História Dois Mundos - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Taegi
Exibições 278
Palavras 3.882
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo IV


Acordo assustado com a campainha sendo tocada freneticamente, quem em sã consciência vem na casa dos outros tão cedo assim?. É bom ser muito importante se não eu vou matar a pessoa que estiver do outro lado. Levanto da cama quase caindo desço as escadas quase rolando, eu estou literalmente com um olho aberto e o outro fechado.
  Chego na porta e abro a mesma e advinha quem está do outro lado. Se você disse Kim Taehyung acertou em cheio.
  -Eu vou matar você, te cortar em pedacinhos e depois comer.
  -Quanta agressividade, bom dia pra você também. Disse me empurrando entrando na minha casa sem permissão, eu já estou nervoso por ele ter me acordado e o abusado ainda vai entrando assim, eu juro que de hoje ele não passa.
  -Quem te deu essa liberdade de sai entrando assim na casa dos outros?. Perguntei fechando a porta e indo até ele que já estava sentado no meu sofá pronto pra ligar a TV, tomei o controle de sua mão.
  -Ei.
  -Ei digo eu, onde você pensa que está pra ir entrando assim é ligando a TV dos outros?.
  -Ontem você deixou. Cruzou os braços e fez bico, Jesus amado esse menino e pior do que uma criança.
  -Ontem você me pediu.
  -Professorzinho do meu coração posso assistir TV?.
  -Quanta ironia em uma frase só. Dei o controle pra ele.
  -Pelo menos funcionou. Pegou o controle de imediato e ligou no canal de desenho.
  -Você não deveria está na escola agora Taehyung?.
  -Deveria mais não estou.
  -E porque não?.
  -Porque eu não quis ir hoje.
  -Você não tem que querer nada, você ainda é menor de idade e tem que estudar.
  -Aí credo você está pior que o meu pai.
  -Não eu acho que ainda não cheguei nesse nível.
  -O que você está querendo dizer com isso?. Perguntou arqueando uma sobrancelha tirando o olho da TV e me encarando.
  -Estou querendo dizer que seu pai é assustador. Ele riu e assentiu.-Eu vou voltar a dormi. Me levantei. -Não meche em nada, não deita no meu sofá e quando eu acordar quero te encontrar do mesmo jeito que está agora entendeu?. Disse já subindo.
  -Sim senhor. Ouvi ele dizendo.
  Cheguei no meu quarto me taquei literalmente na cama, fechei meus olhos e deixei que o sono viesse com tudo.

_____

  Acordei com a campainha tocando de novo, tô vendo que hoje não é o dia de Min Yoongi. Me levantei daquele jeito que todos já conhecem e fui descendo as escadas e eu congelo no meio deles quando vejo que quem está ali e minha mãe. O que minha mãe? O que ela faz aqui?.
  -Olá senhora Min é um prazer conhecê-la. Disse pegando a mão da minha mãe e a beijando, até parece um cavalheiro, mais só parece mesmo.
  -Olá querido o prazer é todo meu, mais chega de formalidades eu não suporto isso. Ela entrou.
  -Mãe o que a senhora está fazendo aqui?. Pergunto descendo o restante da escada e parando em sua frente.
  -Isso é jeito de falar com sua mãe Min Yoongi?. Disse e me puxou para um abraço apertado, logicamente retribui pois tem mais ou menos seis meses que não a vejo. -Senti saudades suas. Se separou e apertou minhas bochechas é uma mania que ela tem.
  -Mãe. Resmunguei pelo seu ato e Taehyung riu. Nós três caminhamos até a sala e nos sentamos. Minha mãe ficou entre eu e o Taehyung.
  -Filho você ainda não me apresentou seu amigo.
  -Há esse é o Taehyung.
  -Taehyung. Ela o olhou. -Você parece ter quinze anos de idade sabia?.
  -Nossa quanta gentileza da senhora, eu não aparento ter a idade que tenho.
  -Você é mais velho?. O que ele está fazendo agora? Meu Deus me dê o dobro de paciência hoje porque com o Taehyung aqui tá difícil.
