História Doctor Moore - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grey's Anatomy, House
Tags Drama Médico
Exibições 9
Palavras 1.366
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Drogas, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - Sentimentos que se recusam a ir embora


Fanfic / Fanfiction Doctor Moore - Capítulo 14 - Sentimentos que se recusam a ir embora

~Plantão

Tom: Annabeth, como você está? -perguntou ele enquanto eu assinava algumas altas.

Anna: Eu não preciso do seu consolo.

Tom: Está bem, já que você quer assim.

Anna: Você acha mesmo que eu quero? -ele me puxou, me levou para o quarto, me colocou na parede e disse.

Tom:  O que está acontecendo com nós? Eu deixo tudo para trás e você me trata assim, você não sabe o quanto eu estou te amando e eu sei que você também me ama mas não esta pronta, é eu sei Annabeth.

Anna: Eu tenho uma cirurgia agora. - sai e fui ao encontro da Dra. Blake Foster.

Enquanto andava, eu pensava comigo mesma que não estava pronta ainda, algo me prendia, talvez a prova para residência e a doença da minha mãe. Já perdi tantas pessoas que minha mãe eu não suportaria.

Anna: Blake, vem comigo. Temos um trauma chegando.

Blake: Ok. -fomos até a emergência.

Paramédica: Homem de 45 anos, caiu 3 lances de escada. Fraturas na perna direita, deslocou o ombro, uma possível hemorragia interna e uma laceração na cabeça. Batimentos baixos.

Anna: Quero que chamem o Carter e o Lewis agora. E Blake vá ao banco de sangue pedir O negativo.

James: O que temos aqui?

Anna: Quero que você cuide do ombro dele e da perna.

Lewis: E eu vou dar uma olhada nessa laceração.

Homem: Minha esposa, onde está ela?

Anna: Oi eu sou a Doutora Moore e vou cuidar de você. Permaneça imóvel. -a pressão dele começou a cair.

James: Uma ampola de adrenalina agora.

Lewis: Não está funcionando.

Anna: Desfibrilador. Carrega em 200... afasta. -e a pressão estabilizou.

James: Vamos ter que entubar.

Anna: Cuida disso para mim.

Blake: Aqui está o O negativo.

Anna: Bom, vamos levá-lo para a cirurgia mas antes, Blake faça uma tomografia e um raio x para verificar se está tudo ok. -tirei as luvas e sai da sala.

James: Annabeth, preciso falar com você.

Anna: Fale.

James: O chefe me tirou do cargo. Ele disse que eu tinha capacidade porém o Lewis vai assumir daqui para frente.

Anna: E você está bem?

James: Ele tinha razão. Eu nem fiz minha prova da residência e tudo estava confuso para mim.

Anna: Que bom.

Mia: Finalmente te achei, você tem que vim, é a Sophie. -corremos até a sala onde ela estava sendo examinada com a doutora Florence.

Anna: O que aconteceu?

Sophie: Apenas tive um sangramento.

Mia: Sangramento?

Florence: A amiga de vocês está com o colo do útero dilatado, isso significa que vou ter que suturar e ela ficará de repouso até o bebê nascer. Qualquer movimento brusco, ou mínimo que for pode romper. Vou fazer uns exames e amanhã pela manhã faço esse procedimento. Vou deixar vocês sozinhas.

Anna: Sophie, a gente se preocupa com você. -ela começou a chorar e sentamos na cama com ela.

Mia: Não chora, estamos aqui e sempre estaremos.

Sophie: Eu quero o Lewis, chama o Lewis agora, agoraaaaaaaaaaaa.

Mia: Já estava na hora, vou chamá-lo.

Ele foi e ficamos do lado de fora observando eles dois.

~Conversa entre Sophie e Nicholas

Lewis: Meu amor, o que aconteceu?

Sophie: Eu preciso de você. Vão suturar o colo do meu útero, está dilatado. Estou com medo do que vai acontecer com o nosso bebê.

Lewis: Não vai acontecer nada porque eu estou aqui, estou com você.

Mia: Que bom que os dois se acertaram. -meu pager começou a apitar.

Anna: Tenho que ir.

James: Chama a neuro agora, ele teve convulsões. Vamos levá-lo para a cirurgia agora.

Anna: aonde está a Blake com os exames?

James: Não sei, temos que levá-lo agora.

~Cirurgia

Anna: Lâmina 10, vamos acabar com essa hemorragia.

Blake: Me desculpe doutora, eu estava...

Anna: Agora que você aparece doutora? Sai da minha cirurgia agora, está dispensada. Até amanhã.

James: Ele está tendo uma fibrilação, peguem o desfibrilador e carreguem em 100.

