História Dois Corações - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Bonnie, Brock, Clemont, Daisy, Dawn Hikari, Delia Ketchum, Drew, Gary Carvalho, James, Jessie, Jigglypuff, Max, May, Misty, Paul, Pikachu, Professor Carvalho, Serena
Tags Ashmisty, Daml, Família, Fanfic Muito Legal, Insinuação De Adultério, Jessiejames, Mejeras, Pokeshipping, Rocketshipping, Vilas
Exibições 134
Palavras 3.622
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu amei este kapi, mas tenho medo da fanfic ser excluída por causa dos links. Estou vivendo à deriva! Socorro! Não quero editar nada deste kapi! Espero que gostem, porque eu amei!

Capítulo 9 - Na palma da mão, parte 1


Fanfic / Fanfiction Dois Corações - Capítulo 9 - Na palma da mão, parte 1

O dia amanheceu ensolarado no hospital, Misty acordou às 7h, louca para rever e conversar com seus grandes miguis.

- Bom dia srta. Waterflower, tudo bem?

- Sim senhor, mas não precisa chamar de senhorita, pode me chamar de Misty mesmo! - Ela disse gentilmente enquanto a enfermeira tirava as bandagens para fazer um novo curativo.

- Ok. Devo me apresentar, meu nome é Mitchael Makimoto, eu vou acompanhar você e suas irmãs. Posso fazer umas perguntas?

- Claro! Ai! - Misty reclamou um pouco da dor, quando a enfermeira limpava o corte na cabeça.

- Como é seu relacionamento com suas irmãs?

- Não é dos melhores. Vou me abrir com você porque me simpatizei contigo, hein! E não é com todo mundo que dou essa honra! - Misty fechou os olhos e impinou o nariz propositalmente para fazer o médico rir. Já o cara, gostou mais da frase, que assemelhou-se com o que sua falecida esposa disse no primeiro encontro. - Elas brigam comigo como se eu tivesse feito algo de muito errado quando eu era mais nova e me mandam fazer coisas como se fosse empregada... - É notória a tristeza na mocinha. - ... mesmo tento essas divergências todas, eu gosto muito delas.

- Entendo... E o que vocês estavam fazendo no ginásio quando tudo aconteceu?

- Uns parentes esquisitos apareceram, querendo fechar um contrário com o ballet aquático de minhas irmãs, eu estava dentro do aquário com meus pokémons, brincando com eles, quando vi duas bolinhas pretas caírem dentro d'água. Quando percebi que eram bombas, era tarde demais, o único menos afetado foi o inspetor, que já estava do lado de fora... Ainda não consigo entender como isso aconteceu... Quero ver meus pokés... - Misty ficou mais tristinha.

- Compreendo que seja difícil... E seus pais? - Makimoto perguntou propositalmente, gostaria de saber a resposta que sairá da boca dela.

- Acho que está fazendo perguntas demais, seu médico! - Misty cruzou os braços com cuidado para não se machucar. Ela gostou nada da pergunta.

- Me desculpe, ok?

- Tudo bem...

- Quer uma boa notícia? Hoje a visita dura mais tempo. - Makimoto sorriu para a ruivinha. Como ela cresceu forte e saudável. Ela é como sua prima e esposa foi: turrona e teimosa. O doutor sorriu ao ver a jovem contente. - Bom, eu devo ir atender novos pacientes, até mais, Misty.

- Até doutor!

As horas se passaram como dias de tanta ansiedade de Misty em querer rever seus amigos preciosos, sobretudo Ash, que estava muito longe dela por meses e agora estaria roncando no CP mais próximo, tudo para vê-la! Misty se sentia muito importante. Dera 13 horas e nada. 14 horas e nada. Poxa, de que adianta ter mais tempo para visitas se eles nem chegam!

E quando menos espera...

- Advinha quem chegou?-  Passam os anos e a voz não muda. O Ketchum continua o bobo de sempre! Misty fez aquele "Aaaaaah!" Que eu não sei bem se é um suspiro ou um gritinho de alegria, seria um "SuspiTinho de alegria"?

Ash apareceu na porta com o Pikachu. No ponto de vista de Misty, o rapaz ganhou corpo e ficou mais bonito!

