História Don't go again, Loki. - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Darcy Lewis, Frigga, Heimdall, Jane Foster, Lady Sif, Loki, Odin, Personagens Originais, Thor
Tags Fanfic, Loki, Romance, Thor
Exibições 41
Palavras 3.134
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Você é doente.


 

– Eu não posso usar aquele, buquê – Kyra se encolheu ao falar com Frigg.

– O quê? – ela perguntou delicadamente – porque não?

Kyra então fitou Loki, ainda não tinham contado para ninguém sobre a gravidez, Kyra deu um fraco sorriso e inventou a primeira coisa que veio á sua cabeça – Sou alérgica.

– Alérgica? – Frigg perguntou sem entender – mas elas não causam alergias, são curandeiras.

– Ela é de outro Reino, mãe – Loki interrompeu Kyra quando percebeu que ela vacilaria – as coisas são diferentes por lá.

– Oh, claro – Frigg deu uma fraca risada – mas que tipo de alergia elas te submeteram?

– Muita coceira – Kyra disse séria – o vestido está tampando minhas pernas e outras partes, mas estou vermelha e cheia de calombos.

– Oh céus! – Frigg então empurrou o buquê dentro da caixa para o lado – se está assim, eu levo-a...

– Eu estou cuidando dela, mãe – Loki disse dando um pequeno sorriso – fique tranquila.

Frigg sorriu – Então tudo bem.

– Mesmo assim – Kyra fitou as flores segurando a respiração, mesmo não tendo cheiro algum ela queria evitar – são lindas.

– Elas realmente são – Frigg virou seu rosto observando o buquê dentro da caixa – ah, é uma pena, minha querida – ela então voltou a fitar Kyra – temos flores comuns, irei procurar algumas e então você escolhe, certo?

– Claro – Kyra sorriu.

– Ótimo.

E então os três ficaram fitando um ao outro, assim que Kyra abriu a boca para falar que tinha algo a fazer, Loki disse que tinham que resolver algumas coisas do casamento, coisas entre eles, ainda usou o termo “coisas de casal” o que deixou Frigg sorridente, eles se despediram e foram para o quarto de Loki, assim que ele abriu a porta para Kyra e ela entrou, ela percebeu que tinha alguém no banheiro, lembrou-se que Laurie queria falar algo com Loki e assim que Laurie saiu do banheiro, Loki fitou Kyra. Até ele estava confuso em relação á amiga.

– Loki...

– Temos assuntos mais importantes – ele fitou Laurie fechando a porta – mas antes de sair do meu quarto, preciso perguntar algo.

Kyra então fitou Loki desejando mentalmente que ele não perguntasse:

– Você gosta de mim? – ele perguntou, e ainda completou – você me ama e ameaçou Kyra?

– O quê?! – Laurie parecia ofendida, sequer olhou para Kyra e então fitou Loki.

– É só responder, Laurie – Loki disse se sentindo um pouco mal por ter colocado aquela questão em seu quarto.

– Você está louco? – Laurie o fitava com os olhos arregalados – você é meu amigo! Meu melhor amigo, Loki.

Kyra então fitou Laurie, antes que ela pudesse abrir a boca, ela deu um grito – Vadia!

O silêncio pairou no quarto de Loki, Laurie e Loki fitaram Kyra quem não acreditava no que estava ouvindo, foi quando Laurie colocou uma mão sobre o tórax, como se tivesse sido ofendida mais uma vez.

– Desculpe, Kyra – ela disse – mas eu não tenho ideia do que você está falando. Eu e Loki somos amigos, não tem porque ter ciúmes de nós dois, querida – ela foi andando até Kyra – não sei de onde tirou isso – ela então fitou Loki parada á porta – Loki, você é como um irmão para mim, e sempre será. Não sei de onde Kyra tirou isso, e eu jamais a ameaçaria.

– Eu li a sua mente, Laurie. O que eu ganharia mentindo?

– Loki me falou de você – ela voltou para o quarto – você o ama muito e eu sou uma ameaça.

– Você falou isso? – Kyra virou-se para Loki.

– Eu faria o mesmo, eu não aceitaria te perder para...

– Eu não tinha nada contra Laurie, até lê-la – Kyra disse – ainda não tenho nada contra ela, mas eu li, Loki. Por que é tão difícil acreditar em mim?

– Quer saber? – Laurie disse – vou deixa-los sozinhos, Loki depois falo com você.

Ela então fechou a porta e Kyra fitou Loki, não aumentou a voz novamente apesar de sua vontade ser enorme – Você não acredita em mim.

