História Dominated - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook
Visualizações 123
Palavras 3.625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ROLAAA, AMÉM, NACREDITO QUE ACABEI ESSE CAPITULO, DEPOIS DE TANTOS MESES, DESCULPA GENTE, SERIO ;-; SOU A PIOR ESCRITORA DESSE MUNDO, PERDOEM-ME.
BOOOOOM, ESPERO QUE GOSTEM DESSE CAPITULO <3

Capítulo 3 - Chapter 3


 

 

Jeon acordou com a luz do Sol invadindo com abundância aquele quarto, fazendo Jeon colocar aquele travesseiro tão macio contra seu rosto, mas não adiantou o seu sono já tinha ido embora. Sentou-se em um instante naquela cama macia, e olhou a redor e realmente aquilo tudo que aconteceu não fora um sonho, tudo realmente era real, e sorriu por isso, olhou ao redor e, logo colocou seus pés naquele chão de madeira indo até o banheiro e pegou um pouco de água no jarro, fazendo uma concha com as mãos e lavando o rosto, se olhou no espelho e sorriu forçado, fez suas necessidades e saiu do banheiro.

Seu olhar passou por todo o quarto e realmente iria ficar com aqueles trapos sujos, suspirou e foi até a porta a abrindo, revelando um grande corredor com quadros que aparentavam custar uma fortuna nas paredes bem pintadas.

Logo foi até a escada e ouviu conversas e risadas altas se inclinou mais para tentar visualizar quem estava ali, mas sentiu uma mão em seu braço.

- Hey seu escravinho inútil. - disse Min He com aquela voz irritante, apertando o braço de Jeon fincando as unhas compridas na carne do garoto.

Jeon suspirou, estava doendo, mesmo que seu braço fosse forte parecia que ela estava-o rasgando, mesmo em que Min He não aparentava ser forte, suas unhas eram uma de suas grandes armas.

- Que escravo inútil, não suporta nem uma merda de dor? Por que Jimin te comprou em? Para servir de tapete na cozinha? Pelo menos você terá utilidade. - disse rindo maldosa, fazendo Jeon se arrepiar de medo.

- M-m-me solta. - disse Jeon fazendo careta de dor.

- Garoto inútil. - Min He o soltou e riu do garoto e arrumando seu vestido e deixando mais seu decote amostra, realmente uma vagabunda. - Agora eu irei voltar para o MEU marido. - deu ênfase no 'meu' e olhou Jeon de encima para baixo e fez cara de nojo e logo desceu as escadas.

O coração de Jeon palpitava rápido por conta da raiva absurda que se instalou, suspirou duas vezes e decidiu descer.

 

Quando chegou na sala identificou duas vozes diferentes, uma voz meio grossa e outra meio fina, com certeza uma mulher, Min He ria alto e sua voz alta irritava os ouvidos de Jeon.

Suspirou outra vez e olhou ao redor, nunca tinha visto a sala, onde tinha dois grandes sofás de couro, móveis de madeira, bem chiques por sinal, alguns quadros caros e uma mesa de centro, lustres e cortinas grandes, tapete grande e um relógio fazendo barulho de "tic tac". Jeon ficou impressionado nunca tinha visto uma sala tão enorme, era linda e chique, já esperava por ser a casa de Park Jimin.

Passou por trás do sofá de couro, e colocou sua mão ali, sentindo a maciez do tecido do sofá, passou por todos os móveis de madeira sentindo sua textura, até que parou na frente de um criado-mudo, tinha um retrato ali, era Park Jimin e Min He e uma garota, que parecia muito com a esposa de Park, Jungkook pegou o retrato e franziu a testa, a garota não parecia com Park, nem um pouco, apenas com Min He. Park estava com sua cara de sério como sempre, Min He estava sentada em uma cadeira e a garota estava do lado de Park. Jeon imaginou a cara de Park no momento que esse retrato fora feito.

- Olá garoto. - soou uma voz feminina no local, Jeon rapidamente colocou o retrato no local onde estava, se virou e viu uma mulher, era parecida com Min He, mas, mais jovem, a mesma do retrato.

