História Dois jimins?!? - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Min_lunna

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), HOTSHOT
Personagens Jimin, Jungkook, Sungwoon, V
Tags Bts, Chimchimday, Jikook, Jiminhouse, Kookmin
Visualizações 85
Palavras 819
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, meus bebês! Nós demoramos muito pra postar, mais aqui estamos nós com mais um capítulo, e como eu prometi teria personagem novo (leiam e descubram:')

Gostaria de agradecer a @Min_lunna por ser a melhor co-autora do universo

A @tapioca-fofenha pela capa horrosa e peço que ela pare de dar uma de capista
E a todos os favoritos e comentários, que realmente são muito importantes para nós duas

Obrigada, por serem tão incríveis <3333

Boa leitura 💕

Capítulo 4 - Namorado?!?


Fanfic / Fanfiction Dois jimins?!? - Capítulo 4 - Namorado?!?

P.O.V Jimin


Já que não posso assistir o filme pelo menos ainda tenho dinheiro para tomar um cafézinho em alguma lanchonete de esquina- penso comigo mesmo, enquanto andava vagarosamente até a lanchonete.


– Olá, senhor! Deseja se sentar em algumas de nossas mesas? - claro! Eu não vou tomar café em pé! 



Chego Ao estabelecimento, cansado da meia caminhada, que eu havia acabado de fazer. Mas eu não estou cansado pela tal distância percorrida, estou exausto psicologicamente. 

Completamente consumido por todo sofrimento que eu já passei por Jeon. Vocês já devem estar cansados de ouvir o bendito nome de “Jeon”, isto já está se tornando clichê, certo?!  Então eu espero que estejam preparados para ouvir mais de mil vezes o nome dele, pois é só isso que eu sei fazer. 



– Sim, por favor. – respondo educamente, controlando-me para não falar um palavrão. Eu já estava explodindo com todas as coisas que haviam acontecido e vem acontecendo comigo. 


– Então sente-se, senhor, já vamos entregar o seu cardápio! – ela sorriu gentilmente e apontou para mesa do lado da janela, tendo uma vista para a rua que estava bem movimentada, já que era final de semana e as pessoas costumam sair para se distrair aos sábados. 


Após longos minutos que pareciam demorar uma eternidade para passar, alguém veio finalmente à minha mesa. 


– Bom dia, senhor, está aqui seu cardápio. – o garçom alto de cabelos meio crespos me entregou um cardápio com todas as opções da lanchonete. 



– Obrigado, mas não precisa me chamar de senhor, eu não sou velho. – abaixo minha cabeça envergonhado, diante da forma que ele me tratou. 


– Me desculpe, então. – ele apenas colocou a mão na nuca e sorriu um pouco desconcertado, saindo logo depois para atender outra mesa. 


Pensando no que poderia ser bom para me acalmar e tentar aliviar nem que fosse um pouquinho do estresse que sentia, escolhi o que pediria. 


– Moço, eu já escolhi. 


– O que escolheu?


– Eu vou querer um chá de camomila, por favor. 


Nada melhor que um simples chá para tentar afasta o meu cansaço psicológico. 



– Já vou trazer, espera só eu atender aquela mesa e depois eu volto com seu pedido, certo?!. – assenti vendo-o sorrir e se afastar da minha mesa para atender a mesa ao lado. 


– Certo.. - murmurei. 


Enquanto esperava me perdi em devaneios e, pensando em toda a frustração que estava sentindo dos acontecimentos daquele dia, senti algo quente escorrer por meu corpo e imediatamente despertei de meus pensamentos. Pronto para xingar quem quer que fosse o desgraçado, mas ocupado demais com o desconforto causado pela temperatura do líquido.


Abro meus olhos ainda me despertando do transe, vendo o garçom que tinha acabado de derramar o chá em mim no chão depois de ter sido praticamenre atropelado por vários cachorros que estavam correndo feito loucos  atrás de algum gato qualquer. 


Já buscava em meu dicionário linguístico para casos de nervosismo os piores palavrões possíveis para xinga-lo, mas o pobre não merecia a minha raiva, não depois de ser atropelado por aqueles cachorros. 


– Você está bem? - questionei encarando-o. 


– Acho que sim– ele coloca a mão na cabeça ainda zonzo da queda. Fez uma leve careta ao tentar se levantar. 


– Desculpa por derremar o chá em vocêderramar – ele se levanta fazendo uma reverência, pedido desculpas pelo acontecido. 


– Não precisa se desculpar. 


– Tem certeza?! Eu faria qualquer coisa para me redimir. - ele parecia se sentir realmente culpado

Mas eu também me desesperaria. Quer dizer, aquilo poderia ser descontado de seu salario caso eu decidisse falar com o dono do estabelecimento. 


– Hum…. Tem algo que você poderia fazer por mim que eu ficaria muito grato. Mais não sei se você faria. - não queria me aproveitar, além de que as chances de ele aceitar eram mínimas se não zero. Mas não pude evitar uma carinha tristonha. 



– Eu faço tudo o que o senhor quiser! 


– Sério?! Muito obrigado! Bem você poderia me ajudar a fazer ciúmes ao namorado do meu irmão.. - falei com um pouco de receio. 


– Como assim?!


– Você teria que fingir ser meu namorado – abaixo a cabeça envergonhado. 


– 'Peraí.. o que?! - me perguntava se a queda o deixou mais lerdo. Que parte ele não tinha entendido? 


Certo, talvez ele apenas não quisesse. 


– Eu falei que você não iria querer


– Tudo bem, tudo bem! Eu finjo ser seu namorado.. 


– Obrigado! Mas poderia ser hoje? É que o namorado do meu irmão vem jantar lá em casa hoje. 


– Tudo bem, então – ele revira os olhos em resposta. 

Eu sentia sua animação, ironicamente falando. 


– Quando acaba o seu expediente?


– Agora. 


– Podemos ir, então, estou com pressa. 




– Tudo bem – ele revira os olhos novamente, completamente entediado. 


– Seja mais carinhoso, senão minha mãe vai achar que não estamos namorando de verdade


– Está bom assim, meu amor?


– Perfeito! Qual é o seu nome?


– Kim Taehyung, mass você pode me chamar de Tae, meu bem. - brincou e sorri minimo - E o seu?



– Park Jimin. 



(...)






Notas Finais


Obrigada por lerem 💞

Até loguinho

Beijos da tapioca e da Lunna 😽


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...