História Doces Intenções - Shawn Mendes - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cameron Dallas, George Clooney, Harry Styles, Justin Bieber, Nash Grier, One Direction, Pretty Little Liars, Sabrina Carpenter, Shawn Mendes, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Barbara Palvin, Cameron Dallas, Caroline Forbes, Ella Montgomery, George Clooney, Harry Styles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Klaus Mikaelson, Liam Payne, Louis Tomlinson, Nash Grier, Niall Horan, Personagens Originais, Sabrina Carpenter, Shawn Mendes
Tags Shawn Mendes
Visualizações 443
Palavras 4.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agora que eu postei o capítulo bateu o medo de vocês não gostarem. 💔

PS: deixem perguntas que no capítulo do dia 17 (1 mês de fic) os personagens respondem.

Capítulo 21 - Old secret


Fanfic / Fanfiction Doces Intenções - Shawn Mendes - Capítulo 21 - Old secret

Point Of Views - Ashley Salvatore

Nova York, Manhattan - EUA - 22 de setembro, 2017.

Shawn me leva até a enfermaria, e acredite, ele andou bastante, e tudo isso comigo em seu colo. Assim que chegamos lá, ele me colocou em cima da "maca" e a sala estava vazia, nada de enfermeira, o que me fez bufar de raiva e dor. O diretor disse que ela demoraria uns 30 minutos para chegar. 30 minutos. Eu não conseguiria aguentar nem mais um segundo com aquela merda no meu pé, a dor chega a ser insuportavel, mas eu tento disfarçar ao máximo, para não deixar Shawn preocupado. O que eu menos quero nesse momento é ver ele preocupado por causa de mim, é engraçado isso, eu estou com o negocio em meu pé e mesmo assim não quero ver ele mal por causa da minha dor.

Shawn apesar de ter jogo agora, e mesmo sabendo que o primeiro jogo do ano é um dos mais importantes, principalmente para ele que entrou esse ano, não saiu do meu lado um só segundo. Mesmo que eu tenha insistido para ele me deixar lá e ir jogar, eu sei que isso é importante para Shawn. Ele segura minha mão com força e beija minha testa a cada segundo. É uma péssima situação, eu sei, mas isso pode ser considerado fofo, certo? Ele está me fazendo bem e pela primeira vez nós estamos conseguindo, literalmente, se dar bem com o outro. Eu gosto disso. 

Gosto muito disso.

Tudo o que ele queria era voltar lá e xingar Sarah de todos os nomes possíveis e imagináveis do mundo, eu tive que o segurar, pois ele realmente estava a ponto de ir até arquibancada e detonar ela na frente de todos. E eu sei bem que ele seria capaz de fazer isso, nós somos muito diferentes, mas nisso somos iguais. Ela merece, sim, ela merece muito. Mas quais provas nós temos? No vestiário não tem nem câmeras. Apesar de tudo, ele até consegue me arrancar umas risadas enquanto fica todo nervosinho para me defender, até assim ele consegue lindo. As únicas coisas que eu quero agora é tirar essa merda do meu pé e ir para casa ficar agarradinha com ele, porque sei que é isso que faremos. E claro... Me vingar dessa garota.

— Deixa eu ir Ash, ela está precisando ouvir umas merdas. — ele diz emburrado e eu rio.

— Prefiro que você fique aqui comigo. — respondo olhando para ele. — Ela só quer chamar atenção.

— Mas isso não foi brincadeira, olha o que ela fez. — ele diz. — E se tivesse sido pior? Ela é louca, estou dizendo.

— Mas não foi... — eu digo respirando fundo para controlar a dor.

— Ela tem que pagar por isso. — ele responde cruzando os braços.

— Shawn. — me sento e o puxo para mais perto. — Deixa ela se divertir enquanto pode... Nada fica barato para Ashley Salvatore.

— Eu sei. — ele beija minha testa e logo cola a testa dele com a minha. — Eu não gosto de ver você sentir dor, se eu pudesse, eu... Eu sentiria por você, toda essa dor, só para você não ter de sentir.

— Nem está doendo tanto. — tento tranquilizar ele e depois o lhe dou um longo selinho.

— Você não cansa de se fazer de forte? — ele ri.

