História Don't Fight Today - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kook, Yaoi
Exibições 36
Palavras 2.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey!
Eu sou tão enrolada pra fanfic grande... mas eu tenho uns pontos, eu ando tentando melhorar minha escrita lendo algumas coisas sobre português e outra, eu como uma leitora de fanfics também tive que achar tempo para livros, fanfic e responder as pessoas que falam comigo pela internet. Mas isso são apenas desculpas, eu demoro realmente para escrever, sério, um dia todo, enquanto outras pessoas eu invejo que tem essa facilidade, eu até prometeria que vou ser mais ativa e postar capítulos todo dia ou tal dia, mas tenho medo de me comprometer e não fazer. E 31 favoritos, muito obrigada, sei que algumas aqui tem 100 ou mais favoritos, mas 31 já é muito pra mim, pois nem esperava ter isso.

Eu preciso urgentemente de uma beta, então se souberem de alguém. T_T

[ Ps: Não é uma atualização e sim uma junção de dois capítulos, até porque eu achei pequeno os dois separados. ]

Boa leitura.

Capítulo 4 - O outro erro.


O colégio era chato, não podia evitar acordar – mesmo que minha intenção e maior desejo fosse ficar na cama o resto do dia – cedo pois continham uma sirene irritante para acordar todos os alunos, o lugar erra rígido demais e me deixava assustado de certo modo. O sol não havia aparecido ainda, mas todos estavam de pé naquela hora, podia muito bem ouvir os passos e falas vindo do corredor que também se misturavam com os alto-falantes que havia dentro do quarto – Seria uma escola militar?! – Perguntei para mim mesmo, não gostava do lugar e não pretendia ficar por muito tempo, nem desfiz minhas malas e as coisas que estavam dentro da caixa continuaram lá, só preciso arranjar um jeito de sair do lugar.

Porém ao mesmo tempo que a vontade de sair reina em mim, meu medo de decepcionar minha mãe é maior, então pedirei várias desculpas e irei me redimir bastante quando sair dessa espelunca; que não é tão espelunca assim. Esfreguei meus olhos e espreguicei, continuei sentado na cama com os olhos pesados de sono.

— O senhor pretende ficar parado aí por quanto tempo? – A figura grande se aproximou encarando-me com um sorriso brincalhão assim revelando para mim naquela escuridão do quarto que era apenas Taehyung.

— Hmm... – Fiz minha melhor cara de pensativo enquanto passava a mão no queixo. — Para sempre?! – Soou mais como uma pergunta, mas era com certeza uma afirmação.

— Ande logo, não acho bom você se encrencar no primeiro dia. – Continuou me encarando o que me irritava um pouco. – Vista seu uniforme, estou te esperando na porta, o Kook já saiu.

— Kook? – Indaguei, então era esse o nome do outro garoto, o ranzinza.

— Jeon Jungkook para ser mais exato, mas eu chamo ele de Kook para irrita-lo. – Explicou enquanto pegava alguns cadernos e deixava o quarto, me abandonando dentro daquela escuridão.

Fiz o maior esforço para levantar daquela cama, meu corpo doía, não estava enxergando, mas os roxos ainda se encontravam em mim mesmo minhas roupas tapando todos. Passei minha mão pela parede tentando procurar um interruptor de luz para sair daquele breu, mas a decepção foi grande ao ver que não ligava, ou a gente estava sem luz; ou aquela luz havia queimado e nenhum dos dois bonitinhos tinham reclamado sobre isso. Um resmungo saiu de meus lábios pegando meu celular que ainda estava na cama e ligando a lanterna do mesmo e clareando o quarto. Parei para analisar o local, era quase um loft, havia quatro camas, três ocupadas e uma vazia que provavelmente será ocupada; mais a frente podia ver um sofá e algumas roupas jogadas por ele; cada um tinha sua mesa de computador também, claro que as dos meninos tinham suas coisas enquanto a minha estava com algumas caixas que eu não pretendia abrir.

Joguei a luz para a cama e pude ver o meu uniforme ali dobrado, não lembro quando foi colocado, removi minhas roupas e sem banho mesmo coloquei aquela camisa branca e a gravata, as calças não couberam em mim então apenas continuei com as minhas jeans, peguei o paletó o joguei por cima do ombro e sai do quarto dando de cara com Tae. Já não haviam muitas pessoas, alguns garotos passavam correndo, já outros reclamavam do atraso. Começamos a andar, Tae não parava de falar algumas coisas, não me lembro direito o que era porque me perdi observando o amanhecer pelas grandes janelas do corredor.

 

[...]

