História Don't be afraid, my omega - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Alfa, Bangtan Boys, Beta, Bts, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin Ômega, Jungkook Alfa, Lemon, Ômega, Park Jimin, Yaoi
Exibições 1.975
Palavras 2.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EU VORTEEEEIII
Sinceramente eu estou adorando demais escrever esta fanfic e vocês são simplesmente demais por estarem lendo, comentando e favoritando. Obrigada, de verdade !

Capítulo 6 - Forgiveness


Fanfic / Fanfiction Don't be afraid, my omega - Capítulo 6 - Forgiveness

     Jungkook não sabia muito bem como reagir sobre aquilo que estava ouvindo. Jimin gritava escandalosamente e só soube correr naquele momento de tensão. Os dedos gelaram e seu coração parecia falhar à cada batida, respirar já era falho. Notou que a porta de seu quarto estava aberta e por algum motivo o trinco havia sido arrebentado. Andou depressa e viu o corpinho pequeno do ômega jogado sobre a cama, alguns vermelhos espalhados pelo mesmo e seu amigo parado bem a frente. Cerrou os punhos e rangeu os dentes. Os seus olhos haviam se tornado amarelos, uma tonalidade amedrontadora, ele poderia atacar a qualquer momento aquele desgraçado. Ainda não havia caído a ficha que um ser que no mínimo gostava havia feito coisas ruins com o menor. 

     Avançou alguns passos e levou os palmos até os cabelos negros, voltando a respirar normalmente, por mais que isso fosse impossível naquela situação tão crítica. Aquele pequeno garoto já sofrera tanto e agora Jeon estava deixando ele sofrer novamente sobre as mãos de outro alguém. Era tão cruel e sem coração daquele jeito? Jamais imaginava que chegaria naquele ponto. O alfa era simplesmente o poço da maldade, o puro veneno. Sabia que se alguém provasse de seu cálice - que por fora era tão bonito e preenchido com várias pedras preciosas e ametistas brilhantes- morreria em meros segundos. Era a flor mais bonita do jardim, mas nela se apresentavam espinhos que poderiam acertar até sua alma. Era o doce mais amargo que conhecera na vida. Era a água que fora transformada em vinho. Era a serpente que rastejava pelo solo e enganava as pessoas no paraíso em que vivia. Era o mal caminho que a maioria pessoas insistia em seguir. Como havia se tornado aquilo?

     - Jeon, achei essa criatura repugnante mexendo nas suas coisas. Ele parecia estar querendo roubar alguma coisa. Eu tentei de tudo para que ele parasse. Desculpe pela porta, prometo pagar mais tarde. - Disse o amigo sorridente, como se tivesse ganhado um troféu por agredir o mais velho. - Posso enxota-lo daqui? - Pegou o menino Park pela camiseta branca, arrastando-o para perto da saída, passando sem pudor algum perto de Jeon. Este jurava que poderia mata-lo ali mesmo. Tentou acalmar-se, porém, não obteve sucesso algum.

     - Larga ele, agora. Eu só estou te pedindo isso. - A voz de alfa se fez presente e estalou os dígitos. Piscou algumas vezes para espantar a raiva que guardava em seu coração acelerado.

     - Qual é, está protegendo esse imprestável? Não me diga que realmente viraram amigos! Caramba, essa sua cara me diz tudo. Espere até os outros saberem, vão ficar todos de queixo caído! - Riu alto enquanto largava Jimin no chão frio. Esfregou as mãos em um ato maligno. Eles sabiam de seus pontos fracos e Jungkook provavelmente estaria fodido na mão deles.

     - Não o conheço, eu apenas não quero qualquer tipo de agressão em minha casa. Se for para fazerem isso, façam lá fora. - Abanou para o outro e simplesmente deu as costas para os dois que se encontravam naquele quarto. Ouviu um fungar antes de passar pela moldura da porta, largando qualquer tipo de sanidade que ainda guardava.

     Não queria deixar o baixinho, mas fora obrigado, sua reputação era mais importante do que qualquer outra coisa. Se aquilo fosse destruído sabia que nada mais restaria. Imagina se alguém desconfia que alguém como Jeon Jungkook estava sendo amigo e acolhendo alguém tão desprezível e inútil quanto Park Jimin. Suspirou e esperou que saíssem de seu quarto. Por incrível que pareça nada havia acontecido, seu colega apenas saiu de lá com um sorriso terno em seus lábios, movimentando-se como um vitorioso para fora daquele lugar. Deixou que as costas batessem na parede e se arrastasse na mesma. Havia se dado por vencido, havia sido atingido com uma flecha no lugar certeiro, bem no coração.