— Não estou. — dou de ombros. — Eu sou.

— Sabe o que mais me chama atenção em você? — ele pergunta e eu o olho curiosa.

— O quê? — ergo minha sobrancelha.

— Você sempre quer ser forte por todos, até mesmo pela sua mãe. — ele diz acariciando minha mão. — Mesmo sendo uma pessoa sensível.

— Eu não sou uma pessoa sensível. — respondo e ele ergue uma sobrancelha. — Droga odeio o fato de você me conhecer tão bem em tão pouco tempo.

— Queria que você pudesse me conhecer completamente. — ele diz. — Mas no dia que isso acontecer, você não vai me querer mais.

— Está errado... — respondo e o puxo para um beijo.

— As vezes eu quero te ter para sempre. — ele diz.

— As vezes? — pergunto.

— Na maior parte do tempo. — ele diz.

— Você pode. — dou de ombros.

— Não acho que seja possível. — ele diz.

— Por quê? — pergunto olhando para ele.

— Você é uma pessoa muito melhor que eu. — ele responde e eu reviro os olhos.

— Você também é. — acaricio sua bochecha.

— Só quando estou com você. — Shawn responde de olhos fechados sentindo o meu toque.

— Então fique comigo para sempre. — respondo lhe dou um longo selinho

— Desculpa atrapalhar os pombinhos... — uma mulher sorridente diz, aparentemente a enfermeira. — Mas eu vim salvar o pé de uma moça... Desculpe a demora.

— Tudo bem. — sorrio. — Só tire isso e salve o meu lindo pezinho.

— Ash, ele é muito feio. — Shawn diz.

Dou um leve empurrãozinho nele, enquanto a enfermeira e ele riem. Meu pé é lindo sim. Já dizia Kant: a beleza está nos olhos de quem vê. A enfermeira começa o procedimento e a unica coisa que eu consigo sentir é dor, quanto mais ela puxava, mais doía, Shawn apertava minha mão e beijava minha testa a cada lagrima e grito que saia. Se alguém de fora visse, pensaria que eu estava em trabalho de parto. A parte que mais doeu foi com certeza a hora de desinfetar, eu não sei o que explicar o quão horrível foi. A unica coisa que eu sei é que a cada segundo que se passava, uma vingança diferente se passava na minha cabeça. Sarah está fodida, sim, fodida, fodida para cacete e se ela for esperta vai correr enquanto ainda é tempo, ou ela sai de Nova York por conta própria ou eu mesma tiro ela daqui.

A enfermeira foi muito gentil comigo, e tentou ao máximo me ajudar, e me acalmar, por mais difícil que fosse. Na hora de sair ela perguntou se eu e Shawn namorávamos, ele negou e ela disse que deveríamos, pois formamos um belo casal. Não preciso nem dizer que eu fiquei corada, né? Shawn disse que se isso acontecesse, ela seria a primeira a saber. Isso é uma pena, eu sei que nunca vai acontecer, mesmo se nós quisermos, Shawn não iria querer falar os segredos que tanto esconde, como daríamos certo? Shawn me carrega novamente até o carro, o jogo tinha acabado de começar quando saímos, ainda daria tempo dele jogar, mas ele preferiu ficar comigo... Isso é bom, e perigoso.

— Tem certeza que está bem? — Shawn pergunta pela milésima vez enquanto me deita em sua cama.

— Não... — respondo e ele me olha atento. — Mas vou ficar se você der um beijinho no meu pé.

— Ashley... — ele me repreende fazendo careta e eu rio. — Seu pé é feio.

— Ele é lindo Shawn. — digo e ele se senta ao meu lado.

— O meu é mais. — ele sorri e eu dou um risada.

— O seu é deformado. — respondo.

— Não é. — ele revira os olhos. — Sou todo lindo.

— Você é lindo mesmo. — respondo e ele sorri. — Da cabeça ao tornozelo, seus pés são feios.

— Você é horrível Ashley Salvatore. — ele se finge de emburrado e eu sorrio.

— Você não me trouxe para o quarto errado, mocinho? — pergunto.

— Claro que não. — diz. — Estamos no meu quarto.

— O meu é o da frente. — aponto.

— Você vai dormir comigo hoje. — ele sorri. — Eu sei que você gosta.

