História Dollhouse - YoonMin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga
Tags Minimini, Shotfic, Sugamin, Yoonkook, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 72
Palavras 1.254
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Yey! Mais uma YoonMin, essa fic vai ser curtinha. Acho que não chega nem perto de dez capítulos.

Jimin aparece no próximo capítulo, prometo tão ter muito cu doce.
Aviso: linguagem imprópria. Perdão pela falta de modos e os erros também

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Dollhouse - YoonMin - Capítulo 1 - Prólogo

 

A porta de madeira da sua casa estava meio apagada pela falta de luz.

A casa mediana, com uma varanda que mais se assemelhava a um ímã de mosquitos, parecia balançar como um convés de barco. Min Yoongi estava bêbado, maneando o corpo de um lado para o outro, em certos momentos, só para lembrar de que não poderia dormir em pé.

Já fazia 10 minutos que estava tentando enfiar a maldita chave no buraquinho da fechadura.

Falando assim, nem parece que esse rapaz de 24 anos, é um brilhante inventor de bonecos miniaturas. Suas mãos firmes de inventor estavam tão fracas quantos às de uma criança. Que vergonha.

Depois de uma decepção que teve nesse mesmo dia, saiu do seu carro com uma cara que se encaixa no perfil de uma segunda feira de manhã.

— Estúpidos estranhos. — se referia a seus compradores. Yoongi tinha uma especialidade: criação de monstros; em sua maioria eram réplicas bem feitas de violões ou até mesmo personagens secundários de um filme de terror, que otakus ou os típicos fãs de HQ compravam.

Yoongi não havia pensado naquele detalhe quando mexeu no fundo de uma de suas caixas e achou uma de suas primeiras criações.

Achando um boneco miseravelmente pequeno, com cabelos loiros, bochechas saltadas e lábios cheinhos fechado em um quase bico. Era particularmente fofo, mas não deixava de ser peculiar o rumo que o inventor tomou. Não sabia que antigamente era tão bom em fazer conteúdo “normal”.

Sentado no chão, mexendo na poeira que ameaçava fazer seu nariz escorrer, Yoongi admitiu para si o quanto era sozinho e era injusto que Jimmy — o bonequinho —  fosse solitário assim.

Passou semanas montando uma casa de bonecas, e meses fazendo mínimos detalhes para que toda a família que havia preparado para o bonequinho ficasse perfeita. Entretanto, foi tudo uma perda de tempo. Junto com seus compradores, seus chefes lhe jogaram a verdade.

Estamos lidando com homens adultos. Quem compraria uma casa de bonecas?

Yoongi suspirou deixando a chave cair no tapete de casa, seu corpo estava sonolento e a fúria parecia anestesiar a ponta de suas orelhas.

Chutou a porta sem muita força, vendo a mesma saltar e Holly começar a latir do outro lado da madeira. Holly era o sueu cachorrinho de estimação.

Yoongi suspirou mais uma vez, jogando a cabeça para trás e respirando o ar frio.

Bastardos burros. — Ele pensou. Não haviam entendido sua arte, muito menos a sua intenção. Yoongi não queria criar nenhum boneco de criança. Dito que primeiramente, seria impossível; pelo tamanho, alguma criança acabaria colocando na boca. Mas principalmente pelos detalhes. Ele havia criado uma família perfeita. Bonecos em versões antigas, com babados e frufrus, uma mãe, pai, filho e filha.

Era a família perfeita.

Família que Yoongi nunca teve.

O que tinha de errado em criar algo desse tipo? Deu mais trabalho do que qualquer aberração que já fez.

Chutou com mais força dessa vez, escutando um choro assustado do pequeno cachorro de pelos castanhos. Jogou a garrafa de everclear vazia no sofá. Estava vendo em dobro e ria de minuto em minuto, mesmo que a vida estivesse merda demais para esbanjar uma gargalhada.

A bebida era forte, essa única garrafa que tem um teor de 90% de álcool quase o derrubou no bar. Dito que já havia bebido algumas garrafas de soju.

Chutou um ultima vez vendo o trinco da porta quebrar e a porta abrir, entrou dentro de casa encostando a porta atrás de si e foi direto para a mesa. Yoongi usava calça jeans escura com alguns rasgos, all star e para trazer um ar de profissionalismo, acompanhava uma blusa de botões azul escura.

