História Dois Estranhos Perdidos - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Dois Estranhos Perdidos, Romance, Sobrenatural
Visualizações 7
Palavras 1.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Incesto, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 27 - Dois Estranhos Perdidos - Capítulo 27


Fanfic / Fanfiction Dois Estranhos Perdidos - Capítulo 27 - Dois Estranhos Perdidos - Capítulo 27

 

Yndra – Onde está a garota?

 

Suki – A garota está bem. Isso já basta.

 

Yndra – Argh…

 

Suki – Sou bem piedoso, não? Haha…

 

Sua presença desapareceu completamente. Escutei passos rápidos me cercando. Muitos passos, uma alcateia.

 

Yndra – Am… A-Ah…

 

Senti dentes penetrando a carne do meu braço como um prego penetra a madeira.

 

Yndra – Mal… maldição…

 

Meu sangue passeou pelo meu braço pingando chão.

 

Yndra – C-Crr… – apertei forte o ferimento.

 

Suki – Aar… – sua presença fez-se presente novamente – Delicioso…

 

Com um movimento rápido o mesmo lambeu o sangue que escorria pelo canto de sua boca.

 

Yndra – O-O que… você…

 

Suki – Ah… meu caro Yndra… – ele levou seus olhos ao céu e então me fitou sorrindo.

 

Yndra – …

 

Suki – Seu gosto é delicioso… tão cheio de sentimentos…

 

Yndra – Como?

 

Suki – Eu me chamo Suki da alcateia negra.

 

Yndra – Nunca ouvi falar.

 

Suki – Humf… um domesticado como você não tem ideia do que é ser um lobo de verdade.

 

Yndra – Uh…

 

Suki – Ora… não vai ficar magoado com o que eu disse! Haha!

 

Yndra – Claro, claro…

 

Suki – Deixe-me saber mais sobre você, Yndra.

 

Yndra – Hã?

 

Como anteriormente, ele desapareceu, sua presença também. É como se ele nunca estivesse vindo aqui.

 

Hahaha!

 

Yndra – Tsc… – me virei para olhando para todos os lados. Meus olhos são adapto para qualquer situação, mesmo nessa escuridão eu vejo cada detalhe da floresta. Mas não consigo o ver… ele não deixou nem mesmo um rastro.

 

Yndra – AH!

 

Garras deveras afiadas dançaram em minhas costas.

 

Yndra – DESGRAÇADO!

 

Dei alguns pulos subindo nas árvores até ficar em uma altura supostamente segura.

 

Suki – Hahaha! O que houve? Não conseguiu me ver? Sou muito rápido para você?

 

Yndra – Hum… – meu sangue escorreu pelas minhas costas aquecendo minha pele.

 

Suki – Nhum… – lambeu um dos seus dedos com meu sangue.

 

Yndra – Quê…?

 

Suki – Inari…

 

Yndra – Crr…

 

Suki – Sente um sentimento muito forte por essa garota. Haha!

 

Um sorriso maquiavélico se formou em seu rosto. Seus dentes sujos de sangue, meu sangue. Seus olhos vermelhos. Parece um daqueles personagens de histórias de terror.

 

Suki – Acho que vou matá-la em sua frente. Haha!

 

Yndra – Maldito… diga logo o que quer!

 

Suki – Haha… eu quero… – colocou a mão no seu peito e simultaneamente eu olhei para o meu.

 

Ele fala do colar que aquele velhote selou em mim, o tesouro.

 

Suki – Isso mesmo. Entregue-me o tesouro do céu que está contigo.

 

Yndra – Não vai rolar.

 

Suki – Não foi um pedido…

 

Não sei explicar em que momento aconteceu, mas sua mão prensava meu corpo contra uma árvore me segurando pelo pescoço.

 

Yndra – G-Guh…

 

Suki – Eu quero o tesouro.

 

Yndra – N-Nem ferrando!

 

Chutei sua barriga o afastando de mim.

 

Suki – Ah! Ora seu… haha! Está querendo lutar comigo?

 

Yndra – … – Não sou idiota. Sei que em uma luta com ele tenho desvantagem. Ele vai desaparecer e me atacar como fez anteriormente. Se entendi bem, com apenas uma gota de sangue ele é capaz de descobrir tudo da sua “caça”.