"Misty, Misty! Até hoje não largou essa paixonite besta pelo besta do Ash?! Ele provavelmente já deve ter uma linda namorada, eu jamais seria um par ideal para Ash... Ainda mais agora! Vou provar pra mim mesma que logo essa paixonite vai embora, logo vai passar! Se bem que já perdura por seis longos anos..."

- Pikapi! "Myst!" - Pikachu saltou para o colo da ruiva, que ugiu baixinho de dor, por causa das costelas enfaixadas.

- Pikachu! Que modos são esses?! Deixe Myst descansar! - Isso era Ash repreendendo seu melhor pokémigo?! Uau!

- Pi pi, Pikapi, pikachu pichu kachu. "Desculpas, Misty, eu sinto muito. - Pikachu falou com tom melodioso, não gostavade Ash quando brigava com ele, mas sabia que seu dono, por incrível que pareça, estava certo.

- ASH! Não sou uma boneca de porcelana! Não fique assim, Pikachu, você não me machucou. - Misty sabia que tinha machucado, mas jamais daria o braço a torcer, principalmente preto de Ash.

- Claro que é! Olhe seu estado, Myst! Jamais permitiria que algo pior acontecesse a você! - Ash percebeu o tom romântico que pintou seu rosto de vermelho e logo se recompôs - ... Ou a qualquer amigo nosso, claro!

- Eu sei! - Misty ruborizou também. Era impressão dela ou ele tem dado sinais correspondentes ao seu amor? Bom, é melhor não alimentar nenhuma falsa esperança, tristeza agora não!

Falando em tristeza... Caramba, como o Ash vai contar sobre os pokes dela? E sobre o Azurill? Porque essas perguntas à vulsas?! Voltemos algumas horas antes!

.

Ash estava pensativo naquela manhã, muito mais do que a curiosidade por saber o que sua mãe queria, era encontrar alguma forma de ajudar Misty. Que enrascada! Seu poke preferido morto! Como ela suportaria ao saber? Como ele suportaria ver a cena? Seus olhos lacrimejaram muito, a ponto de derramar algumas lágrimas, por apenas imaginar estar no lugar dela. E se fosse o Pikachu no lugar de Azurill?! E se fosse seus pokémons naquele quarto triste do Centro Pokémon?!

- Ash? - James foi o primeiro a perceber a reação do novo amigo.

- Ash?! - May o chamou de forma mais bruta, típico da própria.

- HEY, ASH! - Dawn, que há capítulos não entrava em cena, chacoalhou o rapaz que a essa hora chorava compulsivamente, com o rosto cabisbaixo.

As muitas lágrimas preocuparam a todos, foi algo muito repentino! Em um segundo ele ria do Pikachu comendo panquecas, em outro, fechou a cara bruscamente e no seguinte já chorava.

Após todos os amigos gritarem por seu nome em momentos aleatórios e seguidos um do outro, chacoalhões, toques, tudo que era possível e o rapaz continuar chorando como se estivesse num quarto escuro e sozinho, Pikachu, que lacrimejava, pois sentia a mesma dor do amigo, mas não compreendia o motivo nada aparente, chamou Ash uma vez só, em tons melodiosos e trêmulos e instantaneamente, num suspiro de susto, Ash recobra a consciência outrora perdida. Seu olhar perdido e confuso preocupava a todos, que largaram seus pratos na mesa e foram socorrer o amigo.

Brock correu até a geladeira, pegou água, e, misturada no açúcar, entregou para o dono do rato elétrico beber, se acalmar e então explicar:

- Beba, Ash. - Assim que Ash bebeu, respirou fundo por algumas vezes e então tomou a palavra.

- Brock, precisamos conversar à sós. - O olhar do jovem era profundo, ia na alma do alto moreno.

Enquanto os dois se dirigiram para a varanda, que ninguém tinha aproveitado (ou reparado nela), vejamos o que rolou lá dentro:

- Nossa, gente, o quê que aconteceu agora? - Dawn perguntou

- As vezes, eu acho que o Ash é bipolar... - Max estreitou seus óculos, dando um sorriso sacana.

- Max, idiota! - May deu um belo tapa em sua cabeça, causando muita dor no mocinho. - Ver o Ash naquele estado não é nada engraçado!

