História !Doctor Love! !Soldier Passion! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Personagens Originais, Sehun
Tags Baekhyun Uke, Chanbaek, Chanyeol Seme, Doctor, Lemon Hard, Soldier, Yaoi
Visualizações 56
Palavras 1.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie,
Dois capítulos seguidos já, tava ansiosa.

Boa leitura.

Obs: LEIAM AS NOTAS FINAIS!!

Capítulo 2 - Capítulo II - Não somos movidos pela mesma coisa.


Os dias se passaram e Baekhyun acompanhava o estado do paciente A33. O mesmo havia entrado em coma e nenhuma informação foi passada aos médicos sobre a família do homem.

 

     Apesar do clima tenso pelo recém caos que havia ocorrido, todos os dias Baekhyun era agraciado com a presença de Chanyeol.

 

     Só que não.

 

     Tudo o que aquele homem fazia era lhe importunar. Seja nos corredores quando se encontravam, ou em suas horas de descanso no refeitório, Chanyeol  dava um jeito de aparecer. Baekhyun já estava ficando irritado com o comportamento infantil do maior, e por isso resolveu que iria dar um fim naquilo.

 

     Assim que viu o mesmo andando tranquilamente pelo corredor da área ortopédica – bem longe de onde deveria estar – caminhou em passos rápidos ate ele. Iria pedir explicações.

 

     -Qual é o seu problema? – já chegou com o rosto vermelho de raiva.

 

     -É comigo? – Chanyeol apontou para si mesmo e fez uma expressão de falsa duvida. Ele sabia que o medico falava consigo.

 

     -É com você mesmo. Pode parar de me perseguir como um maluco?

 

     -Hey hey baixinho, baixa a bola – riu da expressão enraivecida do medico – Porque acha que estou te perseguindo?

 

     -Ah você sabe muito bem tenente Park – colocou as mãos na cintura encarando o maior – Acha que eu não vejo que, sempre que da você aparece em algum lugar onde estou.

 

     -Acho que é só impressão sua – estendeu um barra de chocolate para Baekhyun – eu não estou te perseguindo como um maluco doutor Byun, apenas estava tentando te devolver o doce que me deu.

 

     -Dei uma ova, você pegou sem autorização alguma – cruzou os braços em frente ao corpo.

 

     -Por isso resolvi que deveria te devolver – colocou o doce dentro do jaleco do medico e sussurrou em seu ouvido – faça bom proveito doutor Byun.

 

     E foi embora, sem mais nem menos.

 

~``~

 

     Depois do episodio no corredor do hospital, Baekhyun ficou aéreo o restante do dia. O pequeno Byun nunca foi provido de muita paciência, e com um Chanyeol que havia nascido para irritar as pessoas – do mesmo jeito que fazia com sua irmã mais velha, Yoora – não facilitava a vida do jovem medico.

 

     Chanyeol era simpático com todos daquele hospital, recepcionista, médicos, enfermeiros, faxineiros e ate os pacientes, parecia que seu gênio não batia apenas com Baekhyun. O menor sabia que por trás de tonta aquela simpatia existia um cara de pau, que se achava a ultima bolacha do pacote. Baekhyun nem o conhecia direito mas tinha certeza que Chanyeol era transparente consigo. Pobre Byun.

 

     O Park também havia reparado na personalidade explosiva do cirurgião, e parecia que isso lhe atiçava mais a irritar o mesmo. Baekhyun cruzava os braços e inflava as bochechas vermelhas, com olhos que tentavam transbordar raiva.

 

     Em vão na opinião do tenente.

 

     Apesar do clima divertido que parecia rondar ambos, as coisas ficaram serias quando o paciente A33 acordou, deixando todos em alerta, tanto médicos como militares. O problema foi que, no acidente, as cordas vocais no homem haviam sido fraturadas, então o mesmo não conseguia falar, mas suas expressões de medo ao ver Chanyeol e seus homens já demonstravam que coisa boa ali não tinha.

 

     E por causa disso Chanyeol e Baekhyun acabaram discutindo em frente ao quarto do paciente. Baekhyun dizia que Chanyeol não deveria ser tão rude com o pobre homem, sendo que reclamava do comportamento agressivo que o Park teve na hora de tentar falar com o A33, dizendo que isso poderia afetar na recuperação do mesmo. O maior já estava ficando irritado com o medico, que ditava convicto que qualquer vida não deveria ser menosprezada e blá blá blá.

