História Dont Be Afraid - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Lysandre
Exibições 23
Palavras 732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Sim, eu me lembro de ter prometido fazer um capitulo à alguns dias atrás, mas eu não postei e...sinceramente a culpa não foi minha, eu estava escrevendo o capitulo, mas meu pai inventou de consertar a tela do meu celular, pois estava rachada
Por favor não fiquem bravas comigo

Capítulo 31 - "...Você?!"


Acordei no meio da noite ouvindo batidas na porta, senti os braços de Castiel em minha cintura e fiquei com preguiça de levantar, a noite passada foi incrível. Sorri involuntariamente com esse pensamento
CJ: Castiel- chamei sussurrando o balançando levemente
Castiel: Huh? O que?- resmungou sonolento
CJ: Coloca a roupa, tem gente na porta- sussurrei já colocando minhas roupas
Castiel levantou sem vontade colocando as roupas logo em seguida
Abri a porta e dei de cara com meu pai
CJ: Pai, Oi!- disse nervosa arrumando minhas roupas
Pai: Bom dia, o que estão fazendo na enfermaria?
CJ: Eu acidentalmente torci meu pé ontem e viemos colocar uma bandagem
Pai: E dormiram aqui?
CJ: Sim, eu achei que não haveria problema
Meu pai encarava Castiel que ainda estava arrumando suas roupas, isso deixou ele ainda mais desconfiado, não é pra menos, mas não disse nada
Melhor assim...
No dia seguinte...
Eu estava arrumando minha mochila no refeitório até...
Debrah: Olá- ela apareceu do nada na minha frente com um sorriso do rosto, chegou até a me assustar
CJ: Oi- disse e desviei dela para seguir caminho até o portão, onde Castiel já me esperava
Debrah: Espera...- ela segurou meu pulso- será que não podemos conversar?
CJ: Estou ocupada agora, podemos conversar quando eu voltar?
Debrah: Claro!- ela sorriu- até a volta então...ou não- estranhei, mas deixei quieto
Fui até o portão e Castiel me esperava junto de Nathaniel, Ambre Armin, Lauren, Lysandre e Alexy, nós havíamos combinado de ir com mais segurança
...
Andávamos com tranquilidade até que eu ouvi um barulho, não um barulho, mas sim... várias vozes
CJ: Gente, estou ouvindo vozes
Alexy: Eu não estou ouvindo nada
Lauren: Nem eu
Lys: Eu também não
Armin: Eu também
Nathaniel: Eu estou ouvindo pássaros apenas
Ambre: Você está ficando louca
Ninguém havia ouvido nada, será que eu não estou bem? Mas... espera, o Castiel não discordou ou concordou comigo, olhei para ele e ele prestava atenção olhava para as árvores, parecia prestar muita atenção aos sons
Castiel: Está vendo aquela ave?- ele disse desviando o olhar para mim
CJ: A coruja?
Castiel: Vê que ela está com os olhos abertos? Corujas não ficam acordadas durante o dia, e aquela nem ao menos se move, é uma ave vigia, não é real, é uma câmera
CJ: O que a gente faz? Já devem ter percebido que encontramos a "ave vigia" deles
Castiel: Manda o grupo se separar em duplas e se encontrarem daqui 1 hora naquele hospital que visitamos ma vez, vamos confundi-los
CJ: Hospital Santa Luz?- ele assentiu
...
Castiel: Carol, me promete que vai lutar, independente do que aconteça, me prometa que vai lutar
CJ: O que quer dizer Castiel?
Castel: Só me prometa
CJ: ...Tudo bem, eu prometo
Ele me abraçou forte, muito forte, como se não quisesse me largar nunca mais
As vezes acho que ele quer me contar alguma coisa
1 hora depois
CJ: Ok Castiel, estão todos aqui... Castiel?
Lauren: Ué, ele estava aqui
Lysandre: Castiel!
???: Olha o que temos aqui! Quanto tempo não?- olhei para a direção de onde veio a voz e me deparei com Dake
Os guardas que estavam junto a ele bloquearam nossa saída
CJ: O que está fazendo? Onde está o Castiel?!
Dake: Opa, opa, opa, calminha- ele levantava as mãos em forma de rendição- primeiro, chamarei meu chefe "K" e depois você dá uma palavrinha com ele. K?
Em meio aos escuros corredores do hospital alguém com o rosto coberto por uma touca, só se podia ver seus olhos, nos quais não pude ver as cores por causa da escuridão suas roupas eram todas pretas assim como as dos outros assassinos
Minhas mãos se encontraram com a arma em minha cintura, assim que mirei em direção ao "K" os assassinos levantaram suas armas e miraram em minha direção
CJ: Onde ele está!?
" K" levantou uma das mãos pedindo para que os assassinos abaixassem suas armas, começou a andar em minha direção, destravei a arma
CJ: Onde ele está!?- falei mais alto, ele se aproximou ainda mais, eu já estava preparada para atirar, eu não me importava se depois aquele hospital viraria uma zona de matança, eu só queria saber onde estava Castiel, mas quando olhei para seus olhos, percebi algo que me fez abaixar a arma e meus olhos encherem de lágrimas, seus olhos... seus olhos eram cinzas
CJ:...Você?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...