- Aiiinn...

- É verdade, o que estamos passando é mais sério do que imaginamos... Todos nós conhecemos o panaca do Ash, sempre muito brincalhão e sorriente, se  presenciamos esta cena lamentável, imagina o que ele está passando!

- Nossa, Drew... Você defendendo o Ash é tão ... "excitante! Vem nimin!! May! Pare de pensar besteiras!" inacreditável... - May revirou o rosto várias vezes tentando esquecer o que pensou.

Lá fora...

- O que aconteceu, amigão? - Brock perguntou preocupado.

- Brock, eu me descontrolei. É muita coisa para resolver, muitas coisas para assimilar... Eu devo coversar com Margarida, Dayse ou qualquer nome que seja! Os tempos de escravidão da Misty chegaram ao fim. Essa coisa do pai dela ser o médico que cuida delas, isso tudo acontecendo e ela alheia, nem sonha em saber o que realmente acontece! Quando viemos a Ceruleam pela primeira vez, Brock, eu vi ela com raiva daqui por causa delas. Ela sequer saber que tem pai, que James é primo dela e que eles eram amigos! Eu tenho certeza que ela sequer conhece esta casa, Brock! Eu sei disso! Ela tratava o ginásio como a casa dela. Eu não estou preparado para dar notícias ruins a ela, que seus pokes estão machucados e que o Azurill que tanto ama faleceu, eu chorei, Brock, porque tentei me por no lugar dela! Não conseguiria suportar viver sem meu Pikachu! - Ash voltou a lacrimejar. - Ela já perdeu o Togetic para ele cuidar do Vale da Miragem, ela ficou orgulhosa com a atitude do pequeno, mas ficou triste, pois sabia que não voltaria a vê-lo e agora Azurill morreu... Eu não quero esconder a vida dela dela mesma, muito menos passar uma borracha nisso tudo! Nunca conseguirira viver em paz mantendo um segredo desses sem contar a ela...

- Ash, não se descabele, somos seus amigos, estamos aqui para ajudar nossa ruivinha nestes momentos difíceis!

- Brock, ela vai se sentir traída por mim se não for eu quem contar. É algo só nosso... - Ash se sentia preso num beco sem saída.

- Sempre soube que vocês tinham uma ligação especial. - O pegador sorriu francamente - Mas antes de você contar a ela, faz o seguinte, conversa com o doutor, ele pode te ajudar.

- Sim, amigão! - Ash estava bem melhor. - Vou primeiro ter uma séria conversa com Dayse, depois com ele.

Novamente para dentro da casa, a maioria limpava o que sujou, na cozinha estava May e Drew, lavando louça, Jessie e James varriam a casa enquanto Dawn tirava o pó dos móveis. Max estava vendo televisão, mais ajuda quem não atrapalha.

Vamos bisbilhotar a cozinha:

- E então, May, o que tem feito em Kanto?

- Este ano vai inaugurar o primeiro concurso para top-coordenadores! Não perderia por nada... Mas já deveria saber disso, verdinho, está viajando comigo! - May deu um sorriso esperto, Drew ficou vermelho de vergonha, era verdade.

- Eu sei disso, nem tem como esquecer! Conviver com seres como você e seu irmão não é fácil, mas você sabe, pessoas educadíssimas como eu devem começar uma conversa agradável!

- Aff! Você e seu ego obeso! Sabia que ser humilde é bom?

- Sabia sim, mas ser como o Drew é melhor! - O verdinho fechou os olhos e colocou uma das mãos sobre o coração, se auto-adorando.

May apenas pegou a mangueirinha que tirava o sabão da louça e acertou a cara do rapaz.

- ARGH! Mayluca! Meu cabelo! Você vai ver, volte aqui! - Drew pegou uma esponja que espumava sabão e começou a perseguir a jovem que corria ao redor da mesa. Ela  simplesmente deixou a mangueirinha da pia jogada no chão, como seu cumprimento era longo, ainda tinha muitos centímetros do objeto largado no chão e Drew aproveitou isso, cada volta que dava, chutava discretamente a biquinha da mangueira para o outro lado da mesa, quando May estava para completar outra volta, ela começou a correr de costas, se gabando.

