História Dois Mundos - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Taegi
Exibições 268
Palavras 3.069
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo pra vocês, me desculpem por não ter postado ontem, mais não tive tempo. Me desculpem de verdade. Boa leitura pra vocês.

Capítulo 7 - Capítulo VII


-Vamos começar porque é uma longa história. Respirou fundo fechando os olhos, depois de longos segundos me encarou novamente. -Tudo começa quando eu tinha dois anos que foi quando eu fui adotado pelo senhor Kim. Naquela época ele era um ótimo pai, sempre me dava tudo, sempre que podia ele brincava comigo, foi ele quem me me ensinou a andar de bicicleta. Resumindo ele era uma pessoa que eu tinha orgulho de chamar de pai. Mais como tudo na vida dura pouco ele começou a mudar isso ocorreu quando eu tinha doze anos, acho que foi porque eu fui crescendo e meu corpo foi mudando. Ele começou me tocando vamos dizer nada demais naquela época eu nem sabia o que era, só agora percebo que eram toques dele pelo meu corpo. Ele sempre pedia pra mim deitar no sofá e colocar os pés em seu colo, eu não via problema nenhum nisso era meu pai então eu sempre fazia, me lembro bem dele passando a mãos das minhas pernas até a parte interna das minhas coxas. Ele continuou com esse tipo de carícia durante uma semana, depois ele evoluiu esses pequenos toques para grandes toques. Ele começou a passar a mão em todo meu corpo, em todas as partes, e ficou nisso mais alguns dias, eu me lembro de falar pra ele que eu não gostava muito daquilo pois me sentia um pouco desconfortável, e ele me respondeu que iria ficar melhor depois. Na noite seguinte do que ele falou isso nós estávamos sozinhos em casa, pois minha mãe foi visitar minha avó e meu pai tinha dispensado todos os empregados. Chegou a hora que ele me disse: vem vou fazer você se sentir melhor. Mais eu disse pra ele que eu não estava passando mal, ele disse a última coisa: "vamos Taehyung". E assim eu fui com ele, o mesmo me levou para o seu quarto e trancou a porta quando chegamos lá e nem preciso falar o que aconteceu certo?. Foi a pior noite da minha vida e ele me disse que eu nunca poderia contar pra ninguém porque se não iriam ter graves consequências, e como você conhece meu pai e sabe o quanto ele pode ser assustador eu apenas concordei, foi apartir desse dia que ele começou a me seguir ou colocar alguém atrás de mim resumindo não tenho mais vida. Isso ficou acontecendo durante dois anos até eu completar quatorze, que foi quando tudo foi de mal a pior. Foi uma época em que eu fiquei um pouco rebelde e não aceitava as ordens dele facilmente, quando ele falava pra nós irmos eu não ia e isso causou a raiva nele foi quando ele me bateu pela primeira vez. Eu apanhei tanto naquele dia Hyung que eu achei que não iria viver mais, eu fiquei com vários roxos e ematomas por todo o corpo, ele teve até que contratar um médico pra cuidar de mim em casa, já que aparecer no hospital daquele jeito levantaria suspeitas. Depois desse dia nunca mais respondi ele é sempre obedeci igual cachorro que obedece o dono. Mais uma coisa que piorou foi o jeito dele em relação a mim quanto ao estupro, ele ficou mais violento e mais insaciável, mesmo quando eu estava quase desmaiando ele continuava. Eu sempre saia muito machucado, bom ainda saio. Ele estava chorando e meu coração apertou tanto em vê-lo assim e saber que ele passou por tantas coisas me dói. -Domingo Hyung quando ele me pediu pra ir embora, eu fui porque se ele manda eu tenho que obedecer. Cheguei lá em casa ele falou a frase que eu mais temia que é vamos Taehyung. Naquele momento eu sabia que iria ser uma longa noite porque a cara que ele estava não era das melhores, não que já não fosse antes mais estava bem pior. Quando chegamos no seu quarto, foi a pior coisa que já me aconteceu, ele me prendeu Hyung, usou corda, mordaça, chicote algema, venda e mais um monte de coisa. Ele me disse que ficou sabendo que eu tinha mentido pra ele e que eu não fui na casa do filho do seu sócio. E por causa dessa mentira ele bateu tanto com aquele chicote e o resto você já pode imaginar Hyung. Ele desabou em lágrimas já estava até soluçando, eu fui até ele e o abracei, quero que ele perceba que eu estou aqui e com ele. O mesmo retribuiu e eu comecei a afagar seu cabelos. -Hyung eu não fui na aula ontem por causa que eu não conseguia levantar da cama de tanta dor em meu corpo, eu não falei com você porque não queria que você soubesse disso, pois eu tinha medo de você ficar com nojo de mim e se afastar. Desculpe Hyung eu não queria te preocupar. Sabe o que eu estou sentindo agora, raiva e ódio muito ódio, como um ser humano faz isso com outra, eu quero muito matar esse homem, estou falando sério.