 

     Chanyeol não era dotado desse tipo de paciência, era calmo com muita coisa, com aquela situação não.

 

     Não aceitava que pessoas que eram responsáveis por crimes fossem tratadas como iguais a pessoas inocentes. Chanyeol abominava qualquer tipo de infração as leis postas em sua nação, tornando-o as vezes um tanto quanto rigoroso. Para ele, era quase que inaceitável que Baekhyun defendesse alguém como aquele homem. Um assassino em massa.

 

     Com isso, enquanto Baekhyun despejava palavras sobre o tenente, Chanyeol se descontrolou e arremessou o corpo do medico contra a parede branca, segurando seus pulsos para baixo.

 

     Fitou os olhos castanhos e disse serio:

 

     -Sabe por que todas aquelas pessoas foram parar nesse hospital Baekhyun? Por causa daquele homem, aquele que você tanto defende. Ele é responsável por cada morte que você presenciou aqui caro doutor - seus olhos transbordavam raiva, mas mesmo assim continuou – No carro em que ele dirigia tinha uma bomba que explodiu e quase levou um quarteirão inteiro para os ares, a sorte é que a bomba explodiu no meio da avenida, atingindo poucos carros ao redor, mas mesmo assim ferindo pessoas, e os que não estavam no meio da explosão perderam o controle dos carros e bateram. Quer mesmo defender um homem que carregava consigo uma bomba? Porque eu acredito que coisa boa ele não ia fazer.

 

     E como de costume saiu em passos rápidos, deixando Baekhyun atordoado com as palavras que lhe foram despejadas sem dó alguma.

 

~``~

 

     Passaram-se dias e Chanyeol e Baekhyun não ousaram trocar sequer um oi.

 

     Baekhyun estava com a cabeça a mil e o tenente não estava diferente. Ambos estavam magoados pelo ocorrido dias atrás.

 

     O medico refletia sobre o que acreditava, e parecia que mesmo que o crime do homem tenha sido algo horrível e imperdoável, não conseguia trata-lo como Chanyeol, que era grosso e frio toda vez na presença do criminoso. Baekhyun tinha apresso a vida humana, tanto que foi por isso que havia se tornado medico, para cuidar das pessoas e fazê-las se sentirem melhores. Sua vó sempre dizia que, se seu neto tornasse medico, deveria tratar as pessoas com amor e carinho. Seres humanos doentes procuram algo ou alguém que possam lhes reconfortar.

 

     Sabe o quanto é ruim alguém que esta sentindo dor, chegar em um hospital e ser tratado de maneira grosseira? Baekhyun odiava médicos que agiam mal com os pacientes. Por isso o menor sempre foi gentil com quem cuidava, apesar de sua personalidade ser forte. Em frente a um paciente, Baekhyun tornava-se outra pessoa.

 

     E com esses pensamentos rondando sua mente, entrou no elevador, pronto para ir embora, seu expediente havia chegado ao fim.

 

     Alguém correndo gritou para que segurassem o elevador, fazendo Baekhyun agir rápido e segurar uma das portas metálicas, sendo seguido de um Chanyeol ofegante entrando no compartimento metálico.

 

     Péssima hora.

 

     Assim que viu Baekhyun era tarde demais, o elevador já havia fechado.

 

     Ambos nem perceberam que ficaram se encarando por longos segundos, que foram interrompidos quando o elevador soou, avisando que nenhum andar havia sido selecionado. Baekhyun então voltou a si e apertou o botão do E2, esperando Chanyeol apertasse o do andar que iria. Mas o maior não fez.

 

     Ficaram lado a lado fitando o teto iluminado, em um silencio mortal.

 

     O clima estava péssimo.

 

     Chanyeol só acordou quando viu que o elevador havia parado no E2, e Baekhyun já não estava mais ao seu lado. Correu a procura do menor no estacionamento, precisavam conversar.

 

     O medico já estava abrindo a porta do carro quando teve seu braço segurado com força. Chanyeol fitava-o com uma expressão seria e com a respiração ofegante.

 

     É... tinham muito o que conversar!!


Notas Finais


Eu tenho uma pergunta para vocês:

Qual a opinião de vocês em relação aos ideias do nosso pequeno Byun e do impaciente Park?

Essa parte que o Baek fala da avo é realmente algo que eu pessoalmente acredite mto.

Pessoas doentes devem ser tratadas com amor.

Beijos e ate o próximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...