Negou com a cabeça imaginando os bonecos dentro da casa parados o julgando, rindo de si, o fazendo de bobo e dizendo que essa seria a única família perfeita que ele teria. Pelo menos era isso que se passava na cabeça de Yoongi.

Ele havia criado a família que sempre quis, mas que não teria nunca. Sozinho, calado, arrogante, saiu de um orfanato manchado pela grosseria dos outros, e saiu de lá com uma personalidade forte demais para poder suportar outro alguém. Tinha um sonho de ser artista e teria que apostar alto para isso, já que esse mercado de trabalho não é algo fácil. Agora que realizou, se sente solitário e cansado. Mas particularmente hoje, se sente indignado.

Como ousam zombar de suas pequenas esculturas?

O que importa se nenhum desses bonecos está jorrando sangue? O que importa se os bonecos foram feitos de forma normal? Yoongi só queria ser normal assim como os bonecos.

— Idiotas. — esbravejou batendo o punho na mesa e se sentando na cadeira que havia na frente da grande mesa iluminada por uma lâmpada.

Repetiu essa palavra mil vezes sentindo seu peito amargurar.

Ninguém jamais entenderia Yoongi, ninguém jamais veria beleza no sentimento oculto de um artista. Solidão é um clichê que irrita a todos.

As pessoas só querem saber de monstros, só querem comprá-los, pois assim, eles acharam que não são piores que as aberrações que Yoongi cria. O homem de cabelos negros já nem podia imaginar a quantidade de inúmeros pesadelos que teve ao fazer seus próprios monstros.

Não que ele sentisse medo durante esses pesadelos, só achava meio idiota, pois ele era o criador de ambos. Claro que não podia esconder a aflição que sentia quando via os rostos conhecidos durante o sono, pois seria bom dormir de verdade.

Yoongi mordeu os lábios, soltando os mesmos e depois fechando os olhos, apoiou os cotovelos na mesa e olhou pelas pequenas janelas decoradas.

Ao colocar seus olhos ali, sua respiração ofegou em um susto, tirou o rosto de lá achando ter visto algo estranho. Negou com a cabeça soltando o ar e rindo de si mesmo, achando que estava completamente louco. Tirou o telhado da casa e jogou para longe sem cuidado nenhum. Seus olhos procuraram aflitos pelos pequenos corpos que pareciam ter sumido.

Se afasta dois passos contraindo os lábios, aquilo estava estranho demais, jurou ter colocado os bonecos dentro de seus quartos.

— Vocês estão zombando de mim? — sussurrou fora de si, Yoongi não sabia o que estava fazendo, mas sentia tudo de forma intensa, seu peito doía e sua coluna também. Sua mente não estava quieta, ele se sentia um lixo. Ele recebeu comentários maldosos dos seus colegas invejosos de equipe.

Se sentia magoado, sozinho, cansado, sonolento. Queria descontar a sua fúria em algo. Holly se escondeu com medo do seu dono, jamais o vira tão fora de si.

Yoongi bufou pegando um copo de vidro que viu naquela mesma mesa e jogou contra a parede soltando um grito estridente e enfurecido. Que merda. Falava ele indo direto para a casa chacoalhando a mesma enquanto tentava achar os bonecos. Novamente eles não apareceram.

Largou a casa deixando que ela saltasse sobre a mesa e destruísse alguns móveis. Era uma peça delicada, obra de um artista e não de um criador de brinquedos. Tudo ali era delicado, então Min Yoongi não se surpreendeu quando bateu nas paredes e viu duas desmoronar para o lado.

— Que perda de tempo. — disse já pouco se lixando, o que importa? Ninguém irá comprar mesmo.

Se sentou novamente na cadeira, encostando as costas no descaso da mesma. Encarava a pequena casa como se ela fosse sair do lugar. Sentia seu corpo pesar e sua respiração embargada pelos soluços.

— Foda-se. — fechou os olhos ali mesmo e antes que percebesse já dormia.


Notas Finais


inspirado em:
https://www.youtube.com/watch?v=HcVv9R1ZR84



Ps: A história não se basea só no clipe, logo não estou roubando a história do MV.

Eu só peguei o "quase" começo, uma versão beeem diferente do enredo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...