História Don't Forget - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Pretty Little Liars
Personagens Ally Brooke, Aria Montgomery, Camila Cabello, Christopher Uckermann, Claire Holt, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dulce Maria, Emily Fields, Gigi Hadid, Hanna Marin, Harry Styles, Lauren Jauregui, Niall Horan, Nina Dobrev, Normani Hamilton, Selena Gomez, Taylor Swift
Tags Camila, Camren, Jelena, Jodice, Lauren, Nemi, Nian, Norminah, Vondy
Exibições 121
Palavras 1.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTE VOCÊS VIRAM O CLIPE DE BAD THINGS? EU TÔ MORRENDO ATÉ AGORA, CAMILINHA ARRASAA
Enfim gente, desculpem meu surto harmonizer é que eu não consigo segurar huehue
Enfim, espero que gostem, nos vemos nas notas finais!!
(Banner maravilhoso feito pela Pervs do blog Evil Queen Edits)

Capítulo 9 - Save Me


Fanfic / Fanfiction Don't Forget - Capítulo 9 - Save Me

Extrañarte es mi necesidad

Vivo en la desesperanza

Desde que tu ya no vuelves más

Sobrevivo por pura ansiedad

Con el nudo en la garganta

Y es que no te dejo de pensar

Sálvame - RBD

2 dias depois…

Lauren

Eu estava andando de um lado para outro, como uma louca.

Só fazia um dia que eu havia me mudado com Camila para aquela casa que eu havia recebido de “A”. Era estranho, mas tudo bem.

Os médicos aparentemente confiaram mim e me deram a responsabilidade para cuidar de Camila, pelo menos por enquanto. Nina, aquela amiga dela, ficou meio relutante no começo em relação à mim, mas fiz de tudo para parecer boa, e consegui. Já a real responsável por Camila, Demi, confiava em mim até mesmo de olhos fechados. Enfim, os diretores do colégio deram um tempo para eu ficar com Camila. Até porque não faria muito sentido ela ir pras aulas agora…

Enfim, vim com Camila pra cá ontem. Ela não parecia estar muito confortável perto de mim, e aquilo estava me remoendo por dentro. Assim que chegamos, recebi uma mensagem de “A”, algo como “bem vinda”, ou coisa do tipo. A partir daí, fiquei um pouco menos preocupada.

Ela não tinha nada para se preocupar agora. Nada de mensagens de “A”, nem do squad, nem de mim… Sua talvez única preocupação fosse tentar se lembrar de algo, e ela contava comigo pra isso, e bom, talvez eu até pudesse ajudar…

xxxxx

Era de noite, e eu estava tentando cozinhar alguma coisa. Passei uma parte da tarde pesquisando no Google receitas bem fáceis, e agora estou fazendo o possível para que essa macarronada fique boa. Eu poderia simplesmente pedir uma pizza, mas eu queria recomeçar.

O cheiro até que estava bom, e fiquei animada com aquilo. Continuei mexendo, botei a carne dentro e desliguei o fogo.

Parecia bom, pelo menos.

— Tô morrendo de fome, o que tem aqui pra comer? — Camila entrou na pequena cozinha, e não deixei e prestar atenção em como ela estava vestida.

A blusa que ela estava usando era de alças, e só ia até mais ou menos metade da barriga, e dava uma boa visão de sua barriga, que aliás, era extremamente pequena. O short jeans era minúsculo, e suas pernas lindas estavam quase todas e fora.

— Acabei de fazer uma macarronada — eu disse, tentando me distrair daquele corpo maravilhoso que minha Camilinha (A/N: momento Luuis aqui) tinha.

— Ótimo, pega dois pratos — ela disse, e saiu.

Comecei a refletir em como essa nova Camila era bruta. A outra também era às vezes, mas tinha seus bons momentos. Me peguei sorrindo igual uma garota apaixonada. Eu havia passado tão pouco tempo com Camila depois daquele tempo todo, e estava apaixonada… Mas já dizia Jane Austen em “Razão e Sensibilidade”: Não é o tempo nem a oportunidade que determinam a intimidade, é só a disposição. Sete anos seriam insuficientes para algumas pessoas se conhecerem, e sete dias são mais que suficientes para outras.

Nossa, que poético. Mas era assim que eu me sentia.

Mas poderia haver um recomeço, e sim, isso poderia começar agora, hoje!

— Meu Deus, você nem sequer pegou os pratos! — Camila disse ao chegar com uma toalha de mesa. Ela parecia estar bem irritada.

