História Dois Lados da Mesma Moeda - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 25
Palavras 851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu to fzd essa fic inteiramente no celular, então me desculpem qualquer erro.

Capítulo 1 - Apresentação


Vou começar perguntando: você é feliz com sua vida? Seus pais te amam? Você tem amigos? Não sei as suas respostas, mas, se sim, tenho muita inveja de vc. E, se não, bem vindo ao clube.

Deixe-me me apresentar, meu nome é Hiaram (sim esse nome merda que nem o corretor sabe corrigir), tenho 16 anos, quase 17. Tenho cabelos pretos lisos, um pouco grandes, o suficiente pra cobrir um pouco os olhos, que eram verde-esmeralda bonitos pra cacete diga-se de passagem. 1,75 m de altura. Definido apesar de não malhar. Morava no Japão, mas graças ao emprego da minha mãe, estou me mudando pra Califórnia (eu nasci e cresci lá, só passei dois anos no Japão). Estou me matriculando em uma escola chamada HighZchool (cara, eles escreveram School com Z. Você confiaria nisso para educar seu filho?) sua marca era um Z preto gigante, parece as escolas da fic's de Pokémon que eu adoro ler. Acho que e só isso, não tenho lá aquela vida, mas da pra viver... Se você tirar as surras sem motivo do pai, xingamentos da mãe, brincadeiras de mal gosto do irmão mais velho e tals. Mas com o tempo eu aprendi a não ligar pra isso.

Que tal começarmos logo?

17/03/2016

O avião acabou de aterrissar. A cidade que estou é pequena, não sei o nome dela (cara eu vou me mudar e nem pra onde vou). 

- Ah cara até que fim, não aguentava mais - disse o merda do meu irmão se espreguiçando.

O nome dele é Bruno (ele fica com o nome normal e eu sofro aqui, justo). Cabelos pretos que nem o meu, mas n lisos. Tem 1,80 de altura e é, digamos, gordinho. E chato pra caralho.

- Gostou da viagem, querido? - minha mãe perguntou ao meu pai, tentando forçar um sorriso.

- Odiei - ele disse friamente.

- E você, meu príncipe? - ela perguntou novamente, só que para Bruno.

- Um pouco, deu pra dormir bastante - ele respondeu.

- Que bom, querido. 

- E como sempre, minha opinião não importa - eu disse baixinho andando até um taxi, com as mãos atrás da cabeça. Meus pais e meu irmão foram atrás. 

Eu vou ser bem sincero, odeio eles. Mas não posso reclamar de nada, afinal eles me dão casa e comida... Mesmo não querendo fazer isso.

{Quebra de tempo}

Chegamos na nova casa e... Cara... Que puta casa, eu tava realmente adimirado. E pir dentro era maior ainda. Tinha dois andares e, GRAÇAS A DEUS, três quartos. Ou seja, eu vou ter meu proprio quarto!!! 

- Fecha a boca se não entra rola. Ops, mosca - Bruno falou pra mim.

Eu nem liguei pra ele, apenas peguei minhs mala sozinho, eu sou ate que meio forte, e levei pro meu quarto que era virando a direita depois de subir as escadas.

La ja tinha a minha cama, o colchão, um armário e uma escrivaninha vermelha e branca. O quarto era azul e preto (sim, inteligência pura) e também tinha uma porta que levava ao banheiro. Cara que incrível!!!

{Quebra de tempo dnv}

Já jantei, tomei banho arrumei meu quarto e fui pro computador, meu notebook, e fui pesquisar sobre minha nova escola.

Para minha surpresa ers um campus, então eu ia dormir la e podia escolher se ia voltar pra casa nos finais de semana ou não. Tenta adivinhar minha resposta, vou voltar ou não? Hahaha, não. Um lado bom, não vou ver meus pais e vou ser finalmente independente (ou quase). Lado ruim, o Bruno vai comigo, mas, por conta da diferença de um ano, espero não ver ele muito.

TOC TOC 

Quando ouvi a batida na porta estranhei, mas ja sabia o que era.

- Entra - eu disse.

Meu pai entrou no quarto e eu fechei o notebook.

- Pronto? - ele perguntou.

- Não, mas do que adianta responder?

Ele fechou a porta e tirou o cinto da calça (nem invente de pensar merda).

- Tira a camisa - ele falou (tá, assim fica meio difícil não pensar merda).

Tirei a camisa preta que eu vestia, revelando minhas cicatrizes pelo corpo, que não eram poucas, mas também não eram tantas. Ele simplesmente me olhou e me deu uma cintada nas costas, sim, sem mas nem menos. Ja estou acostumado então não gritei ou senti tanta dor, só fiquei la parado.

- As vezes eu queria saber porque você faz isso - disse olhando pra ele.

Ele me deu uma cintada na cara. Só virei o rosto. É serio, porque ele faz isso? Sente prazer nisso? Espero que não, seria muito escroto. Foi assim quase a noite toda, das 19:00 as 23:00... Quatro horas apanhando...

Fui tomar um banho pra limpar o sangue que escorria das minhas costas e do meu rosto. Me olhei no espelho e pensei a mesma coisa que penso todos os dias: o que eu faço? Se denunciar vai ser pior pra mim... Mas ficar calado? Eu nunca pensei em me suicidar, não acho que essa seja a solução pra nada. Parei de encarar,  tomei banho, me vesti e fui dormir. 

- É... Parece que vamos ser muito felizes aqui - disse com um tom de sarcasmo olhando pro teto.

Em dois minutos eu adormeci.



Notas Finais


Esse foi o primeiro capítulo da fanfic.
Espero que tenham gostado!!
Eu ja tentei fzr uma, mas desisti. Mas eu juro que essa vai.


Ate a proxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...