     - Estamos indo agora. Vou deixar para que você termine com aquela carcaça. Ele não vale nada mesmo. Onde já se viu um ômega que nem pode reproduzir invadindo sua casa? Não sei como você não notou. Eu poderia ter matado ele se quisesse, mas creio que você queira ver o sangue dele jorrar. De nada. - Agarrou as coisas que lhe pertencia e bateu no ombro do outro amigo, o puxando para a saída, acenando em um ato de despedida.

      Sentiu nojo daqueles seres e a repulsa dentro de seu corpo estava o matando. Até de si mesmo ele sentia enjôo. Como pudera ter feito aquilo com o ômega tão indefeso? Correu novamente para o quarto. Encontrou o pequeno em posição fetal em um canto isolado de seu cômodo, chorando o mais alto que podia. Ele gritava e o alfa mal sabia se era de dor ou de medo. Praguejou-se por ser tão fraco e não te-lo ajudado. Suas mãos tremiam e ele jurava que viu Jimin ficar ainda mais encolhido e o olhar com pavor. Aproximou-se por mais que ele não quisesse, levou as mãos até os cabelos escuros do outro e tentou reconforta-lo. Um rastro de sangue se fez presente em sua testa e aquilo revirou o estômago do maior. Queria poder auxiliar aquele serzinho tão indefeso e dócil, mas sabia que se encostasse nele, tudo estaria perdido. Ele havia quebrado por uma bobagem que Jungkook mesmo havia feito. Haviam trocado de papéis naquele momento, o repugnante agora... Era Jeon Jungkook.

     - Deus... O que eu fiz? - Estava quase chorando naquele momento, por mais que soubesse de seu erro. Cobriu a boca com as mãos.

     - N-Não toca em mim... - O mais velho apenas se deu o trabalho de retirar seus palmos dos olhos, observando o quanto sentia nojo do alfa. Não queria nem que este estivesse por perto, afinal, sua companhia agora já não era mais algo tão bom assim. - P-Por favor me deixe em paz! E-eu vou embora! - Levantou-se com um solavanco e correu daquele lugar apertado e frio. Jeon assustou-se com o pedido e quis desabar. Como ele havia guardado aqueles sentimentos justo por ele? Por que era tão frio a ponto de não se importar com o pequeno?

     Jungkook o seguiu assim que lembrou-se de que havia trancado a porta da frente. Espiou pelo canto das paredes Park tentando loucamente abrir a entrada. O trinco quase saltava para fora, os parafusos tremiam enquanto força era distribuído neles. O ômega nem sabia onde se encontravam as chaves e a tentativa de encontra-las seria falha. Nem se quer as encontraria, pois o mais novo as guardava dentro dos bolsos da calça. Este segurou o molho entre seus dedos, balançando-o, fazendo um barulho de tilintar entre eles. O pequeno virou-se para ver as chaves com o outro. Bufou quando as viu e sentiu que nada poderia fazer para pega-las. Era fraco e tentar rouba-las era impossível, já que Jeon era um alfa muito mais forte.

     - M-me dá elas Jungguk! - A voz do ômega ainda estava embargada devido ao choro recente. Ele apenas queria sair dali, para ir à lugar algum, o lugar que a ele não pertencia.

     - Jamais darei elas à você. Não vai poder sair daqui! - Tentou não ser grosseiro, mas naquele momento era algo inalcançável. Jungkook apenas o queria por perto, queria poder se redimir da bobagem que havia criado. Queria seu perdão. Sabia que o moreno menor nunca o perdoaria pelas idiotices que sempre fazia, mas não deixaria de tentar.

     - V-você m-mentiu para mim! Disse que nunca mais iria deixar alguém me machucar. Do que isso vale para você agora? Seu estúpido! Eu realmente achei que havia encontrado meu lugar no mundo, tudo graças a você, mas me enganei. Você é como todos os outros. Me machuca e vai continuar a me machucar, para sempre. Eu não sirvo para você e nem para ninguém. - Esbravejou enquanto notava o maior se aproximar gradativamente, tentava se afastar, porém, este acabou por bater as costas na parede atrás de si.

     - Dá 'pra calar a porra da boca Jimin?! - Jogou o molho de chaves o mais longe que pode, livrando-se de qualquer maneira do outro rapaz fugir. O mesmo se calou momentaneamente, apenas deixando que sua cabeça caísse para frente, juntamente com seus cabelos escuros.

