendia falar pessoalmente com Belle a respeito do rosto da mulher que enxergou dentro do capuz do Espectro, quando ele apareceu para ela pela segunda vez. Pretendia fazer isso antes de ir embora da casa dela, chamando-a lá fora quando estivesse passando pela sala para ir embora, mas, a conversa com Regina e o estado em que ela mais uma vez ficou, fizeram com que se esquecesse completamente de falar com a amiga.

Assim, naquela noite, em sua casa, antes de sair para jantar com Killian, mandou uma mensagem para ela no whatszap, em forma de áudio, explicando tudo que acontecera antes de Regina chegar para conversar com ela naquela noite passada. A segunda aparição do Espectro e o rosto da mulher, que descreveu com o máximo de detalhes que conseguiu se recordar.

Do outro lado da cidade, em sua casa, Belle ficou apreensiva com a mensagem de Emma sobre a mulher misteriosa. Sentia que estava deixando passar alguma coisa, mas o que era? Sua intuição lhe dizia que estava deixando passar algo importante, algo que sabia sobre essa mulher. Escutou e escutou de novo a mensagem, e anotou todos os detalhes do rosto da mulher que Emma lhe passou. Sentada no sofá de sua sala, celular na mão e caderneta no colo, tentava não deixar passar nada em branco. Ouviu novamente a profecia deixada durante o  desmaio de Emma: 

 

 

“ As duas maiores forças se unirão

Tornando-se uma só escuridão

Pelo sangue salvador lutarão

Mas o sangue do amor sacrificado

Pode ser a salvação

Mas muito cuidado, quando as trevas for enfrentar

Pois, se por falhas fracassar

O mundo na pior das guerras vai entrar...”

 

 

O que ela estaria deixando de fora? A descrição detalhada do rosto da mulher feita por Emma não saia da sua cabeça... aonde que já tinha visto algo parecido com esse rosto? Não se lembrava se era em algum livro... amanha mesmo, já ia se colocar a procurar e pesquisar. Cansada, suspirou e se levantou, indo preparar algo para ela e o marido comerem.

 

#####

 

 

3 dias depois...

 

Era terça-feira a noite. Emma foi jantar na casa dos pais e segurava alegremente o irmão no colo.

─ Obrigada mãe, a comida estava deliciosa como sempre! E você vai acabar me engordando com esse bolo de chocolate com canela... – olhou para a própia barriga.

Mary riu, acompanhada de David.

─ Filha, mesmo que você engordasse um pouco, nem ia dar pra notar nada.

─ Mas se eu engordar, daí a coisa muda de figura, amor... não quero ficar como aqueles reis barrigudos que não saem de seus tronos pra nada – disse David, e todos riram.

─ Gente, mudando de assunto... quero pedir um favor a vocês... será que na sexta a noite, poderíamos fazer uma reunião aqui? Vocês, eu, Regina, Killian, Zelena, Belle e Gold? Tenho um assunto muito sério a tratar com vocês.

Mary imediatamente desfez o sorriso, assim como David.

─ O que está acontecendo, filha? Você nos deixou preocupados... – disse Mary, sendo abraçada por David.

─ Tentem não se preocupar, por favor... na sexta vocês saberão de tudo, eu prometo... lembra que vocês estavam achando que algo estava errado comigo, a um tempo atrás? Lembram-se do meu desmaio no Grannys? – Mary e David assentiram – pois então... tem a ver com isso e outras coisas mais... eu vou precisar da minha família do meu lado. Mas até sexta, quero que tentem não se preocupar.

Os dois abraçaram Emma, um de cada lado, com Neal nos braços da irmã.

─ Não podemos nos comprometer a não nos preocuparmos. Mas claro que está combinado, filha – disse David – falaremos com todos e marcamos as 20:00... tudo bem? E lembre-se... sua família estará sempre do seu lado. Nunca mais precisará passar por nenhuma situação difícil sozinha.

Emma sorriu, apertando ainda mais o irmão nos braços, com os olhos marejados. Deu um beijo em seu pai e sua mãe e permitiu-se ficar ali por um tempo, naquele gostoso e aconchegante abraço duplo familiar e apertado. Emma era dura dura como rocha para enfrentar os desafios da vida, aprendeu duramente isso desde muito cedo. Mas nesses momentos, permitia-se amolecer e deixar-se ficar protegida. Nada mais justo e aceitável.

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Zelena agora está por dentro da coisa toda rsrs! Vocês, assim como eu, também adoram essa ruiva? O preparo da poção já foi iniciado! O que será que está incomodando tanto a Belle?
Será que ela já viu essa mulher em algum lugar? Comentem, amores! Um beijo e até o próximo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...