História Dominada pela paixão - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Xerife Graham Humbert (Caçador)
Tags Captainswan, Colifer, Onceuponatime
Visualizações 125
Palavras 1.512
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura 😘 ( acho que possa responder as perguntas de vocês )

Capítulo 15 - Senti Saudades


Fanfic / Fanfiction Dominada pela paixão - Capítulo 15 - Senti Saudades

Misthaven, Enchanté Florest, maio de 1813

Tentando conter um bocejo, Emma analisou o salão de baile com olhos críticos. O evento acontecia em um salão apertado, portanto estava quente demais e, apesar das inúmeras flores, cheirava mal. Ela não tinha desejo algum de estar ali, mas Neverland insistiram em sua presença.

Alguém poderia pensar que os últimos 3 meses mudariam a maneira como eles se sentiam em relação ao outro, considerando o quanto trabalharam juntos para assegurar o sucesso social de Emma. Mas não foi o caso. Ela detestava aquele homem horrível tanto quanto no primeiro dia que se conheceram. Infelizmente, deixada com seus próprios recursos, ela não tinha outra escolha a não ser procurar a assistência do marquês. Ela pediu ajuda para se estabelecer como Lady Jones. Sem ele, não conseguiria aceitaçao social de que precisava.

Pessoalmente, Emma não se importava com a estima do mundo social e, se pudesse escolher, permaneceria em casa lamentando suas dores. Por outro lado, seu filho que estava começando a dar sinais claros de que estava gostando do conforto de sua barriga, merecia um começo adequado na vida, e essa era a única razão pela qual ela fingia interesse no circo da sociedade.

Seu trabalho duro foi recompensado com um inequívoco sucesso. Até mesmo Brennan estava impressionado, e Emma notara uma quase imperceptível suavização de sua atitude em relação a ela. Ele ficaria entusiasmado quando soubesse que ela estava grávida, ela ainda não contará a ninguém e por sorte sua barriga ainda estava imperceptível mesmo com 4 meses, Brennan e suas maquinações tiveram o resultado desejado, ele teria finalmente um herdeiro, mas Emma achava que aquela informação era preciosa demais para compartilhar. Ela suspeitava que ele sentia um prazer perverso em saber disso antes de Killian, por isso, Emma se recusava a dar lhe a satisfação. E isso seria o último ato de bondade que ela concederia a seu marido errante.

Ela ficou devastada quando ele partiu, chorosa, deprimida e ainda por cima descobriu que estava grávida e não pode contar a ele sobre isso. Ele não estava presente e ela se sentia sozinha. Depois, ficou furiosa

E permaneceu furiosa.

Emma deixou seu copo de limonada sobre uma bandeja. Killian havia quebrado sua promessa, deixando-a sozinha e grávida no meio dos lobos enquanto ele fugia de seus problemas. Ela nunca o perdoaria por isso. Nunca.

" Confie em mim", ele escrevera. Há! Ele se recusava a confiar nela. Então, por que ela deveria ser a única nesse casamento a oferecer essa cortesia?

- Milady, seria esperar demais que você estivesse disponível para uma dança?

Emma se virou ao ouvir a voz familiar e soltou um suspiro ao encontrar Graham Jones. Aquele homem não era perverso quanto seu tio, apenas era ingênuo e manipulável. Mesmo assim, ela ficava atenta com ele e mantinha uma rígida distância de suas propostas amigáveis demais. Ele havia  tentando engana-la da maneira mais odiosa possível, e Emma nunca esqueceria disso. Porém, ela precisava manter as aparências, e uma delas era uma fingida proximidade com a família Jones, por mais desagradável que fosse.

- Com certeza. Na próxima música.

Seus olhos azuis brilharam com entusiasmo.

- Sou um homem de muita sorte.

Mais uma vez, ela admirou as semelhanças de Graham e Killian. Eles se pareciam muito nos olhos, a diferença era nos cabelos. Graham era mais como um cachorrinho bonito, enquanto Killian era como uma pantera a espreita.

Emma esticou os ombros para trás e forçou um sorriso, já que a maioria dos olhos no salão recaia sobre ela. Sua incansável busca pela última moda foi responsável em grande parte por seu sucesso, conquistado através do dinheiro deixado pelo seu marido para mantê-la aqueles meses.

Ela deu um longo suspiro. Emma trocaria tudo isso se pudesse conquistar o amor e atenção do seu marido. Mas era tarde demais para isso.

- Lady Jones, acredito que a próxima música esteja reservada para mim.

Emma se virou

- Sim, acho que está certo, Monsieur Cassidy

O elegante francês fez uma longa referência e apanhou a mão de Emma . Sua beleza dourada lhe conferia muito respeito no meio social. Já Emma era indiferente a isso, mas ela exibiu seu melhor sorriso mesmo assim.

Ele sorriu de volta enquanto conduzia para a fila de dançarinos no meio do salão.

- Você está ainda mais sedutora que o normal, Milady.

Ela ergueu uma sobrancelha

- Obrigado Monsieur.