     - Desculpe... - Engasgou-se sobre a própria fala, amaldiçoando-se novamente por ser tão babaca. Sabia que não deveria ir contra a palavra de alguém mais importante que si, que nunca deveria estar se contradizendo. Park sempre esperou ser tratado de uma forma diferente, mas o outro moreno se quer se importou quando estava sendo agredido por pessoas que este conhecia. Parecia o fim do mundo, gostaria de desaparecer ou ter um ataque cardíaco e morrer ali mesmo, sem mais nem menos. Era isso que sempre desejou para si, então, não lhe fazia diferença alguma. Em um ato repentino o alfa segurou o queixo do menor, levantando seu olhar para cima e o impedindo de desviar de si.

     - Pare de dizer tantas bobagens. Eu sou um completo filho da puta, eu sei disso. É de minha natureza ser dessa forma, mas porra... O que você está fazendo comigo garoto? - A voz saia tão rouca da garganta de Jeon que jurou rasga-la e fazer um buraco em seu pulmão. Morreu por dentro e nem havia notado isto.

     - E-eu só não queria... - Interrompeu o maior cobrindo seus lábios com o dedo indicador em um voto de silêncio.

     - Já disse para calar a porra da boca... - Novamente o menino Jimin calou-se e se manteve em seu pequeno mundo obscuro. - Agora para de me olhar com essa tristeza toda e me beija logo.

     - O-o que...?

     Antes que pudesse terminar ou raciocinar qualquer outra coisa naquela frase, seus lábios foram tomados em um pequeno selar, sem movimento ou pensamentos errados. Para Jungkook era doce e quente. Aqueles lábios eram tão maravilhosos e fartos. Era como comer mel. Nunca se esqueceria daquele pequeno momento. Não sabia ao certo como havia feito e como guardou coragem para beija-lo. Sabia de todos seus pontos ruins, mas se quer se arrependeu de te-lo feito. Ele faria de novo e de novo, mesmo que o mundo acabasse segundos depois. Naquele instante apenas pode sentir um arrepio na espinha. Nunca mais  ele deixaria alguém tocar nele, nunca mais seria o babaca que sempre fora. Jeon apenas queria aquele ômega para si. Ele era definitivamente seu ômega. Moveu os lábios e sugou o inferior do pequeno, mordendo o local com luxúria. Lambeu com cuidado a boca cheia de Jimin e pediu passagem com a língua durante outro beijo que haviam iniciado. O outro deixara toca-lo e apenas acompanhou o ritmo rápido do alfa. Cessou o ósculo quando faltou-lhe ar.

     - Me desculpe por simplesmente ser assim. Eu sei que um beijo não vai lhe ajudar a me perdoar. Eu só nunca mais quero ser dessa maneira, eu chego a ser mais repugnante do que você. Eu quem não presto dentre nós dois. - Acariciou a bochecha agora corada de Park, parecia um tomate. Era tão fofo!

     - M-mas e os outros? - Questionou sobre seus colegas, ficando com medo que o mais alto voltasse atrás de sua palavra. Ele não queria sofrer novamente, nunca mais.

     - Que se fodam eles. Eu não pensei direito quando ele me lançou aquelas palavras. A única coisa que eu tenho é minha reputação na escola e como ninguém te respeita naquele lugar, imaginei que estaria perdido. Porém eu notei que reputação não é a única coisa que eu tenho nessa merda que eu chamo de mundo. - Tentou ser o mais calmo possível. Jurava que tropeçaria nas palavras e provavelmente travaria, já que sua respiração não estava diferente. Seu coração poderia parar em segundos.

     - Eu não queria te atrapalhar em nada, não quero ser um incomodo. Eu apenas achei que me trataria bem depois do que me disse naquele dia. - Permitiu-se sorrir ao ver o rosto tão sereno e tímido do ômega. - O que tem de tão importante? Não quero me intrometer muito, mas sou curioso... - Lançou um sorriso amarelo, rindo sem humor.

     - Eu tenho você agora. Você é meu ômega, apenas meu e de mais ninguém.


Notas Finais


VOU CORRER PARA AS COLINAS DEPOIS DESSA SHABUSA

Espero que não esteja indo rápido demais ou coisas do tipo, nem eu sei o que tá acontecendo com o Kook.

Enfim, espero que tenham gostado!


COMENTE!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...