História Dominação - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Lyra-Sugar

Visualizações 205
Palavras 5.984
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Helloooowww gentey bonita e gostosa do meu Brasil sil sil!
Estamos com mais um capitulo fresquinho para vocês, aqui tudo será narrado pela visão da Miya.
Queremos agradecer a todos os comentários e favoritos de nossa fanfic, estamos muito felizes com a execução desse projeto que nos dá um prazer enorme de escrever.

Sugerimos que coloque a musica tema da fanfic no youtube para se deliciar com o capitulo.
Buttons - The Pussycat Dolls

Lembrando que: "É importante que todos saibam que as praticas feitas por Miyako não são permitidas sem a autorização da outra pessoa, inclusive se a casa a qual ela faz parte tomasse conhecimento disto ela seria expulsa e não seria mais reconhecida como praticante de BDSM.
BDSM avançado pode ser considerado agressão e tortura se praticada sem permissão.
Lembrem-se que isto é mera ficção, se quiserem fazer algo do tipo conversem com seu parceiro(a) procure por praticas para iniciantes e principalmente lembre-se de que TUDO É UM JOGO DE PRAZER MUTUO!"

Boa leitura e esperamos que vocês gozem muito!
Kisses ;********
~LadyBriefs


P.S: Leiam as notas finais, lá temos um recadinho mais do que especial <3

Capítulo 5 - Chapter five: A queda do imperador


Típico, Dificilmente você é do tipo que me apaixono

Eu até estou gostando dos amassos

Não me deixe pedindo por mais

Sou uma garota sexy

Que sabe exatamente como conseguir o que quer

E o que quero é te fazer

Retirar as coisas que você disse

[Buttons - The Pussycat Dolls feat. Snoop Dogg]

 

 

Miyako Pov

Ok senhor imperador, então vai ser assim. Aparentemente Kaiser-sama é indomável chegou ao seu terceiro orgasmo da noite sem nem ao menos conseguir tudo aquilo que tanto anseia, suportou toda a dor das minhas torturas mantendo a pose de superior. Senti que se rendeu aos toques e caricias pelo seu corpo, até mesmo gemeu meu nome, se entregou e desfrutou dos meus beijos, mas não quis pedir por mim. 

Obvio que eu ainda tinha formas mais apelativas de fazê-lo se dobrar. O grande imperador não ia querer ter seu orgulho esmagado mais ainda virando mocinha em minhas mãos não é mesmo? Claro que o pica das galáxias, o dono da porra toda, todo poderoso, Negan do Mundo Digital não ia querer virar ovelhinha. 

Agora estou aqui novamente deitada sobre seu corpo desfrutando de seus lábios macios. Que beijo delicioso... Ele gemendo na minha boca enquanto rebolo torturantemente sobre sua masculinidade. Ergo meu tronco apoiando-me sobre os joelhos e tomo seu pênis pulsante em minhas mãos começando a deslizar sua glande pelos lábios íntimos e pelo clitóris gemendo erótica para ele. Ai Kami que membro delicioso quase não resisto e enterro com vontade, já estou louca torturada também com isto tudo. Começo a me masturbar com seu órgão o vendo se contorcer sem conseguir mais conter os gemidos. 

– Vamos carneirinho se rende! Você quer tanto, vai ser tão delicioso... – Proponho entre gemidos, minha intimidade estava em chamas à vontade de engolir tudo aquilo era imensa. 

– Nunca... – Afirma entre gemidos condenadores, tudo o que mais queria era que ele largasse de ser orgulhoso e se rendesse como tanto quer. Na mesma hora sentaria com força  sentindo tudo até o talo e rebolaria com vontade o fazendo gritar de prazer. 

– É sua ultima chance imperadorzinho... Ahh... – Gemo tão alto e de forma tão erótica que seu corpo mesmo exausto das minhas torturas encontra forças se erguendo com sua pélvis contra minha vulva de forma tão repentina e agressiva que minha cavidade envolveu a glande. Quase deixei todo o plano para trás deslizando gostoso, o vejo enlouquecendo cerrando os olhos rangendo os dentes louco de vontade... Mas não posso me deixar levar pela vontade, busco forças para recuar e recebo uma cara emburrada em resposta. 

– Ahhh desgraçada... – Bufa indignado com minha ação. Por Kami, como pode resistir tanto assim? Se ele se rendesse as coisas seriam bem mais fáceis, porém estou percebendo que está chegando ao ponto de implorar. 

– Ultima chance carneirinho vamos não se torture mais peça por mim! – Segurei e deslizei a glande pelos encharcados lábios íntimos. Ahhh... Vamos carneirinho, não aguento mais ter que te torturar, estou prontinha e louca para te engolir, te sentir queimando dentro de mim. 

– Nunca... – Respondeu entre os dentes. Soltei seu membro e uma só vez e sai de cima de seu corpo. 

Bufo irritada. Inferno! Estou subindo pelas paredes, preciso transar e esse noob não está facilitando as coisas! Ok já que é assim, vamos apelar mais um pouquinho. Desliguei a musica, arranquei as fitas de led e liguei a iluminação normal de seu quarto. Caminho em direção a minha mochila pegando o meu celular, o colocando em cima de uma cômoda no modo de gravação, afinal por nada vou perder de gravar esse espetáculo: a queda do imperador do Digimundo.