  -Sim senhora sou um ano mais novo que o Yoongi. Ela ficou de boca aberta.
  -Não parece, você tem cara de adolescentes. Deve ser porque ele é um adolescente além de ser meu aluno que resolveu se enfiar aqui em casa.
  -Obrigado senhora Min. Disse com um sorriso gentil.
  -Pare de me chamar assim, eu me sinto velha por favor me chame de Naeyong.
  -Tô vendo que vocês estão se dando bem, então vou voltar a dormir.
  -Nada disso você ficará aqui conosco Yoongi. Disse Taehyung. Ele está achando que é quem pra ficar mandando em mim?.
  -Não enche Taehyung.
  -Yoongi você já dormiu muito já são quase meio dia, e você não vai voltar a dormir, entendeu?. Eu juro que eu vou voar no pescoço dele a qualquer momento.
  -Taehyung não me faz perder a paciência com você. A minha mãe começou a rir que nem uma doida, eu juro que não entendi o motivo.
  -Porque a senhora tá rindo mãe?.
  -Vocês dois brigando, é engraçado. Colocou até a mão na barriga.-Tae como você aguenta ele?. Tae? Que intimidade é essa?.
  -Eu juro que eu não sei, o Yoongi parece um velho de 60 anos em um corpo de vinte e quatro. Os dois riram desse comentário idiota do Taehyung eu apenas revirei os olhos.
  -Mãe já pode adotar ele como filho e aproveita e leva ele embora pra Daegu e prende ele em um porão.
  -Hyung você é mal. Fez aquela típica manhã dele de cruzar os braços e fazer bico. O que eu achei estranho foi ele me chamar de Hyung, mais resolvi dá de ombros.
  -Vocês são ótimos juntos, agora eu vou fazer o almoço. Se levantou e foi pra cozinha. Eu apenas gostaria de saber o que ela quis dizer com juntos.
  -De nada. Taehyung chegou bem perto do meu ouvido, eu consegui sentir a respiração dele batendo no meu pescoço, um arrepio passou por todo o meu corpo que eu até estremeci. Ele se afastou e deu o típico sorriso quadrado dele.
  -Eu deveria te matar sabia?. Disse baixo mais o suficiente pra ele conseguir ouvi.
  -Aí Hyung eu te ajudei. Ele disse próximo ao meu ouvido novamente. -Ou você queria que eu falasse pra sua mãe que eu sou seu aluno? Eu acho que seria pior não?.
  -Tá bom agora se afasta de mim. Empurrei ele.
  -Pra que tanta agressividade assim Hyung?.
  -Para de me chamar assim. Cruzei os braços e revirei os olhos.
  -Porque não posso te chamar de Hyung?. Ele perguntou e deitou com a cabeça em meu colo.
  -Porque não. O empurrei para o chão.
  -Aí Yoongi eu não sei como eu te aturo. Se levantou resmungando e se sentou ao meu lado novamente.
  -Você me atura? Taehyung eu tenho que te aturar todas as aulas desde o começo do ano, e agora tenho que te aturar aqui em casa, então você para de ser folgado e me respeita que eu sou seu professor entendeu?. Disse a última parte mais baixo para a minha mãe não escutar. Me levantei e fui para a cozinha minha mãe estava cantarolando uma música qualquer e fazendo o nosso almoço. Me sentei na mesa e logo vejo Taehyung sentado na minha frente.
  -Há quanto tempo vocês são amigos?. Minha mãe pergunta ainda virada de costas para nós.
  -Nós somos amigos desde o final do ano passado. Taehyung respondeu.
  -Como vocês se conheceram?.
  -Faculdade faço a mesma que a de Yoongi, quero ser professor de literatura. Onde foi que o Taehyung aprendeu a mentir tão bem assim? Juro que fiquei boquiaberto com sua facilidade de inventar essas coisas.
  -Como você conseguiu virar amigo do Yoongi? Vamos dizer que ele é meio seletivo com sua amizades. Porque minha mãe está fazendo tantas perguntas?.
  -Vamos dizer que eu sou um amorzinho de pessoa, e ele acabou virando meu amigo por causa disso.  Quando ele disse isso eu revirei os olhos.