— Menos quando você coloca o pezão em cima de mim. — rio e me deito enquanto ele faz o mesmo.

— Qual o seu problema com meu pé? — ele pergunta.

— Tirando o fato dele ser feio, nada... — dou de ombros. — Está ficando mal acostumado, e me deixando também... Não deveríamos.

— Por quê? — ele me olha curioso.

— Porque essas duas semanas vão acabar. — digo. — E aí estarei acostumada a dormir com você... Vou sentir falta.

— Também vou... Eu estava pensando... — Shawn começa e se vira na cama para me olhar. — Vou ficar invadindo sua janela todo dia, o que você acha?

— Eu acho uma excelente ideia. — rio. — Richard também vai amar.

— É só trancar a sua porta. — ele diz.

— É melhor... — eu digo.— Ele arrancaria o seu... Você sabe.

— Ashley Salvatore com vergonha de falar "pau'? — ele ri e eu coro. — Logo você... Mas sim, melhor tomarmos cuidado, você ainda vai brincar muito com ele...

— Shawn... — empurro ele e rio mesmo corada. — Vou trocar de roupa.

— Não... — ele me impede de levantar. — Você não vai andar assim.

— Eu estou bem Shawn... — o tranquilizo.

— Use a minha blusa só. — ele dá de ombros e joga a blusa para mim. — Fica bem em você.

— Ok.— sorrio. — Só porque é confortável... Agora vira.

— Ashley... — ele revira os olhos. — Você confia em mim, certo? — ele pergunta e eu concordo com a cabeça. — Então ponha na minha frente.

— Mas...

— Sem "mas", o seu corpo é lindo. — ele diz. — E eu nunca vou fazer nada que você não queira.

—Ok. — sorrio e concordo depois de pensar um pouco.

Eu levanto e retiro a saia, colocando-a no criado mudo e logo em seguida faço o mesmo com a blusa, Shawn acompanha cada movimento meu. Assim que termino, coloco sua blusa, que ficava enorme em mim e me deito ao seu lado, que me olha sorrindo.

— Não foi tão difícil assim né? — ele ri e me olha.

— Não. — respondo. — É bom sentir o seu cheiro.

— Eu sei. — ele me beija. — Roxo é a sua segunda cor.

— Qual seria a primeira? — pergunto.

— Vermelho... Foi feito para você. — ele diz e eu sorrio. — Vou pegar besteiras lá em baixo, e vamos assistir filme, o que acha?

— Acho uma ótima ideia. — respondo. — Nada de saladas.

Shawn apenas revira os olhos e sai do quarto. Ele estava demorando muito, eu me sento na cama e pego um retrato que havia do lado de sua cama. Ele e Karen. Era uma foto muito bonita, e fofa, o sorriso do Shawn era incrivelmente verdadeiro na foto, dava para perceber. Karen era linda, muito linda, incrivelmente linda, principalmente seus olhos e seu sorriso. Tenho certeza que Shawn puxou o belo sorriso dela.

— O que está fazendo? — Shawn pergunta e eu me assusto.

— Me... Me desculpe... — ponho o retrato de volta no lugar com o maior cuidado.

— Está tudo bem Ash. — ele ri e se aproxima beijando minha testa. — Ela era linda, não é?

— Muito. — sorrio. — As vezes tenho sensação de ter visto alguém parecida por aí... Mas enfim, ela era linda, linda demais, incrivelmente linda.

— Assim como você. — ele diz e eu sorrio.

— Shawn Peter Raul Mendes sendo fofo comigo? — sorrio e me aconchego em seu peito enquanto ele liga o notebook. — Gostei.

— Não se acostume. — ele diz e eu reviro os olhos, assim que o notebook liga a foto dele e da menina aparece novamente e eu cruzo os braços.

— O que foi? — ele pergunta sorrindo e eu semicerro os olhos.

— Muda isso agora Shawn Peter Raul Mendes. — reclamo.

— Ciumenta. — ele solta uma gargalhada me deixando mais furiosa ainda. — Vai brincar de falar meu nome completo agora?

— Vou. — reviro os olhos. — Muda isso agora, anda.

— Para de ser chata. — ele ri e eu o encaro. — Tudo bem Ashley, tudo bem.