 

Estive presente em todas as aulas, fiquei quieto no meu canto, hora ou outra Tae insistia em tentar conversar comigo, as vezes eu o respondia, mas a maioria das vezes abaixei minha cabeça e tirei um cochilo. Diferente do resto da escola, as salas de aulas eram as mais simples possíveis, talvez para concentrar mais os alunos. Quando a sirene finalmente tocou anunciando o fim das aulas, pude notar que o tempo que fiquei ali era grande, pois já podia ver o céu tomando uma tonalidade azul escura abandonando aquele laranja de tarde, mais acima podia ver as estrelas, já que era o fim do mundo e não haviam muitos prédios elas podiam ser vistas facilmente. Levantei da mesa notando que todos já haviam saído dali, abandonei a sala totalmente perdido se segui até o final do corredor me deparando com uma porta simples de madeira, puxei a porta que estava um pouco emperrada, mas consegui abrir e sair de dentro do colégio, foi uma das paisagens mais bonitas que eu já vi na minha vida, um monte de árvores, sempre tive um fraco por florestas, elas parecem me acolher mesmo sendo de noite – ou de dia, o vento fazia as folhas se mexerem e soltar um barulho que me acalmava. Caminhei pela trilha, deixando o vento bagunçar todo meu cabelo e as roupas, me sentia livre.

O final da trilha mostrava uma praia, totalmente deserta e eu podia saber que ali seria o meu mais novo esconderijo.

 

[...]

 

A sirene estava tocando novamente, podia-se ouvir aquilo até o lado de fora de tão alto e barulhento que era. Me dava nos nervos e fora que aquilo tocar todo dia poderia resultar em dores de cabeça, meu corpo começava a dar sinais de exaustão, afinal quem não comeu nada o dia todo e foi irresponsável novamente fui eu, mas tentava passar que estava sendo forte. Adentrei o local, prendendo a porta que já não estava meio emperrada e fui para os quartos, porque se aquela era uma saída o lado oposto era para aquela enorme escadaria e dali já havia decorado os dormitórios. Ao chegar no extenso corredor de janelas, vários garotos ao lado de fora de seus quartos, quase como uma fila, um ao lado do outro, apenas andei até o quarto que eu estava ficando e pude ver Tae e o tal garoto “Jeon Kook” ao lado de fora, os murmúrios soltavam “ tisc... garoto novo ” como se estivessem caçoando, segurei minha raiva e entrei no quarto deitando em minha cama; que não seria mais minha depois de um tempo.

Ouvi passos e senti uma leve dor em minha coxa, um estalo, levantei assustado e pude ver um homem forte com um chicote na mão me olhando com o olhar mais furioso do planeta. Me levantei e devolvi o olhar do mesmo jeito, quem esse cara está pensando que é?!

— Ele é novo, não fez por mal. – Jeon disse soltando um sorriso forçado para o cara.

— Ensine as regras para ele. – Caminhou até a porta encarando Taehyung que se encolheu, podia sentir o medo daquele garoto e de qualquer garoto de longe.

— Ou o que? – Desafiei falando em alto e bom tom, simples assim. — Vai me bater novamente? – Novamente aquele olhar raivoso, em alguns piscares, o gigante musculoso já estava a apertar a gola da minha blusa contra a parede do quarto.

O clima estava horrível, nunca fui tratado desse jeito em nenhum colégio, por mais que eu falasse debochado ou fizesse piadinhas, ninguém era doido de encostar um dedo em um aluno. A raiva era tanta, isso é abuso, é errado, eu queria ligar para polícia, então eles trabalhavam com agressão?! Por isso todos tinham um grande medo?! Tantas perguntas rondavam em minha mente, enquanto eu ficava sem ar. O grandalhão me olhava e balbuciava algumas coisas inaudíveis, pelo menos para mim.

Fui jogado na cama, enquanto tentava encher novamente meus pulmões de ar e ao vê-lo sair do quarto dessa vez definitivamente, deixando claro que haveria punição e dessa vez fora a vez dele de falar alto.

— Todo o quarto, vai limpar a cozinha por um mês inteiro e se alguma coisa dessa ocorrer novamente saibam que vão limpar a escola toda até eu decidir se está limpo ou não! - A batida de porta denunciou a saída e os olhares dos dois meninos foram direcionados para mim.

 

[...]

 

Assustado

Era a palavra que mais me descrevia no momento, afinal depois do ocorrido de ontem, algo que nunca esperava acontecer dentro de uma escola, meus pais pagavam para eu estar ali e no final éramos tratados como um lixo humano. Depois de todo aquele circo, tive que aguentar mais coisas ainda e uma série de explicações dos dois garotos e também mais ameaças, posso descrever exatamente como foi a conversa.

Depois da saída do grandalhão do quarto, os olhares raivosos de Taehyung e Jeon Jungkook vieram em minha direção, forcei um sorriso, dois garotos daquele tamanho contra mim, eu perderia na certa, não me encolhi, me mantive sentado na cama esperando a surra logo, mas apenas ouvi um “ Você está bem ” de Taehyung enquanto Jeon suspirou creio que frustrado com a situação, porque agora teríamos que limpar a cozinha.

— Se você quer se meter em encrenca tenta deixar a gente fora disso. – Começou Jeon, não entendi qual era a implicância dele comigo, mas confesso que era legal irrita-lo. — Nós temos regras aqui, você não pode sumir assim e aparecer entrando no quarto como se fosse dono do pedaço. – Explicou e naquela hora eu pensei, porque caralhos todos estavam fora de seus quartos?! — Se não comparecer a contagem a gente se fode, então repito, se quer se encrencar não meta a gente também, entendido?!