  -Nisso eu não posso discordar, eu adorei você Taehyung, se eu tivesse uma filha eu gostaria que você namorasse ela e virasse meu genro, mais como eu só tenho o Yoongi. Se esses dois separados já são terríveis imaginam juntos, piorou de vez.
  -Que pena, mais eu me contento em ser amigo dele e seu também.
  -Você é um idiota Taehyung sabia disso?.
  -Beijinhos pra você. Disse e mandou um beijo no ar. Eu sorri com a sua palhaçada.
  -Calma aí para tudo, você sorriu? Isso era um sorriso no seu rosto Min Yoongi?. Eu fechei a cara e o encarei.
  -Não era um sorriso.
  -Se você conseguiu fazer o Yoongi ri, se sinta honrado.
  -Mãe menos.
  -Falo verdades. Ela colocou a comida na mesa. -Podem se servi. O Taehyung esfomeado do jeito que é começou a comer tudo que via pela frente.
  -Senhora Min a sua comida é a melhor. Disse de boca cheia.
  -Taehyung engole primeiro, depois você fala e come de vagar a comida não vai sai correndo. Disse a ele e comecei a comer também.
  -Você gosta de implicar comigo credo.  Revirei os olhos. Sabe eu acho que vou falar com o senhor Kim que irei desistir dessa idéia de aula extras aqui em casa com o Taehyung. Eu não vou conseguir aturar ele por muito tempo.

_____

  O almoço como um todo foi bem legal, tirando as palhaçadas de Taehyung, ocorreu tudo bem. Depois que acabamos minha mãe me obrigou a lavar a louça falando que Taehyung era visita e que ele não tinha a obrigação de me ajudar, a vontade que eu tinha era de voar no pescoço dele.
  Depois que acabei de lavar aquele monte de coisa fui pra sala onde encontro os dois conversando animadamente. Me sento ao lado da minha mãe.
  -Yoongi ele foi o melhor amigo que você já arrumou.
  -Mãe ele foi o único que você conheceu.
  -Eu sei por isso ele é o melhor. Apoiei minha cabeça no ombro da minha mãe.
  -Para com isso senhora Min, assim eu fico com vergonha. Tampou o rosto com as mãos, eu revirei os olhos e logo depois fechei o mesmo.
  -Aí você é muito fofo.
  -Menos mãe. Me deito em seu colo e ela prontamente começa a fazer um carinho.
  -Tá com ciúmes Yoongi?.
  -Nem um pouco, só acho que Taehyung não merece tantos elogios.
  -Me ame menos Yoongi. Abri meu olhos e o encarei.
  -Juro que vou tentar. Disse com total ironia, revirei os olhos e fiquei olhando para o teto.
  -Vocês dois são engraçados.
  -Te certeza que eu sou engraçado mãe? Taehyung que é um palhaço.
  -Assim você ofende a minha pessoa. Colocou a mão no peito fingindo indignação.
  -Você tem namorada Taehyung?.
  -Não senhora.
  -Porque a senhora perguntou isso a ele?. Perguntei estranhando esse jeito dela, minha mãe nunca foi assim.
  -Porque ele é um menino bonito e deve ter várias meninas atrás dele.
  -Mãe não é pra tanto. Revirei os olhos.
  -Min Yoongi para de parecer um velho, você deveria sorrir mais, você ainda é muito novo pra ficar nessa chatice toda, vai fazer coisas divertidas que garotos da sua idade faz.
  -Tá mãe, juro que tentarei fazer isso. Ela me tirou do seu colo e se levantou.
  -Tá bom meninos eu já vou.
  -Mais já. Eu e o Taehyung falamos juntos. Eu me sentei imediatamente.
  -Porque mãe?.
  -Eu só fiz uma passagem rápida por aqui, mais já estou voltando pra casa.
  -Não mãe fica aqui mais um pouco. Eu não queria que ela fosse.
  -Seu pai tá lá em casa e você sabe que eu preciso cuidar daquele velho chato não sabe?. Eu assenti. -Então eu vou indo.
