História Dollhouse - Capítulo 25


Escrita por: ~ e ~6aigoo1

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jihope, Jinmin, Jungkook, K-pop, Min Yoongi, Seokmin, Suga, Sugakook, Taeseok, V-hope, Yoongi, Yoonkook
Visualizações 181
Palavras 641
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, anjos! Quero fazer um pedido:
Encarem esse extra mais como um desabafo, do que como um capítulo, okay?

Me perdoem os erros.

Boa leitura~

Capítulo 25 - Extra 02



Point of Views Jeon JungKook

Era pra ser um dia normal, sabe? Só mais um daqueles dias em que eu acordo com Suga em meus braços, e me pego sorrindo ao perceber que tudo estava bem.

Naquele dia, as coisas não estavam bem.

Acordei como todos os outros dias, até então, tudo ia bem; O verdadeiro inferno começou quando abri a tela do computador nos comentários em relação ao novo livro que eu havia publicado.

Era normal as críticas e os elogios, afinal, é isso que faz alguém um bom escritor, certo? Eu penso nisso todas as vezes. Sempre que vejo um comentário criticando dizendo "Achei estranho.", ou algo do tipo, tanto ser o mais amoroso possível ao responder o indivíduo.

O que acabou comigo naquele dia, foram mensagens enviadas ao meu email pessoal, eu não queria ter aberto aquelas mensagens, não queria ter lido aquelas coisas. Não, eu não queria. Eu não ia abrir, mas o título das mensagens — foram diversas, devo ressaltar, e não foi a primeira vez, tampouco a última — me chamou a atenção.

Coisas como: "hey, lixo!" ou "Se mata!".

O título me chamou atenção, pelo fato de eu sentir meu coração afundar ao ler aquilo. Deus! Estava acontecendo de novo.

Vamos falar sobre dor e escrita, okay?

Ao abrir as mensagens, palavras duras me atingiram — não, não! Eu não estou me fazendo de coitadinho. Céus, longe de mim! —, e eu li aquilo, e eu reli. Sabe meus olhos negros? Eles brilhavam, não por estar encantado com algo — como quando eu observava o Suga —, mas sim por causa da dor; por causa das lágrimas.

Talvez se meu coração parasse de bater, não teria machucado tanto. Aquela pessoa, desconhecida, estava mesmo mandando eu me suicidar? Estava mesmo mandando eu desistir de escrever? Estava mesmo chamando pedaços da minha alma de lixo?

Por que estava doendo tanto?

Por que doi tanto?

Vejam bem, eu apenas não podia acreditar. Nunca haviam pegado tão pesado assim!

Será que essa pessoa sabe que a escrita é a única coisa que me mantém vivo? Será que essa pessoa sabe que eu tenho problemas demais? Será que essa pessoa sabe que eu tenho depressão? Ansiedade? Será que essa pessoa sabe todas as coisas que passo e que passei? Todas as vezes em que escrevi chorando apenas para não deixar meus leitores esperando? Todas as vezes em que tentei dar um fim nisso, mas falhei miseravelmente?

Merda!

Será que sabe que, por causa dela, e uma série de acontecimentos malditos, agora há cicatrizes em meus braços e em minha barriga causados por mim? Será? Será que essa pessoa sabe que me fez cair em um vício que eu estava há meses tentando superar?!

Mas não! Eu não estou irritado com essa pessoa. Deus sabe que eu não estou. Só estou... Frustrado.

Não consigo escrever o suficiente, o que eu publico não é o suficiente! A merda da minha vida não é o suficiente. E o que eu fiz? Eu caí. Cai e não levantei.

Cai porque não vi apoio. Seria essa a hora de guardar o papel e desistir da escrita? Seria essa a hora de parar de respirar e desistir da vida?

Não sei.

Não tenho essas respostas, lamento por isso.

Mas sabe o que eu mais lamento? É ter procurado conselhos e confortos em palavras e não ter achado nada.

"— Mas, hey, JungKook! — Eles diziam. — Você não é o único a sofrer hate. "

Quando eu passei a viver em uma competição de sofrimento? Só porque eu não sou o único a respirar, não quer dizer que eu vá prender a respiração. Só porque não sou o único a sofrer isso, não quer dizer que não doa.

Mas eu tinha Suga.

E ele me segurou quando eu caí. O que seria de mim sem o Suga? Nada.

Ele me deu forças, e disse palavras que mais ninguém foi capaz de dizer. E por ele eu voltei, por ele eu superei.


Notas Finais


Bem, isso ocorreu comigo, na semana passada, exatamente como o JungKook descreveu, nesse caso, eu. A diferença é que foi aqui, no Spirit.
Tive a ideia do JungKook "contar" a vocês, pelo fato dele ser um escritor.
Sabe uma diferença trágica entre mim e o JungKook da fanfic? Eu não tenho um Suga, eu não superei. E nem sei se vou superar essa maré de coisas ruins.
Tirando a parte do Suga, todo o resto é o que eu estou falando.
Talvez eu exclua esse capítulo depois :')
Como disse: se quiserem, vejam isso como algo "fora" do universo de Dollhouse.

O extra JinMin está a caminho!

Aguardem, ou não.

Um B-Joo e um Xero para todos vocês, meus anjos! Até algum dia, ou não :) ♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...