História Dois passados ... Um futuro - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Lemon, Naruto, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha, Universo Alternativo, Yaoi
Visualizações 127
Palavras 2.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem pela hora, eu dormi demais.

Capítulo 5 - Manhã agitada


- É melhor você ir ... Arrume as suas coisas e descanse bem. Eu estarei esperando amanhã de manhã para irmos para a escola. Até lá, eu vou tentar me acostumar com a ideia de que finalmente tenho um amigo e que ele é extremamente teimoso. Informou ele desistindo de tentar me persuadir a não acompanhá - lo.

- Certo, até amanha Naruto. Me despedi com um sorriso já pulando para a minha sacada. " Até amanhã Sasuke " Disse ele fechando a sua janela e indo para dentro antes de eu também entrar em minha casa.

Após colocar as compras para dentro, quando já estava deitado em minha cama, as imagens vagaram em minha mente, o abraço, o carinho na bochecha e ... O beijo no rosto. Eu havia feito tudo aquilo e apenas agora havia lembrado que ... Naruto também era homem.

- O que estou fazendo? Perguntei a mim mesmo colocando o braço sobre os olhos e sentindo o meu rosto queimar, assim como o meu corpo.




Capítulo 5: Manhã agitada.




Eu estava mais cansado do que parecia e a prova é que sem perceber cai no sono. Quando acordei olhei no celular que eu ainda tinha no bolso e percebi que já eram dez da noite.

Com preguiça e ainda me sentindo cansado, tirei minhas roupas e fui até o banheiro tomar um banho para acordar. O que não foi uma boa ideia. Enquanto estava ali debaixo da água quente, meus pensamentos viajaram até Naruto.

Eu o conhecia a dois dias e pareciam - se dois anos. Eu me preocupava com seu bem estar e pensava nele mais do que o necessário. Talvez fosse por sermos parecidos ... Em diferentes sentidos. Mas eu tinha a impressão de que não era só por isso. Eu queria verdadeiramente ser seu amigo ... Era a primeira vez que eu queria tanto alguma coisa. Porém ... Lá no fundo sentia como se só isso não bastasse.

Quando sai do chuveiro vesti apenas uma cueca e um calção e ainda com a toalha nos cabelos desci até a cozinha, aonde preparei alguns sanduíches para jantar. Depois de me alimentar e limpar a cozinha, subi de volta ao quarto, aonde finalmente guardei as minhas compras e organizei o material que eu usaria no dia seguinte, assim como o uniforme.

- Certo. Agora é só dormir. Disse a mim mesmo satisfeito por ter terminado de organizar tudo. Deite - me novamente na cama. Dessa vez por debaixo das cobertas e fiquei encarando o teto, enquanto novamente ele aparecia em meus pensamentos.

Ergui a minha mão na minha frente e após observa - la de todos os ângulos vi que não havia nem um sinal de que eu dera um soco em Naruto. " Quando foi a última vez que machuquei a mão, ao bater em alguém? " No começo sempre que entrava em uma briga, a minha mão era o que mais sofria.

Minha mãe, tinha o hábito de dizer que eu tinha" mãos de anjo ", que serviam para ajudar os outros e não para machucá - los. Porém com o passar dos anos aquela mão se tornou coberta de sangue, quando não era o dos outros era o meu próprio. Foram tantas brigas nos últimos anos, que antes o que estava sempre machucada, agora só sabia machucar.

- Desculpe Mãe ... Eu devo ser uma decepção. Disse com um sorriso triste, enquanto cobria o rosto com o travesseiro, tentando me esconder de mim mesmo e de minhas lembranças.

" Apesar da cara fechada ... O seu toque é gentil " as palavras de Naruto do dia em que nos conhecemos ecoaram em minha mente. Era como um lembrete de que eu estava errado a " mão de anjo " ainda estava ali, assim como o velho Sasuke, alguém só precisava resgatá - lo.

- Naruto Uzumaki ... Uzumaki. Esse nome me parece familiar ... Aonde será que já o ouvi? Perguntei a mim mesmo curvando as sombrancelhas em um semblante sério. Tentando lembrar de algo que parecia ser importante.

- Ah que se dane. Eu disse depois de um longo minuto, me obrigando a ir dormir. Apesar de manter os olhos fechados, o sono demorou a chegar e enquanto ele não aparecia um certo loiro preencheu meus pensamentos.



- Sasuke ...

- Ooooi Sasuke. Escutei alguém chamar meu nome, mas parecia tão distante que não dei importância, até que ouvi uma forte batida e despertei num salto, escutando Naruto bater na minha janela.