  -Volta mais vezes?. Perguntei.
  -Claro que sim meu filho. Eu a abracei e ela retribuiu. -Tchau Tae foi um prazer em te conhecer.
  -Tchau senhora Min e o prazer foi todo meu, espero reencontrá-la mais vezes.
  -Eu também querido. Eles se abraçaram.
  -Eu te levo até a porta mãe. Ela assentiu e fomos.-Mãe a senhora vai voltar com mais frequência não vai?.
  -Juro que vou tentar ok?.
  -Tá bom. Ela me abraçou novamente.
  -Filho vocês dois tem algo?.
  -Algo?. Não entendi a pergunta dela.
  -Sim algo a mais que uma amizade?. Quase que engasgo com a pergunta da minha mãe, eu fiquei de boca aberta por ela ter achado isso.
  -Claro que não mãe, o Taehyung? Não ele é só meu colega mesmo, da onde você tirou isso?.
  -Eu só tive uma forte impressão mesmo.
  -Esquece isso tá bom?. Dei um beijo na bochecha dela.
  -Tá bom, tchau filho.
  -Tchau mãe. Ela se virou e eu fechei a porta. Me deu um aperto no coração agora, eu não vejo ela com tanta frequência assim pois ela mora em Daegu e eu aqui em Seul. Então a distância atrapalha, eu já pedi pra ela vir morar comigo mais ela e meu pai não largam aquela cidade por nada. Então o jeito é a gente se ver só as vezes.
  -Sua mãe é uma ótima pessoa. Disse Taehyung assim que eu me sentei ao seu lado.
  -Ela é incrível. Dei um sorriso lembrando dela.
  -Min Yoongi sorrindo duas vezes no mesmo dia que milagre é esse?.
  -Taehyung você consegue tirar minha paciência não é mesmo? E aliás onde você aprendeu a mentir daquele jeito?.
  -Eu não menti eu apenas disse a verdade que ainda não aconteceu. Eu realmente gostaria de ser professor de literatura igual a você. Tá isso me pegou de surpresa porque eu nunca que iria imaginar que Kim Taehyung gostaria de ser igual a mim.
  -Você mentiu a idade e de como nos conhecemos.
  -A idade eu pensei que tinha que ser igual ou parecia com a sua, e o jeito que nos conhecemos, surgiu na minha cabeça de repente.
  -Você é esperto, mais do que eu imaginava.
  -Quem é você e o que fez com o meu professor? Sorriu duas vezes no mesmo dia e ainda por cima me elogiou, realmente não é você.
  -Você é um palhaço Taehyung, agora coloca qualquer coisa na TV pra nós assistimos.
  -Qualquer coisa?. Perguntou animadamente.
  -Você vai colocar no desenho de novo não vai?. Ele assentiu balançando a cabeça freneticamente.-Tá que seja, pode colocar.
  -Você não é tão ruim quanto aparenta ser professor. Ele deitou com a cabeça no meu colo.
  -Taehyung se você não quiser que eu te empurre novamente é melhor levanta daí.
  -Por favor professor, olha isso não dói, vai. Juntou as mãos em sinal de súplica e fez aquele bico de criança.
  -Taehyung você é muito chato.
  -Isso é um sim.
  -Que seja. Ele sorriu abertamente, e se virou pra TV. Aí vem a pergunta, porque você deixou? Aí eu respondo não sei, eu apenas estou enxergando o Taehyung de uma forma diferente. Vamos dizer que aquele Taehyung que me desobedecia desapareceu dando o lugar para um menino que parece mais criança do que um adolescente. Quando dei por mim já estava fazendo carinho em seus cabelos, eu juro que eu me estranhei nunca fiz isso com ninguém, ainda mais com um menino que é o meu aluno.
  -É a primeira vez que alguém faz carinho em mim, não sabia que isso era tão bom. Traz uma sensação de conforto. Eles suspirou, posso até dizer que foi aliviado, não entendi porque, mais eu preferi ficar quieto porque na verdade não sei o que falar.