Sua postura ficou ereta e seus olhos se arregalaram quando a garota se aproximou, seus cabelos eram claros e soltos chegando ser um loiro, seu vestido era um bonito azul, e sua pele era clara.

Olhava para Jungkook com um olhar que ele não conseguiu identificar por tamanha inocência do mesmo.

Ela passou sua mão no braço branco de Jeon, fazendo o se arrepiar de desespero, ela olhava para Jungkook de cima abaixo, e fez uma volta completa analisando o moreno.

 

- Você é bonito, corpo bonito, sua veia saltada te deixa sexy, você é bem alto em, eu particularmente, adorei. - disse com tom de deboche.

Até que ela parou na frente de Jeon.

- Por que papai comprou você? - cruzou os braços e fez cara de pensativa. - Para servir de empregadinho ou algo do tipo? - riu.

 

"Papai", Jimin era seu pai? Como? Já tinha um filho e ainda mais com Min He? Uma mulher que ele odeia tanto. O garoto ficou surpreso, e paralisou olhando para o rosto da garota para ver algo parecido com Park.

Por incrível que pareça, tinha alguns traços semelhantes, mas nada que seja extraordinária, uma bela moça, mas como Min He aparentava ser uma grande vadia mimada.

Jeon a olhava e ela mordeu seu lábio inferior direito, fazendo Jeon arquear as sobrancelhas, tentando distinguir aquele olhar e gesto.

- O que faz ai? - disse Min He entrando na sala.

A garota – que Jungkook não sabia o nome até agora- virou-se olhando para Min He,fingindo um olhar inocente.

- Mamãe! – correu até ela e abraçou.

- O que esse escravo de ultima classe está fazendo com a minha princesinha? – Min He fuzilou Jungkook com seu olhar repugnante.

Jeon congelou-se, estava adivinhando que aquela garota iria fazer; passar-se por vitima na frente de sua mãe.

- Papai disse que ele tinha comprado mais um escravo inútil, e então disse-me para eu talvez ir o ver, se ele seria de bom agrado para mim. – disse a garota

- Park tem cada merda na cabeça. – riu.

Jungkook olhou para porta e estava ali, o seu senhor, o Daddy, encostado na parede dando seu sorriso sacana olhando para as duas com certo desprezo.

Jeon ficou olhando-o, Park percebeu, e seu olhar mudou, trazendo um tom de malicia e desejo. O moreno umedeceu seus lábios soltando um suspiro.

Park desviou seu olhar e voltou para as mulheres ali, que faziam piadas idiotas sobre o garoto. Pigarreou e tomou a atenção das duas para si.

- O que estão fazendo, posso saber? – disse Park usando uma voz mais autoritária.

- Amor. – disse Min He.

- O que eu lhe disse Min He? Eu não sou seu amor, sabe que eu apenas te agüento porque sou obrigado, somos marido e mulher apenas por bens e não por amor, então agradeça-me.   

- Sim senhor... – Suspirou dando por vencida.

- Yang Mi. – chamou-a.

- Sim, papai? – fez bico.

Park se desencostou da porta colocou seus braços para trás e deu passos devagar até Yang Mi.

- Eu sou o seu tio, e não seu “papai”, e você não têm autoridade alguma de tocar no Jeon, e muito mesmo inventar palavras que nunca saíram da minha boca! Então se comporte sobrinha. – disse raivoso. – Bom, espero que vocês tenham entendido, eu sou o dono dessa casa, dessa terra e de vários outras por ai, eu tenho poder, vocês não, então não tentem subornar meus planos, pois eu posso acabar com vocês sem ao menos exigir esforços. – sussurrou para as duas ouvirem.

Jeon o olhava, e ficou curioso pelo o que ele tinha falado ali. Park carregava um olhar de raiva e deboche, algo que todos odeiam serem debochados, Jungkook sabia que era errado, e não gostava de debochar dos terceiros, mas com toda a certeza aquelas duas mereceram.