Balancei a cabeça positivamente que nem um idiota, tentando capitar todas as informações.

— Não fale dessa maneira Kook, você fez a mesma coisa quando chegou! – Apontou para o mesmo. — Você está bem Jimin? – Assenti. — Certo, agora deixe-me lhe explicar, todo dia ouvimos um soar irritante, isso indica os tempos, antes e depois das aulas temos que ir para o refeitório comer se não for ficará com fome, você comeu algo hoje? – Balancei a cabeça novamente, mas dessa vez para dar a entender que não. Tae suspirou. — Enfim, depois do jantar tem mais uma sirene e essa para contar os alunos, se você não estiver aqui receberá uma punição, são diversas, hoje por exemplo por desrespeitar o professor de educação física, você nos meteu em problemas, mas eu lhe perdoo, você é novo e não sabia por isso que não foi algo tão grande, porém se você fosse mais velho, eles poderiam te machucar e nós não podemos falar nada até as férias... – Seu olhar se perdeu por alguns minutos, mas o disfarce para tentar mostrar que a situação não estava ruim veio logo em seguida. — Se você quiser sair daqui fazendo esse tipo de coisa, só não nos envolva, eu não estou afim de apanhar, agora vá tomar banho.

Me levantei da cama, peguei minhas coisas e segui para o banheiro, ouvido o barulho da discussão enquanto estava trancado, os dois eram péssimos em disfarçar. Ignorei, tirando a roupa que já estava grudada em mim por causa do suor e entrei no box, deixando a água gelada cair sobre mim. Refiz e refleti sobre todos os acontecimentos recentes embaixo daquele chuveiro, que merda estava acontecendo?! Era a única coisa que eu queria saber no momento.

Terminei o meu banho e sai de lá apenas com a toalha e as roupas em mãos, assim em seguida taquei-as em cima da cama, Tae entrou no banheiro depois de mim, deixando eu e Jeon no quarto com o pior clima que existisse no mundo. Ele fingia que eu não existia e eu tentava fazer o mesmo. Removi a toalha que estava em volta a minha cintura, ficando totalmente nu no quarto sem me importar com a presença do garoto, abri minha mala que não era fora eu que tinha feito, mas sim minha mãe e peguei uma de minhas camisas pretas com manga comprida e uma calça de moletom, não queria congelar igual a noite passada, o clima ali era quente de dia e frio a noite, era bom e aconchegante, me vesti e me deitei na cama mexendo no celular, notei algumas olhadas de Jungkook sobre mim porém não dei muita bola, apenas joguei meu joguinho como sempre.

Jeon suspirou e se aproximou de mim. — Ok. – Começou, fiz uma careta enquanto encarava, o que ele queria dizer?! Ou começar...

— Eu vou te ajudar a sair daqui. – Proferiu — Mas não me meta em problemas, então tudo que nós fazermos daqui para a frente será em seu nome.

Comecei a pensar no que ele quis dizer com aquilo e enfim entendi o que se passava em sua cabeça – se é que aquela ideia tinha sido sua. – ele iria me ajudar a ser expulso, a fazer a diretora me odiar, só precisávamos bolar o que iriamos fazer para deixá-los tão irritados a ponto de não me quererem mais neste colégio, se bem que, Park Jimin sempre fora irritante, sabia como ser, poderia até criar um manual ensinando. Deixei o sorriso se formar sozinho, não o prendi como andava fazendo por muito tempo.

— Não me olhe desse jeito, a ideia foi do Tae, eu apenas concordei. – Apontou para a minha cara. — Eu só te quero longe daqui. – Bufou tentando parecer durão e saiu de perto de mim.

Me cobri, enquanto deixava meus pensamentos vagarem em tudo que podia fazer no dia seguinte e depois de muito tempo pude ficar animado com algo.

 

[...]

 

Algumas palavras pareciam ser sussurradas ao meu ouvido “ aberração ” era a que mais ouvia, podia sentir o suor e o desespero depois de ouvir algo como “ se mate logo, está ajudando o planeta ” ou “ peso no mundo ”. Respirar era algo difícil depois de ouvir claramente aquelas palavras vindo em minha direção, sim, elas eram para mim, eu podia ver o seu rosto no meio daquilo, eu podia ver os novos colegas de quartos me olhando estranho, sentia que todos ali iriam caçoar quando soubessem, a sensação de afobação me deixava horrível por dentro, ficava inquieto quando não queria. O que eu fazia era tão errado assim? Me culpei por um tempo até pensando que realmente estava errado.

 

[...]

 

— Ei! – Senti as mãos vindo de encontro ao meu braço me balançando. — Você estava gritando cara. – Abri meus olhos deixando as lagrimas correrem pelo meu rosto e abracei aquela pessoa que estava ali nem querendo saber quem era, minha respiração era pesada, mas o cansaço ou seja lá o que era aquilo me tomou novamente e pude sentir minha visão turva, tudo ficava preto quanto mais eu tentava piscar mais nada eu via, até que minha mente parou e eu pude dormir novamente, não soltei um minuto aquela pessoa, tentei escutar o que ele falava mas tudo parecia embolado para mim naquele momento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...