  Continuamos a assistir aquele desenho que é irritante, porque não faz sentido nenhum e os personagem me irritam pois são todos retardadados. Mais como eu disse ontem eu por incrível que possa parecer eu gostei e pelo que vejo ele também gosta.

_____

  Passamos a tarde assim, pode parecer estranho mais eu não achei ruim, Taehyung não me estressou na parte da tarde porque na parte da manhã precisei de paciência em dobro, mais deu tudo certo.
  -Taehyung tá na hora de você ir.
  -Mais já?. Ele se levantou do meu colo e se espreguiçou. Não sei como eu não fiquei com dor nas costas de ficar tanto tempo na mesma posição.
  -Você sabe que sim já deu a hora. Me espreguicei também e me levantei. -Agora anda levanta daí e vai embora.
  -Credo tá me expulsando.
  -Estou agora vai logo.
  -Você estava legal demais, já estava até estranhando. Se levantou pegou sua mochila, que ele trouxe provavelmente para o seu pai pensar que ele estava na escola, e caminhou até a porta, fui atrás. -Até amanhã professor.
  -Até amanhã Taehyung agora vai embora. Abri a porta e literalmente o empurrei e logo depois fechei e tranquei.
  -Vai ser sempre assim. Perguntou do outro lado.
  -Sim. Respondi e ouvi ele rindo. Voltei pra sala e continuei assistindo o desenho, já que esse horário não tem nada de interessante passando e como eu não tenho nada pra fazer já que minhas aulas estão preparadas, o jeito é ficar assistindo esse negócio, que por incrível que pareça foi o Taehyung que me fez gostar.
  As horas foi passando e eu continuei ali assistindo um monte de desenho que ia passando um depois do outro, a noite foi chegando e eu percebi que o tempo lá fora foi mudando, esfriou um pouco e eu acho que vai chover.
  Me levantei fechei a janela e a cortina da sala, logo desliguei a TV e subi para o meu quarto. Vou para o banheiro, tiro minha roupa, ligo o chuveiro na água morna, deixo a água cair sobre meus ombros, me relaxando por completo. Foi um banho rápido então logo saio, vou para o meu quarto com a toalha amarrada na minha cintura, sinto meu corpo arrepiar com o vento gelado que entra pela janela percebo que já está chovendo e muito lá fora, que está começando até trovejar. Pego uma roupa mais quente e confortável. Vou até a janela do meu quarto e fecho a mesma. De repente ouço a campainha tocar, admito que assustei um pouco pois não estava esperando.
  Desci as escadas rapidamente pois seja quem for está na chuva, abro a porta e reviro os olhos quando vejo quem está aqui.
  -O que você está fazendo aqui Taehyung?.
  -Eu juro que eu te explico mais deixa eu entrar por favor. Ele estava tremendo de tanto frio, não é pra menos com uma chuva dessas.
  -Vem logo. Puxei ele pelo braço e fechei a porta, sai arrastando ele escada acima até chegar no banheiro do meu quarto. -Toma um banho bem quente você trouxe alguma roupa de dormir?.
  -Sim mais não é de frio.
  -Tá veste ela, tem toalha nesse armário de baixo da pia, agora anda antes que você pegue uma gripe. Fechei a porta e sai do meu quarto, fui direto pra cozinha, vou preparar um chocolate quente pra ele. Eu só quero saber o que ele veio fazer aqui, já não bastou passar o dia inteiro me atazanando ainda tem que aparecer aqui em casa de noite?. -O que foi que eu fiz pra merecer isso?. Disse pra mim mesmo.
  O chocolate quente já estava pronto então, subi rapidamente. Entrei no meu quarto e ele já estava vestido.
  -Toma bebe. Entreguei para ele, fui até meu guarda roupa e peguei uma blusa de frio minha e o entreguei, já que realmente o tempo esfriou e ele está com roupas de dormir no calor.-Veste está frio.
  -Obrigado Hyung. Colocou o copo já vazio em cima do criado mudo e vestiu a blusa.
  -Já disse pra não me chamar assim, senta. Ele se sentou na cama eu peguei a toalha que ele usou e me sentei atrás dele e comecei a secar seus cabelos. -O que veio fazer aqui?.
