História Don't forget me. YoonKook - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, The Vow, Vhope, Yonkook
Exibições 275
Palavras 2.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Então, primeiro eu queria dizer que, nesse capítulo teremos bastante a interação do Tae e do Jungkook. Não confundam nada...
Segundo, é que, no começo desse capítulo você vai reparar uma mudança mais fechada do Jungkook, e não estranhem, isso é um ponto bem principal para o desenvolvimento da História. Por isso, rapidinho você vai ver e talvez? (n sei) ficar confuso com a primeira parte até a última.

Capítulo 4 - Capítulo 03 Promessa.


Fanfic / Fanfiction Don't forget me. YoonKook - Capítulo 4 - Capítulo 03 Promessa.

Passei pela sala aonde pude ver Hoseok acariciando as costas de Taehyung. Subi as escadas e avistei várias portas no corredor que antes estava iluminado por uma pequena lâmpada. Eu batia de leve nas portas e encostava meus ouvidos, na tentativa de conseguir ouvir alguma coisa. No fim do corredor, a última porta, ouvi um ruído baixinho e bati duas vezes. Nada. Coloquei meus dedos na maçaneta redonda e girei com cuidado, a porta estava destrancada e para a minha sorte ela não rangia.
Abri metade da porta e olhei de relance. Seu corpo estava no chão, encolhido de costas para mim e sua cabeça encostada no colchão da cama. Entrei no cômodo e pude observar que a única sacada existente na casa estava aberta, o vento balançando a cortina transparente, dando uma visão do céu, escuro e cheio de estrelas.
Me aproximei de seu pequeno corpo e me sentei ao seu lado.

—O céu está bem bonito, não acha? Sabe, eu sempre gostei de olhar para cima e ver a imensidão que habita acima de nós, as estrelas, a grande lua e até mesmo as nuvens — Suspirei e o olhei, vendo sua cabeça se levantar e me encarar assustado.

Seu choro podia ter cessado, mas seus lábios que, estavam vermelhos e inchados, temiam levemente. O brilho da lua iluminava seu rosto, dando para ver que, abaixo de seus olhos ainda estavam molhados por conta das lágrimas.
Passei meu polegar na área molhada e o senti recuar um pouco.

—Calma, eu não vou fazer nada que você não queira. Olha, Namjoon me contou tudo. Não se sinta envergonhado, você não fez nada de errado. Tae e os outros só estão preocupados com a sua saúde... e eu também — Ajeitei alguns dos seus fios rebeldes.

Jungkook suspirou baixinho e olhou para frente.

—Eu sinto muito, além deu estragar a tarde de vocês eu deixei Tae, muito magoado — Soprou as palavras, deixando elas irem junto com o vento que saia da sacada.

Apenas neguei, incrédulo.

—Você não estragou nada. Não se rebaixe dessa maneira — Olhei nos fundo dos seus olhos.

Desviei o olhar e simultaneamente tive uma ideia.

—Jungkook-ah, vamos até a sacada? Eu queria observar o céu um pouco mais de perto — Dei um sorriso e Apontei para cima, como uma criança.

Ele relutou um pouco, mas depois de, piscar os olhos rápidos e fazer um biquinho, ele concordou.
Fui na frente e me apoiei na grade, gargalhando alto quando uma rajada de vento bagunçou meus cabelos.

Olhei para trás e vi Jungkook olhando para baixo, mordendo os lábios nervoso.
Meu sorriso morreu, me aproximei levemente de seu corpo. Minhas mãos se apoiaram em sua nuca e senti seu corpo se contrair com o toque.

—Calma. Apenas relaxe e confia em mim — Disse suave acariciando linhas imaginárias com os meus dedos.

Direcionei sua cabeça até o vão do meu pescoço e o abracei de lado, segurando de leve a sua cintura. Sua respiração ficou falhada e lentamente comecei a massagear seus cabelos.

—Pode chorar. Não se segure, se preciso chore até amanhecer — Deixei minha voz se misturar com o leve ruído do vento.

Foi dito e feito, seu corpo começou a tremer e eu pude sentir suas lágrimas quentes rolarem entre o meu pescoço. Forcei mais meu aperto em sua cintura.

—Me desculpe — Sua voz falhou e suas mãos agarraram fortemente o tecido da minha camisa.

Jungkook se virou, encostando sua testa em meu peito. Minhas mãos foram para  as suas costas.

—Shii, não tem necessidade de pedir desculpas. A culpa não é sua — Falei compreensivo.

