História Dominum - Capítulo 9


Escrita por: ~

Visualizações 378
Palavras 2.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E a capinha de hoje vai em comemoração ao Debut dos meus nenéns aeeee!!!!
Wanna one, eu amo, acompanhei um a um deles, sempre torci pelo Jisung e para o Danny amor, então né, já viram hehe e colar de palmas eternos para eles pq eles merecem <3
sobre a fic, tem surpresas e já aviso que essa fic é cheia de reviravoltas então é isso haha
Boa leitura <3

Capítulo 9 - Desencontros


Fanfic / Fanfiction Dominum - Capítulo 9 - Desencontros

 

 Luhan olhou para a floresta densa e toda coberta por uma camada grossa de neve e suspirou. Yifan estaria mesmo ali? Ele ainda se lembrava dele?

  Olhou para o livro antigo no banco do passageiro do carro quase destruído que para sua salvação ainda era resistente e funcionava e pensou no que tinha feito...

  Yifan viveu com ele algum tempo há muitos anos e se tornou seu melhor amigo, mas ele se foi em uma noite e nunca mais voltou, enviando mensagens muito tempo depois pedindo desculpas e dizendo que ia voltar a viver entre os seus. Ele tinha seu direito claro, mas Luhan sentia saudades... Sentia falta das conversas que ambos tinham sobre o mundo do passado, sobre relíquias perdidas, sobre esperança...

  Mas sabia que não seria para sempre, ele era um humano, Yifan um lycan, ele vivia na cidade, o mundo do amigo era fora, livre... e agora tinha cruzado meses de estrada e enfrentado adversidades inimagináveis sem fim por causa daquele artefato que sabia, o amigo procurou por toda a vida... Mas... E se ele não estivesse ali? Uma das mensagens foi clara, no inverno ele ficava naquela localização e que em caso de emergência deveria procurá-lo, contudo...

  Yifan ainda se lembrava dele?  Teria abandonado sua casa por nada?

“E ele perderá sua natureza lycan, para viver como um homem e rei dos seus, com as bênçãos do escolhido da grande árvore e no fogo ele renascerá e dos céus cairá a tempestade que lavará a dor humana, uma chuva que durará uma estação inteira, e a deusa da terra despertará, a terra se renovará, o mundo mudará e todas as angústias mortais serão perdoadas. Os reis governarão a terra outra vez, por mais cem anos de paz”

  Era o livro do último oráculo antes do fim do mundo passado... Era a última escritura que sobrou e que ele finalmente encontrou no Cairo... não... Era importante, Yifan precisava ter o livro em mãos!

— Vamos Luhan! Ele não vai devorar você se estiver em forma humana, é lua nova, vai dar tudo certo!

  Disse a si mesmo e respirou fundo, ia dar tudo certo, Yifan o reconheceria... Yifan era o lobo da profecia, afinal... ele tinha certeza!

 

 

 

 

  Minhyun entrou no salão preocupado com a forma em que todos os alfas queriam avançar em Yifan. Ele entendia o sentimento, mas seu lobo era mais controlado... E seu lobo não gostava de brigas.

  Então ele viu Suho e Hoya, prontos para descerem e enfrentar o alfa e ele foi até eles abraçando o mais feroz.

— Não, por favor... Eu não sei o que o alfa está pensando, mas brigar não é a solução...

— Me solte, Yun, eu não quero machucá-lo, fique fora do meu caminho!

  Hoya vociferou.

— Não!

  Disse mais forte embora tremesse com a fúria no corpo do mais velho. Então ele respirou fundo e um pouco da fúria se dissipou do corpo agressivo.

— Vá logo Yifan, e se certifique que se o humano for machucado, eu... Não respondo por mim!

— Ninguém vai responder por si com o alfa se ele for um babaca!

  Minho rebateu enquanto Yifan respirava fundo e saia de lá.

  Minhyun ergueu os olhos e viu Suho o encarar sem emoção alguma no rosto, como sempre ele parecia inalcançável embora exalasse fúria por todo o ambiente:

— Não me olhe assim, filhote – Disse frio - Eu não concordo com Chanyeol, mas eu respeito suas decisões. Eu não sei o que ele está pensando, mas sei que tem um motivo. Agora vamos parar de rosnar, é suficiente.

  Minhyun  assistiu silencioso os alfas se dispersarem pela toca e só soltou Hoya quando teve certeza que era seguro. Onew, Taemin, Minho e Key foram os únicos que ficaram ali com ele e Hoya que apenas o encarava longamente:

— Não se aproxime tanto outra vez quando e estiver furioso, posso machucá-lo.

— Você nunca vai me machucar.

  Respondeu sério e então o alfa suspirou fundo e o abraçou de forma carinhosa:

— Não me teste Yun, não faça isso...

— Eu confio em você. Eu...

— Eu vou correr, tem comida na cozinha.

  Jisung passou por eles rápido seguido por um Jihoon aflito e logo depois por Guanlin e Minhyun soube que precisa ir atrás deles, nunca caçavam sozinhos no inverno, ou era os cinco, ou nenhum...

— Vai, vai com seu bando, é mais útil lá do que aqui, vá.