- Bom, vamos voltar para o café da manhã. – disse Park indo até a porta. – Yang Mi e Min He, vão primeiro.

Yang Mi e Min He foram para a sala de jantar deixando Park e Jeon sozinhos ali, naquela sala bem iluminada e luxuosa.

- Hey Baby. – Park foi até Jungkook o fazendo despertar. – Desculpe-me por esse ocorrido. – acariciou a bochecha de Jeon com sua mão. – Estava com saudades de você, depois dessas inúteis tomarem seu café da manhã e eu tratar alguns negócios, irei levar você para tirarem suas medidas, não quero que vista esses trapos sujos.

Jeon assentiu tímido sentindo o toque caloroso de Park em sua bochecha.

- Tão adorável, pena que não posso te foder agora bebê, ter que administrar essas coisas todas são chatas algumas vezes. – disse em um tom calmo com sua voz aveludada.

Jungkook o olhou nos olhos e Park desceu sua mão para o pescoço do moreno, dando pequenos apertos, e descendo sua mão sobre os mamilos de Jeon.

- Daddy... – gemeu Jeon sentindo um calor totalmente excitante, e fechando os olhos.

- Ah baby, você é tão bonito. – colocou sua mão sobre o queixo de Jeon o levantando e lhe deu um selar, sentindo a maciez dos lábios do jovem garoto. Jimin passou a língua nos lábios de Jeon pedindo passagem. O moreno cedeu-se sobre aquela ação abrindo a passagem e sentindo a língua quente de Park tocando a sua. Senhor Park, logo começou a fazer movimentos lentos, dando pequenas mordidas no lábio inferior de Jeon o fazendo se sentir quente. Jimin desceu sua mão para a cintura de Jungkook colando mais os dois corpos.

- Desculpe-me Baby, mas preciso ir agora. – separou os lábios de Jeon, vendo a cara do jovem de deleite. Separou os corpos e sorriu para Jungkook e deu um selar sobre as costas da mão de Jeon e logo indo para a sala de jantar.

Jungkook estava extasiado, sobre o efeito de excitação, porem já sabia que Park estava ocupado demais, piscou varias vezes e tocou em seus lábios sentindo-se feliz.

 

 /--/

 

Depois de longos minutos, Jeon resolveu ir até a sala de jantar, e lá estava um homem muito belo conversando com Park, Min He estava sentada na cadeira do lado de Park com cara de tédio. Jeon apareceu na porta e olhou e logo abaixou a cabeça.

- Com licença...

- Toda. – disse o homem de madeixas castanhas com alguns papeis na mão.

Jungkook foi até a mesa e olhou para todas aquelas cadeiras.

- Min He. – Park chamou-a.

- Sim?

- Que tal ir tomar um banho, se arrumar e ir para a cama me esperar vai arranjar um tempo para isso. – piscou para ela.

Min He parecia uma idiota, mesmo que soubesse que poderia ser mentira de Jimin, depois de longas noites de transas com Park, nunca desejou tanto um homem quanto aquele, claro que desejava mais outras noites com aquele homem que ela sabia muito bem que ele odiava-a.

- Sim senhor. – levantou da cadeira com um olhar malicioso. – E então eu irei tomar banho, irei lhe esperar. – subiu as escadas e Jeon não a viu mais.

- Iludida... – sussurrou Park.

- Você é fogo Jimin, sempre dando um chega pra lá nessas interesseiras, por isso que é meu primo. – disse aquele homem sentado ao lado do senhor Park.

- Hahahaha, ah TaeHyung, só você para me fazer rir. – Park riu.

Jungkook continuava em pé em frente da mesa de jantar olhando para aquela situação.

- Hey, pode se sentar onde aquela mulher sentou, fique aqui, irei pedir para a empregada lhe trazer um bom café da manhã. – disse gentil, dando um sorriso singelo.

Aquele homem, TaeHyung, olhou de um jeito desconfiado.

- Quem é esse garoto? – perguntou curioso.