— Vamos tirar uma agora.

Eu pego o meu celular e obrigo Shawn a tirar uma foto comigo, que inclusive ficou linda e espontânea, afinal eu estava nela, ele passa o foto para o computador e coloca no papel de parede, assim como eu disse que ele deveria fazer. Shawn deixa que eu escolha os filmes. É claro que eu escolhi romance, ele reclamou, mas acabou aceitando. Nós assistimos "simplesmente acontece", logo em seguida "um dia". Nós estávamos na metade de "a culpa é das estrelas" não preciso dizer que eu já estava desidratada de tanto chorar não é? O celular de Shawn toca e nós pausamos o filme, ele volta um tempo depois emburrado, e se deita novamente ao meu lado.

— Quem era? — pergunto e me deito de lado para olha-lo

— Aalyah. — bufa e se vira de lado também.

— O que houve? — pergunto.

— Ela vai passar a noite com Nash. — ele diz. — Ash, ela é minha irmãzinha.

— Você parece o Richard. — acaricio seu rosto. — Ela sabe o que faz Shawn, pelo menos ela não te esconde nada.

— E se ela quebrar a cara? — ele fecha os olhos e aproveita o meu toque.

— Ela vai ter você para ajudá-la... — digo. — As vezes a gente tem que quebrar a cara, não dá para aprender ser errar.

— Eu não quero que ela se machuque. — ele diz. — Ela disse que vai se divertir essa noite... Isso é coisa que se fale para mim?

— Ela só quer te provocar. — rio e puxo ele. — Você também vai se divertir, afinal você está comigo... Ou não?

— Claro que eu vou. — sorri. — Eu entendo Richard perfeitamente... Ele deve sofrer muito nas suas mãos.

— Faz parte de ter uma irmã linda. — sorrio.

— Muito linda. — ele me beija. — E chorona, você chorou em todos os filmes.

— Eles são lindos. — reviro os olhos.

— São idiotas. — ele diz e me puxa para cima dele, com cuidado.

— Você nem assistiu. — bufo.

— É mais legal ficar assistindo suas reações.

Shawn me beija com carinho, e assim se seguem, outro, outro e outro, até que o clima começa a esquentar mais. Shawn e eu sozinhos em casa, Aaly com Nash, Manuel viajando, apesar do nervosismo, eu não sou a menininha com medo de perder a merda da virgindade — talvez eu seja sim — mas eu confio nele, e ele confia em mim, não seria errado. É claro que o fato dele, provavelmente, ter transado com muitas outras garotas experientes, me deixe um pouco nervosa, eu não poderia ser tão mal assim, certo? Eu sou Ashley Salvatore.

Eu desço meus beijos pelo rosto dele, e logo chego em seu pescoço, eu sabia exatamente onde é o ponto fraco dele e não demora muito para eu o ouvir suspirar. Quanto mais minha boca descia no seu corpo, mais arrepiado ele ficava, eu podia sentir seu volume. É bom saber que preciso de tão pouco para deixar ele assim... Ou talvez ele apenas seja fácil demais. 

Mas aquilo não saia da minha cabeça, aquilo me assombrava.

Eu retiro o sua bermuda e me sento novamente em seu colo, bem em cima de seu membro, eu estava só de calcinha e com a blusa dele e ele apenas de cueca, o contato era muito gostoso, eu posso dizer.

Shawn me puxa para um beijo intenso e me vira na cama, a primeira coisa que ele faz é retirar a blusa, ele aprecia cada pedacinho do meu corpo enquanto sorri. Não demora até ele voltar para minha boca. Shawn desce até o meu pescoço e me arranca um leve gemido, ele sabe o que faz. Alguns pensamentos vem em minha mente e eu tento afastá-los. Era Shawn quem estava ali. 

Shawn Mendes, e não ele.

Shawn abre o fecho do meu sutiã e o retira com cuidado, ele olha intensamente em meus olhos e logo coloca a boca em um deles. A merda dos pensamentos voltam, e eu começo a ver ele e me sentir sufocada. Eu pisco uma, duas, três vezes. Eu o vi bem na minha frente, mas logo em seguida era Shawn novamente, era tudo embaraçoso, eu tenho que esquecer aquilo.