  Ele olhou atento o macho e ao se certificar que ele estava mesmo controlado, saiu com os outros betas, esperando na boca da toca o último deles, Daniel que veio logo despois dele.

  Todos os betas eram muito ligados uns aos outros e tinham como regra saírem sempre juntos. Eles eram os caçadores, eram bons naquilo.

— Ainda bem que não sinto tanto frio em pele humana... Por que olha só esse tempo? - O amigo disse olhando para o céu cinza escuro e horrível, os invernos eram sempre os piores... – Bom vamos lá, Jisung precisa correr, temos que alcançá-lo!

  E eles foram atrás dos outros três até quase a fronteira da floresta mais profunda e logo viu o Jisung, que chorava silencioso...

— Não fica assim... O alfa, ele deve ter um plano, eu te disse, ele não faria isso...

  Jihoon tentava acalmar o beta/ômega, mas ele apenas soluçava e Minhyun foi abraçá-lo tentando confortar, sabia que seus abraços ajudavam, por isso ele o distribuía sempre que possível...

— Eu concordo com Jihoonie, Ung, deve haver algum motivo e...

— M-as ele é só um f-filhotinho e-e...

— Ele é um humano adulto, Jisung, adulto -  Guanlin rebateu e cruzou os braços – Se o alfa quer acasalar deixa ele, todos nós ignoramos nossa necessidade de energia sexual e olha no que deu? A lua manda em nossos corpos agora, se acasalássemos como os lobos normais... Não seriamos assim!

— Então vai na sorte, Guanlin! Vai procurar uma humana ou humano para isso! Mas lembre-se, tem que dar prazer... Espero que saiba o que é isso!

  Daniel rebateu irritado e Minhyun suspirou, aqueles dois sempre discutiam a mesma coisa como se adiantasse, não seria a energia sexual que séculos de supressão em sua espécie faria eles voltarem a poder se transformar quando queriam... Aquilo era só um mito. Não duvidava de Fanfan, jamais, mas ele tinha lido demais, estudando demais em seu tempo quando mais novo, acreditava em lendas demais... Os selvagens e os humanos não eram mais compatíveis, a natureza tinha se encarregado disso e os poucos que saiam da regra, como a fêmea do líder vampiro e seu ninho... Não engravidavam. Não havia mais compatibilidade e ele acreditava piamente que a energia sexual que outrora dava vitalidade e força aos lycans e o poder de se transformar em humano e lobo quando quisessem... Não era possível mais. Fora as lobas... Ele nunca tinha visto uma, nem a própria mãe que morreu assim que ele e seu irmão nasceram. Mas ele era filhote, não se lembrava dela nem do irmão que logo morreu também...

— Pessoal vamos parar com isso, sim? Estou cansando dessa discussão triste.

  Acabou dizendo e os dois suspiraram aceitando.

— Ele é só um corujinha sem voz...

  Jisung continuou e então o som de um pequeno galho quebrando chamou a atenção de todos. Guanlin cheirou o ar e então arregalou os olhos:

— Humano.

  E todos eles esqueceram as crises do momento e partiram em direção ao cheiro em uma corrida tão veloz que jamais seria evitada pela caça. E humanos fora da cidade eram caça, principalmente fora no inverno. Não de comer, mas inimigo potencial para ser morto.

 

 

 

  Yifan olhou para o pequeno hibrido dormindo em seus braços na estreita cama e sorriu.

  Ele já amava aquele humano... como pode cair pelo pequeno tão rápido?

— Você tende a amar aquilo que aos seus olhos não pode se defender sozinho, não é a primeira vez, seu lobo velho!

— Ei! Não seja assim, meu alfa.

  Yifan rebateu encarando o lobo sentado do outro lado do pequeno quarto. Chanyeol era o que mais sofria com as transformações, seu corpo humano sempre parecia meio incompatível com seu lobo e ele se questionava o porquê... Era porque ele era um dos poucos alfas dos alfas que havia no mundo? Ainda tinha contatos com conhecidos pelos continentes e... Nunca encontravam alfas dos alfas em suas andanças, os nômades, seus amigos que ainda permaneciam percorrendo as terras desérticas e destruídas do mundo – Poucos lugares eram ainda habitáveis na superfície do mundo – Por anos só encontraram três, e Chanyeol era um deles...

  Seria a força do lobo diretamente proporcional a fraqueza do humano?

— Pare de me analisar.

  Ele reclamou de olhos fechados, Yifan sorriu:

— Mas analisar meu alfa é meu passatempo preferido!

— Se ficar assim eu te expulso daqui e você vai lidar com os alfas furiosos lá fora - E então seu alfa coçou o nariz e abriu os olhos subitamente – As fêmeas da Triz, vão entrar no cio.

— O QUÊ?

— E é o primeiro, pelo cheiro... Que ótimo, viramos uma toca com ômegas em cio rodeados por alfas em fúria. Porque eu dou ouvidos a você e aquela vampira louca?

— Porque você nos ama, somos sua família e onde você vai, nós vamos.