– Por que acha isso?

– Eu não acho, Loki – Kyra o fitou – eu tenho certeza. Eu não perguntei se você acredita em mim, eu confirmei.

– Eu acredito em você...

– Então por que ainda estamos discutindo sobre isso?

– Não sei, você...

– Claro que sabe! – ela gritou e então respirou fundo – você tem medo de que isso tudo seja verdade, achei que nunca veria você amedrontado, mas você está! E tudo isso porque você acha que é verdade, por mais que Laurie diga que não, você sabe que é! Ora, Loki – Kyra o fitava com raiva – você não é bobo e a conhece melhor do que qualquer um em Valhalla. Então, por favor, eu lhe pergunto: você já sentiu algo por ela que está voltando agora?

– Não! – ele praticamente gritou – não está voltando nada agora, eu amo você e vamos nos casar, você está esperando um filho meu e sinceramente Kyra – ele revirou os olhos – eu não poderia estar mais contente.

– Não é o que parece.

– Mas é a verdade, por que está perguntando isto?

– Porque você já amou-a.

– Não! – ele estava ficando furioso – pare de me ler.

– Não preciso lê-lo para saber disso, Loki! – ela gritou, as lágrimas formando em seus olhos pretos – perceba sua resposta para a minha pergunta! Você disse que não está voltando nada agora. AGORA!

– Eu não a amava. Eu nunca amei ninguém, Kyra. Eu só amo você e é quem eu pretendo e desejo amar para o resto de nossas vidas. Eu... – ele respirou fundo e sentou-se na cama – Laurie e eu... Éramos pequenos, ninguém sabe direito o que quer quando é pequeno, ela era minha melhor amiga e quando ela se foi, depois de um tempo eu senti falta dela, realmente senti Kyra – ele a fitou – e comecei a pensar nela de outro modo, mas nada nunca aconteceu entre nós.

– Bom saber – ela o fitou – quer saber?

– Não, eu não quero que você saia daqui porque lhe contei algo.

– Por que nunca me contou antes?

– Não tinha por que! – ele ficou de pé – não tinha motivos para isso, Kyra. Ela nunca importou realmente para mim.

Kyra não disse nada.

– Pare com isso.

– Parar? – ela gritou – essa mulher disse que lutará por você, eu nem conheço ela, Loki! Ela disse que não adianta o que eu faça, ela estará planejando um jeito de me tirar da jogada. E agora, ela vem aqui, faz um teatro, se faz de coitadinha e você acredita! – ela secou as lágrimas que escorreram – estou me sentindo mal, Loki. Mal por isso, por nunca ter tomado conhecimento dessa garota, Thor foi o único quem percebeu, ele me vangloriou na mesa, ELE! Seu irmão, ele me ajudou a tomar o controle, ele me protegeu quando Laurie avançou pra cima de mim, bem aqui – ela apontou para onde estava – perto dessa mesa, porque ela me ameaçou e não fiquei quieta! Thor me defendeu em todos esses momentos enquanto você... Você ria com ela, se divertia com a presença dela, achando que ela quer ser sua amiguinha! Abra seus olhos, Loki – Kyra foi andando até a porta – uma das coisas que fez com que eu me apaixonasse por você, foi o fato de ser tão perceptível, você percebia as coisas naturalmente sem ninguém precisar falar ou gritar com você.

Loki então fitou Kyra engolindo cada palavra que ela dizia.

– Não venha atrás de mim, não venha.

Ela então bateu a porta e ele pode escutar o salto da garota pelo piso de mármore. Loki balançou a cabeça e deu um soco na parede ao lado do banheiro, sua mão doeu e ele podia até ter quebrado algum de seus ossos de tão forte que foi, porém, ele não se importava. Era a primeira briga com Kyra desde que declarou seu amor pela garota, e não podia se sentir pior. Queria socar qualquer parede, mas sua mão estava dolorida demais para fazer isso, seus punhos estavam fechados e ele poderia gritar para extravasar a raiva, mas isso só faria com quem viessem até seu quarto e não queria ninguém naquele momento, pela primeira vez, não queria fazer mal a quem fosse lá para saber o que estava acontecendo.

Ela tinha razão, ele sabia que ela tinha razão. Ele não sentia nada por Laurie, ele sabia disso, seu amor por Kyra era maior do que o afeto que sentia pela amizade de Laurie, sim, amizade. Ele não sentia nada mais por ela, quando ela foi banida que talvez, pela falta que sentia e guardava para si, apenas talvez, tenha se dado conta de que gostava dela, mas aquilo nunca foi para frente. Ela sempre o entendeu, antes de Kyra, ela sempre o entendeu, sempre o fez se sentir bem, mas enquanto a tinha por perto não a queria além de ter uma melhor amiga, talvez uma irmã.

