História Dono do morro e a dona da máfia. - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Flavia Pavanelli, Holland Roden, Natalia "Nah" Cardoso
Personagens Flavia Pavanelli, Holland Roden, Nah Cardoso
Tags Brigas, Drogas, Festa, Romance, Surpresas
Visualizações 74
Palavras 975
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Festa, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 66 - Capítulo 53


        ● POV st

Até a porta se abrir revelando um homem de uns 38 anos eu acho, a sophia que estava sentada do meu lado correu na direção dele o abraçando

Sophia: papai 

Ata, é o tal marido da minha mãe 

Fernando: Oi minha princesinha cadê sua mãe?

Minha mãe se levantou e ele olhou pra ela

Mãe: Oi amor, não sabia que iria chegar cedo hoje 

Fernando: nem eu, mas como não tinha muito trabalho decidi voltar pra casa

Ele me viu e franziu a testa

Fernando: Quem é?

Sophia: é meu maninho

Disse ela sorrindo e batendo palminhas no colo dele, ele ficou meio sem entender, levantei cruzando os braços

Eu: meu nome é scott

Mãe: esse é meu filho Fernando.

Fernando: eu sei, só fiquei surpreso, ele tá bem grande e diferente da foto que você me mostrou

Mãe: é porque na foto que eu te mostrei ele tinha 3 anos 

Eles riram um pouco e eu me mantive sério 

Fernando: de qualquer maneira, prazer em conhecê-lo, fique a vontade afinal você é da família e as portas dessa casa estarão sempre abertas pra você 

Eu: obrigado

Dei um leve sorriso afinal eu não sou mal educado, ele sorriu de volta e colocou a sophia no chão 

Fernando: adoraria ficar com vocês mas vou tomar um banho, depois eu desco 

Mãe: Claro, vai lá, estaremos aqui 

Eu: eu já vou indo 

Mãe: mas já ?

eu: pois é, tenho que resolver algumas coisas ainda e marquei de sair com a Bia mais tarde 

Na verdade eu não marquei nada mais pretendo 

Fernando: então ta, como preferir, mas volte logo 

Eu: pode deixar 

Sophia: aaah não, vlocê já vai?

Disse ela um pouco triste vindo na minha direção, peguei ela no colo

Eu: vou ter que ir, mas prometo que quando eu voltar aqui te trago um presente tá?

Sophia: ebaaa, tá bom 

Ela me deu um beijo na bochecha e dei outro nela a colocando no chão, dei um beijo na minha mãe e apertei a mão do Fernando

Mãe: eu te levo lá fora 

Eu: então ta 

Fui com minha mãe lá pra fora, chegando lá peguei a chave da moto no bolso e sentei na moto pegando o capacete 

Mãe: filho cuidado com essa moto

Eu: pode deixar mãe, piloto desde os 15 

Disse piscando pra ela e sorrindo 

Mãe: mesmo assim é perigoso 

Eu: relaxa, beijos tchau

Disse depois de colocar o capacete

Mãe: tchau 

Acelerei a moto e mandei um beijo pra minha mãe que logo fechou a cara porque eu tinha tirado uma mão da moto e virado de costas, ri e me ajeitei na moto de novo acelerando ainda mais. Cheguei na barreira uns 20 minutos depois e fiz sinal pra eles abrirem pra mim, eles abriram então eu acelerei um pouco mais devagar parando do lado do vapor 

Eu: aonde tá o Bn?

Cobra: acho que tá na boca 

Eu: ta, valeu 

Acelerei e fui a caminho da boca, parei na frente e entrei vendo o Bn com um monte de saquinhos espalhados na mesa

Eu: que isso?

Bn: são as drogas, tá faltando muita coisa aqui

Eu passei a mão nos meus cabelos já sabendo o que ele iria dizer

Bn:vamos fazer uma ronda no morro, quero que você reúna todos os vapores na quadra 

Eu: sabia que ia sobrar pra mim

Bn: não reclama , eu tô te falando que a metade da mercadoria sumiu e você ainda ta de brincadeira?

eu: tá, já entendi, relaxa,acho melhor chamar os vapores que estavam encarregados de receber as mercadorias , com certeza eles devem saber de algo

Ele pensou um pouco e voltou a me olhar

Bn: então tá, é até melhor mesmo

Ele franziu a testa e começou a procurar alguma coisa 

Eu: o que foi agora?

Bn: viu minha arma?

eu: aí na sua mesa 

Bn: não, essa não, aquela prateada meio azul 

Eu: não vi , já faz um tempo que não vejo essa arma, deve estar na sua casa 

Bn: verdade, depois procuro agora vamos resolver esse problema logo 

 pegamos os nomes de quem tinha ido buscar as mercadorias e fui chamá-los

●POV Kath●

Eu estava sentada no sofá com a cami nervosa, o Lorenzo estava em pé andando de um lado pro outro e o Mike estava sentado no outro sofá brincando com o Toby 

Eu: Mike como você consegue ficar tão calmo?

Mike: eu não tenho porque me preocupar 

O Lorenzo o olhou sério ainda andando 

Lorenzo: nossos pais podem chegar a qualquer momento e vamos ter que contar tudo depois de amanhã e você faz parte Mike, você também é amigo de todo mundo,mas quem tá pior é a Katherine que namora o Bn e é melhor amiga do dg 

Eu: nem sei se sou mais tão amiga do dg 

O Mike me olhou

Mike: por que não?

eu: a gente não se fala a algum tempo

Lorenzo: ótimo, nunca gostei dele

Eu: Lorenzo?!

Cami: gente, parem de brigar, nossos pais vão...

De repente a campainha toca interrompendo a Cami, todos levantamos assustados, acho que eu fiquei pálida, a campainha toca denovo .

Lorenzo: JÁ VAI!

Ele gritou ainda nos olhando

Mike: vai abrir a porta Lorenzo

Ele respirou fundo e se virou indo em direção à porta, antes de abrir ele nos olhou pela última vez e abriu a porta 

Lorenzo: mãe, que saudade 

Mãe: Oi filho

Disse ela o abraçando, logo depois entraram meu pai, meu tio e minha tia, falamos com todos e minha mãe nos olhou

Mãe: vocês estão bem? Parecem nervosos 

Cami: a gente nervoso? Não, claro que não, estamos bem 

Minha mãe franziu a testa

Eu: ela quis dizer que só estamos felizes por ver vocês 

Minha mãe sorriu 

Pai: Vinícius me ajuda a subir com as malas

Tio: Claro.

Eles subiram e sentamos pra conversar depois meu pai desce sério e meu tio estavam de braços cruzados também sério 

Eu: aconteceu alguma coisa?

Pai: de quem é isso?

Disse ele levantando uma arma prateada meio azul seilá, fiquei nervosa na hora até porque essa arma não é do Lorenzo 

Pai: tô esperando a resposta...




Notas Finais


Meus amores, sei que estou atrasando os capítulos mas é porque estou em semana de prova e agora comecei a fazer curso então fica difícil de arranjar tempo, peço então a paciência de vocês. Beijinhos😙💙💜😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...