História Doçura é uma virtude - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 1
Palavras 719
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Romance e Novela, Suspense, Yuri
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Está aí o segundo capítulo, eu achei meio sem sal e previsível, mas vou seguir minha ideia inicial, boa leitura!!

Capítulo 2 - Destino pungente


Passou-se os dias da semana até chegar quarta-feira, seus dias eram tão comuns que a deixava entediada, porém hoje é o dia da palestra, o tão sonhado dia em que tiraria suas duvidas quanto ao tema proposto, estava com medo de se decepcionar, mas tomou coragem e começou a se arrumar. Procurou primeiro em seu guarda-roupas, um vestido preto médio com aplique de flores e decote V, pegou sua roupa íntima e a vestiu, logo em seguida colocou o vestido, pegou seu salto também preto e olhou para o seu criado-mudo. Viu sua maquiagem e seu pingente em forma de uma gota d’água, resolveu passar apenas sua base e usar o pingente, pegou as chaves de seu carro e saiu de sua casa, após longos 17 minutos, chegou ao seu destino.

Cinthia estava em uma escola, era uma das mais famosas e grandes da cidade, seu ar garantia uma sensação de paz interior, foi andando em direção ao local da palestra que parecia uma sala de cinema, o local estava parcialmente escuro e ela achava-o perfeito. Sentou-se no canto inferior esquerdo dando espaço apenas para uma pessoa atrás de si e outra do lado, em poucos minutos a sala encontrava-se cheia, do seu lado estava uma jovem morena com cabelos castanhos e sorriso encantador, não demorou muito e ela acabou começando uma conversa enquanto a palestra não iniciava. Debateram alguns assuntos variados, mas o de maior importância, foi o motivo de vir assistir a palestra, Cinthia usou a desculpa de ter sido convidada e que esse era um tema polêmico, já a outra jovem, cujo nome é Aurea, falou que a palestra pode mostrar um caminho o qual ela poderia seguir.

                Então se deu inicio à palestra, todos ficaram na expectativa do assunto, ele foi abordado com pitadas de tristezas e reflexões, afinal, o que fez até agora em sua vida? O que pretende continuar fazendo? Como seu tempo é organizado da melhor maneira para dividir entre seu entretenimento, sua saúde e suas obrigações? Nesse momento, Cinthia se propôs a pensar que poderia estar errada, ela não cuida de sua saúde e nem ao menos conhece a pura alegria, mas naquele dia, sua colega despertou um sentimento de dependência de amizade, pois ela gostou da conversa que teve, não teve palavras pra expressar o sentimento e fazia tempo que ela não se sentia assim, livre, calma e feliz...

                Falou à Aurea para se encontrarem novamente, pegou uma folha de papel e no mesmo anotou o numero de celular que a havia pedido, elas iam se despedir, mas antes que elas se virassem para cada uma delas seguirem seu rumo na vida, o coração de Cinthia palpitou, foi uma batida forte, o que havia sentido ali? Após isso, seu coração começou a trabalhar em ritmo acelerado, já havia sentido aquilo, será que era a mesma coisa? Por que aquele sorriso branco e sincero causou tanto impacto nela? O que ela esperava que ocorresse? Para não ficar mergulhada em perguntas, Cinthia se despediu rapidamente e voltou novamente para sua casa, mas dessa vez, a melancolia não a invadiu, mas sim uma alegria, alegria essa causada por um sentimento que em seu passado foi reprimido, não só por causa de rejeições da outra pessoa, mas também pela sua própria rejeição e a desaprovação da sociedade perante a isso, viu-se desesperada novamente.

                Tomada pelo sentimento que acabou por chamar de paixão, Cinthia não pôde acreditar que um dia isso aconteceria novamente com ela, esperou um momento e deitou-se na cama, estava cansada, já tinha sentido demais por hoje, já tinha relembrado demais por hoje, já tinha chorado demais pela sua vida toda para querer chorar novamente, justo agora que sua vida estava resolvida, então decidiu que iria reprimir novamente o sentimento, se não conseguisse, temia ter que recorrer ao método de abandono de sua nova amiga, apesar de ser sociável, apenas as pessoas que compartilham uma mesma dor que ela são consideradas suas amigas ou amigos, o sentimento da melancolia, da tristeza em relação ao que faz, Cinthia notou na fala de sua amiga que ela estava perdida, triste, sem saber o que fazer, esse era o motivo que levava as duas a assistirem essa palestra, só assim elas poderiam achar um caminho onde pudessem viver bem, um caminho onde não houvesse ilusões...


Notas Finais


Achei meio estranho, principalmente o final, desculpem-me.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...