Tirou sua armadura e se jogou na cama, ainda sentado pensando em um modo de falar com Kyra, ele não queria ficar mal com a garota, pois era tudo o que tinha, tudo o que lhe importava e a garota que realmente amava. Ele tinha vontade de falar com Laurie e obriga-la a falar a verdade, pois, por mais que acreditasse em Kyra ainda estava confuso por causa de Laurie, apesar de saber como é mentir, como é manipular as pessoas, ele não acreditava que Laurie queria algo a mais com ele, não acreditava que ela pensasse além da amizade. Ou talvez não quisesse pensar. Mas precisava falar com Kyra antes, e queria falar com ela primeiro. Ela era sua prioridade e Laurie que esperasse e viesse depois.

Kyra estava sentada na Ponte do Arco íris, no lugar mais distante possível do Palácio, estava com as pernas para fora da Ponte, como nunca tinha feito antes, mas não olhava para o abismo, estava absorta em pensamentos e machucada. Não conseguia entender como Loki não lhe contara sobre Laurie antes, ela tinha contado á ele sobre Thomas, logo quando se conheceram e não aceitava que ele tenha lhe escondido isso. Fechou os olhos, algumas lágrimas desceram e ela não mexeu as mãos para secá-las, estava sozinha, e era tudo o que queria no momento.

Ela estava com medo, estava esperando um filho de Loki e tinha medo que ele voltasse a sentir falta de Laurie quando ela se fosse. Se ela fosse embora. Passou a mão na barriga acariciando o bebê, devia estar com algumas semanas, mas ela sabia que o bebê dentro de sua barriga era tudo com o que ela podia contar. Era tudo o que tinha. Talvez estivesse sendo infantil demais para pensar em sua vida sem Loki por causa de uma briga, mas tudo ficara mais difícil quando ela ficou sabendo da história de infância, e, da falta que Laurie fez para ele. Secou as lágrimas quando desceram sem cessar e antes que pudesse prosseguir com seu pensamento, ouviu alguém batendo palmas atrás de si, virou-se bruscamente e sentiu um tremendo medo, não por Laurie estar batendo palmas cinicamente atrás de si, mas por estar tão próxima ao abismo. Ficou de pé antes que algo acontecesse.

– Admita – Laurie riu – sou uma ótima atriz, não sou?

– O que você quer Laurie? – Kyra perguntou sem gritar – você conseguiu.

– Claro que não – ela riu – não seja boba, ele ama você e nunca deixaria você para ficar comigo.

– Se sabe disso por que ainda continuou a...

Foi quando Kyra cambaleou para trás, não tinha entendido direito, mas tinha acabado de levar um soco, o soco mais forte que já tomou até hoje, Laurie abaixou as mãos sorrindo, Kyra a fitou com parte da boca cortada sem entender.

– Eu luto bem – ela deu de ombros.

– Por que fez isso?! – Kyra gritou vendo o quanto sua boca sangrava, assim que passou os dedos sentiu o machucado arder – sua louca!

– Porque eu fiz isso? – Laurie riu completamente maluca – porque Loki ama você e duvida de mim, eu vou mata-la!

– E como vai explicar minha morte?

– Você se matou, pronto – ela gargalhou jogando a cabeça para trás.

– Você acha que Thor e Loki irão acreditar?

– Thor eu cuido dele depois e Loki – ela suspirou – ele será meu para sempre.

Foi quando Kyra cerrou os punhos e Laurie sorriu satisfeita. No instante em que Laurie avançou para cima de Kyra a garota deu um chute na barriga de Laurie, fazendo-a curvar em frente a Kyra quem continuou seu ataque dando um soco em Laurie, não soube muito bem onde tinha acertado o soco, mas sabia que tinha acertado, Laurie levantou furiosa. Estavam lutando sem armas, sem certo, sem espada ou escudo e Kyra estava apavorada por não ter proteção, não para ela e sim, para o bebê. Laurie deu um único soco em Kyra, e ela desviou como sempre rodopiando ao redor do adversário , mas Laurie ainda sim conseguiu acertá-la, e não só acertá-la como ataca-la com sua faca, tinha acabado de tirá-la de sua cintura e então Kyra percebeu o fundo corte que estava em todo seu braço, ela gritou, tentou ser forte, mas estava doendo cada segundo mais. Ouviu a risada de Laurie e então ergueu o pulso para lhe dar um soco, mas Laurie segurou a mão de Kyra quem não estava mais com tanta força quanto antes, foi quando ela empurrou a garota para a ponte, Kyra caiu deitada e então tossiu, tinha batido sua coluna no chão e estava sem ar, no momento em que a briga começou ela sabia que não lutaria nada bem, ainda estava abalada.