  -Ei eu nunca vou sentir nojo de você pare de pensar nessas coisas, eu estou aqui ok?. Ele apenas assentiu. -Porque você não conta pra polícia?.
  -Não Hyung, ele me disse que se eu contar ele vai matar a pessoa em que eu contei na minha frente e depois irá me torturar até eu morrer, eu não ligo que ele faça alguma coisa comigo, o problema é a outra pessoa. Então é por isso Hyung que eu quero que você fique quieto como se não soubesse de nada, não suportaria ver você morrer. Disse a última parte baixo.
  -Vou fazer isso e ele vai continuar abusando de você? Não Taehyung isso não pode continuar. Ele se separou do abraço e me encarou, seus olhos estavam vermelhos e seu rosto muito inchado.
  -Hyung uma das condições era sem polícia então por favor cumpra ela. Eu apenas precisava desabafar, só por favor prometa que não vai fazer nada ok? Não quero que você entre na mira dele. Mais eu tenho que fazer alguma coisa não posso deixar Taehyung ser abusado desse jeito, esse homem ainda vai pagar por tudo que fez a ele.
  -Tá bom Tae eu prometo que não farei nada. Mesmo que Taehyung me odeie eu vou fazer algo pra que isso possa parar.
  -Eu disse que você ainda iria me chamar de Tae. Disse e sorriu só não posso dizer se foi um sorriso totalmente verdadeiro, acho ele está tentando melhorar o clima pra eu não ter dó ou pena dele, mais eu nunca vou ter isso dele porque eu acho o Taehyung a pessoa mais corajosa que eu já conheci, porque mesmo com tudo que ele vem passando em casa ele ainda consegue sorri abertamente e isso é a coisa mais impressionante que eu já vi.
  -Taehyung não abusa tá bom. Ele se deitou em meu colo e eu comecei a fazer carinho em seus cabelos o mesmo fechou os olhos. -Tae posso te perguntar uma coisa?.
  -Já está perguntando. Nós dois rimos.
  -Não isso outra pergunta.
  -Pode Hyung, o que quer saber?.
  -Porque você contou isso pra mim, digo tem uma semana que começamos a nos falar direito, eu só quero saber porque eu?.
  -Porque eu confio em você Hyung, não importa se nos conhecemos a uma semana ou um ano, o que importa é a confiança que a outra pessoa nos passa e você conseguiu fazer com que eu confiasse em você. Um sorriso brotou em meu rosto, eu sei que não era pra mim está rindo perante essa situação mas saber que ele confia em mim é realmente um bom sentimento.
  -Obrigado.
  -Pelo que Hyung?. Perguntou confuso abrindo os olhos e me encarando.
  -Por confiar em mim e me contar tudo isso.
  -De nada Hyung. Ele sorriu abertamente e eu vendo ele sorri assim sorri também. Me diz o que está acontecendo com você Min Yoongi? Você nunca foi de sorri e em uma semana eu já sorri mais do que o ano passado inteiro, eu realmente não estou me entendendo.
  O Taehyung chegou aqui em casa com esse jeito dele o que me fez fazer coisas que eu nunca faria pra ninguém, mais ele conseguiu me fazer mudar de idéias sobre muitas coisas e também me fez perceber que as coisas nem sempre são o que parecem ser. Não sei se vocês conseguiram entender minha lógica, mais eu quero dizer que em uma semana ele me mostrou tantas coisas que me fizeram ver as coisas de formas diferentes, confuso talvez mais é assim que o Taehyung me deixa.
  -Hyung?. Ele me tirou de meus pensamentos. O encarei e vi que ele estava fazendo o mesmo. Eu apenas murmurei um ham. -Você estuda sobre o amor, mais você acredita que ele possa passar por todas as dificuldades e as pessoas que o sentem continuarem juntas?.
  -Sabe Tae o amor é um sentimento complexo, mais eu acho que quando duas pessoas realmente se amam consegue passar por todas as dificuldades possíveis que no final eles continuaram se amando. Sabe o amor faz nós fazemos coisas estúpidas pela outra pessoa talvez seja loucura mas é a mais pura verdade.
  -Sábia Hyung que você mudou muito.
  -Mudei?. Ele balançou a cabeça positivamente. -Em que sentido?.
  -No jeito de me tratar você está menos grosso e chato comigo e isso é bom. Ele sorriu.
  -Não enche se não eu volto a ser como antes. Ele apenas riu mais e fechou os olhos novamente. Eu só disse isso porque eu acho que é verdade e eu não sei o real motivo pra essa transformação da minha parte. Eu só não sei explicar, quando estou com ele me faz sentir bem e é como se eu não quisesse outra coisa é na verdade nãos quero, aí eu sei que isso ficou estranho mais é o que eu sinto é o que eu penso.

