História Don't Fight Today - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kook, Yaoi
Exibições 18
Palavras 1.595
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Me esforçando pra manter a fanfic atualizada, to pensando em reescrever os dois primeiros caps, porque como eu mudei a escrita seria melhor mudar toda a fanfic não?! - Não estou falando de mudar a história e.e
Eu não tenho muito o que falar aqui :T

[ Não foi betado. ]

Boa leitura.

Capítulo 5 - A grande piscina de bolinhas.


 

As malditas sirenes voltaram para me perturbar, tinha dormido tão bem aquela noite pois a muito tempo não tinha uma boa noite de sono e pela primeira vez estava orgulhoso de mim mesmo por acordar sem a ajuda de um pesadelo. Fui um dos primeiros a acordar, assim levando tempo para ir no banheiro para me arrumar, sai de lá apenas quando Tae e Jeon começaram a bater na porta falando para me apressar, mas é como dizem – ou apenas eu digo – perfeição leva tempo.

— Você é meio sádico né? – Tae perguntou entrando no banheiro e se trancando lá, dei de ombros.

Hoje é o dia que começaríamos com a missão “ Expulsar Jimin da escola e fazer somente ele levar a culpa. ” Minha ansiedade estava batendo na porta, gostaria de ouvir todas as ideias dos garotos, pois pela primeira vez não tinha nada em mente, nunca fui de fazer brincadeiras, mas sim ser grosso, respondão, faltar aulas, uma coisa que aqui não daria muito certo.

Consegui encontrar o grande refeitório, a maioria dos garotos pareciam animados e já podia distinguir que aqui também havia grupinhos. O refeitório como o resto da escola era bem bonito, os azulejos da parede bem decorados, o chão era tão branco e brilhoso que seu reflexo era facilmente visto por qualquer um, a dúvida que crescia era quantos milhões esse pessoal recebia por ano para ter um lugar tão luxuoso e ainda gastava isso com alguns moleques encrenqueiros. O que foi dito para mim esses dias martelava na minha cabeça, punição.... Aquilo era doentio, bater nas pessoas por não cumprirem as coisas, imagino o folheto do lugar “ Não se comportou, apanhou! ”

Peguei uma bandeja e me servi, a comida parecia ser boa, me sentei em uma mesa sozinho até porque eu não conhecia ninguém e também não tinha o porquê de e enturmar.

 

[...]

 

Depois de aguentar todas aquelas aulas obrigatórias migrei para a cozinha devida a minha punição, os meus colegas de quarto já estavam ali e me olharam furioso pelo atraso, porque antes de ir lá passei no meu esconderijo tentando pensar em tudo que aconteceu desde minha chegada, não foram tantas coisas, foram até tediantes ao meu ver. O loiro lavava a louça e estava até engraçado com aquele avental cor de rosa e luvas amarelas e enquanto isso Jeon passava um pano nas bancadas enquanto me encarava e confesso que deixava-me um pouquinho incomodado, não tínhamos supervisores nenhum então se quiséssemos sair dali livremente podíamos, mas provavelmente não era assim que as coisas funcionavam.

 

O loiro se virou enquanto eu continuava observando os dois — Então... – Soltou. — O que vamos fazer para ajudar Jimin?

E foi assim que eu acreditei mais ainda que eles estavam falando a verdade, não que eu não pudesse fazer sozinho, mas acho que daqui para frente as coisas ficariam mais interessantes. Endireitei minha postura e me aproximei dos dois, sentei naquela bancada que Kook insistia em limpar e quando fiz isso mais um olhar raivoso veio em minha direção, aquilo estava virando mania do garoto.

— Bom, não tem como ser a tarde por causa das aulas, então alguém suspeitaria, teremos que fazer as coisas de madrugada. – E era verdade, o garoto foi esperto em fazer esta observação. — Eu tenho uma ideia, mas precisamos de tinta. – Um sorriso perverso brotou nos lábios dos três presentes ali.

 

[...]

 

Me sinto um foragido, espião, essas coisas eu só via em filmes e sei lá, em livros, nunca pensei que estaria fazendo isso de madrugada, era um pouco estranho, porém os dois acompanhavam, não entendia o porquê de terem me ajudado tão facilmente, talvez falta do que fazer, pena ou porque simplesmente sentiam falta de aprontar. A adrenalina estava me matando aos poucos, estávamos abaixados indo até um armazém que a escola tinha. O plano que Kook explicou para nós era, encher a piscina da escola – porque amanhã teríamos aula de natação. – com bolinhas, fazendo assim uma grande piscina de bolinhas e a tinta seria para fazer como se tivesse água, escolhemos azul piscina ironicamente, não saímos para comprar mas devido as reformas recentes, havia um tanto de tintas naquele deposito. Algumas coisas começavam a me intrigar, primeiro o motivo dos dois garotos estarem ali, se estavam não eram santos certo?! E porque Jeon estava me encarando tanto hoje, beleza que ele não gostava de mim, mas ficar me encarando vinte e quatro horas era irritante, mas acabei ficando quieto na minha, afinal o garoto estava me ajudando, me encarando ou não eu deveria admitir que o garoto era genial, nunca pensaria em uma ideia daquele naipe.

