História Don't Forget About Him. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Asahi Azumane, Daichi Sawamura, Hajime Iwaizumi, Hisashi Kinoshita, Kei Tsukishima, Kenma Kozume, Koushi Sugawara, Lev Haiba, Ryuunosuke Tanaka, Shouyou Hinata, Tadashi Yamaguchi, Tetsurou Kuroo, Tobio Kageyama, Tooru Oikawa, Yaku Morisuke, Yuu Nishinoya
Tags Daisuga, Kagehina
Exibições 40
Palavras 1.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


- Hello! Eu voltei! Agora eu estou DE férias, vou tentar trazer capítulos mais rápidos, assim da minhas outras fanfics (Miraculous Ladybug e UnderTale).
- Esse capítulo tem uma quantidade demasiada de violência.
- Boa Leitura.

Capítulo 2 - Silence.


 Com a ajuda de seu amigo, chegou em sua casa. Daichi acabou convencendo o rapaz de perder a aula de vôlei para descansar, seu corpo ainda não estava totalmente curado então o melhor era ele descansar.

 O pai de Koushi encarou Daichi com reprovação cujo se despediu de seu amigo e foi embora.

 - O que você estava fazendo com ele? - Perguntou o pai de Koushi, cujo o nome era Ayato.

 - Nada, eu estava sozinho até ele chegar… - Respondeu com receio.

 - O que você fez a noite toda sem me avisar? - Aumentou o tom de voz. 

 - Eu estava treinando…

 - Treinando o que? Treinado para dar a bunda? Seu viado de merda. - Ele partiu para o ataque, socando Suga com força.

 - Estava jogando vôlei… - Respondeu fraco, não adiantava tentar revidar, seu pai era bem mais forte que ele.

 - Calado. - Ele depositou outro tapa no seu rosto, seguido de um chute em sua barriga, não se importando com os machucados por culpa do acidente. - Era para você ter morrido naquele acidente! 

 Koushi "aceitava" o pai bater nele, era diário, chegou até agradecer por ter sofrido o acidente, gostaria de ter ficado mais tempo no hospital. Um pouco de esperança percorreu suas veias quando pensou que ficando cego seu pai lhe daria um pouco de atenção, mas estava errado. Escutou o esqueiro ascendendo e logo aquele cheiro horrível de cigarro percorrendo a casa, logo sentiu uma queimadura em seu braço fazendo ele soltar um grunido de dor, mas não foi apenas um, foram vários.

 - Para! Eu não fiz nada! Eu só quero continuar a jogar vôlei. - Sentiu outro tapa vindo em seu rosto.

 - Eu disse "CALADO!" - Não demorou muito tempo para seu pai olhar para o relógio e quase gritar: "Estou atrasado", deixou seu filho no chão e correu para pegar suas coisas para trabalhar, deixou a casa com passos largos e sem falar nada para Koushi. 

Deitou seu corpo no chão, deixando lágrimas rolarem seu rosto que estava inchado por causa dos socos, seu corpo todo doia, não apenas onde ele o bateu. Não demorou muito para ele se levantar e ir na cozinha, procurando por cubos de gelo para colocar em seu rosto e amenizar os machucados, aproveitou para lavar as novas queimaduras.

 Pensou em tentar fugir, mas não iria tão longe sem sua visão, antigamente senhor Ayato chegava a trancar no quarto ou até mesmo no porão, não deixava ele ir em nenhum lugar sem ser na escola, era complicado deixar sair com Daichi. 

 Ayato odiava Daichi com todas suas forças.

 ~ * ~


 Koushi brincava com Daichi diariamente, os dois tinham a mesma idade - 13 anos -, como Koushi não saia muito de casa, seu colega vinha visita-lo. Seu pai não tinha nada contra Daichi - naquela " época", mas uma cena destruiu todos os pensamentos bons que achou no garoto. 

