História Domina-me DanBonnie - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bonnie Wright, Daniel Radcliffe, Harry Potter
Tags Bonnie, Danbonnie Daniel
Exibições 24
Palavras 726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 39 - Não esperava por isso


Sabe aquele momento em que o inferno sobe até você, e o céu entra em contradição com ele?

Nesse exato momento, engoli seco e apertando sua mão e devagar saíram às palavras.

- Bom dia senhorita! – Sorriu fraco.

- Bom os deixo a vontade senhorita, está radiante como sempre! – Buscou sua mão e a beijou com carinho.

- Obrigado sempre galante Victor! – Sorriu

- Bonnie você é digna de muitos elogios, por ser uma mulher tão bondosa e linda, extremamente linda! – Piscou, e saiu.

Juro que essa babação de ovo, me revira o estomago.

- Bom senhorita, vamos por aqui que irei mostrar a dinâmica da fábrica de genéricos. – Disse a mostrar o caminho.

- Adoro dinâmica! – Sorriu maliciosa a segui-lo.

Enquanto caminhamos pela fábrica, eu mostrei como funcionava todo processo que os medicamentos passavam.

Ela olhava atentamente, presto atenção em cada detalhe, converso com alguns funcionários.

Quando fomos em direção às máquinas fez questão de balançar as cadeiras de um jeito provocante, não teve quem não olhou.

Meu sangue ferveu de raiva, ela estava me provocando de todas as maneiras possíveis.

Tive me conter.

- Que máquinas grandes! – exclamou em alto tom.

- Rum! –Limpou a garganta – Pare com isso, já terminamos aqui, posso ir? – Disse tentando fugir.

- Ainda não baby! – Se aproximou e o empurrou contra uma das máquinas.

- Pode aparecer alguém! – Disse ofegando.

- Não me importo com isso, gosto de plateias! – Riu

- Maldita! – Praguejou - Não basta acabar com minha vida, você quer pisar em meu coração com seu salto agulha! –Disse ao olhar um anel em seu dedo.

- Estou noiva! – Gargalhou

- Do Tom, eu aposto! – Rebateu

- Sim! – Disse ao acariciar seu peitoral com as duas mãos – Mais não fique com ciúmes meu amor, podemos ser amantes! – Aproximou a boca de seu ouvido e sussurrou

- Você me dá nojo! – protestou.

- E você me deixa excitada com essa carinha vermelha! – Ria ao provoca-lo – Que saudade desse corpo! – Deslizou, e apertou seu pau com força o fazendo bater as costas contra á máquina. – Desse pau gostoso, me deixa chupar você? – Passou a língua em seus lábios

- Não! – Você está noiva, e eu... – sua voz falhou por causa da excitação.

- E você? – Continuou a acariciá-lo – Fale! – Ordenou

- Me deixe! – se esquivou.

- Está bem! – O soltou – Me conformo em saber que ainda não me esqueceu! – Ria – Sei que nos mínimos momentos da sua vida maldita, vai de lembrar-se de mim! – Quando acordar, quando trabalhar e quando dormir, vai sonhar. – Dizia debochada

- Isso pode até ser, mais agora tenho quem me ame de verdade! – Rebateu

- Ah sim, aquela sem sal e sem açúcar que você agarrou na boate! – Caçoou

- Ela me ama, me quer de verdade! – Disse em alto tom.

- Ótimo! – Se aproximou novamente, mais parou frente sua face – Quando tiver relações sexuais com ela, vai se lembrar de que quem te ensinou a Foder de verdade fui eu! – Deu uma pequeno tapa em seu rosto.

- Vadia! – Ergueu a mão.

- Bate! – Fechou o olho. – Bate Christopher, bate bem forte, bem gostoso vai... – Gemeu

- Você não tem limites! – Disse ao se afastar caminhando o mais rápido que pode.

- Corre covarde! – Ria ao segui-lo pelo corredor.

Maldita, esse vicio não tem fim.

Eu a desejo profundamente e cada partícula do meu corpo se acende ao vê-la, ao toca-la.

Ela sabe meu ponto fraco, ela ataca onde sabe que vai doer.

Ela sabe que odeio Tom, e que só de imaginar ele tocando em seu corpo, me deixa louco.

Louco de ciúmes, raiva e tezão.

Preciso me afastar de uma vez dela.

Quando cheguei ao setor de controle das máquinas ela me alcançou, e mais uma vez me agarrou e pós contra parede, colocando suas coxas entre minhas pernas pressionando meu pau, me deixando sem ar, estava prestes a gozar ali.

Seu sorriso perverso me mata.

- Fecha o close na maldade... que hoje eu vou pegar você! – Riu – Baby.

- Já chega, isso está me irritando! – Disse bravo.

- A mim também baby,já vou deixar você em paz! – Olhou em seus olhos.

- Que bom! – Suspirou

- Mais antes, quero te pedir uma coisa! – Sua voz soou sensual.

- O que? – Disse ofegando.

- Quero que me beije pela última vez! – Sussurrou em seus lábios.

Não espera por isso!   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...