Anna: Afastem.

James: 2 ampolas de adrenalina e chamem o Clark.

Anna: Não, não chamem o Clark porque está tudo sobre controle. Carreguem em 300. Afastem.

James: Ele não está respondendo. Temos que chamar o Clark.

Anna: Não, eu vou massagear.

James: Ele está morrendo. Chamem o Clark agora e não ouçam a doutora Moore.

Anna: Eu vou conseguir. Carreguem em 200 de novo. Afasta.

Tom: O que você está fazendo, a veia horta se rompeu. Muito bem doutora acabou de matar um paciente, não me chamou por causa do seu orgulho. Anuncia a hora da morte.

Anna: Hora do óbito, meia noite e cinquenta e três.

Sai da cirurgia e fui tomar um ar, e percebi que Blake estava lá fora.

Anna: Posso me sentar aqui?

Blake: Claro. Doutora Moore me desculpe por não levar os exames, como paciente está?

Anna: Ele morreu. Olha, você vai errar todos os dias, médicos erram, mas permaneça firme.

Blake: Acho que não sou capaz.

Anna: Eu também achava que não era e aqui estou. Já fiz várias cirurgias solo.

George: Doutora Moore?

Anna: O que você quer?

George: Me acompanhe por favor.

Ele me levou até uma sala.

Anna: Eu sei que deixei aquele paciente morrer, mas nós médicos erramos todos os dias e...- o George veio e começou a me beijar, e eu dei um soco na cara dele.

George: Ei.

Anna: Sai daqui seu cretino, quem você pensa que é. - sai da sala.

Terminei o plantão, e pela manhã acompanhei o procedimento da Sophie. Depois fui ver a minha mãe.

Rachel: Oi minha filha, começo hoje a quimio. Não quer ficar?

Anna: Estou cansada mãe, mais tarde venho te ver.

Rachel: Tudo bem.

Fui embora para casa.

~Conversa entre Tom e Rachel

Tom estava na porta observando Rachel ver televisão, até que ela o vê e diz:

Rachel: Mas que médico é esse, venha aqui meu caro.

Tom: Rachel Moore? Sou Tom Clark.

Rachel: Sim. Tom Clark... já ouvi falar de você.

Tom: Pela televisão, sim eles sempre fazem isso.

Rachel: Não, pela minha filha. Você é o homem que está fazendo a cabeça dela de novo.

Tom: Nós não temos nada.

Rachel: Você acha que eu tenho quantos anos? Estou aqui há 1 semana mas já vi a troca de olhares de vocês dois, sei que já tiveram algumas coisas. Sei que vocês se amam, e quer um conselho? Persiste nessa minha filha, vocês terão um ótimo futuro juntos, lindos filhos e uma profissão dos sonhos. Não sei se estarei aqui para ver meus netos, mas... -ela começou a botar a mão no peito. Tom, desesperado, examina o peito de Rachel e vê que os batimentos estão fracos e ela tem muita dificuldade em respirar.

Tom: Doutora Taylor, venha aqui.

Taylor: Sim, o que ela tem?

Tom: Temos que fazer uma traqueostomia nela agora. Me passa o tubo endotraqueal agora.

Taylor: Aqui doutor.

Tom: Só um minuto... pronto. Agora ela pode respirar melhor. Monitore ela de 20 em 20 minutos, depois de 1 hora leve-a para uma TC e uma radiografia do coração e me comunique os resultados. Eu vou ligar para Annabeth assim que os exames ficarem prontos.

~1 hora depois.

Taylor: Aqui doutor. Acho que os resultados não são bons.

Tom: Interprete para mim.

Taylor: Bom, ela está com uma massa no coração, não muito grande, porém é maligna e tem que ser tratada logo.

Tom: Qual procedimento?

Taylor: Uma cirurgia para a retirada e depois quimio.

Tom: E este outro exame, o que vê?

Taylor: Ela tem melanoma e agora apresenta mais metástases no fígado e rins.

Tom: E vamos torcer para não ter no cérebro. Bom, você está no caso agora. Eu, você, Dr Carter e a Doutora Olivia Foster vamos cuidar da mãe da Annabeth e dar nosso melhor. Vai examinar a senhora Moore agora.

Taylor: Muito obrigada doutor.

Eu estava em casa e recebi várias ligações do Clark, porém não quis atender e fui até o bar do Russell beber...

 

“Você disse? Eu te amo. Eu não quero viver sem você. Você mudou a minha vida. Você disse? Faça um plano, tenha um objetivo. Trabalhe para alcançá-los, mas de vez em quando, olhe ao seu redor e aproveite, porque é isso. Tudo pode acabar amanhã.”

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...