(...)

  Passamos a tarde assim abraçados. Eu sei que não deveríamos ficar assim mais como eu já disse antes é bom ficar assim com ele, e quando estamos juntos eu consigo me esquecer do mundo, consigo me esquecer que ele é homem e também me esqueço que ele é meu aluno. Acho que esse tipo de carinho entre nós dois começou a ficar normal, eu sei que deveria parar mais eu não sei se quero que pare ou se eu consigo parar é meio confuso eu sei e também sei que já disso isso mais de mil vezes mas é verdade.
  A tarde foi normal tomada pela forte chuva novamente o frio intenso voltou e passamos como sempre de baixo das cobertas assistindo desenhos e filmes. Eu tentei ao meu máximo animar Taehyung, ficar conversando entre outras coisas, eu quero que ele esqueça um pouco de tudo isso, não sei se é possível mais eu vou tentar.
  -Hyung eu preciso ir já deu a hora. Disse sem sair do meu aperto, nós estamos daquele jeito que vocês já sabem qual é.
  -Você não vai Tae. Disse no mesmo minuto, eu não quero que ele volte pra lá com aquele homem presente.
  -Hyung eu preciso ir mais cedo ou mais tarde eu tenho que voltar, ele ainda é a pessoa que tem a minha guarda, não a nada que eu possa fazer. Ele se virou pra mim.
  -Por mim pode ser mais tarde, eu não quero que você volte para aquela casa com ele lá.
  -Hyung você fica fofo preocupado. Eu tenho certeza que fiquei super vermelho agora, como já disse não sei como agir quando alguém me elogia ou fala essas coisas pra mim.
  -Para Taehyung.
  -Aí você tá vermelho, ficou mais fofo ainda.
  -Tae.
  -Tá desculpa Hyung eu não resisti, mais eu realmente tenho que ir. Ele se levantou e eu me levantei junto eu não posso deixar ele ir. Fui até o telefone peguei o cartãozinho que estava do lado do mesmo e disquei o número que estava ali, tudo isso aos olhos atentos do Tae. O telefone começou a chamar até ser atendido por ele.
  -Alô. No momento em que ouvi a voz dele me deu uma raiva que não sei explicar pois nunca senti antes, mais a minha vontade era de ralar a cara nojenta dele no asfalto ate sangrar, credo assim pareço um psicopata.
  -Alô senhor Kim aqui é o Yoongi professor do Taehyung.
  -Há sim o que você deseja?. Sua cabeça em uma bandeja de preferência. Queria muito ter dito isso mais me segurei.
  -Aqui Taehyung está na minha casa nesse momento por causa das aulas extras e já deu o nosso horário e ele precisa ir embora só que está chovendo muito e eu acho perigoso ele ir. Então eu pensei em te perguntar se ele pode dormir aqui hoje?. Olhei para o Tae e ele estava sem reação, acho que estava se perguntando se eu realmente estava fazendo isso.
  -Eu não acho uma boa idéia.
  -Tudo bem se o senhor quer que eu deixe ele ir na chuva a responsabilidade é toda sua.
  -Eu vou mandar o meu motorista não se preocupe professor. Eu logo ia responder e me dá por vencido mais ele logo responde. -Aí droga me esqueci que ele está de folga hoje, será que não dá pra você trazê-lo aqui? Eu pago a mais por isso. Eu odeio essas pessoas que acham que dinheiro é tudo, isso me dá repulsa.
  -Sabe o que é senhor Kim o meu carro está no concerto não tem como eu levá-lo. Meu deus como eu sou um ótimo mentiroso.
-Há claro então Taehyung pode dormir aí hoje mais amanhã ele vai a escola, agora tenho que ir, vou fazer uma reunião, até mais. Nem tive tempo de responder ele logo desligou o telefone. Eu consegui, eu sabia que iria conseguir.
  -Hyung?. Taehyung estava esperando uma resposta minha.
  -Já pode ir me agradecendo Tae. Voltei para o sofá e ele ficou parado me olhando sem entender.
  -Pelo que?.
  -Eu consegui convenser seu "maravilhoso" pai a deixar você dormir aqui hoje. Disse com muito ódio a palavra maravilhoso.
  -Sério Hyung?. Pulou no sofá ao meu lado. Não sei bem o que aconteceu ou o que ele fez que acabou caindo em cima se mim. Suas mãos estavam cada uma de um lado do meu rosto e não sei como a minha foi parar em sua cintura, juro que está parecendo aquelas cenas de filme de romance.