- Você não me pega, Caterpie! Aii! - Disse muito tarde. Seu calcanhar a fez tropeçar na mangueirinha. Ela caiu com tudo no chão. Drew começou a rir muito da cara dela, mas o destino aprontou com ele também, a força do impacto fez o pote da margarina cair da mesa e espalhar tudo no chão, fazendo o mocinho escorregar e cair em cima da moça. Testa na testa, olho no olho, narizes que se encostavam, boca na boca.

Foi assim que rolou o primeiro beijin de May e Drew.

Eles se levantaram constrangidos, não era à toa. Pensaram que iria aparecer alguém e flagrar, mas nem, só ouviram duas coisas:

- LIMPEM O QUE VOCÊS SUJARAM! - Dawn gritou da sala de estar.

- PAREM TUDO E VEM VER ISSO GALERA! CORRE! - Max viu algo na TV que despertou sua atenção e seu grito despertou a todos.

Toda a galera, incluindo Ash e Brock, se sentaram nos sofás para verem o que aconteceu!

- O que houve, Max?

- Hoje vai dar um episódio especial do programa do Chimchar! - Todos caíram feito no anime!

- Aquele programa que dá pra lá de meia-noite? - May perguntou curiosa, ela também adora esse programa.

- Sim, mas hoje tem especial de meio-dia!

- Afffe! Só isso, fedelho? - Drew perguntou perplexo.

- Não, ameba! Hoje eles vão falar do Ash!

- Do Ash?! - Todos perguntaram juntos e confusos.

- D-de mim? - Ash entendia vários nadas.

- Sim, passou um comercial agora.

- Ash, você está melhor?

- Sim, Jessie, estou bem melh...

- SHI! Vai começar! - Max nem quis saber, aumentou ao máximo o volume do aparelho e pediu silêncio. Ash apenas deu um sorriso colgate para a mulher.

•Hoje no programa do Chimchar, eu, Fábio Chimchar, vou falar sobre um dos maiores treinadores de Kanto: Ash Ketchum! Eu disse que vamos falar dele, não o encontramos para uma entrevista, mas conversamos com a mãe dele, Délia Ketchum! - Essa afirmação fez o treinador de Pallet levar uma de suas mãos à testa. Todos já estavam rindo. - Então vamos falar dele com um convidado muito especial, alguém que sabe a sétima arte de fofocar, ele tem o tamanho de um Snorlax, mas é conhecido por Litleo Wolffy (N/A: desafio da autora: tentem adivinhar qual artista estou satirizando!)! - A plateia aplaudiu e um grande homem apareceu.

- Muito bom dia, Fábio, plateia, telespectadores maravilhosos! É uma honra estar aqui, numa emissora amiga, num programa sensacional! Meu querido Chimchar, como vai?

- Eu vou bem e você?

- Estou perfeitamente bem, mas parece que o nosso alvo de Pallet, não.

- O quê que ouve desta vez?

- Bom, antes de responder, devo falar um pouco dele. Ash Ketchum é um treinador pokémon desde seus 10 anos, atualmente com 16. Já passou por diversas regiões do Japão, como Kanto, região natal do divo, as Ilhas Laranja, Jotho, Hoenn, Sinnoh, Unova e atualmente está em Kalos, participando da liga de lá. Ele mora com a mãe no interior de Pallet, mora bem perto do grande laboratório da família Carvalho, onde deixa seus mais de quinhentos pokémons, mas o primeiro Pokémon dele, um Pikachu, ele leva em todo lugar.

- Veja o nível do programa, não é qualquer umde quem falamos! Ô, produção, joga uma foto dele aqui no telão! Deixem todos saberem quem é Ash Ketchum da cidade de Pallet! - Nos telões do cenário do programa foram aparecendo algumas imagens dele.

Como só vai uma imagem por kapi, os links das imagens eu vou jogando aleatoriamente.

Primeira Fotinha do telão:

(http://t3.gstatic.com/imag es?q=tbn :ANd9GcQN9pt Vr9HDweW MDhal0SyUNCZ NtDcU0pGv_970jxY GIaQ 1j3-FuA)
(N/A: miguis, pra ninguem censurar o kapi, eu joguei uns espaços no meio dos links! Fiquem atentos a isso!)