 

Suki – Está pensando o quão estúpida foi sua decisão?

 

Yndra – … – Mas a Inari está com ele. Com certeza ele não me a entregará quando eu o der o tesouro – Consegue descobrir meus pontos fracos também?

 

Suki – Hum?

 

Yndra – Meu sangue revelou minhas habilidades também?

 

Suki – Uh?… hahaha! Você não é tão burro como a Gigi mencionou!

 

Yndra – Gigi… é?

 

Suki – Ops… acho que falei de mais. – levou sua mão ao rosto suspirando – Agora eu vou ter que te matar. Satisfeito? Eu estou muito!

 

Yndra – …

 

Suki – Você realmente não vai demonstra reação alguma? Mesmo estando frente a frente com a morte?

 

Yndra – Eu quero a Inari. – pulei do galho direto para o chão. Meus ferimentos já não doem tanto como antes.

 

Suki – E eu quero o tesouro. Que tal uma tro…

 

Sem dar-lhe tempo para terminar sua frase ridicularizante, o acertei com um chute em sua cabeça o fazendo voar destruindo várias árvores com que se chocava.

 

Suki – AAH!

 

Seu corpo se chocou com uma árvore grande e grossa da qual já não conseguiu atravessar.

 

Suki – Incrível… Yndra! – seus olhos estavam mais vermelhos que o normal – Eu estou muito animado!

 

Pegando impulso da árvore ele saltou vindo em minha direção.

 

Suki – Aaah!! – me atingiu com um soco no rosto.

 

Yndra – U-Uh… – soquei seu estômago.

 

Ambos nos afastamos. Se hoje fosse lua cheia pelo menos… eu poderia utilizar todos os meus poderes sem exceção. Em hipótese alguma devo utilizar a espada, da última vez que fiz isso ela consumiu grande parte da minha energia. Ainda não a controlo bem. Séria como entregá-la de bandeja para ele.

 

Yndra – Ah… – limpei o sangue que escorria da minha boca.

 

Suki – Tudo isso pode ser evitado se você entregar-me o tesouro.

 

Yndra – Me recuso.

 

Suki – Então prepare-se!

 

Ele ergueu suas mãos a frente de seu corpo abrindo três círculos mágicos de uma única vez.

 

Suki – Peinasménos lýkos!

 

Meu corpo foi acertado por sua energia que mais parecia dentes dilacerando minha carne.

 

Yndra – AAAAAAAAH!!!!

 

Sinto-me sendo devorado ainda vivo por lobos famintos, muitos deles.

 

Yndra – AAAAAAAAAAAH!!!!

 

Suki – Ahahaha! Como está se sentindo, lobo? Em?

 

Yndra – AH!! – meus joelhos foram ao chão – A-A-Ah… cof!

 

Meu corpo, embora ainda esteja inteiro, a sensação que tenho é de que ele esteja partido em inúmeros pedaços. Que diabos de ataque foi esse?

 

Yndra – P-Porcaria…

 

Suki – Haha… O que há, Yndra!? O gato comeu sua língua!? Hahaha!!

 

Yndra – G-Grr… – meu corpo… não consigo o mexer. Veneno? Não…

 

Suki – E aquela história de salvar Inari? Hahaha! Patético!

 

Yndra – … – Vamos corpo, mexa-se!

 

Suki – Não existe lugar no mundo para labos como você. – falou friamente.

 

Yndra – Ca… lado… – Apoiei meus braços contra o chão forçando meu corpo a se levantar – Você… você não sabe de nada… então cale a merda da sua boca!

 

Suki – Cr… tsc… que teimoso…

 

Yndra – … – coloquei meus punhos a frente do meu corpo fazendo uma postura de luta.

 

Suki – Você é realmente muito interessante, Yndra… – lambeu os beiços.

 

Ele me fitou por alguns curtos segundos. Percebendo que eu não iria me mexer tomou a iniciativa da luta.

 

Suki – Vou fazer você se arrepender de não ter morrido antes!

 

Ele tentou acerta-me com mais um de seus socos, mas como já executou esse golpe uma vez, ele ainda está fresco em minha memória. Posso me desviar facilmente.