É, vamos ao ultimo recurso da noite e espero sinceramente que agora ele se renda. Pego a cinta com o enorme pênis de borracha e um pouco de lubrificante, até porque sou muito boazinha. 

Paro ao lado de sua cama por alguns momentos me divertindo com as expressões de confusão desenhadas em seu rostinho corado, em seguida arranco a venda de seus olhos e o permito vislumbrar todas as marcas da nossa noite inesquecível, me divirto com sua expressão de horror e indignação. Oh, que peninha do lobo mal! 

Seus olhos correm em minha direção, em cada cantinho da minha pele parecendo estudar alguma coisa, sinto meu corpo queimar, sei que quer devolver as marcas que lhe deixei, mas querer não e poder gatinho convencido e a surpresa da noite começa agora. 

– Vamos fazer algo mais interessante agora Ken-chan?! – Falo num tom de voz debochado e ele faz uma expressão confusa e amedrontada? Não meu querido... Sou apenas uma ovelhinha ora essa. Rio em pensamento. 

Seus olhos acompanham meus movimentos, subo sobre a cama e me coloco entre suas pernas, que estão presas bem abertas para mim, que constrangedor Kaiser-sama! 

Acaricio lentamente toda a base de seu pênis, massageio a região pubiana com as pontas dos dedos empregando toda suavidade em seus testículos e ele começa a relaxar. Hum, parece que a ovelhinha está baixando a guarda novamente... Interessante... Um sorriso malicioso se desenha nos meus lábios. 

Abro o lubrificante perfumado com aroma de morango e passo em meus dedos, que tal brincar de DJ um pouquinho?! Vamos começar a festa! O pobrezinho ainda está confuso enquanto massageio toda a região do períneo, vejo seus músculos se contrairem, está apreensivo.

É agora! Penetro de uma vez meu dedo embebido em lubrificante para dentro de seu anus e ele se debate esbravejando. 

– O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO SUA VADIA, LOUCA, DESGRAÇADA? – Berra se debatendo enquanto que eu apenas solto uma gargalhada deleitosa e o toco mais e mais fundo com mais força explorando seu ponto sensível. 

Vejo suas ofensas agressivas saindo entre gemidos que falhava em conter, gargalho mais com a situação deplorável que se encontra. 

– Então é assim que você gosta não é? Me responda quem é a ovelhinha agora? Está gostoso não é? Foi isto que fez comigo hoje cedo e eu vou retribuir direitinho "ovelhinha". – Debocho tocando mais fundo, o fazendo delirar com essas caricias. 

– Você é louca... Para com isto eu exijo... – Fala entre gemidos condenadores. Ah querido, para de se fazer, pois sei muito bem que está gostando! 

– Exige é? Com este tom tão comprometedor imperador? – Sorrio debochada fazendo com mais intensidade deixando-o louco de prazer e seu orgulho completamente ferido. – Eu vou te mostrar que não está em posição nenhuma de exigir nada e vou te transformar em uma mocinha, uma ovelhinha! 

Ergo meu tronco girando em direção à mesa pegando cinta colocando-a. Regulo as amarras para deixar os movimentos de suas pernas flexíveis. Volto para posição de antes para lhe mostrar, se é mesmo tão durão quando tenta parecer. Quando seus olhos pararam no instrumento prontamente lacrimejaram, quase tive pena, o tom arrogante muda para um sussurro e aproveito para gargalhar diabolicamente. 

– M-M-Miyako-san o que vai fazer? – Questiona apavorado pobrezinho, seu corpo estava tremulo. 

– Te transformar em minha ovelhinha oras! – Dou de ombros falando como se fosse alguma coisa obvia. 

– P-P-por favor, não faça isto! – Implora finalmente, aplausos para o grande Digimon Kaiser! 

– Hmm agora decidiu ser bonzinho... Por favor, o que? – Debocho de seu desespero sorrindo insanamente. 

– Inoue-sama, por favor... – Ah mais... Ainda bem que estou gravando tudinho, pois se eu contasse Mimi-chan não acreditaria! 

– Acho que não ouvi direito! – Aproximo minha mão da orelha sugerindo que repita a frase, que sensação deliciosa! Ansiava demais para escutar essas palavras vindas de sua boca. 

– Por favor, Inoue-sama! – Levo o indicador sobre os lábios fazendo um biquinho de indecisão. Quero mais meu carneirinho, ainda não estou satisfeita. 

– Ainda não me convenceu... – Tripudio com gosto mesmo! 

– Por favor... Por favor, Inoue-sama o que mais você quer de mim já estou te implorando para com essa loucura agora eu liberto seus parceiros e... –Que desespero maravilhoso Ken-chan! Isto está me deixando muito excitada implora mais que eu gosto. Melhor do que isso são lágrimas de pânico e humilhação correndo pelo seu rosto. 

– Vamos ver... – Retiro a cinta colocando-a sobre a cama, o vi respirar aliviado. Engatinho até seu rosto posicionando minha intimidade contra ele. Vamos dar uma colher de chá para o carneirinho. – Vou te dar uma chance, sei que você é noob e nunca fez isto antes, mas se você me chupar bem gostosinho e me der um orgasmo maravilhoso eu posso até pensar no seu caso e não usar aquele brinquedinho! 