  Seu rosto estava muito perto do meu, eu conseguia sentir sua respiração se misturando com a minha, involuntariamente minha respiração se acelerou não sei porque e percebi que a dele também. Nossos olhos estavam vidrados um no outro, mais isso só durou até ele passar a língua nos lábios, imediatamente meu olhar desceu por seu rosto até chegar em sua boca. Eu juro que eu queria tirar ele de cima de mim e parar com isso porque acho que já foi longe demais, mas o problema é que eu não consigo, simplesmente não consigo parar de olhar para seus lábios, não consigo tirar ele, não consigo mais resistir.
  Eu quero muito isso de uma maneira estranha ao meu ver, não sei explicar a vontade incontrolável que eu estou de sentir o gosto de seus lábios, a textura e todo o resto.
  Percebi que ele foi se aproximando mais de mim, nossos narizes já estavam se encostando, minha respiração estava totalmente desregulada, meu coração estava quase saindo pra fora de tão rápido que estava e com tudo isso meus olhos foram se fechando sem eu perceber. Quando dou por mim seus lábios já estão colados nos meus e posso dizer que com esse simples selar eu consegui sentir uma corrente elétrica passar por todo meu corpo. Realmente é uma sensação incrível sentir seus lábios nos meus. Eu já não estava aguentando mais ficar só nisso, subi minha mão direita até sua nuca e aprofundei o beijo. Pedi passagem com a língua e ele logo concedeu e foi incrível como nós dois nos encaixavamos perfeitamente. Não foi um beijo dos mais lentos, mais também não foi um beijo eufórico, vamos dizer que estava no meio termo. Eu nunca senti com os outros o que eu estou sentindo nesse beijo é uma mistura de sensações que não sei explicar, a única coisa que sei é que esse é o melhor beijo da minha vida inteira.
   Quando o ar fez falta tivemos que nos separamos infelizmente. Abri meus olhos lentamente e vi o Tae ainda estava com os olhos fechados e estava ofegante e com os lábios entreabertos que por sinal estavam inchados por causa do beijo recente.
   -Tae.... Eu iria continuar mais o mesmo me interrompeu.
   -Eu sei o que você vai dizer nem precisa continuar. Disse se levantando de cima de mim e se sentando logo em seguida, eu fiz o mesmo.
   -Tae eu quero que você entenda que...
   -Que isso é errado. Disse me completando. Eu sei Hyung e entendo isso não se preocupe, não vai mais acontecer . Disse olhando pra TV.
  Eu sei que isso é extremamente errado de todas as formas humanamente possíveis, mais o problema é que foi um errado bom e põe bom nisso. Para com isso Min Yoongi, não pode acontecer novamente, mais será que eu quero que isso não se repita, aí não sei está tudo tão confuso.

(...)

  O resto do dia se passou com um clima meio tenso entre nós dois, acho que não tem motivo pra isso ou tem? Acho que não, foi só um beijo certo? Um beijo entre dois homens que inclusive foi entre aluno e professor, que por sinal foi muito bom, meu deus. Aí porque tem que ser tão confuso assim.
  Nessa noite nós dormimos na mesma cama mais não foi abraçados, eu confesso que achei um pouco estranho isso já que desde a primeira vez que ele dormiu aqui foi abraçado comigo. Eu só espero que tudo entre a gente se resolva não quero que fique esse clima estranho entre nós dois.
  Só quero ver como vai ser amanhã, eu sei que sempre digo isso mais desde que Taehyung chegou mudou tudo é como se eu não tivesse mais controle da minha vida, vamos dizer que eu sempre tive tudo planejado e premeditado e com ele aqui não consigo mais fazer isso, confesso que é um pouco frustrante, mais até hoje não sei se é bom ou ruim essa mudança.
  Só quero ver como vai ser amanhã.


Notas Finais


Obrigado pra quem leu, espero que tenham gostado. Até amanhã e beijinhos 😘 😘 😘 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...