- Ah, é um garoto que resolvi cuidar para me ajudar com os negócios. – disse Park.

- Entendi, prazer sou Kim TaeHyung. – deu a mão para Jeon.

Jeon o cumprimentou.

- Prazer, sou Jeon Jungkook. – e soltou a sua mão de TaeHyung.

Park analisou aquele momento e pegou o sino e o balançou chamando a empregada, que veio imediatamente.

- Sim senhor? – se curvou.

- Traga o café da manhã para Jungkook. – mandou-a.

- Sim senhor, com licença. – curvou-se novamente e foi até a cozinha.

- O tio deixou muitas coisas para você cuidar Jimin. – TaeHyung disse soltando um riso.

- Sim, pelo menos uma coisa de bom aquele miserável me deixou, seu dinheiro e poder. – riu.

Jeon olhava tentando entender a conversa entre eles que fluía normalmente.

 

Logo então a senhora que ontem foi gentil consigo, trouxe o seu café da manhã servindo-o.

- Muito obrigado senhora. – Jungkook agradeceu de uma forma gentil.

- Ah, só estou fazendo meu trabalho, mas de nada. – sorriu gentil. – Agora tenho que ir, com licença. – se curvou e foi até a cozinha.

Jeon deu um pequeno sorriso e tinha tantas coisas que não sabia por onde começar.

- Coma o que quiser, a casa é sua. – disse Park.

 

/-/

 

Depois de Jeon estar satisfeito, limpou os farelos de pão que estavam na sua boca.

 - Senhor Park?

- Sim? – olhou para o Jungkook ignorando o que TaeHyung apontava nas folhas.

- Posso ir para o quarto?

- Claro, fique a vontade. - e então voltou sua atenção para os papeis.

Jungkook se levantou, curvou-se e foi até as escadas.

- Hey Ba- Jungkook, não esqueça do nosso compromisso quando terminar aqui eu te levo. – disse Park.

Jungkook assentiu e subiu as escadas indo para o quarto, foi até a varanda e olhou para o céu. Ficou alguns minutos admirando a paisagem, e logo deitou-se na cama e dormiu.

 

/-/

 

 

- Baby? Acorde. – disse Park acariciando os cabelos de Jeon o fazendo despertar. – Vamos sair, lembra?

Jungkook coçou os olhos e olhou para Jimin, já estava bem arrumado, seu perfume era forte e totalmente cheiroso, Jeon ficou encantado. Logo sentou na cama e levantou.

- Irei te esperar lá na sala, Baby, não demore. – disse Jimin que saiu do quarto de Jungkook.

Jeon foi até o banheiro, tirou aqueles trapos velhos e encheu a banheira de água quente, e entrou, pegou o sabonete que mais cheirava bem e a esponja, e passou pelo corpo inteiro ensaboando-o com delicadeza.

Saiu do banho, e olhou para aqueles trapos nojentos.

- Tenho que usar, fazer o que. – suspirou

Colocou aqueles trapos e desceu as escadas, e lá estava Park, esperando por Jungkook.

Jeon foi até Park e sorriu.

- Vamos Baby? – Jimin pegou na mão de Jeon a entrelaçando.

Jeon assentiu com certa timidez e deixou Park o guiar.

 

 

 

Park colocou Jeon na carruagem e logo entrou, mandando os guardas irem para o centro da cidade.

- Baby. – Jimin chamou-o. – Vem cá.

Jeon o obedeceu e sentou-se do lado de Park.

- Sente-se no meu colo.

E então Jungkook fez.

Jimin atacou os lábios de Jeon com ferocidade, com movimentos rápidos arrancava suspiros de prazer do menino, que se deu a liberdade de rebolar, Park separou os lábios e colocou suas mãos na cintura de Jungkook o ajudando com o rebolar, sentindo aquela calça social apertada.

Jeon já sentia algo duro em sua bunda, que o deixava excitado, também não podia negar que seu membro estava tão duro quanto.