Após alguns minutos, seu choro cessou e sua respiração começou a ficar pesada.
Ainda com Jungkook agarrado a minha camisa, fui andando devagar para dentro do quarto e, gentilmente ajeitei seu corpo no colchão macio. Peguei uma coberta que estava no dobrada no canto e estendi sobre seu corpo encolhido.
Me controlei até o fim para não tocar em seu rosto e fechei as janelas da sacada. Liguei um pequeno aquecedor que todos os quartos tinham. Sai com passos leves do quarto e resolvi ver como Tae estava, passei em frente ao seu quarto e vi que sua porta estava meio aberta, uma mania que ele tinha desde criança. Tae dormia com uma feição tranquila e agarrava fortemente um bicho de pelúcia.
Sai do corredor e desci as escadas vendo Hoseok falando com Namjoon. Logo eles me notaram e vieram mais perto.

—Como o Jungkook está? — Perguntou Namjoon não escondendo sua preocupação.

—Ele chorou bastante, pediu desculpas e agora está dormindo. E Jin? — Namjoon apenas olhou para o lado.

Segui seu olhar e avistei Jin, dormindo em uma poltrona todo coberto, parecendo confortável até demais.

—Ele ficou bem emotivo e me obrigou a ver um filme, dormiu logo no começo — Disse carinhoso.

—E Taehyung? Como foi a conversa de vocês? — Olhei para Hoseok.

—O Tae, é o Tae. Ele xingou como um irmão mais velho, se recusou a chorar na minha frente, acho que o choro era de raiva. E então ele prometeu a si mesmo que amanhã vai agir como se nada disse tivesse acontecido e vai fazer o café da manhã — Disse sorridente.

—Mas... O Tae, ele não sabe cozinhar — Falei me lembrando de alguns acontecimentos trágicos naquela cozinha. Todos envolvendo Kim Taehyung.

—Cozinhar ele não sabe, mas ele me disse que, além do Jin hyung, o "Suga Suga" Se arrisca na cozinha — Fez aspas no meu apelido de infância e me olhou arqueando a sobrancelha.

—Maldito — Praguejei — Sorte a dele que eu não trabalho e eles não tem aula. Olha, já está tarde. Boa noite — Bocejei, acenando minha mão de qualquer jeito

Após subir as escadas, fui para o meu quarto de hóspedes e literalmente me joguei na cama. Pensei em ver como Jungkook estava mas, fiquei com receio dele acordar.
Apenas fiquei pensando, o quanto aquele assunto o machucava demais, ele ficou tão inseguro, tão frágil.
Não importa o que acontecer, eu faria Jungkook sorrir. Não só até seus lábios ficarem dormentes. Eu queria faze-lo sorrir com os olhos, ver a dimensão do universo no brilho dos seus olhos.

                         ✴✴✴

Senti um peso na minha cintura, algumas cutucadas em minha bochecha e finalmente abri meus olhos. Pisquei rapidamente pela claridade e minha visão se focou. Tae estava me olhando, ele tinha duas olheiras fracas e um pequeno sorriso.

—Suga, me ajuda a fazer o café ?  — Deitou em cima de mim e suspirou baixinho.

—Porque?  — Eu imaginava o porque daquilo, mas queria ouvir da sua própria boca.

—Eu... eu queria fazer algo para Jungkook, eu sinto que peguei pesado? Eu só não gosto de ver ele chateado, principalmente comigo — Sua voz saiu abafada.

Dei leves tapinhas em suas costas e ele entendeu o recado, saindo de cima de mim. Me sentei na cama e esfreguei minha nuca. Depois de uns cinco segundos a noite ontem veio como um flash em minha mente. Os choros, a insegurança, tudo. Me levantei num pulo e rapidamente e o empurrei para fora do quarto e rapidamente descemos até a cozinha.

—O que você tem em mente? — Perguntei abrindo sua geladeira e revirando os olhos ao encontrar mais comida congelada do que qualquer coisa.

—Ele gosta bastante da cultura japonesa — Entortou a boca em dúvida —E, se fizermos uma sopa, um pouco de arroz e omeletes? — Estralou os dedos.

Assenti e mesmo cansado eu manteria a promessa que eu fiz em pensamento. Peguei tudo o que iria precisar e comecei a cozinhar.
Taehyung, do jeito que é, quase trocou açúcar pelo sal, na hora de adoçar o café.
Fiz também, uma boa quantidade para cinco pessoas já que, eu não tinha o hábito de comer pela manhã.
Depois de quase tudo pronto, deixei o arroz na panela e fui arrumar a mesa, pedi para Tae colocar os pratos, copos e talheres. No centro fui ajeitando cada bandeja tomando cuidado para não me queimar.

Ouvimos batidinhas na parede e lá estavam Jin e Namjoon. Eles estavam com o rosto todo amassado e cabelos desgrenhados. Após sentarem nas cadeiras lado a lado, Jin, bateu de leve na testa do Namjoon, pedindo para esperar os outros.
Quando o arroz ficou pronto, Hoseok desceu. Quando ele nos avistou, caminhou lento para a mesa, se sentou e começou a reclamar de sono.