Shawn descia distribuindo beijos pela minha barriga. Mas o pânico e as lembranças tomam conta de mim. Eu não podia controlar meus pensamentos, eu não podia esquecer aquilo. Aquilo acabou comigo. Aquilo domina cada pensamento meu no momento. Eu nem ao menos consigo controlar o que vejo. Eu sei que é Shawn, mas quando abro os olhos, não é ele quem eu vejo.

— Não. — eu peço assim como em minhas lembranças e nada dele parar.

Eu abro meus olhos e o fecho mais uma vez, apertando bastante. Assim que abro eu o vejo novamente, assim como o vi anos atrás, com o olhar intenso e o sorriso diabólico, o pior dos olhares. Eu conseguia ver a sua alma escura, a maldade em seu sorriso, e o seu olhar sem pudor algum. Sem conseguir me controlar, eu grito e as lagrimas tomam o meu rosto, Shawn me olha assustado e eu tento controlar a respiração e o panico.

— O que foi? — ele se aproxima com calma. — Eu fiz algo errado?

— A culpa é minha, a culpa é minha, a culpa é minha. — repito enquanto abraço meus joelhos, sinto as mãos de Shawn acariciando meu cabelo. — A culpa é minha.

— Calma Ash. — ele tenta me acalmar. — O que houve?

— É tudo culpa minha Shawn. — eu choro. — Tudo culpa minha.

— Por que está assim? — ele pergunta atento e preocupado. — É por que você é virgem?

— Não... — o encaro com os olhos cheios de lágrimas. — Eu não... Não sou.

— Não? — ele pergunta confuso.

— Eu... Eu não sei. — digo entre soluços e ele me puxa para encostar em seu peito e tampa o meu corpo com o lençol.

— Calma Ash, eu cuido de você. — ele diz acariciando meu cabelo e beijando minha cabeça. — Você quer dizer o que houve?

— Você vai me julgar. — eu balanço a cabeça negativamente. — Todos vão, a culpa é minha... Toda minha. Ela está certa.

— Ela quem? — ele pergunta sem parar de acariciar meus cabelos.

— Minha mãe. — soluço.

— Se quiser dizer o que houve, eu te escuto. — ele diz. — Eu nunca te julgaria.

— Você promete? — eu pergunto respirando fundo e ele seca algumas lagrimas.

— Prometo. — ele diz olhando em meus olhos.

— Faz tempo. — tento controlar minhas lágrimas. — Eu tinha 11 anos... Eu não queria, eu juro. Não queria Shawn...

— Foi... Foi a força? — ele pergunta e sinto sua voz ficar embargada.

— Eu fui... — começo enquanto meu choro se intensifica. — Estuprada.

— Isso é... — ele começa ainda sem chão por devido a minha revelação. — É horrível.

— Eu tinha 11 anos... — começo e ele me aperta forte. — Era um amigo do meu pai. "Amigo". Eu e minha família tínhamos ido por causa de um contrato, era uma fazenda... — respiro fundo. — Meu pai, meu irmão e minha mãe tinham saído para resolver alguns assuntos... Não havia problema algum me deixar com ele, certo? Foi o que meu pai pensou... Afinal eles eram amigos. Eu estava no meu quarto Shawn, eu tinha acado de tomar banho quando ele entrou... — dou uma pausa e sinto o meu cabelo molhado com as lágrimas de Shawn. — Ele disse que queria me mostrar uma coisa... Eu era burra, burra demais. Ele trancou o quarto e tirou as roupas. Eu sabia que aquilo era errado, mesmo sem saber ao certo o que era...

— Ash... — ele diz entre soluços. — Se não quiser continuar, tudo bem.

— Eu preciso, eu guardo isso há muito tempo. — o olho. — Você vai sentir nojo de mim... Eu sei que vai... Só não me julgue, por favor.

— Eu nunca sentiria. — ele beija minha testa. — Nunca.