- Sasuke, é melhor se apressar, ou vai se atrasar. Avisou ele fazendo - me perceber o que estava acontecendo ali. Peguei o meu celular e percebi aterrorizado que ele estava sem bateria.

- Droga. Xinguei a mim mesmo, antes de jogar o celular contra a parede e depois saltar da cama e ir correndo até a janela, abrindo - a e encontrando um Naruto que tentava conter o riso.

- Que horas são? Perguntei já voltando para dentro e retirando o calção para vestir as calças do uniforme. Sem me importar em me trocar na sua frente.

- São 7:40 se não chegarmos na escola, em 20 minutos, vamos perder a primeira aula. Explicou enquanto entrava e sentava na cama que estava completamente desorganizada.

Eu corria de um lado a outro enquanto me apressava em me arrumar. Lavando o rosto, escovando os dentes, colocando o sapato, penteando o cabelo e por fim pegando a mochila.

- Eu não tô achando graça nem uma ... Vamos. Disse de mal humor fuzilando - o com os olhos ao ver que ele estava com um sorriso divertido no rosto.

- Se estivesse vendo a si mesmo, com certeza mudaria de opinião. Disse em tom sarcástico enquanto se levantava e junto comigo pulava a sacada para a sua casa. Após fechar a janela descemos as pressas as escadas e entramos na garagem aonde embarcamos no carro. Cinco minutos depois chegamos na escola, faltando três minutos para bater o sinal.

- Conseguimos. Disse respirando fundo, como se tivesse prendido a respiração, antes de chegarmos ali.

- Cara, nunca vi ninguém se arrumar tão rápido. Dizia ele novamente sorrindo enquanto enxugava uma lágrima que havia escorrido por seu rosto, após rir tanto. Pensei em questioná - lo por rir da minha cara. Porém no momento em que vi aquele sorriso, apenas fiquei satisfeito por vê - lo feliz.

Sem perceber eu cruzei os braços sobre o volante e deitei a minha cabeça sobre eles, encarando - o que logo percebeu o meu olhar sobre si. Eu não me cansava de olhá - lo, seu sorriso, seus olhos, sua alegria e todo o seu ser.

- O que foi? Perguntou curioso agora já recuperado da sua crise de riso. Ele me olhava com um olhar curioso, como se tentasse decifrar o que se passava em minha mente.

- Você fica bem de preto. Soltei o que se passava em minha mente, antes de perceber o que tinha dito. Aquilo soava estranho, ele podia entender errada, na verdade eu mesmo achei aquele comentário impróprio, mas ele não pareceu se importar.

- Obrigada. Respondeu com um sorriso honesto sem pensar muito a respeito. Naquele momento o sinal tocou e ele se preparou para sair. Colocando a alça da mochila em seu ombro e abrindo a porta do carro.

- A orientação fica bem ao lado da porta de entrada, eu vou indo na frente, nós estamos no mesmo ano e só há uma sala, então estaremos na mesma classe. Informou antes de sair. Ele poderia me esperar, mas provavelmente não queria que fossemos vistos juntos.

Esperei mais alguns segundos e depois seguindo suas instruções fui até a orientação e de lá fui acompanhado por uma professora, até a sala de aula.

- Sentados, pessoal esse é Sasuke Uchiha, ele se transferiu essa semana e vai começar a frequentar as aulas hoje. Explicou ela, fazendo todos me encararem com expressões de diferentes tipos. Passei o meu olhar por todos os rostos, mas não o encontrei.

Ele disse que estaríamos na mesma classe e que nos veríamos na sala, se ele não estava ali, alguma coisa tinha acontecido. Vasculhei novamente toda a sala, apenas para ter certeza e a constatação foi óbvia.

- Aonde está o Naruto? Perguntei para a professora que me olhou surpresa, assim como os demais estudantes.

- O que você disse? Perguntou com uma expressão de quem achava que tinha entendido errado. Uma pessoa do tipo que eu odiava.

- Aonde está Naruto Uzumaki? Perguntei seriamente, em um tom firme e frio, mostrando que queria uma resposta, na verdade, quase exigindo uma.

- E..Ele não veio hoje. Disse ela fazendo meu coração acelerar. Algo definitivamente estava acontecendo. Sem pedir permissão, ou dar alguma satisfação, eu abri a porta e sai novamente da sala, andando em uma direção aleatória. " Eu precisava encontrá - lo " Era tudo o que se passava em minha mente.