Sem lhe dar tempo de resposta pressiono minha feminilidade contra sua boca que, foi ferozmente atacada por sua boca faminta. Ele está se dedicando como um bom menino, explorando cada cantinho. Por fora, sobre e entre os lábios massageia e dá leves sugadas em meu clitóris me deixando louca. Gemo alto ao ser invadia por sua língua quente e gulosa simulando estocagens. Que delicia, agora mais do que nunca quero sentar bem gostoso em seu membro lhe sentindo bem fundo. 

– Isso vai enterra gostoso... Enterra mais fundo... – Cada gemido é pedido que faço a ele, que por sua vez enlouquecia sugando e penetrando com mais vontade. – Isto chupa todinha carneirinho... Assim que eu gosto... Delicia... – Quando sua língua passa em um ponto perfeito, enlouqueço completamente rebolando em sua boca gemendo escandalosa. – Isto assim... Assim delicia... Que boquinha deliciosa Ken-chan! – Grito, rugindo e estremecendo toda sentindo a turbulência em meu baixo ventre a queimação em minha intimidade. Minha vulva se contrai vibrando e se derramando toda em êxtase naquela boquinha inexperiente do grande Digimon Kaiser, o flagelo do Mundo Digital. 

Sem me dar conta prendo seu rosto com força entre as minhas pernas. Que orgasmo delicioso, meu Kami! Poderia dizer a ele que foi divino e maravilhoso, que para um noob inexperiente soube fazer com maestria o serviço e finalmente poderia me satisfazer por completa atolando minha intimidade em seu pênis. Mas... Não vou fazer isso... Não vou ser boazinha, olha todas as maldades que fez para nós e os digimons?! Se acha que vou deixar barato, está enganado! Ah, eu quero ver a sua cara de sofrimento, sentir toda a dor que nós sentimos ao ver os nossos digimons sendo covardemente atacados, capturados e presos como escravos naquelas celas. 

– Hum... Assim que eu gosto... – Declaro ofegante me recuperando do delicioso orgasmo que me proporcionou e sai de cima de seu rosto o deixando respirar. Seu rostinho está todo suado e corado. Sua boca busca o ar com muita dificuldade. Oh pobrezinho é difícil eu sei... Eu sei, mas vai piorar. – Porém você foi um menino muito levado essa noite e me deu muito trabalho... – Me deito sobre seu corpo depositando um selinho carinhoso em seus lábios para distraí-lo enquanto minha mão alcançava a cinta com o enorme pênis de borracha. – Então olha bem pra isto Ken-chan... – Ergo a cinta exibindo-a e faço a mesma coisa com meu tronco colocando-a novamente, vi seus olhos embaçando-se de pavor. – Vou enfiar em você com força, muita força e te rasgar todinho te fazer de minha ovelhinha pra você nunca mais me faltar com respeito. 

– O QUE? Não... Não... NÃÃÃÃOOOOOOOO... – Ele berra alto como se o ar saísse de seus pulmões. 

Posiciono-me entre suas pernas segurando-as com força, Kaiser tenta se debater e me empurrar com as mesmas, mas não preciso de muito para dominar seu corpinho exausto pelas minhas torturas. A cena me daria pena se não fosse tão divertida, eu já estou completamente excitada só de vê-lo assim em desespero. 

Tive a nobreza de passar o perfumado lubrificante pelo membro acoplado à cinta enquanto ele implora como um bebezinho, ou melhor, como um verme inútil como gosta de nomear a todos. 

Posiciono o membro em sua cavidade anal e o penetro de uma só vez, impiedosamente rasgando-o com vontade e ele soltou um urro de dor que deve ter ecoado por toda a base. Está feito seu corpinho virgem foi invadido até o talo, jogo meu tronco sobre o seu tendo perfeita audição de seus gemidos de dor. 

– Não é verdade isto não pode estar acontecendo! – Choraminga com a voz afetada pela dor, as lágrimas rolam sem controle por sua face avermelhada. Começo a estocar com força o vendo se contorcer e choramingar, praguejar me ameaçando de todas as formas. – Maldita, desgraçada vai se arrepender muito disto! – A sua voz está falha, as palavras saem entrecortadas que eu atolava mais forte que podia. 

Minha ovelhinha tanto implorava para parar, quanto se lamenta por seu destino e me ofendia ameaçando. E para sua surpresa o prazer começou a abatê-lo, sim o prazer mais humilhante e indesejado de toda sua vida, via sua preciosa masculinidade morrer com a violência das minhas estocadas e os gemidos de prazer que começaram a condena-lo. 

– Está gostosinho minha ovelhinha? – Questiono ofegante observando suas expressões faciais. Ele não está em condições de me responder, a mistura de dor, prazer e muita humilhação o deixam sem voz. – Vamos diga alguma coisa, sorria para as câmeras! – Não tinha como descrever sua expressão ao ouvir tais palavras, parecia ter entendido que perdeu o jogo e agora pertencia a mim totalmente. 

