História Dollhouse - Capítulo 25


Escrita por: ~ e ~6aIgOo1

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jihope, Jinmin, Jungkook, K-pop, Min Yoongi, Seokmin, Suga, Sugakook, Taeseok, V-hope, Yoongi, Yoonkook
Visualizações 230
Palavras 843
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha, bonequinhos. Vocês não sabem como me doeu escrever esse capítulo, não por estar ruim — acho sjsjssj —, mas porque é o último!

Ai, sou uma mãe orgulhosa :')

Não teve lemon como a maioria esperava, mas teve algo bem fofo, na minha opinião. E lembrando que os extras não estão em ordem cronológica.

Boa leitura~

Capítulo 25 - Extra 02



Jimin andava por entre as folhas secas, ouvindo as mesmas quebrarem e fazerem sons quando o garoto pisava.

Desde criança adorava pisar nas folhas, e ouvir o barulho que elas faziam, era tranquilizante. Apesar de amar as folhas, amava mais a Jin. Ah, Jin. Nunca havia dito que o amava, o que, de certa forma, não era legal; considerando que o garoto sempre esteve ao seu lado.

Estavam juntos há uns meses, sem compromissos, e sem rótulos. Talvez Park Jimin estivesse com medo de ter seu coração partido outra vez, ou talvez estivesse com medo de partir o coração de SeokJin; mas sabia que amava Jin, só não sabia como dizer isso.

Estava em frente a casa do mais velho, apesar de ter uma casa com JungKook e Suga, Jin não morava com ele, afinal, não era como se pudesse explicar um boneco que virava gente, ou que seu irmão falava sozinho; apenas precisava de tempo para processar tudo aquilo.

Grande parte de si mesmo estava orgulhoso por ter feito o que fez; aquelas frases ensaiadas e de superação pareciam nada comparado ao que ele tinha a dizer. Não, se ele visse alguém passando pelo mesmo que ele, não iria comparar. As pessoas, e sociedade em si, precisa entender que cada pessoa tem um jeito de enxergar algo e um situação.

É, Jimin havia amadurecido.

Viu com um sorriso e o coração aquecido, o companheiro sair de dentro da residência aconchegante e o abraçar fortemente.

"Está bonito, Chim."
Jin sorriu para o menor.

"Não mais do que você, hyung."
Deixou um selar rápido nos lábios do garoto.

SeokJin estava excepcionalmente nervoso naquele dia, havia tido uma conversa com seu pai sobre "responsabilidades e deveres" e na lista do senhor Kim estava assumir o relacionamento com Jimin; logicamente SeokJin não havia dito ao homem que ele e Jimin não tinham um relacionamento, caso contrário seu pai o forçaria a chamar Jimin e o mesmo teria que pedir alí.

"Tudo bem?" Jimin perguntou, enquanto entrelaçava os dedos com os do maior. "O que vamos fazer hoje?"
Observou as nuvens no céu e o grande clichê de que elas formavam objetos e coisas.

"Sim, eu 'tô bem." Mas não perguntou se o Park estava bem, Jimin não podia dizer que estava magoado, afinal, sabia que o outro estava perdido em pensamentos. "Queria conversar com você, Jiminie."
Olhou brevemente o garoto, agora com cabelos castanhos.

"Conversa boa, ou ruim?"

"Depende do seu ponto de vista, Chim."
Sorriu mínimo.

Jimin tinha medo daquelas duas palavras juntas: 'conversa' e 'ruim'; geralmente nada bom saia disso.

[…]


"Chegamos ao nosso lugar."
Jimin disse baixinho, ao adentrarem em uma pequena área verde lotada de árvores e plantas. Ambos os garotos gostavam do local, o ar puro exalava de lá e os cantos dos passarinhos banhavam o dia com doces melodias.

"Há um nós, Jimin?"
Jin perguntou, em um tom sério. Se sentando e esperando o menor fazer o mesmo.

"É sobre isso que quer conversar?"
Levantou a sobrancelha.

"Não respondeu a minha pergunta."

"Acho que sim, acho que há um 'nós'."
Sussurrou. Não havia motivos para negar, não para SeokJin. "Por que, hyung? Por que tocar nesse assunto agora?"
Encarou o outro que olhava para qualquer ponto no local, menos os olhos de Jimin.

"Eu queria ter certeza." Encarou Jimin. "Antes de te fazer um pedido. Queria ter certeza que eu não estava amando sozinho."

Jimin abriu a boca diversas vezes, tentando pronunciar algum som, mas nada saia de seus lábios fartos.

"Você não precisa dizer nada." Sorriu. Ele estava tentando dar uma saída para Jimin; Jin sempre tentava dar uma saída para Jimin. Mas Jimin não podia usar saídas sempre.

"Preciso sim, hyung." Encarou intensamente o maior. "Eu te amo." Estava nervoso. Aquelas palavras haviam mesmo saído de sua boca? Sentia seu corpo anestesiado, não conseguia raciocinar direito.

"Tenha certeza do que diz, antes de dizer."

"Eu tenho."
Respondeu com confiança.

"Não quero que se arrependa."

"Pareço arrependido?"
Segurou a mão do mais velho. "Você tem incertezas?"

"Todos temos incertezas, Jimin." Era impossível negar que aquela frase havia machucado de leve o coração de Jimin. "Mas você é a minha única certeza constante que me puxa para a superfície, sempre que estou prestes a me afogar neste meu mar de incertezas. Você é meu oxigênio."
Sussurrou a última parte, observando e enxugando com carinho as lágrimas que caiam das bochechas fartas do mais novo.

"O que isso exatamente quer dizer?"
Metáforas não iriam satisfazer Jimin, ele precisava ouvir em alto e bom som.

"Quer dizer que eu te amo também."
Sorriu para a face corada do Park.

Jimin não podia acreditar! Aquelas palavras eram para ele, era recíproco. Felicidade era pouco para o que sentia, e o sorriso no rosto do castanho demonstrava isso.

Talvez esse sorriso tenha aumentado quando SeokJin se ajoelhou e lhe encarou com um olhar ansioso.

"E o que isso exatamente quer dizer?"
Perguntou com humor.

"Quer namorar comigo?"
Suspirou.

"Sim."
Puxou o maior para um beijo apaixonado e carregado de sentimentos.

Talvez não tenha sido o final feliz que Jimin sonhou no início de tudo aquilo; mas com toda a certeza era algo bem melhor.

As vezes temos aquilo que queremos, não aquilo que precisamos. E Park Jimin teve os dois, pois Kim SeokJin era o que ele queria e o que ele precisava.


Notas Finais


Me perdoem mesmo qualquer erro, eu to com um pouco de sono sksksksks.
Enfim.
Meus anjos, o que acharam?
Gostaram?
Ai, Dollhouse é a fanfic que marcou a minha vida, obrigada a todo mundo que me acompanhou até aqui e por cada comentário de incentivo.
(Apesar de já ter agradecido no epílogo, tô agradecendo de novo, porque sou dessas)

E muito obrigada aos +200 favoritos e aos comentários. Eles me deixam bem. ♡♡♡♡

Eu espero um dia encontrar cada um de vocês por ai, quem sabe em uma próxima YoonKook, ou não.

Vou postar uma YoonKook de mpreg por esses dias, então fiquem ligados!

Enfim.

Obrigada mesmo, vocês marcaram minha vida :') e me sinto feliz por terminar Dollhouse, de certa forma.
Amo vocês. ♡
Não se esqueçam de comentar!

Um B-Joo e um Xero pra vocês. ♡♡♡♡♡♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...