- Nossa, ele ficou mais gostoso! - Litleo Wolffy falou alto, Fábio Chimchar e a platéia começaram a rir, do outro lado da tela, Ash estava vermelho de vergonha e seus amigos riam muito. - Ele era tão magrinho e baixinho!

- HAHAHAHA! Ô produção, joga uma foto dele de antes, por favor! - Fábio Chinchar ria à bessa, e a imagem apareceu:
( http://t1.gstatic.com /images?q=tbn:ANd9GcS21F3vE VVpNoK1LWfxCA1-kPh82Dw6iZcty6 qGyIlvwNvh9hi43w)

Logo outras imagens apareceram, uma comparação da feição de Ash com 10 e outra com 16 anos:
( http://t3.gstatic.com/images?q =tbn:ANd9GcQL7jZT_Ywq LGm1OcQPOC9xXx9AuVE Uvi5KKQx9RA2Nzr4j0FAZ )
e
( http://t3.gstatic.com/i mages?q=tbn:ANd9GcQTHUFslNJ00UwJYmp cxXuVr0xIN_vFPc7yEd-MRhCQPJx1VIb 0aw)

- Nossa, concordo com você, Wolffy, o tempo ajudou ele sim!

- Com certeza!

- É pegável? - Outra imagem apareceu:
http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9Gc Qe3YZchPaSe7A00il1K2Agu unbfqHnn_ZaP0Lla5vCyoN4HyBddQ

Essa foto fez todas as mulheres gritarem na plateia.

- Com certeza! Ainda mais depois dessa!- Novamente todos caem na risada, até eu, MingMoon.

- Você tem crush nele, Wolffy?

- Eu tenho todo tipo de crush por ele! Ash, querido, se você estiver assistindo isso, saiba que sou apaixonado por você! - uma música romântica no fundo - um grande beijo na sua boca! Lindo! - A platéia vai a loucura e aplaude a declaração.

- Viemos falar dele! Não é pra se declarar por ele! Ainda bem que ele não veio! Fala logo, Wolffy!

- Então, Chimchar, hahahaha, voltei! Um amador estava num Centro Pokémon da região de Kalos, filmando sua vida quando acidentalmente capturou o momento em que o lindo do Ketchum soube da terrível catástrofe que acometeu Ceruleam ontem. O jovem que filmou tudo nos enviou as imagens, mas resolvemos não colocar aqui... Vai que ele nos processa?! No vídeo mostra que ele estava emocionalmente abalado, chorou bastante, e nós da equipe Wolffy fomos atrás de parentes do veterano treinador, para descobrir mais a fundo o motivo. Conhecemos a linda Délia e ela mostrou toda a vida do rapaz, coisa que eu A-MEI!

- O que ela disse?

- Ela disse que Ash tem uma relação bem íntima com a líder do ginásio, Misty Waterflower. - Logo os telões mudam a figura:

- Por viajarem por anos juntos, a despedida abalou a ambos, mas Délia ainda mantém amizade com Misty e esse acidente todo que ocorreu abalou o coração do nosso treinador favorito. - Wolffy continuou.

- Do SEU treinador favorito!

- Ai, por Deus! Queria muito que fosse só MEU!! Ui, deu até calor! - Litleo Wolffy abanou o rosto, causando muita graça a todos.

- ASHÊ, VOCÊ ME MATA DE RIR DE QUALQUER FORMA HAHAHAHAHAHA! - Max se debatia no sofá. Todos riam descaradamente.

- Será que era isso que minha mãe queria me falar?! - Ash murmurava para si, vermelho e cabisbaixo, de tanta vergonha! Não suportava mais tantos rirem dele! Ah, ele vai puxar a orelha da dona Ketchum.

Voltando para tevê.

- E então, Wolffynho, como é Misty Waterflower? - Uma foto da moça apareceu:

- Misty Waterflower é a caçula das Irmãs Sensacionais, tem 18 anos (N/A: miguis, esquece que ela tem 16!), atual líder de ginásio da cidade de Ceruleam. Ela passou a ser líder aos 14 anos de idade. De acordo com Délia, e testemunhas, a própria Misty seria líder aos 12, porém ela FU-GIU de Ceruleam e PES-COU Ash literalmente em Veridian!

- Conta tudo, gata!