Não sei ao certo decifrar quando em meio a essa loucura ele se rendeu silenciosamente se entregando as novas sensações. Tenho curiosidade em saber o que se passava em sua mente insana naquele momento. Quanto a mim estou em êxtase vitoriosa lhe apresentei a dor, ri do seu desespero arranquei sua ultima gota de orgulho em frente às câmeras, o vi derramando lágrimas de ódio e humilhação, soltando gemidos traiçoeiros de um prazer avassalador que preferia morrer do que está provando. 

Sinto que seu corpo está ficando em ânsias de se aliviar, indícios de seu orgasmo chegando molham minha barriga. Ele não me encara, seus olhos estão fechados se deleitando com as sensações proporcionadas. É difícil reconhecer que perdeu, eu entendo! Ergo meu tronco um pouco tomando seu membro em minha mão o masturbando no ritmo das minhas estocadas e seus gemidos se tornam surpreendentemente escandalosos. Delicia, está completamente entregue, já não faz nenhum esforço para se conter e isto era maravilhoso. 

A questão é que não é somente ele quem está sentindo prazer, mas eu também. Minha intimidade jorra fluidos a cada estocada que dou e para completar estou a beira de mais um orgasmo. Continuo intensamente e com firmeza os movimentos enquanto estimulo seu pênis com as pontas dos meus dedos. Sinto que seu corpo entra em espasmos novamente, se contorcendo e arqueando todinho derramando seu orgasmo furioso sobre meus dedos. Seus lábios emitiram um uivo bem alto como se fosse um lobo. 

Deito meu tronco sobre ele sentindo seu corpo tremulo aos poucos se recuperando, seu coração está completamente acelerado e, quando se normalizou retiro o membro de dentro dele e desço da cama. 

Retiro a cinta higienizando o membro com álcool, em seguida com lenços umedecidos limpo vestígios de seus fluidos em meu corpo, faço o mesmo com seu membro e parte de sua barriga. Kaiser está imóvel com os olhos bem fechados sem pronunciar uma única palavra. 

A experiência parece ter mexido muito com ele! Mas... Quem disse que acabou? Pego uma garrafa com água colocando-a em sua boca, afinal preciso hidratá-lo após esse turbilhão de emoções vividas. Ele toma o liquido sem questionar. Pego minha escova de cabelo e penteio seus cabelos desgrenhados assumindo o penteado que usava no mundo real. Ando até a mesa e pego um vibrador, o forço a abrir a boca enfiando o mesmo. Perfeito! 

Pego meu celular trocando o modo filmadora para a câmera de fotografias e aproveito para tirar várias em diversos ângulos. – Essas serão as melhores fotos que o Japão já viu do "gênio, prodígio, orgulho japonês". – Ironizo, mas não obtive nenhuma reação. – Vamos Ken-kun não pode ser tão ruim assim. Eu só sinto pena dos seus pais, suas fã girls. O país mobilizado com seu desaparecimento e fotos e filmagens comprometedoras sendo lançadas na net que lastima. Prontinho, agora só enviar o espetáculo da noite para Mimi-chan e caso você não liberte nossos parceiros vai ficar famozinho na internet, olha já estou imaginando a cara de deboche do Daisuke quando ver você neste estado! 

Depois de varias fotos e provocações retiro o vibrador de sua boca, ele se manteve calado nenhum resmungo, ofensa e pergunta. Parece bem traumatizado, quase senti pena. Já nem se importa com meus movimentos pelo quarto, mantêm os olhos fechados. Creio que também esta bem esgotado seu corpo se encontra na mesma posição desconfortável há muitas horas, sofreu quatro orgasmos e todas as minhas torturas fora danos psicológicos. Então está quase adormecendo, perdendo a consciência, mas as lágrimas ainda escorrem por seu rosto. 

Observo seu corpo completamente marcado pelas brincadeirinhas, seu rosto ferido pelas chicotadas e a marca do salto da minha bota, mesmo assim ainda era uma face tão meiga, como pode?! Noto que os travesseiros sob sua cabeça estão meio molhados devido à água que joguei em seu rosto anteriormente. Ando pelo quarto vasculhando o guarda roupas buscando outros travesseiros, uma manta quentinha talvez. Não demorei a encontrar o que procurava. 

Retiro a coleira de seu pescoço e ergo sua cabeça trocando os travesseiros. Ajusto as correntes que prendiam seus braços e pernas para dar um pouco mais de movimento a fim de aliviar o desconforto daquela posição. Observo as palmas de suas mãos feridas de tanto cravar suas unhas. Uau! São quase duas da manhã e nos divertimos demais. 

Desligo a iluminação deixando apenas a meia luz do abajur, pego uma barra de chocolate que trouxe e abro começando a comê-la faço com que ele coma também. Deito-me sobre seu corpo tremulo, a madrugada está bem gelada, sua pele completamente fria e arrepiada. 

Colo nossos rostos e sinto suas lágrimas quentes. – O que? Ah para de drama nem foi tão ruim assim. Você gozou tão gostozinho e se está preocupado com a filmagem e as fotos fique tranquilo, ninguém vai ver só se você não cumprir o acordo é claro! – Mas ele não responde, soluça algumas vezes, funga como uma criança que apanhou muita da mãe e isto é muito fofo. – Pode dormir você está muito cansado e não se preocupe, quando acordar eu já terei ido embora e você pode fingir que foi apenas um pesadelo. 