— Um hibrido, duas felinas...  Como é mesmo o cio de gatas? - Ele o encarou e Yifan evitou sorrir, se dissesse, ele ia ladrar... – Fala logo, Yifan!

— Bem... Elas miam?

  Respondeu baixo e então riu descontroladamente com a cara de pânico do seu alfa.

— Me lembre de quando chegar a primavera eu afogar vocês dois no rio, só me lembre!

— Como quiser, meu alfa.

  E então parou de rir quando o híbrido se moveu no círculo dos seus braços e abriu os olhos enevoados... Começava...

  O calor dele aumentou em questão de minutos e ele se agarrou mais em seu corpo aflito e ofegou como se tivesse em uma febre e pesadelo juntos e passou a mexer a boca como se falasse, mas sem som e naquela hora ele soube, o pequeno ia falar, ele não estava mais em si mesmo para mante a farsa do silêncio... O cio tinha aquele efeito? Não deveria ser assim...

  Puxou em sua mente tudo o que sabia sobre cio de ômegas... Até mesmo Jisung passou por aquilo duas vezes que se lembrava e nunca o tirou de si mesmo.  O que estava...?

— Jongdae... Jongdae... E-eu preciso dele... P-por favor Y-yifan, traga o Chenchen... JONGDAE!

  Ele terminou gritando e Chanyeol deu um pulo assustadíssimo, e Fan agarrou o menor ainda com os ouvidos ecoando o grito. Mas como assim?

— Ele conhece o líder dos vampiros? – Chanyeol perguntou chocado e então o encarou irritado – Ele fala?

— Isso importa agora?

  Yifan ladrou em resposta abraçando mais o híbrido que continuava chamando pelo líder dos selvagens de toda a região habitável e não habitável. Como ele conhecia o vampiro alfa? Como?

— Ele é um humano deles, não é? Lógico que é, se Jongdae pegou a humana dele, nada o impediria de pegar outro no caminho...

— Ele não é de Nova Seul, ele é de Nova Xangai, Chan!

— COMO PODE TER CERTEZA?

— POR QUE EU SEI QUE É!

  E então socos ecoaram pela porta até ela finalmente cair ao mesmo tempo em que o híbrido se garrava em sua camisa chamando pelo vampiro de forma frenética. Aquilo não fazia sentido nenhum...

— Porque ele está chorando, o que vocês fizeram?

  E Himchan veio rosnando sobre ele e pegou o menor do colo que subitamente se acalmou no corpo dele ainda que agora chorasse baixinho pedindo pelo vampiro. Yifan se sentia um pouco em choque, Chanyeol parecia que ia matar alguém...

— Tirem esse humano daqui, agora!

— Chan, não.

  Pediu baixo, mas Himchan, Zelo e Jongup já saiam rápido com ele levando o cheiro doce com eles... Todos iam saber agora do cio, e seu híbrido ia ficar desprotegido.

— Eles podem engravidá-lo! Seu louco!

— Dane-se! Ele quer o vampiro, certo? Que o levem para ele!

  Chanyeol rosnou saindo furioso do quarto e Fan sabia, Chan ia sair para correr também e ele sozinho não era capaz de proteger o pequeno... Saiu correndo do quarto atrás do corujinha e acabou vendo a cena mais improvável da sua vida. Todos os alfas estavam com ele nas termas enquanto Himchan banhava o menor com cuidado falando baixinho com ele.

  Nenhum deles o atacou, mesmo que visse com os próprios olhos o quanto que todos estavam afetados com o cio do hibrido. Ele... Esteve errado todo o tempo?

— Vocês fizeram isso com medo da gente, Fanfan? Acha que somos animais irracionais?

  Hoya disse rosnando e ele assentiu:

— Desculpe... Eu...

— O humano não é humano – Suho disse o cercando, seus olhos brilhavam – Ele é um híbrido, como nas suas histórias, acertei?

— Sim, Suho ele é um hibrido, um hermafrodita e se acasalarem com ele podem engravidá-lo.

— Menos você e o alfa.

  Ele concluiu ficando subitamente sombrio. Yifan assentiu fechando os olhos, aquilo ainda doía... Muito.

— Vá atrás do Chanyeol, ele está possesso, pode fazer alguma besteira, eu cuido do ômega e dos demais, como vê ninguém vai acasalar com ele, por enquanto.

  Hoya falou em tom cansado e Fan aceitou, aquilo agora não estava mais em suas mãos...

— Leve o cheiro dele com você, se for atrás do vampiro, vai precisar.

  Suho acrescentou e esticou a camisa molhada que ele usava antes. Estava recoberta do cheiro do pequeno híbrido.

  Então Yifan arregalou os olhos entendo o que Suho queria dizer com aquilo: ‘esqueça o alfa, vá buscar o vampiro’

— S-suho...

— Você é o único que ele deixa se aproximar do ninho, faça isso, se esse hibrido for dele, ele vai reconhecer. Se não, lidamos com o cio nós mesmos. E essa é a minha decisão.

  Fan finalmente assentiu e saiu da toca deixando para trás seu pequeno ardendo em febre e chamando por outro.

  O destino estava brincando com seu coração? Era isso?

 

 

 


Notas Finais


Beijocas!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...