—Yoongi, por quê não vai acordar o Jungkook? — Jin falou meio indeciso e olhou me suplicante.

Além de Tae que suspirou e desviou o olhar, todos me olharam. Acho que, ninguém estava pronto para tocar no assunto de ontem.
Apenas assenti e subi as escadas, indo até seu quarto. Parei na porta e devagar, eu abri. Entrei no cômodo e vi que ele estava com o cobertor cobrindo metade de sua cabeça. Me aproximei de leve e me sentei ao seu lado. Retirei o cobertor e comecei a mexer em seus cabelos.

—Jungkook? — Disse baixinho perto de seu ouvido e o senti se remexer um pouco.

Seu corpo se virou para cima e lentamente seus olhos se abriram, eles estavam inchados e essa cena cortou o meu coração. Sua boca estava seca e debaixo dos seus olhos, olheiras, também estavam evidentes.

—Yoongi? — Me olhou e deu um pequeno bocejo.

Fiz um som de confirmação e o chamei para descer e comer alguma coisa.
Ele ficou meio relutante, mesmo assim se levantou e bagunçou seus cabelos com a ponta de seus dedos. Seus grandes olhos me fitaram e como quase que, lendo sua mente eu o puxei pelo pulso de leve, não o querendo machucar e andamos bem devagar, não tinha motivo para pressa. Descemos as escadas sincronizados e passamos pela sala. Viramos em direção a cozinha e fiz um barulho com a garganta.

De repente o clima começou a ficar só um pouco tenso. Jungkook mantinha seu olhar para baixo junto de Tae.

—Tae... eu... eu, queria me desculpar por ontem. Eu devia ter comido mais, eu, eu prometo que, não irei estragar mais nada e não deixarei ninguém desconfortável com a minha presença e... — Jungkook foi interrompido por Taehyung, que se levantou e foi em sua direção, o abraçando forte.

—Cala a boca, você nunca vai estragar nada, eu que deveria ser, menos rígido com você — Tae murmurava as palavras baixinho, como se fosse um segredo.

Apenas me sentei e junto com os meninos ficamos observando a interação dos dois. Nenhum de nós ousou em atrapalhar, eles precisavam daquilo, mesmo tendo conhecido Jungkook e os outros em poucos dias eu sabia que, cada um tinha o seu próprio tempo, a sua própria maneira.

Após o momento acabar, os dois sorriam felizes. Tae voltou para o seu lugar e Jungkook se sentou na outra ponta da mesa, ficando entre mim e Jin.

—Isso é comida japonesa? — Seus olhinhos brilharam e quando eu assenti ele já foi se servindo, mas logo parou —Esqueci, Jin hyung, você primeiro.

Jin sorriu caloroso e começou a se servir. Todos se serviram logo depois e eu apenas fiquei encarando cada um naquele mesa.
Perguntei se a comida estava boa e todos concordaram com a cabeça.

—Gente! Eu também ajudei. Suga, seu ingrato — Tae falou após mastigar sua comida.

—Shii, eu fiz a maior parte — Levei meu indicador a boca pedindo silêncio de sua parte.

—Não vai comer, Yoongi? — Jin me perguntou olhando que a minha frente não possuía prato nem nada.

Neguei e disse que não sentia fome.

Quando todos acabaram Tae e Hoseok foram lavar a louça por "vontade própria" Jin e Namjoon foram conversar sobre algo envolvendo arranjos musicais, ou algo assim.

Quando eu fui me levantar vi um pequeno par de Ohashis com um pedaço de omelete na ponta. Jungkook estava me olhando com o rosto sem expressão e balançando a comida na minha frente.

—Anda, Yoongi. Meu braço está cansando — Ele encostou Ohashis bem no canto dos meus lábios e me vi obrigado a pegar o pedaço.

Mastiguei e fiquei resmungando de como aquilo era desnecessário.

—Reclamou? Come mais um pedaço — Abri minha boca, na tentativa de protestar. O que não deu certo, ele foi mais rápido e enfiou mais um pedaço em minha boca.

Mastiguei rapidamente, na tentativa de não ficar resmungando e forcei um sorriso.
Jungkook acabou de comer e foi levar seu prato para a cozinha, eu só ouvia várias vozes ao meu redor. Já não bastava minha mente, ninguém me deixava pensar. O que realmente estava acontecendo comigo...


Notas Finais


Desculpem, mas se você não leu as notas iniciais, eu sugiro que volte. É rápido. E quem leu, espero que entenda sobre o pequeno humor do Jungkook.
Ps: Na cultura oriental a maioria dos café da manhã são desse jeito, sopas, carnes, arroz e talvez ovos.
Eu realmente demorei, e não queria deixar de postar.
Eu prometo de dedinho que, o próximo capítulo vai ser bom. Muito bom.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...