Senti uma abrupta reação quando disse a ultima frase. – Eu não... Não vou dormir! – Sussurra quase inaudível, a voz rouca e afetada. Opa impressão minha ou isto foi um pedido camuflado para que eu não vá embora ainda. 

– Hmmm pensei que não fosse mais falar comigo... – Ergo minha face beijando seus lábios, esperando que me mordesse, cuspisse em mim algo do tipo, obvio que teria mais punições se o fizesse, tudo isso por ser tão teimoso. Mas não fez nada disto então aprofundo o beijo afundando minha língua em sua boca buscando a sua contornando-a. A sugo gemendo bem manhosa e para minha surpresa recebi um gemido de volta. 

Sério mesmo? Eu domei a fera é isto? Para o mundo! Eu poderia ter ido embora já tinha tudo o que eu queria tudo filmado, gravado e com certeza no dia seguinte teria meu parceiro e os outros de volta, mas... Eu não quero, a verdade é que quero senti-lo dentro de mim, nem os orgasmos que tive me tocando com o vibrador, nem o que ele me proporcionou com oral me deixaram satisfeita, quero sentar gostoso e desfrutar aquela delicia toda. 

Era obvio que eu não diria, mas me dediquei a fazê-lo entender naquele beijo, estava delicioso! Confesso que vai ser difícil esquecer essa boca gostosa meu Kami! Quando ar nos faltou deslizei meus lábios para sua orelha, a contornei com a língua , mordi o lobolo falei coisas pervertidas arrancando gemidos, desci para seu pescoço enquanto acariciava suas coxas subindo pelas laterais de seu corpo, já sentia seu membro começando a pulsar contra minha intimidade. Será que agora vai pedir por mim uma vez que já jogou seu orgulho fora e me implorou como uma mocinha chorando por sua honra. Só tinha uma forma de saber, tentando. 

Dedico-me a minha missão, nossos corpos estão tão quentes que manta foi jogada para o lado, meus lábios percorrem pelo seu corpo novamente passando pelas marcas malvadas que deixei. Cada pedacinho, cada cantinho vendo ele se contorcer novamente e gemer, desta vez de forma bem deliberada sem tentar conter esconder seu prazer ou conter suas expressões, era definitivamente meu já não faz nada para lutar contra. 

Desço minha boca pelo seu tórax e abdômen, corro com minha língua por suas coxas deslizando por sua virilha brincando com ela em seus testículos, para em seguida os sugar intercaladamente, me deliciando com os gemidos sonoros e despudorados. Ouço meu nome uma, duas ... Varias vezes. Fico um belo tempo naquela tortura em seguida me ajoelho entre suas pernas segurando seu membro pela base... Que delicia já estava duro feito pedra, pulsando louco por cuidados especiais, passo a língua pela glande e paro olhando dentro dos seus olhos índigos que observavam ansiosos o próximo movimento. 

– Você quer? – Pergunto provocante e ele assentiu com a cabeça. – Sabe como deve me pedir. – Passo a língua mais uma vez e ele geme pendendo a cabeça para trás. 

– Por favor! – Uau! Ele realmente me pediu isto é incrível! Pediu de forma deliciosa com uma vozinha quase chorada em meio a um gemido maravilhoso. 

– Por favor o que? – Ok eu estou me abusando da sorte, mas não posso evitar, para incentivá-lo mais, lambi com vontade.

– I-Inoue-sama, por favor! – Aquilo foi demais saiu completamente desesperado, envergonhado talvez, não sei explicar, mas por mim ele receberia o melhor oral de sua vida merecidamente. 

Olho dentro de seus olhos e passo a língua pelo lábio. – Bom menino... Eu vou te recompensar com muito, mas muito prazer! – Dito isto abocanho seu pênis delicioso o sugando com vontade. Sinto seu corpo todo vibrando com o contato, ouvindo um gemido alto deleitoso de seus lábios. 

Quem disse que a diversão acabou meus caros, ainda tem mais... Muito mais... 

O retirava da boca lambendo e dando sugadas por toda seus extensão enquanto declaro o quanto era delicioso, robusto, o quanto estava ansiosa para senti-lo todinho dentro de mim, voltava a engolir quase todo sentindo-o fundo na minha garganta, seus gemidos ecoando cada vez mais escandalosos. Paro diversas vezes ao notar que está perto do seu limite mordo e sugo suavemente a região pubiana traço círculos por sua virilha, brinco mais uma vez com seus testículos em minha boca intercalando-os. Repito essa tortura deliciosa varias veze e volto a sugá-lo levando-o a loucura, mostrando o que estava perdendo. 

Quebro a brincadeirinha e deslizo meu corpo sobe o seu, busco seus lábios e recebo um beijo extremamente faminto, nossas línguas se enroscam vorazes enquanto nossos sexos se atritam completamente molhados ardentes se atraindo como imã. 

O sinto ficando impaciente arqueando seu quadril contra minha intimidade aumentando a fricção. Libero seus lábios e fito seu rosto. 

– Peça.– Ordeno só para ouvi-lo pedir, minhas paredes intimas latejam e ardem de vontade engolir seu pênis delicioso. 

