História Dois mundos em uma história - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~DeyseAtlas

Postado
Categorias Fairy Tail, Naruto
Tags Naruto Fairy Tail
Exibições 6
Palavras 962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigada pelos favoritos, Dbx :*

Capítulo 6 - "Jogue sua alma em cada porta aberta."


Fanfic / Fanfiction Dois mundos em uma história - Capítulo 6 - "Jogue sua alma em cada porta aberta."

" Há um fogo começando em meu coração, alcançado temperatura febril e me tirando da escuridão."

Eu deveria ter pegado um casaco ou esperado o verão para saí daquele orfanato, mas eu estava sentindo que se não saísse por mim mesmo o filho da Amanda me colocaria pra fora e do jeito que ando não sei o que faria, eu não penso muito, só faço. Também já estava na hora, com quinze anos quem vai querer me adotar? Ninguém, mesmo que me adotassem eu não acho que seria um bom filho.
O incrível é que estou com tanto frio e ao mesmo tempo quente, não dar pra entender não é mesmo? Eu não posso explicar é algo novo, algo nunca sentido por mim antes.

Minha ideia inicial era passa um tempo com Bochus, já que fora do orfanato eu só conheço ele, mas o incrível é que ele estava jogando comigo, sabe eu era um bode expiatório.

" ... Vá em frente e me traía e eu lhe exporei."

Sabe ele precisa de mim para seu plano "genial" contra a Fairy Tail, ainda não entendi o porque.
O plano era simples, íamos entra na guilda sem ser vistos e descobrir " O grande segredo deles" ideia do mestre dele, porém ele conhecia o poder dos magos de lá, não poderia envolver a guilda em algo desse tipo, aí é onde eu me encaixo, o culpado então seria eu, eu descobrir essa parte importante quando já estava lá dentro e o Mestre daquela guilda está enorme e não consegui vê os que entraram comigo, basicamente me excluiram da parte mas importate do plano, a fuga. A minha sorte foi o teletransporte, eu poderia atacar com ácido, porém estava com medo, no entanto ninguém precisa saber, estava na hora da vingança e eu realmente não precisei pensar pra saber como seria.

Achei eles e o meu jogo já iria começar. Antes de aparecer fiz as runas, não sou tão bom mas essa era a magia que treinava com o inútil do Bochus, eu ignorava a gigantesca inutilidade dele, por acha ele leal, o que sabemos que não é verdadeiro. Teletransporte e ácido eu adquirir sozinho, com o tempo, sem explicação, quando acabei as runas os chamei.

- Pessoal, não acham que esqueceram alguma coisa, sei lá, alguém?

- Satoru... - Bochus falou e todos olharam em minha direção. - é... cara... ainda bem.

- Nossa fingindo, mas não vem ao caso, eu sei, sei dos seus planos contra mim. - Falei olhando para cada um dali pode ver uns olhares confusos os quais eu ignorei.

- Quer saber garoto? Não temos tempo a perder então vai embora antes que eu esqueça o que é caridade. - Mou, o mestre deles falou, se achando o rei. Idiota.

- O que? Vocês acham mesmo que eu só vim para informa-los que estou bem ? Tão ingênuos, - tirei as cartas do bolso - bom eu vim me vingar, não acho possível perdão, sem vingança. E eu realmente não me perdoaria se deixa-se passar.

- Que terrível, vai nos massacrar nos derrotando em um jogo de cartas? - Um cara de cabelo azul falou e de repente os olhares confusos passaram a ser confiantes.

- Não, meu caro, não são qualquer cartas, são cartas do destino- encontrei elas mês passado em frente o Colégio, tinha até um manual, elas me pareceram bem magicas. Tirei ele com todo cuidado da caixa e joguei elas pelo ar e contrariando a gravidade elas flutuaram e quatro deles se separam e o resto voltou para a caixa.

" ... Não subestime as coisas que farei."

- Quatro cartas, quatro jogadores, Bochus, que me trouxe a essa miséria; Mou, porque me subestimou; Estranho de cabelo azul, por falar de mais; e... você, garoto com cabelos loiros que parecem dois chifres, pois pelo o seu olhar eu sei que estar pensando e não gostei, os demais podem ir para uma merda. - Eu estava confiante, e esse silêncio me deixou mais forte do antes. - Vamos, prometo ser rápido - joguei as quatro cartas pra cima e novamente elas flutuaram e dessa vez foram em direção aos escolhidos.- Bochus, mostre sua carta.

- Insônia... - Falou ele.

- Medo - falou o cara de cabelos azuis.

- Acho que você não entendeu - virei para o de cabelo azul - isto é um jogo espere a sua vez. Onde estávamos, Bochus, hm, boa carta, você está destinado a não dormir, a não ser que eu queira. Bom já que o idiota ali já adiantou as coisas, vamos para carta medo, seu medo crescerá a cada ano, cada vez mais assustado, eu serei o seu tormento. Próximo, hm... cabelo amarelo.

- Bom eu tenho nome...

- Não quero saber, eu te chamo como eu quiser. Diz logo a carta.

- Pesadelo.

- Você não terá sucesso em nenhum momento, em sua cabeça vários e vários pesadelos e um dia, assim espero, irei fazer deles realidade. - Sorrir pra ele - Mou, sua vez, sabe deixei o melhor para final.

Ele jogou a carta em minha direção, peguei-na com dois dedos e sorrir. Olhei para carta.

- Que sortudo, a melhor de todas, a morte, você está destinado a morrer pelas minhas mãos, não se preocupe, a carta específica, não vou te matar agora... só da proxima vez. - As cartas saíram do alcance deles e voltaram pra mim. - Tchau - Sorrir e me teletransportei para uma árvore distante deixando quatro caras confusos, refletindo sobre o distino.

Sentei-me encostando na árvore, olhei pro céu, olhei para um lado, para o outro, tentando imaginar o meu destino, o qual as cartas se recusavam a me mostrar.

" ... Jogue sua alma em cada porta aberta."


Notas Finais


Fiz de um jeito diferente, espero que tenham gostado.

Música: Rolling in the deep- Adelle.
(Ultimamente tenho ouvido muito na versão do Glee, na verdade só conheço essa musica por causa do glee)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...