 Daichi sempre foi divertido, tinha ótimas histórias para contar, sabia seu momento de ficar sério, não fazia muitas perguntas - Isso é algo que o pai de Koushi admirava no garoto -, mas também era bem preocupado. 

 Mas em uma tarde, os dois estavam brincando sozinho no quarto, no caso, era o que Ayato pensava, quando abriu a porta e se deparou com aquela cena, só queria espancar seu filho e mandar aquele garoto embora. 

Os lábios dos garotos estavam tendo contato um com o outro, estavam sentados lado-a-lado, apenas suas cabeças viradas e a mão do baixo sendo segurada pelo mais alto.

 Nunca sentiu tanto ódio na sua vida, não ia suportar um filho gay, aquele pivete não conseguia dar orgulho para seu pai - Mas não era como se ele não tentasse -, não esperava a hora daquele "amigo" dele sair para tocar em seu filho.

 - Senhor Ayato, Suga pode dormir na minha casa hoje? - Perguntou Daichi com certa doçura na voz, mas o rosto de Ayato queimava, queimava de raiva. Quanto tempo aqueles dois estavam se beijando? Era a primeira vez? Ele queria levar Koushi para casa para retirar sua inocência?

 - Hoje não. - Tentou acalma-se. - Eu preciso resolver algumas coisas com o Suga, certo? 

 - Oh, certo, desculpe então, eu vou indo. - Acenou e deixou a casa. Então foi quando começou o inferno daquele dia. Eram chutes que faria qualquer um soltar um grito, tapas em todo corpo, socos em seu rosto, queimaduras de cigarro, até mesmo cortes. Seu corpo ardia e doía, seu nariz sangrava igualmente aos seus braços, pernas, barriga cujos estavam cheio de cortes.

 "Por que?", era a unica coisa que Koushi pensava naquele momento. Era acostumado com seu pai lhe batendo, nunca entendeu o motivo, apenas sofria quando seu pai gritava: - Foi por sua causa que ela morreu.

 Refiria-se a sua mãe, que nunca chegou a conhecer por causa da morte no parto. 

 Culpar uma criança era errado, muito errado, ambos queriam um filho, mas por culpa do destino a alma da esposa foi levada. Mas Ayato não entendia aquilo

~ * ~

 A noite passou-se, Ayato acordou o filho cedo para lhe fazer curativos em seu rosto para evitar qualquer tipo de problema na escola: - Se perguntarem, você caiu da escada. - Deu um tapa leve em seu rosto e saiu de perto.

 Pegou sua guia e chegou na escola, não teve ajuda de seu amigo naquele dia, mas consegui chegar normalmente, foi até o clube e deixou as coisas em um canto. 

 - Suga, o que aconteceu com você? - Perguntou Asahi, fazendo vários olhares direcionarem para o garoto de cabelo grisalhos. 

- Nada, eu cai da escada. - Parecia uma desculpa esfarrapada se fosse um garoto com visão, mas todos acabaram por acreditar na mentira de Koushi. 

Todos menos um.

 Aquele dia foi produtivo, Suga finalmente conseguiu acertar e defender uma bola, estava evoluindo. Enchia-se de determinação para continuar a jogar, mas lembrava-se de seu pai e logo desanimava. Todos agradeceram e começaram a deixar a quadra depois de limparem-a. 

 Sentiu uma mão encostando em seu ombro com uma força demasiada, deu um pequeno suspiro pela dor e fechou seus olhos com força, logo seu corpo foi virado. 

 - Ele te bateu de novo? - Era Daichi. 

 - Não… Eu mesmo fiz isso. - Respondeu quase que automaticamente.

 - Mentiroso, se você não falar a verdade sobre o que está acontecendo, eu irei tirar a verdade da sua boca. Daichi segurou o rosto do mais baixo e começou a aproximar seu rosto do dele, Suga sentiu a respiração dele perto e notou o que ia acontecer. 

 " Eu não posso contar..."


Notas Finais


- Eai, gostaram? Favoritem, comentem e compartilhem. Obrigada pela leitura e até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...