História Dollhouse - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Troye Sivan
Personagens Personagens Originais, Troye Sivan
Tags Connor Franta, Tronnor, Troye Sivan
Exibições 33
Palavras 474
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei -desvia das facas-

Gente, todo autor sabe que as vezes da umas travas que santo pai... Não consegue escrever nada... Mas eu não desisti 🎈

Capítulo 9 - Outro


Fanfic / Fanfiction Dollhouse - Capítulo 9 - Outro

Quando chegou na boate, o coração de Franta estava descontrolado.
Um largo sorriso estava formado em seus lábios enquanto ele procurava pelo menino que lhe roubou o coração... Porem pouco a pouco o sorriso foi sumindo ao não encontrar "anjo" dançando sobre nenhuma mesa.

Era sexta a noite e todos os mais belos estavam se exibindo sobre as mesas, mil possibilidades passaram pela cabeça do rapaz e isso apenas o fez sentir o sangue esquentar.


Respirou fundo depois de perguntar a mais um funcionário onde estava o "anjo" e mais uma vez a resposta foi a mesma.

— Desculpe senhor. Não temos informações sobre o rapaz.

Connor estava ao ponto de socar aquele maldito filho da puta que se negava a dar a informação, mas o toque de delicado de uma mão sobre a sua o fez respirar fundo.

Não era seu doce amado mas sim uma jovem garota que dançava pelas mesas, Connor já tinha a visto de passagem algumas vezes e ela sempre trocava sorrisos com o "anjo".

Merda! Connor nem mesmo sabia o nome do garoto que amava.

— Senhor... Gostaria de um quarto.

Connor estava pronto para a mandar para o inferno, queria seu menino e iria ao inferno para o ter... Porem algo o fez acenar positivamente, talvez fosse a suplica no olhar da menina que parecia ter no máximo uns quinze anos.

A seguiu desconfiado, talvez aquela criatura que batia na altura de seu peito pudesse lhe ajudar a encontrar o menino. Quando entraram em um quarto vago no corredor, a menina suspirou e sem medo algum olhou Connor nos olhos e ali ele pode ver um ódio crescente.

— Escute! Troye não é a merda que a maioria somos! Ele não é a porra de uma vadia que você come por um tempo e joga fora. Agora trate de o esquecer e o deixar de vez!

A menina de cabelos alaranjados falava baixo porem com uma frieza que não lhe parecia humana, ela o encarava de igual ali e isso o pegou de surpresa, porem não demorou muito para Connor voltar a si e respirar fundo para falar calmamente.

— Eu não irei sair daqui sem Troye.

O nome saiu baixo pelos lábios dele, era bom o pronunciar e Connor poderia o dizer ate o fim de sua vida.

— Troye já tem um novo dono!

Aquela única frase o fez parar, todo seu corpo paralisou momentaneamente com aquele tapa indireto que levou.

Sem dizer mais nada a menina o deixou ali, parado em meio ao quarto vazio com o coração levemente estraçalhado... Mais uma vez teria ele perdido o amor?

Não! Connor faria tudo para o ter, ele era seu!

Esse pensamento assustou Connor... Talvez ele tivesse algo em comum com o pai... E mesma que ninguém pudesse ver, ele rezou baixinho para ter coragem para fazer tudo por quem amava.


Notas Finais


Ta curto? Ta!
Mas espero que esteja bom.
Ainda tem alguém ai?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...