 

Suki – O que…

 

Yndra – Ah! – soquei seu queixo dando-lhe um chute no centro do seu estômago.

 

Suki – Guh! Pirralho…

 

Ele serrou seus dentes antes de me atingir com seu cotovelo em meu nariz.

 

Yndra – AH!

 

O sangue escorreu das minhas narinas passando entre meus lábios.

 

Suki – Oh… – ele me fitou admirando o lento movimento do sangue.

 

Yndra – … – dei uma risadinha antes de bater sua cabeça na minha.

 

Suki – AH!

 

Yndra – Uh…

 

Nos afastamos atordoados. Isso não foi uma das minhas melhores ideias mas funcionou. Meu corpo clama pelo chão. Aquele ataque conseguiu penetrar até mesmo alguns dos meus órgãos.

 

Suki – Pare de me fazer perder tempo. Desista logo pirralho!

 

Yndra – …

 

Suki – Grr… – seus olhos avermelhados reluziram. – Eu vou te matar! Está ouvindo? Vou matá-lo!

 

Assim como seu ataque, ele veio em minha direção como uma faísca. Senti suas garras abrirem um grande ferimento em minha barriga.

 

Yndra – AAAAH!!!! – cuspi sangue enquanto meu corpo foi picotado.

 

Suki – Está gostando, lobinho? Hahaha!

 

Yndra – AAH!!!! – eu não consigo o ver. Ele é muito rápido!

 

Suki – AH! – chutou meu corpo contra uma árvore.

 

Yndra – AAH!!

 

A força com que eu bati na mesma foi tão grande que meu corpo acabou ficando preso.

 

Suki – Huhu… hahaha! Então, Yndra?

 

Yndra – … – meus sentidos estão tão fracos… nem mesmo eu consigo senti-los direitos. Estarei eu morrendo?

 

Suki – Ah que delicioso! Esse desespero… haha! – falou lambendo o sangue que escorria pelo meu rosto.

 

Yndra – U-Ugh…

 

Suki – Isso realmente foi divertido… você me deu uma canseira.

 

Ele me segurou pelo pescoço arrancado meu corpo da árvore e me lançou ao chão.

 

Yndra – Ah! A-Ah…

 

Suki – Pergunto-me se é tão bom quanto o eu é. O sangue da Inari.

 

Yndra – G-Grr… – apertei meu caninos ferindo minha gengiva.

 

Suki – Vocês são irmãos, estou certo?

 

Yndra – …

 

Suki – Hahaha! – pôs seu pé por cima do meu rosto enterrando-o na terra. – Vamos, vamos! Morra de uma vez!

 

Yndra – AH!

 

Ele começou a pisar com forças em minha nuca tentando quebrar o meu crânio.

 

Yndra – AAH!!

 

Suki – MORRA! SEU VERME!

 

Yndra – …

 

Suki – Hahaha! Hahaha!

 

Yndra – …

 

Suki – Hã…?

 

Segurei seu pé contra minha cabeça com força quase quebrando seu tornozelo.

 

Suki – Ora seu… largue o me…

 

Antes dele concluir, o acertei com um chute nas costas o arremessando longe.

 

Suki – AAH!!

 

Yndra – … – me levantei quase caindo novamente. Meus cabelos cobriam meu rosto enquanto eu encarava o chão.

 

Suki – Cof! Cof! O-O que… foi… isso? – se levantou me fitando com raiva – YNDRA!

 

Ele veio correndo em minha direção criando algum tipo de energia que quase me atingiu.

 

Suki – C-Como…?

 

Sua energia que vinha com toda ferocidade até mim foi detida pela minha mão.

 

Suki – Como… como fez isso?

 

Yndra – … – a energia se chocou para os lados tentando escapar.

 

Suki – Idiota… ela vai transformar todo o seu braço em pó.

 

Ynda – … – a energia aos poucos foi sugada para dentro de mim.

 

Suki – M-Mais…

 

Yndra – Fotiákólasi!!

 

Suki – A-Ah…

 

Uma rajada de fogo negro saiu da minha boca o acertando em cheio. O ataque foi tão forte que causou uma explosão desmatando grande parte, ou o que restava, da floresta.

 

Suki – AAAAAAAAAH!!!!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...