Porém depois de alguns passos, parei no meio do corredor. " O que estou fazendo, eu nem mesmo sei para onde, estou indo " disse a mim mesmo tentando me acalmar, enquanto tentava agir com racionalidade. Andei até as vidraças que davam para o pátio e observei com atenção, qualquer coisa que parecesse suspeita, mas não encontrei nada.

Já estava prestes a procurar em todo o colégio, quando a porta da sala novamente se abriu e passando por ela, apareceu um garoto da minha altura de cabelos pretos amarrados em um curto rabo de cavalo e com uma expressão preguiçosa. Ele caminhou até mim e apontou para uma pequena construção que víamos do lado de fora.

- Aquela é a sala de equipamentos, atrás dela fica o que chamamos de ponto cego. É um ótimo lugar ... Para quem quer fazer algo como ... Intimidar um estudante. Disse ele antes de já seguir o seu caminho.

Levei algum tempo, para entender o significado de suas palavras e embora não soubesse o motivo de estar sendo ajudado, agradeci imensamente, enquanto já corria pelas escadas que eu vira mais cedo e descia até lá.

Quando finalmente cheguei ate lá estava sem fôlego e quase sem forças, mas ao ver Naruto estirado no chão contra a parede e sendo chutado aquilo deixou de importar. Eu estava furioso e não me acalmaria tão facilmente.

O meu sangue fervia, eu estava com raiva, com ódio. Estava à ponto de matar alguém, mas mesmo assim me controlei, apertando as mãos com força. Precisava me controlar o suficiente para não causar uma cena e chamar atenção indesejada, afinal eu não queria que ninguém visse o que iria acontecer a seguir.

- Ohh vocês parecem estar se divertindo ... Posso me juntar a vocês? Perguntei com um sorriso enquanto me aproximava calmamente. Ao menos por fora.

- Olha é o novato, claro cara, vá em frente. Disse um dos três garotos presentes abrindo espaço para que eu chegasse mais perto. Quando finalmente cheguei até ele vi Naruto tossir levemente e um pouco de sangue deixar os seus lábios. Aquilo foi o fim do pouco de controle que eu tinha.

- Vá em frente ...

Assim que ele começou a falar coloquei a mão ao lado de sua cabeça e empurrei - a contra a parede, deixando - o logo inconsciente por ter colocado muita força.

- Que pena, acho que exagerei. Disse sem nem um remorso soltando - o no chão e encarando os outros dois com um sorriso divertido. Um deles tentou me golpear, mas eu me desviei facilmente e o soquei fazendo - o cair no chão, ainda não satisfeito subi em cima dele e o golpeei mais três vezes, até ele também cuspir seu próprio sangue.

- Ei você. Leve seus amigos embora e nunca mais apareça na minha frente ... Ou irei garantir que o único lugar aonde irão seja o hospital. Garanti olhando o terceiro com um olhar mortal que com dificuldade carregou seus comparsas para longe de mim.

Mesmo depois de descontar minha fúria neles, a minha mão ainda tremia de raiva. Por dentro eu queria tê - los espancado, até que não pudessem fazer nada que não fosse gemer de dor. Porém estava ciente do seu olhar sobre mim. Que já me encarava há vários segundos.

Quando me virei e vi seu olhar surpreso pensei que tudo estava acabado que agora que ele conhecia aquele meu lado, iria me odiar, mas para a minha surpresa ele sorriu, enquanto me estendia a mão.

- Me dá uma ajuda aqui. Pediu tentando se levantar. Sem dizer nada eu o ajudei colocando - o encostado na parede, já que parecia ter dificuldades em ficar em pé sozinho. O silêncio reinou e nem um de nós o quebrou. Até que o senti pegar a minha mão e avaliá - la com carinho aonde havia um pouco de sangue.

- Você está bem? Perguntou preocupado segurando firmemente a minha mão com a sua.

- Não se preocupe ... O sangue não é meu. E quanto a você ... está bem? Perguntei também preocupado. Ele apenas confirmou que sim com a cabeça e não disse mais nada.

- Obrigada por me acordar essa manhã. Eu disse tentando quebrar o silêncio. Queria escutar a sua voz.

- Disponha ... Obrigado por ter vindo me resgatar. Agradeceu ele ainda com o olhar baixo.

- Disponha. Devolvi com um sorriso fazendo - o enfim me olhar e também sorrir. Eu não sabia que tipo de relação era aquela, mas eu queria mantê - la para todo o sempre. Assim como aquele sorriso em seu rosto.

Continua ...

Notas Finais


O próximo capitulo será postado no dia 14/08 na segunda - feira a noite até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...