– Por favor... – Sussurra entre gemidos. 

– Am? – Lambo sua boca como uma gata selvagem 

– Deixa eu te sentir por dentro, enterrar fundo no seu corpo... – Engasga com certa quantidade de saliva, mas completa a frase do jeitinho que eu queria. – Por favor, Inoue-sama! 

BINGO! Era tudo que eu precisava ouvir imperador! O beijei avidamente quase roubando todo ar de seus pulmões e me posicionei vitoriosa e ansiosa, sobre seus quadris, segurei seu membro com firmeza finalmente me auto penetrando. 

Minha entrada engoliu a glande enquanto seus olhos brilhavam acompanhando todo o movimento, deslizei com tudo senti seu membros entrar rasgando queimando, seu entorno sendo esmagado pelas paredes lubrificadas escorregadias. Gememos ao mesmo tempo! Meu Kami que sensação deliciosa é essa? Meu corpo todo vibra com a invasão. Fico em êxtase paralisada após sentar com força engolindo tudo até a base. 

– Meu Kami... De-li-ci-o-sa! – Exclama de uma forma tão sincera que me deixa ainda mais excitada como se fosse odivelense. 

– Deliciosa é? – Pergunto erótica e dou uma rebolada abrangente e deliciosa e ele revira os olhos com a boca aberta sem condições de responder. 

Rebolo vagarosamente mais algumas vezes fazendo-o engasgar com a própria saliva, é delicioso apreciar suas reações, delicioso senti-lo assim fundo dentro de mim, cada rebolada forte estimula toda minha vulva meu clítoris que se atrita contra seu púbis misto a toda lubrificação, seu pênis escorrega canto a canto dentro da minha intimidade chegando a doer meu baixo ventre. Gemo tão escandalosa quanto uma atriz pornô apreciando cada deslocada de quadril que dou, mas ele quer mais,precisa de mais, também preciso, mas quero ouvir seus apelos. 

– Vou morrer assim... – As declarações saem inconscientes. – Senta com mais força por favor! 

Olha quem diria, gosto de como isto soa! Travo meus movimentos e me deito sobre ele, beijo sua boca lascivamente, me divirto ao notar seu quadris forçando os movimentos de seu órgão dentro de mim. Libero seus lábios e abocanho sua orelha mordendo-a e sussurrando dando a ele o movimento de quadris que tanto deseja. 

– Quer uma cavalgada bem gostosa é? 

– Eu quero, quero muito... Cavalga gostos pra mim, cavalga com força com muita força... Eu preciso! – Uau, confesso que me surpreendi, mas gostei, gostei muito, tanto que o beijei novamente rebolando, sugando sua língua, gememos na boca um do outro perdidos naquele contato delicioso. 

Atendendo seus desejos começo a subir e descer em seu membro com o tronco ainda inclinado sobre ele respirando em sua boca, mas sem empregar tanta força somente sentindo entrando e saindo me matando de prazer e quando precismos de mais impacto apoio minhas mãos em seu peito e começo a cavalgar com mais força e... Ai delicia meu Kami! Era tudo que eu queria, dou tudo de mim sentando com muita força me sentindo rasgada, dilacerada, e querendo muito mais. 

A cama range e nossos gemidos se misturam, noto como fica enlouquecido. 

– Aii sua demônio dos infernos! Isto assim é disto que eu to falando senta com força... – Sua voz saia esganiçada de prazer, frases e palavras confusas sem sentindo. – Sua desgraçada deliciosa senta gostoso acaba comigo de todas as formas! – Ah meu gatinho, mas claro que eu vou!

– Eu vou acabar com você mesmo vou arrancar cada gotinha de gozo existente neste seu corpinho delicioso. – Desfaço o encaixe e ele bufa frustrado, me viro de costas e volto a sentar bem gostoso começando a cavalgar novamente, ele continua a falar milhares de coisas sobre bater na minha bunda, me puxar pelos cabelos. Fico naquele movimento por mais algum tempo depois volto a posição inicial. 

Subo lentamente e desço escorregando devagar fazendo-o se desesperar para que eu faça mais rápido, seus olhos se apertam, reviram, embaçam em um misto de loucura total de repente se focam nos movimentos dos meus seios, morde o lábio inferior, quando percebo seu desejo começo a provocá-lo apertando-os, molhando os dedos e passando pelos mamilos, apertando as laterais os juntando. 

– Me solte dessas corrente e me deixa te comer direito! – Kaiser puxa saliva como lobo faminto me pedindo.

– Ow mais não está gostoso assim? – Me faço de ofendida parando o movimento. 

– Gostoso? Por Kami garota você está me levando a loucura, mas eu preciso te tocar chupar estes seios deliciosos balançando na minha frente aiiii isso é tortura! – Falou entre os dentes. 

Seguro meus seios pela lateral os juntando olhando para eles. – Não tem chances de eu te soltar carneirinho... Na-na-ni-na-não! – Ele arfa desesperado sedento para suga-los. – Mas posso colocá-los na sua boquinha, você quer muito? – Balanço e aperto enterrando meus dedos nos montes macios, sua reação é a melhor. 

– Sim quero, quero muito! – Hum bom menino assim que eu gosto.  