— Desculpe — eu disse, acordando de meus devaneios e indo pegar os talheres e pratos.

Camila arrumou a toalha na mesa, e eu coloquei as coisas em cima e a panela com o macarrão.

— Podemos comer agora — eu disse, depois de ter arrumado tudo.

— Graças a Deus — Camilinha disse, sem emoção alguma na voz, pegou seu prato e encheu de comida.

Fiz a mesma coisa que ela, mas com quase metade do tanto que ela botou. Era muita coisa para uma pessoa só.

Camila parecia uma princesinha, mas comendo daquele jeito parecia aqueles pedreiros suados. Ela passou uns 10 minutos apenas comendo, igual uma canibal. Nossa, ela deveria mesmo estar com fome.

Quando ela terminou, ficou apenas me encarando. E aquilo foi muito esquisito.

Quando terminei, fui beber água, e trouxe um copo pra ela também.

— Hã… Lauren… — ela começou, meio em hesitante — Você me conhecia bem antes de… de…

Assenti.

— O que nós éramos? Amigas? Parentes? Namoradas? — ela perguntou, aparentemente sem querer ser discreta.

Olhei para o chão. Que constrangedor.

— Éramos… amigas — eu disse — Eu acho.

— Como assim eu acho? Ou é, ou não é! — Camila disse.

— É, nós éramos amigas — falei, ainda olhando para o chão.

Houve um breve silêncio.

— Há quanto tempo nós nós conhecemos? — Camila perguntou, com um ar de curiosidade na voz.

Tirei meu olhar do chão e a encarei diretamente. Seus olhos castanhos transbordavam curiosidade.

Abri a boca para dizer a verdade, aí pensei em uma coisa. Uma coisa… brilhante.

Tudo ficaria perfeito, não haveria mais nada a se temer.

— Nós nos conhecemos esse ano — eu disse — Ficamos amigas rapidamente, e saíamos juntas frequentemente!

Eu não acreditei no que havia acabado de falar. Eu havia mentido pra ela. Mas agora não havia volta, já foi!

Camila fez uma cara de interessada desconfiada. Aquilo devia ser estranho pra ela.

— Já que somos tão amigas quanto você diz então porque ficou me evitando? — ela perguntou.

— Eu não estava te evitando! — respondi, mas a verdade era que sim, eu estava a evitando. Porque agora ela era outra pessoa, e eu estava me segurando para não mentir pra ela sobre tudo, e eu tinha acabado de fazer isso… Ah, Lauren, como você é burra e idiota!

— Ah, foda-se — ela respondeu — Mas, agora sério, não havia nada entre nós? De verdade?

Me flagrei olhando atentamente Camila morder aqueles lábios. E ela também olhava diretamente para o meu decote. Que embaraçoso, nossa.

— Talvez tenha rolado — respondi, e ela sorriu um sorriso extremamente malicioso.

— Era isso que eu queria ouvir — ela respondeu, se levantou, e foi em direção à porta, mas antes se virou — Boa noite, Lolo.

E sorriu maliciosamente.

Essa era uma nova Camila, uma Camila bruta, mas pelo lado bom era uma Camilinha extremamente sexy. Decidi que gostava mais dessa.

Mas por dentro, eu ainda me sentia uma idiota por ter mentido pra ela sobre nosso passado obscuro…

De madrugada, naquele mesmo dia…

Camila

Estava chovendo, e muito. E pelo frio, julguei que também estava nevando.

Me enrolei nas cobertas, mas não consegui dormir. Quando finalmente consegui, foi o pior sono da minha vida.

Tive várias sequências de pesadelos, todos com mais ou menos a mesma linha de pensamento. Todos com 4 garotas, e os risos delas eram tão altos que no sonho eram como trovões, por isso quando eu acordava o medo tomava conta de mim. E aquelas garotas rima incansavelmente, até que me levantei para tomar água, e vi as quatro garotas, vestidas de branco, como se fossem fantasmas. Dei um grito, e acordei. Era apenas um pesadelo.

Eu estava suada, e as lágrimas saíam dos meus olhos incansavelmente. Os trovões ficavam cada vez mais altos, e jurei que ouvi os risos das garotas bem no pé do meu ouvido. Gritei mais uma vez, aquele pesadelo era real.

— Camila? — apenas vi Lauren abrindo a porta rapidamente — Tá tudo bem?

Olhei pra ela, ainda com lágrimas nos olhos.

— Não — respondi.


Notas Finais


O próximo capítulo vai ser bem foda, prometo.
Favoritem e comentem, até o próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...