- No primeiro dia de jornada de Ash, ele e seu pikachu não se davam bem, foi um péssimo dia de jornada. Um bando de Speerows o perseguiu, ele se jogou de uma cachoeira, mesma cachoeira em que Misty pescava pokémon. Que peixe que ela fisgou! Ui! Além do ofício no ginásio, a gata atua algumas vezes.

( http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcS2Q1Ulz9 62rlff4Io-wgGZq-GvUcWk9b8 2H8W9eb_zF508oD9_rA )

- E o que você acha? Rola Ash e Misty?

- Então, Chimchar, falando a respeito disto com Délia, a mãe dele, ela falou que superA-PRO-VA o romance deles, que sonha com isso desde que conheceu a sereia de Ceruleam, e que o maravilhoso do Ash possuia várias fotografias dela e de seus amigos...

- Dos amigos até eu, querido.

- Deixe-me terminar! Como eu ia dizendo, o lindoso e divo do Ash tem várias fotografias dos amigos, mas a maioria é dele com a ruiva linda. Eu acho sim que eles formam um belo casal. Pesquisei e existe um movimento na internet feito por pessoas que conhecem e que apoia o casal conhecido como Pokéshipping!

- Gente ,  olhe esta foto maravilhosa! ( http://t0.gstatic.com/images?q=tbn :ANd9GcSDorcRuM85jn9zSJ_YqQ7GiY-PaZekdlMWYL47g2hbs1iF0i6m ) - Chimchar estava feliz, o ibope do programa cresceu muito neste episódio.

- Gatas e gatos que são apaixonados por Ash Ketchum, um recado: Ele tem dona! Quem tiver mais informações, fale conosco! - Wolffy sorriu.

- Muito obrigado, Wolffy! Você e sua presença explêndida foi maravilhoso! Aplausos! Litleo Wolffy! - A plateia e nossos herois e ex-vilões, com excessão de Ash, aplaudiram e comemoraram.

- Agora vamos continuar com... - Max desligou a TV.

- A melhor parte já passou.

- MDs! Ash! Que maravilhoso, você será famoso! - Dawn estava com estrelas no lugar dos olhos.

- EU NÃO QUERO SABER DE FAMA! - Ash estava rebatendo teimoso, estava muito sem graça.

- Agora todo o Japão sabe do óbvio, do seu rolo com a Misty! - Drew brincou e Ash agiu feito criança.

- S-Será que a Misty viu?! Caramba! Se ela viu ela pode nunca mais querer falar comigo! - O dono do poke elétrico levou as mãos ao rosto carmesim.

- Você gosta da minha prima, e sei que ela também gosta de você, não se preocupe. - James sorriu.

- Eu? Gostar da Misty?! Nããão! Que isso! - Ash sorriu cético, suando frio, olhando para o lado.

- Deixe de bobagens, pessoal, ele tem que assumir primeiro!

- Obrigado, May.

- ... MESMO QUE TODO O JAPÃO JÁ SAIBA! - May deu um gritinho empolgado.

- May! - Ash estava sem graça - Querem saber? Eu vou visitar a Misty sozinho e todos vocês vão ficar aqui! Já são uma da tarde, tchau pra vocês! - Ash se levantou e partiu.

- Vai lá, beijar ela! - Max acabou com a discussãozinha, e Ash gritou seu nome antes de sair.

*****

Chegando no hospital, Ash conversou com Makimoto, não sobre ele ser pai dela, mas sobre a situação dos pokémons, e ele lhe advertiu:

- Ash, sei que você e Misty possuem um relacionamento mais estreito do que os demais...

- O senhor assistiu o programa do Chimchar, não é?

- hm... Sim, mas presta atenção, vou dar um concelho como pai: Deixe ela se recuperar, leve ela para sair, até mesmo viajar com você, pegue os pokémons mais curados dela e a entregue. Parta rápido com ela.

- Sim! Ótima ideia! Obrigado, amigo! - Ash teve mais forças e mais ânimo para ter aquela conversa com Margarida.

Continua no próximo episódio


Notas Finais


Acho que esse foi o melhor e maior de todos até agora. Equipe Spirit, tenha misericórdia desta humilde fanfic e nos livre da exclusão! Please!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...