– Palavrinha mágica? – Não perco a chance de exercer o poder. 

– Por favor! – Suspira aborrecido. 

Desfaço o nosso encaixe e deslizo meu corpo sobre o dele colocando meus seios frente a seu rosto, ele se afunda esfregando sua face, lambe e morde os montes macios entre palavras desconexas em seguida toma um em sua boca sugando deliciosamente fazendo meu corpo reagir. Não me contenho puxo seus cabelos gemendo escandalosa e ele solta meu seio tentando me convencer. 

– Me solta daqui vou explorar seu corpo todo cada cantinho te dar muito prazer... Vamos não farei nada demais você tem material comprometedor a meu respeito lembra-se. Me solta deixa eu te comer com força e te mostrar o que posso fazer. 

– Hmm a proposta é tentadora, mas lamento dizer que essa noite eu não sou sua você que é meu e nada de sair das correntes meu bebe, agora cala a boquinha e chupa gostosinho que essa sua boquinha me enlouquece! 

Ele foi muito obediente e sugou bem gostoso espalhando sensações maravilhosas por todo meu corpo, em resposta voltei para posição anterior sentando sobre seu pênis novamente engolindo-o completamente me deliciando com seus gemidos, me concentro em cavalgar gostoso me sentindo cada vez mais lubrificada, precisava disto, precisava muito que delicia! Meu corpo já está completamente suado, sinto meus cabelos grudados em minhas costas, mas nada me impede de continuar sentando com força. 

O sinto ficar impaciente e reclamo. – Não se atreva a gozar. Você teve três orgasmos essa noite baby e isto já é uma quantia considerável, então se controle primeiro as damas! 

– Três orgasmos e nenhum deles foi com você sentando gostoso deste jeito.Não sei se posso segurar. – Choraminga com voz afetada. 

– Se gozar vou punir você com muita dor pelo resto da noite! – Alerto autoritária. A verdade é que não estava muito longe de chegar ao meu clímax, mas ele parecia muito mais próximo, vi sua expressão de quem pedia a Kami para que eu chegasse logo ao meu orgasmo me divirto ao ver sua agonia. 

Na verdade ele precisava descansar com urgência eu sei disto muito bem,mas nem ligo, ainda tenho planos malvados para o resto da noite. 

Cavalgo com intensidade me deliciando com a invasão, quero mais rápido e mais fundo, poderia cavalgar para sempre nesta delicia, mas meu orgasmo começa a dar os primeiros sinais e a queimação vai aumentando, aumento a velocidade assim como os gemidos, ouço sua voz chamando por mim com um pouco de desespero.

– Assim eu não posso... Não consigo! 

Não estou em condições de responder, sem folego, sem fala, meu corpo em ebulição, a queimação aumentando até que me sinto abatida por um orgasmo fantástico, maravilhoso que me arranca quase um grito, minhas paredes convulsionam apertando seu pênis contraindo em espasmos em se entorno fazendo com que ele também se derramasse emitindo um alto gemido aliviado. 

Caio exausta extasiada sobre seu peito, realizada, saciada ao menos por enquanto. 

Deixo nossos corpos relaxarem e desfaço nosso encaixe, mas continuo deitada ao seu lado. O frio da noite começa refrescar nossos corpos, nossas respirações se regularizam. 

Alguns minutos de silencio e descanso se passam e ergo meu tronco para encarar seu rosto, pobrezinho está exausto, mas também quatro lindos orgasmos e as lutas contra minhas brincadeirinhas, tem mesmo que estar assim. Seus olhos estão se fechando lentamente, noto o esforço que faz para se manter acordado, mas este é em vão. Beijo sua boca,mas ele não consegue corresponder sendo abatido de vez pelo sono. 

Desço da cama e me higienizo com lenços umedecidos que sempre carrego por precaução, faço o mesmo com sua masculinidade, embora ele nem se dê conta. 

Abro minha mochila pego algumas barras de cereal e chocolate, uma garrafa de energético, como o cereal e o chocolate e bebo meia garrafa de energético, na outra metade dissolvo "um remedinho" para animar o coleguinha, afinal quatro orgasmos já é épico, mas eu disse que daria a ele o que ele queria e de forma inesquecível, então este resto de noite vamos brincar muito ainda. Sei que estou sendo meio louca que ele precisa dormir, descansar, que isto é tortura demais,mas ele quem quis assim, além disto eu quero gozar mais, me julguem! 

Primeiramente vou ao banheiro após usá-lo olho minha arte no espelho e rio sapeca, volto para o quarto e pego um vibrador, pego a garrafa de energético e balanço bastante,me direciono até meu carneirinho e ele dorme tranquilamente. 

Acaricio seu rostinho de bebê indefeso, corro os dedos por seus cabelos sedosos, tão lindo e tão malvado! 

– Ken-chan!– Chamo ao seu ouvido, mas ele não acorda.– Ken-chan acorda pro segundo tempo! – É mais difícil do que eu pensava. Beijo sua boca mordiscando seus lábios e ele abre passagem para minha língua, corresponde o ato de forma fraca e sonolenta. 

Quebro o beijo e levanto sua cabeça pela nuca, seus olhos semi abertos quase me dão pena, mas só que não.