Cassidy não era tímido com suas avançadas sobre ela desde que chegará a Misthaven, em um mês, sugerindo passeios no parque ou encontros na cidade. Emma recusara todos os convites. Sempre que se encontrava em locais públicos ela já se preparava, pois a determinação com ela a deixava muito desconfortável.

- Lady Jones - Neal ronronou com sua  voz  melosa demais.

- Ouvi dizer que o título de Neverland é muito antigo e respeitado. Porém o conde que herdará não está presente. Na verdade , ninguém viu nem o ouviu durante mais de 5 anos.

Ela riu e pensou no seu bebê chutando. Parte por diversão, parte por exasperação. As fofoqueiras estavam cheias de especulação sobre o paradeiro do seu marido. Afinal de contas, era estranho que um homem ausente, de repente adquirisse uma esposa. Foi por causa dessa circunstância anormal que a ajuda de Neverland fora necessária para estabelecer sua credibilidade.

- Eu lhe asseguro que lorde Jones não é um fragmento da minha imaginação

Cassidy apertou mais aínda a mão de Emma

- Uma mulher linda como você não deve ser negligênciada

Ela segurou uma risada nada educada. Os avanços de Neal já estavam se tornando cansativos.

- Não sou negligenciada, Monsieur Cassidy

- Então onde está seu marido? Gostaria de conhece-lo

- E você conhecerá. Tudo em seu tempo.

A dança começou e ela soltou um suspiro aliviado.

O sorriso do francês não possuía charme algum enquanto eles percorriam a extensão da fila.

- Você gostaria de passear comigo pelo jardim quando a dança acabar?

- Não. Obrigada

Emma deu graças a Deus quando a primeira parte da música terminou. Havia mais uma parte, mas ao menos ela estava mais perto de escapar da companhia de Cassidy. Algo sobre aquele homem a deixava inquieta. Seus sorrisos nunca atingiam seus olhos, havia um fingimento neles, e a maneira como ele a olhava a fazia se sentir... Dissecada.

- O honorável Conde de Jones - anunciou o mordomo, de repente, com sua voz de barítono.

O salão inteiro congelou, um silêncio pesado pousou sobre os convidados como uma névoa espessa.

Emma se virou, com os olhos arregalados e boquiaberta. Quando os acordes da dança seguinte começaram, seus olhos se fixaram na figura alta e bronzeada que descia pelas escadas.

Killian descia os degraus com sua graça arrogante costumeira. Parecia quase impossível, mas sua pele estava ainda mais escura, bronzeada de um jeito que fez os joelhos dela se tremerem. Seu jeito de andar prometia horas de delícias e prazeres carnais. Apesar de sua raiva enraizada, a boca de Emma se encheu de água, os seios incharam a mais do que estavam e seu sexo se contraia a cada passo que ele dava.

Os convidados, deixando a surpresa pra trás, se aproximaram para cumprimenta-lo, mas Killian ignorou a todos, com seus intensos olhos azuis fixos sobre Emma. O calor que irradiava entre eles, mesmo com a distância, fez a pele dela se cobrir de suor. Ela conhecia muito bem aquele olhar e entendeu que estava sobre perigo iminente de ser arrastada para a cama mais próxima, é mesmo assim não conseguia se mexer. Levou apenas um instante para que ele a alcançasse, mas pareceu uma eternidade.

Ele lhe ofereceu a mão, e Emma hesitou apenas por um instante antes de aceita-la, quase sem respirar com tanta expectativa. Killian levou a mão dela aos seus lábios. Através da luva, ela sentiu uma centelha que disparou da boca dele e correu por seu braço até chegar em seu sexo. Ela estremeceu.

Uma satisfação curvou os lábios de Killian.

- Senti saudades meu amor

Os convidados se calaram esperando ansiosos, a resposta dela, e a música pareceu mais alta nesse momento. Respirando fundo,  ela deixou sua fúria transparecer em seus olhos, depois se abaixou para uma elegante reverência.

- Milorde.

Em seguida os convidados começaram a sussurrar freneticamente.

Killian a ergueu com uma expressão possessiva e confusa.

- É hora de ir

Ela procurou por Cassidy, pronta para apresentar-lhe seu marido, mas franziu as sobrancelhas. O francês havia desaparecido na multidão sem se despedir.

- Agora Emma!

- Você acabou de chegar - Ela disse. Ficar sozinha com Killian apenas causaria problemas.

Ele ergueu uma sobrancelha arrogante.

Ela abriu a boca para protestar, mas logo a fechou. Seu marido não era homem que aceita ser recusado passivamente. Ainda mais quando parecia estar prestes a levantar suas saias e se enterrar em seu corpo ali no mesmo no meio do salão.

Dando um aceno de cabeça quase imperceptível, Emma permitiu que Killian enlaçasse seu braço. Ela segurou a língua até chegaram a privacidade da carruagem, mas no momento que ele se moveu para toca-la. Emma deu um tapa na mão dele.

- Maldição! - ele gritou

Ela sorriu

- Você nunca mais me tocará de novo! Eu juro! 


Notas Finais


E aí? Gostaram? Comentem! Obrigada por lerem 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...