História Dominic (Terminada) - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Drama, Jelena, Justin Bieber, Romance, Selena Gomez
Exibições 39
Palavras 711
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom dia amores <3

Capítulo 24 - 19


Sentia meus olhos pesados, pelo menos a minha consciência está voltando, sinal de que eu não tinha morrido. Volto a tentar abrir os olhos, vendo somente alguns borrões sem nenhuma forma específica.

 — Ei, você consegue me ver pequeno? — não reconheço essa voz, mas aos poucos consigo ver a imagem de uma pessoa na minha frente, para falar a verdade era uma mulher, seus cabelos de tom claro e seus olhos azuis dão uma certa leveza no seu rosto, mas eu não a conhecia, então me afasto um pouco dela — não precisa ter medo de mim, está tudo bem.

 — Quem é você? Onde eu estou? E porque está sendo tão gentil comigo?

 — Você está nos Estados Unidos, conseguiu passar a fronteira. Eu imagino que você esteja assustado com isso, mas aqui é seguro, aqui é o país onde todos os feiticeiros estão se reunindo, já que os humanos estão nos perseguindo, não imaginávamos que eles teriam armas tão poderosas. — eu ainda tinha curiosidade de saber o que tinha acontecido naquele dia que os meus pais morreram.

— Você sabe porque eles morreram — a moça me olha com algumas lágrimas nos olhos, mas logo se recompõe. — Como você deve saber, nós temos algo que nos faz diferentes dos outros, são chamados de poderes.

— Eu sei, o Christian pode ficar invisível, foi como a gente chegou aqui.

 — Você e aquelas outras crianças que vieram junto, certo. — Eu ainda estava com um pouco de medo dela. — Me desculpe se estou te deixando assustado, só estou tentando me aproximar um pouco, talvez você ainda desconfie de mim, talvez eu precise provar que sou quem digo que sou — Uma chama ascende entre suas mãos.

— Isso é incrível.

 — Meu nome é Leenie, qual é o seu pequeno? — Ela dá um sorriso.

 — Dominic, não me chama de pequeno — eu fecho o tempo, talvez, pela risadinha que Leenie dá, deve ter achado a minha expressão fofa.

— Tudo bem, então senhor Dominic — Agora sou eu que rio da cara dela, sabia que ela só estava brincando comigo.

— Você quer ver seus amigos?

— Quero sim — Com um movimento brusco a porta é aberta ao seu comando e vejo todos entrando: Rob, Chris, Olivia e até mesmo Steve.

— Dom! — Robert vem correndo até mim, pelos seus olhos inchados ele devia estar chorando, enquanto os outros preferem chegar mais calmamente. Sou recebido pelos braços de todos, ficamos assim por não sei quanto tempo até alguém quebrar o silêncio. — Você está bem? — Foi só ele falar isso para eu me lembrar que tinha ferido a minha perna, tinha ataduras em volta dela, deve ter sido algo bem feito, estava prestes a tira-las com as minhas próprias mãos quando Leenie se voluntaria a fazer isso por mim. Tive uma surpresa ao ver que não tinha nenhum vestígio de machucado.

 — Como? — Ela parece estar ainda mais surpresa que eu.

— Isso é impossível — Olivia se pronuncia.

— A não ser que fosse o seu poder — Talvez Chris estivesse certo.

 — Pode até ser, não tem padrão para os nossos poderes crianças, então tudo é possível — Ela parecia minha mãe falando, o que me fez lembrar dela, por fora eu sempre quis transparecer que estava tudo bem e eu já tinha superado a sua morte, mas por dentro eu sabia que ainda sentia muito a falta que ela me fazia.

Ela parecia minha mãe falando, o que me fez lembrar dela, agora eu não tinha ninguém para me proteger ou cuidar de mim, os meus amigos podiam até tentar o máximo deles, mas nunca seria a mesma coisa.

— Você ainda não explicou que lugar é esse Leenie — Digo.

— Verdade, obrigada por me lembrar Dom. Não sei se cheguei a falar isso, mas de qualquer forma acho melhor repetir, estamos em outro país, com outras regras e outra língua — realmente Leenie tem um certo sotaque falando.

— Se vocês daqui falam outra língua como você sabe a nossa? — Chris pergunta.

— Meu marido tem descendência mexicana, eu pedi para ele me ensinar. Então creio que eu seja a única pessoa que vocês conseguirão falar e entender nesses primeiros meses, enquanto isso eu serei a professora de vocês.

— Ei Leenie, você pode nos deixar sozinhos por um momento — Olivia pede.

 — Claro — Leenie se levanta e vai em direção a porta, nos dizendo para chamá-la quando acabarmos.

 


Notas Finais


Eu particularmente acho esse cap um dos mais fofos <3
Se gostarem deixem aquele comentário aqui embaixo.
Beijo beijo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...