Park começou a distribuir chupões no pescoço branquinho de Jungkook, o fazendo delirar e gemer baixinho.

Deixou apenas uma mão orientando o quadril de Jeon, e a outra começou a brincar com os mamilos rosados de Jungkook, que se contorceu pelo prazer sentido naquele local. Naquele momento, os dois esqueceram que estavam indo para a cidade, que estavam na carruagem, Jimin queria foder o seu baby ali mesmo, mas sabia que não podia, não ali.

- Ah Baby, você é tão bom para o seu Daddy.

 

A carruagem de repente parou, e Park sabia que eles tinham chegado.

- Baby, temos que parar, chegamos. – disse Park.

Jungkook despertou-se do transe, e saiu rapidamente do colo de Park quando ouviu os guardas dizendo que já tinham chegado.

- Está com medo Baby, que os guardas no veja daquele jeito? Então é melhor se arrumar, você está meio descabelado. – riu.

Jimin foi o primeiro a sair da carruagem e deu sua mão para Jeon sair dela.

- Venha.

Jungkook pegou na mão de Park e saiu da carruagem, o guiou até a cidade e o jovem garoto ficou impressionado do quanto tinha coisas bonitas lá, coisas super caras, artistas pintando em tempo real, tecidos lindíssimos, restaurantes chiques, e tudo tão bonito.

- Gostou? – perguntou Park.

- Sim. – disse animado.

- Vem, vamos na loja de ternos.

 

 

/-/

 

- Qual tecido você deseja? – disse o vendedor da loja.

- Espero que você traga os melhores e os mais caros por favor. – disse Park.

- É para você? – perguntou o vendedor.

- Não é para esse garoto.

- Tem certeza, senhor? Ele parece pobre, vai gastar dinheiro com classe baixa? – sussurrou para Park.

- Sim, alias, o dinheiro é meu, traga os melhores que você tem na loja!

- Sim senhor. – e foi até o estoque.

 

Park foi até Jeon, que estava sentado em um dos sofás da loja.

- Espero que goste, escolha todos que achar bonitos. – acariciou a mão de Jungkook.

 

- Senhor! Aqui está. – o vendedor trouxe os mais bonitos da loja, com preços absurdos.

- Escolha Jeon. – disse Park.

- Ah... Ajude-me senhor. – disse indeciso.

- Ok, quero todos que você mostrou agora, leve o garoto para tirar suas medidas, e espero que eu venha aqui mais tarde e pelo menos um esteja pronto. – disse Jimin.

- S-sim senhor. – o obedeceu. – Vamos senhor? – chamou Jungkook.

- Ah sim.

Park sentou-se no sofá da loja, o mesmo que Jungkook estava sentado, ouvindo a melodia maravilhosa que Chopin tocava, no disco encima de um criado mudo, o fazendo relaxar.

 

Logo Jungkook saiu da sala e foi até Park.

- Senhor, já estamos produzindo os ternos, então logo estará pronto, acredito que até a noite ficara três prontos.

- Ótimo, espere aqui Jungkook, irei pagar pelos tecidos.

Jungkook assentiu. E Park seguiu o velho vendedor para pagar os tecidos.

 

/-/

 

- Está com fome? – perguntou Park.

- Sim...

- Ótimo, vamos ao restaurante a frente.

  Jimin foi andando até o restaurante e Jungkook seguia-o. As pessoas olhavam para Jungkook com certa cara de nojo e ouvia algumas falas como.

“Como uma pessoa de classe baixa está na cidade”

“Com certeza está manipulando esse senhor”

“Park Jimin, andando com um classe baixa, alguma coisa aconteceu!”

 

Jimin olhou para Jungkook e percebeu lagrimas nos seus olhos.

- Hey Baby, não chore, essas pessoas são apenas ricos idiotas, e essas mulheres são apenas vadias interesseiras, você não é um classe baixa, é o meu baby, não ligue para pessoas que precisam dos outros para comprar seus panos caros, ok? – disse de uma forma gentil e acolhedora.

- Obrigado Daddy.