— Ele tirou as roupas dele e me segurou, eu não queria beijá-lo, mas ele me bateu, ele bateu no meu rosto. — respiro fundo. — Ele fez eu tocar... Tocar ele, ele colocou as minhas mãos lá, ele se divertia com o meu choro Shawn... Ele se divertia. Ele me fazia chorar apenas porque aquilo o deixava feliz... Ele me fez colocar a boca lá. — fecho os meus olhos e tento expulsar as lembranças. — Ele ficava segurando minha cabeça e ele me xingava... Ele me jogou na cama e me bateu de novo, ele beijou todo o meu corpo. — Shawn tenta limpar minhas lagrimas. — Eu tenho nojo do meu corpo as vezes, nojo de onde ele tocou, eu odeio ele... A pior parte foi quando ele me amarrou. Ele colocou uma parte do pênis dele, eu não sou virgem Shawn, não sou... Eu estava com você, mas tudo o que eu via era ele... Ele me estragou.

— Ashley. — ele me abraça chorando. — Eu não ligo, a culpa não é sua... Ele é um monstro, tudo o que eu quero é matar ele, como ele pode te machucar? Como alguém pode fazer isso com outra pessoa? A culpa não é sua, não é.

— Ele não terminou porque minha família chegou. — eu sussurro. — Mas ele me destruiu, por que isso me estragou.

— Sua família sabe? — ele pergunta e eu nego com a cabeça. — Como você conseguiu guardar?

— Eu contei à minha mãe. — digo e meu olhos se enchem de lágrimas de novo. — Ela é minha mãe, esse tipo de coisas a gente conta para a mãe, não é? Ela pediu que eu esquecesse, a culpa era minha, eu havia me oferecido... Meu pai não merecia quebrar contrato por um erro meu.

— Ela disse isso? Ash essa mulher é louca. — ele me seca minhas lágrimas e eu as dele. — Ela está errada, você é vítima, entendeu? Vítima. Você só tinha 11 anos, você não era burra, era inocente e ele se aproveitou disso. — ele fecha os olhos e deixa as lágrimas saírem. — Você e nem ninguém merece passar por isso, essa pessoa deveria estar presa Ash... — ele cola nossas testas. — Se eu pudesse apagar todas essas memórias horríveis da sua cabeça, eu apagaria... Não quero que sinta nojo de você, nem que se sinta culpada. Eu queria poder te proteger de todas as coisas ruins do mundo.

— Você não tem nojo de mim? — pergunto. — Nem do meu corpo?

— Eu nunca teria Ashley. — ele me da um longo selinho. — O seu corpo é lindo, você é linda, é especial... Você é única. Nada nesse mundo poderia fazer eu sentir nojo de você. E você não deve se culpar por isso, ok? A culpa não é sua. — ele ergue meu rosto e olha em meus olhos. — Me prometa que nunca mais vai se culpar.

— Eu prometo. — fecho os meus olhos e abraço ele. — Vou tentar.

— Você... Você lembra o nome dele? — Shawn pergunta. — Eu vou matar esse cara Ashley, eu juro para você, ele é um monstro, ele tem que pagar pelo que fez.

— Não. — minto. — Eu não sei o sobrenome, nada... Não lembro.

— Eu mataria esse cara, se você pedisse. — ele diz. — Eu sei que você lembra, me diga quando confiar o suficiente, esse cara não pode ficar impune.

— Isso faz anos. — eu digo.

— Se antes você não tinha alguém para te proteger. — ele segura meu rosto. — Agora você tem, você me tem.

— Eu só quero que você me abrace, eu me sinto protegida... Com você. — respondo ainda secando algumas lagrimas.

— É porque você está.

Shawn pega uma blusa moletom e veste em mim, tampando o meu corpo. Ele me vira de frente e beija o meu rosto inteiro e cada caminho que a lágrima formou. Nós nos deitamos abraçados, ele sussurra coisas divertidas e fofas no meu ouvido, na tentativa de me distrair. Eu queria poder me sentir para sempre assim, protegida, nos braços de Shawn. Eu contei a ele o meu mais profundo segredo, e eu não me arrependo, nem por um segundo.


Notas Finais


Gente, alguns podem ficar tipo "mas como assim????" Eu deixei algumas dicas em capítulos passados, e isso é um ponto importante para a história, vocês já perceberam que tem muito suspense e segredo né? Eu amo isso! Mas serio, eu dou muitas dicas sobre as coisas no capítulo, até mesmo nesse. Desculpa se não gostarem. E fico feliz se gostarem. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...