Shh! Não façam barulhos. – Cada um pegou um saco com as bolinhas e foram arrastando até a piscina, era basicamente um local feito fora da escola, igual a quadra.

Entramos naquele lugar amplo, com a grande piscina no meio, o engraçado é que não cobriam nada e era facilmente penetrável pois não haviam trancas. Fui puxado e posto contra a parede, tendo a visão de um peitoral.

— Tem um segurança. – Sussurrou em meu ouvido, deixando-me arrepiado sendo que meu pescoço é um lugar sensível. As luzes da lanterna passavam sobre o local e a única coisa que eu podia prestar atenção agora era o rosto do menino que vivia me encarando, era bonitinho até e sua concentração em não ser pego chegava a ser uma graça.... Quer dizer, legal, era legal. Sua expressão se suavizou e se afastou indo até o saco das bolinhas. Aquilo era tão normal, mas por um momento o meu rosto se esquentou, ignorei meus pensamentos indo até Tae que havia se escondido dentro de um armário e que agora estava abrindo a lata de tinta. A piscina não estava muito cheia então a tinta seria misturada com água.

— Tae vai para outra ponta da piscina e despeja as três latas, as outras três ou vou despejar lá do início pra ficar com a cor certa. – Ordenei pegando as duas primeiras latas e levando para o início, assim despejando o liquido azul dentro da piscina. Kook colocava todas as bolinhas ali dentro, afinal três sacos com mais de cem bolinhas iam encher a piscina rapidamente.

 

[...]

 

Após fazer todo o processo e encher a piscina com as coisas, deixamos um brinco meu lá para ser pego, afinal esse era o plano? Decidimos assim para não dar tanto na cara. Agora o objetivo era sair dali sem ser visto, o nosso grande problema não era só um, mas dois seguranças que ficavam rondando a escola inteira, entrar foi muito fácil, afinal eles não tinham começado o turno, mas agora que já era por volta das duas ou três da manhã, os dois estavam ali atrapalhando a fuga.

— Vamos nos separar. – Disse bolando um plano, afinal os caras iam ser atraídos por causa de barulho né? – Vocês vão ali e eu vou fazer barulho com as latas e sair correndo, só confiem em mim, ok? Vão. – Ordenei e eles concordaram saindo do meu campo de visão. — Espero que dê certo. – murmurei para mim mesmo, enquanto pegava a lata de tinta.

Caminhei furtivamente até um canto livre e fácil de fugir e taquei a lata fazendo um estrondo, naquela escuridão corri até uma outra passagem encontrando os cumplices da grande piscina de bolinhas.

— Corre. – Ditei e saímos correndo até a janela do nosso quarto que era muito fácil de pular, retomei o ar para os pulmões, vendo os dois fazerem o mesmo e depois dessa grande cena, rimos mesmo não sendo a melhor situação para isso.

 

[...]

 

Acordar com aquele barulho de sirene não era nada legal, mas confesso que já estava me acostumando, três dias naquele local e já cedia as regras, não era a melhor coisa a se fazer quando quer sair dali mas tinha me manter normal para não receber uma grande punição. Ontem a adrenalina foi tanta que havia esquecido dos meus machucados e de tomar um banho, me deitei na cama exausto, não era qualquer dia que eu fazia aquela bagunça toda, dormi como uma pedra, não sonhei com nada, nada, quer dizer, não me recordo de nada, o que era um pouco confuso, sempre tive pesadelos, todas as noites, não era possível que havia encontrado um lugar que me livrasse daquilo e esse lugar tinha que ser logo nesse colégio esquisito.

A porta se abriu num estrondo, me fazendo cair da cama de susto, levei uma de minhas mãos até o peito e olhei para o indivíduo que havia acabado de invadir o quarto.

— A diretora quer todos vocês na quadra, agora! – Ordenou o grandalhão com a maior convicção. Provavelmente o assunto do dia seria sobre a piscina de bolinhas.

 

[...]

 

A diretora ficava pequena naquele palco enorme, a mulher não tinha nem um metro e cinquenta, tiveram que colocar um banquinho para ela dar altura ao microfone, internamente era hilário, porém se qualquer um risse naquele momento, iria para diretoria na certa!

O comunicado sobre o que aconteceu na piscina foi breve, então ao sair daquela quadra fomos revistados, não falaram o motivo direito, apenas explicaram que a piscina havia sido invadida e fizeram uma brincadeira de mal gosto, que o professor de educação física – grandalhão como eu chamo. – Se assustou ao entrar lá com os pirralhos do primeiro ano e que agora todos estarão alerta para essas brincadeiras e se fosse descoberto o culpado ganharia uma bela de uma punição. Alguns resmungos foram escutados no momento mas continuei tranquilo com aquilo, uma hora iriam achar o culpado... eu no caso.

Estava ansioso para a próxima missão.


Notas Finais


Ps: O próximo capitulo será na visão do Kook, então eu posso demorar para postar, pretendo fazer ele enorme.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...