Park Jimin olhou para aquelas pessoas com ódio e elas logo pararam de olhar e comentar sobre voltando para suas vidas idiotas.

 

/-/

 

 - Esse é o restaurante, vamos escolher uma mesa.

Jungkook assentiu.

Jimin foi falar com a atendente que ficava na entrada do restaurante.

- Deseja uma mesa senhor? – disse a atendente.

- Sim, para dois.

- Quem está com o senhor? – perguntou e o olhou.

- Esse garoto.

- Mas ele não pode entrar nesse restaurante, é um classe baixa, ira roubar algo precioso.

Park suspirou e gesticulou com a mão para a menina aproximar o rosto dela.

- Atendente de merda, não sei se você sabe quem eu sou, com certeza sabe, sou Park Jimin, e com certeza se o dono desse restaurante soubesse que uma atendente idiota não deixou Park Jimin entrar no seu restaurante, você pode considerar-se demitida. – sussurrou no ouvido da moça.

- Pode entrar senhor Park Jimin, pode escolher qual mesa. – disse meio envergonhada.

- Ótimo. – disse Park a olhando com desdém. – Vamos Baby. – disse para Jeon.

- Sim senhor.

 

Park e Jungkook foram até uma mesa, e todos olharam para Jungkook com nojo e surpresos, por um homem tão poderoso estar levando alguém como Jungkook para almoçar em um dos restaurantes mais chiques do país.

- Vocês nunca viram uma pessoa nesse mundo? Continuem a comer. – Jimin disse alto para todos ouvirem. – Bando de idiotas. – suspirou e arrastou a cadeira para Jungkook sentar. Jungkook sentou e agradeceu.

Não demorou muito para um garçom chegar na mesa e dar os cardápios.

- O que desejam senhores? – disse com um sorriso falso.

Jeon olhava todas aquelas comidas em francês, e outras bebidas também, e ficou perdido em o que escolher.

- Me traga um Coq au Vin. – disse Park para o garçom.

Jungkook rapidamente foi procurar o mesmo prato e aparentava ser muito bom.

- Eu quero o mesmo, por favor.

- Bebidas? – perguntou o garçom.

- Hmmm, traga o melhor vinho do restaurante.

- Sim senhor, logo irei trazer os pratos. – disse e se retirou.

- É estranho, não? – riu Park.

- O que?

- Essas comidas francesas, a mais nojenta é os Escargots, não recomendo.

Jeon riu da fala de Jimin, era a primeira vez que via o lado brincalhão do senhor Park, digamos que adorável.

 /-/

 

- Aqui está senhores. – disse o garçom colocando os pratos na mesa e varias colheres, facas e garfos. – Este aqui, é o vinho mais caro e degustado do nosso restaurante, espero que gostem senhores. – colocou as duas taças ali, e serviu o vinho e colocou na mesa. – Bon appétit.
 
Jimin pegou um garfo e uma faca das varias que estavam ali e começou a comer. Jungkook olhou e pegou os seus talheres e cortou um pedaço daquela carne e começou a comer, e meu Deus, aquilo era a comida dos Deuses.
- Bom né ?
 - Sim, muito bom.

- Tome o vinho, irá adorar.

Jeon pegou a taça e tomou um gole, era realmente muito bom.

- Obrigado Daddy. – deu o seu melhor sorriso.

- Pelo que? – parou de comer e olhou para Jungkook.

- Por você me tratar tão bem assim...

- De nada, Baby. – retribuiu o sorriso.

 

- Ora, ora, se não é você, Park Jimin! – disse uma voz familiar para Jimin, que olhou com todo o ódio que tinha.

- Você! 

 


Notas Finais


Suspense~~~~~
kkkk o prato que eles estavam comendo é -> http://cookdiary.net/wp-content/uploads/images/Coq-Au-Vin_13479.jpg

Espero que tenham gostado desse capitulo <3
logo irei postar outro, desculpa pela demora mais uma vez ;-;
Até maaaaaais<3<3<3<3<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...