– Você precisa se hidratar, bebe isto meu gatinho! – Falo carinhosamente fazendo com que beba o energético. 

O pobre carneirinho bebe tudinho morrendo de sede, agora a coisa vai ficar quente. 

Coloco a garrafa no lugar e volto para cima da cama, deixando nossos corpos rentes,o puxo pelos cabelos e beijo sua boca... Em segundos o sono parece passar completamente, seus olhos se arregalam e seu membro fica extremamente ereto. 

Ele fita confuso, mas não pergunta nada, solto uma gargalhada sonora e ele parece entender tudo. 

– O que você me deu para beber? – Pergunta espantado. 

– Nada demais só uma coisinha para você cumprir sua promessa de me comer a noite inteirinha. – Sem perder tempo me posiciono sobre ele voltando a atolar seu membro em minha intimidade encharcada...Oh baby você vai me fazer gozar demais essa noite, mas amanhã não vai ser nada, talvez não seja pelo resto da semana. 

Eu cavalguei como uma ninfomaníaca sedenta o ouvindo gemer me chamar de louca e de varias coisas as quais nem me lembro, minha concentração está toda em gozar, gozar e gozar intensamente, quero minha vulva vermelha, dolorida, inchada, meu corpo exausto, mas essa noite tenho Kaiser-sama como meu brinquedinho sexual e como disse vou extrair cada gota de gozo dele. 

Cavalgo com tudo que tenho parando apenas para beber água, em seguida retorno continuando a função, chego ao meu orgasmo várias vezes, mas não estou satisfeita. Sorrio vitoriosa quando ouço seus apelo para descansar. 

– P-por favor precisamos descansa. – Declara em um sussurro fraco, sem forças nem para gemer mais. 

– Descansar, nada disto o efeito do remedinho que te dei acaba daqui ha duas horas e até lá gatinho você vai me divertir muito! 

Nada se compara a este momento, o grande Kaiser pedindo pra parar, não é irônico? Mas parar realmente esta fora de cogitação. Quando minha vulva já arde tanto que o atrito se torna insuportável, dou alguns minutos de alivio para meu carneirinho, só enquanto vou ao banheiro fazer uma higienização básica para pratica de anal e retorno pronta para vencer o tempo de duração do remédio. 

Kaiser está chocado, estupefato, seus olhos transmitem medo e horror e eu me divirto. 

Quando finalmente ele chega ao seu orgasmo, desta vez cai em um sono profundo, obviamente também estou exausta, mas não posso me dar ao luxo de descansar. 

Vou para o banheiro e tomo um banho gelado, meu corpo está todo dolorido vou precisar de um café da manhã mega reforçado, analgésico e cama, mas valeu o esforço até que me diverti. 

Volto para o quarto e Kaiser continua na mesma posição, limpo sua masculinidade e o cubro com a manta quentinha, a manhã está gelada como a madrugada. 

Arrumo toda minha bagunça e visto minha roupa de ovelhinha, abro as algemas e o liberto, ligo seu notebook e digito as coordenadas da minha casa. 

Respiro fundo, beijo seus lábios a ultima vez com certeza depois desta noite vai ter medo até de pensar em mim, sorrio com o pensamento, mas que ele é gostoso isto é! 

Missão cumprida me posiciono frente ao not e aponto meu digivice, abro o portal e em segundos estou no meu quarto, havia deixado meu PC ligado e a porta trancada. 

Retiro o vestido colocando um pijamão e vou para a cozinha comer algo antes de mais nada, estou faminta. 

Agora é só aguardar o resultado e ter Poromon e os outros de volta. Depois entro em contato com Mimi-chan, por hora a heroína vai ter seu merecido descanso.


Notas Finais


Bem, esse capitulo dedicamos inteiramente a nossa beta diva linda poderosa @Fluttershy77.
Gata, muito obrigado por nos ter ajudado nesse projeto, as dicas, a revisão bem feita e o plus a mais adicional de pimenta na estória. Não é a toa que para nós você reina absoluta nos hots da categoria. Aprendemos com você que um hot de qualidade é aquele que não é feito com PREGUIÇA, é feito com a alma e o coração, colocando para fora tudo o que sente e fazer os nossos leitores sentirem cada emoção passada pelo personagem.
Somos sortudas demais por cruzar com uma pessoa super show como você!
Admiramos mais do que tudo sua humildade e prestatividade, alguém que tinha tudo para ser soberba,mas que ao contrario disto dá dicas preciosas e interagi mesmo dentro do seu pouco tempo sempre procura estar presente com seus comentários divertidos e carinhosos,.Gata você diva muito e se hoje sabemos por vida no texto e não deixá-lo descritivo(apenas informativo como um jornal) e mecânico é tudo graças a você.
Sabemos que fazer um bom hot depende do ambiente e da descrição de ação e reação detalhada a cada toque , cada momento, ou seja, é preciso ser ambos os personagens, sentir como eles e escrever qualquer um escreve mas ter sensibilidade não é para todos, mas sim algo que pode ser trabalhado, aprimorado e conquistado, se sentimos que conquistamos a cada dia é graças ao seu carinho e apoio.
"Immoral Lovers 4ever!"
Obrigada gata!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...