  -Eu não queria ficar lá em casa.
  -E por isso veio pra minha casa?.
  -Sim. Disse como se ir pra casa de seu professor a noite fosse a coisa mais normal do mundo.
  -E porque você não queria ficar na sua casa?. Percebi que ele ficou um pouco tenso com minha pergunta.
  -Eu já disse que é complicado, por favor não me força a falar. Disse baixo, ele ficou triste?.
  -Tá bom eu não vou. Mesmo que eu queira saber o porque ele foge tanto da sua casa não vou forçá-lo a falar o que não queira. -Mais e seu pai não vai te seguir?.
  -Eu disse que iria pra festa do meu amigo, e como esse meu amigo e filho do sócio dele, ele não se importou e deixou então não ele não me seguiu.
  -Tá bom então vamos dormir que já está tarde. Eu me levantei coloquei a toalha no banheiro e voltei para o quarto ele continuava do mesmo jeito. -Você vai dormir na sala.
  -Não por favor professor, olha eu não quero dormir lá em baixo sozinho, eu durmo aqui no chão do seu lado, por favor professor Yoongi Hyung. Ele falou tudo tão rápido, ele realmente ficou desesperado.
  -Porque tem medo?. No momento que ele abriu a boca pra falar um trovão alto se fez presente e no mesmo momento ele pulou na cama e se escondeu de baixo dos cobertores.-Já entendi que você tem pavor de trovão, tá pode dormir comigo.
  -Sério?. Tirou os olhos pra fora do cobertor e me encarou.
  -Sério agora fica quieto antes que eu mude de idéia. Apaguei a luz do quarto caminhei até a cama e me deitei do seu lado e apaguei luz mais agora do abajur. Outro trovão bem alto foi ouvido e o quarto foi iluminado pelos relâmpagos e raios. Na mesma hora senti Taehyung me abraçando, como eu estava de barriga pra cima, ele passou a mão pela minha cintura e colocou o rosto na curvatura do meu pescoço, ele estava me apertando muito forte. -Há não Taehyung me solta, você não vai dormir me agarrando.
  -Por favor. A voz dele saiu abafada já que seu isto estava enfiado no meu pescoço.
  -Você tem tanto medo assim?.
  -Tenho pavor.
  -Porque?.
  -Talvez quem sabe um dia eu te conte, se eu tiver coragem. A última parte ele disse baixo mais preferi deixar pra lá.
  -Tá boa noite.
  -Você sendo educado?. Senti ele rindo isso me causou um arrepio pelo corpo já que ele estava muito perto, lê-se colado em mim.
  -Abusa da minha paciência que eu te coloco pra dormir lá em baixo.
  -Tá bom desculpa, boa noite Hyung.
  -Já disse pra não me chamar assim.
  -Eu não ligo.
  -Taehyung.
  -Vai dormir. Ele é mesmo abusado né?. Olha eu sei que eu não deveria ter aceitado essa situação. Na verdade não somente essa mais desde o começo, acho que esses dois dias foram os que eu mais descumprir regras exatamente, minhas regras as que eu criei. Primeiro o senhor Kim veio ontem com essa história de aula extra, na verdade mais aulas extras porque ele já tem na escola, depois descubro que ele é inteligente e não precisa de aula de reforço ai ele vem me pedir pra eu deixar ele continuar vindo aqui em casa pra fingir que eu continuo dando aula, não sei porque aceitei isso. Aí o dia de hoje que ele passou o dia inteiro aqui em casa e isso não deveria acontecer, e agora ele está deitado na mesma cama que eu me abraçando. Onde você foi amarrar seu burro Min Yoongi, nunca pensei que um dia estaria dormindo na mesma cama que um aluno meu é ainda por cima ele estaria me abraçando, eu cheguei no cúmulo do absurdo, só sei que tenho que desfazer isso o mais rápido possível.
  Foi com esses pensamentos que rapidamente fui tomado pelo sono.


Notas Finais


Obrigado pra quem leu espero que tenham gostado, não sei se a história está fazendo muito sentido, mais é isso aí. Até amanhã 😘 😘 😘 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...