Foi quando ela se pôs de pé, foi até Laurie e conseguiu uma boa vantagem, estava furiosa. Kyra deu um soco em Laurie o que a fez deixar a faca cair de sua mão, Kyra ia intercalando socos ao redor do corpo de Laurie de modo que ela não ficasse apenas machucada, mas de modo que ela sentisse uma dor que a incapacitaria de se mexer. Foi quando Laurie parou á certa distância de Kyra, levantou o olhar até a garota e Kyra percebeu que Laurie estava com o rosto bem machucado, sua boca, sua sobrancelha e seu nariz, estavam sangrando, pouco – bem menos que o olho direito e a boca de Kyra – mas estavam sangrando.

– Pare com isso, Laurie – Kyra pediu ofegante – eu não posso lutar, eu não quero.

– Por que não?! – Laurie gritava furiosa – estava só começando, e agora – ela gritava o mais algo que podia, sua garganta começou a arder – vem a melhor parte, ninguém poderá te ouvir Kyra!

– Mãe – Loki perguntava ainda dentro palácio, no Saguão onde Frigga estava – você viu Kyra ou Laurie?

– Laurie saiu tem um tempo, meu filho – ela respondeu – Por quê?

Ele sentiu uma pontada em seu estômago e então gritou – Thor! Thor! Onde você está?! Thor!

– O que aconteceu, Loki? – Frigga perguntou assustada.

– Thor! – ele gritava e então virou-se para a mãe – Mãe, Kyra... Acho que ela está em perigo.

– O quê?

– Thor! Desgraçado! Thor, seu...

– O que foi? – ele entrou no Saguão pelo outro lado com sua voz ecoando como trovão.

– Laurie... Ameaçou Kyra quando você estava por perto? - Loki perguntou.

– Sim, ela ama você, Loki. Ela é uma louca, psicopata...

– Você viu Kyra? – Loki interrompeu Thor desesperado.

– Ela saiu daqui, disse que estava bem e que só queria ficar sozinha – Thor fitou Loki.

Loki saiu correndo e Thor foi logo atrás com Frigg e então gritou:

– Loki, o que está acontecendo?

– Kyra saiu e logo em seguida Laurie – ele disse correndo, podia ver duas sombras bem ao fim da Ponte – quer que eu desenhe?

– Mãe – Thor fitou Frigg – chame o pai.

– Por quê? O que está...

– Laurie matará Kyra – Thor disse – chame-o.

– Oh céus – ela saiu correndo para dentro do Palácio.

Thor e Loki corriam até o fim da Ponte do Arco íris e a medida que iam chegando, Loki desejava mentalmente que Kyra e o bebê estivessem bem, eles perceberam que logo atrás estava Odin, Frigg, Sif, Volstagg e mais algumas pessoas.

– Ele nunca terá você para sempre – Laurie ameaçava Kyra enquanto a mantinha no ar – eu te disse que sou boa em mágica, e você? Você não era uma bruxa, Kyra?

– Me põe no chão! – Kyra gritava.

– Cala a boca! – Laurie gritou, Thor e Loki puderam ouvi-la – agora vem a parte divertida.

Ela então fechou a mão fazendo com que Kyra parasse de respirar a garota então tentava puxar o ar para dentro de seus pulmões, e estava prestes a desmaiar. Foi quando caiu bruscamente no chão recuperando o ar, apoiava os braços no chão piscando os olhos, olhou ao seu redor para entender o que estava acontecendo, e foi quando sentiu ser puxada pelo cabelo o ar faltou-lhe por mais alguns segundos enquanto obrigatoriamente era colocada de pé. Laurie – completamente louca e com dor por causa do martelo de Thor tê-la jogado para trás de Kyra – segurava Kyra pelo pescoço, percebeu que Thor, Loki, Odin, Sif, Volstagg e Frigga vinham em sua direção.

– Nem mais um passo, ou eu quebro o pescoço dela! – Laurie gritou – ela arruinou minha vida! Meus planos.

– Que planos? – Loki gritou completamente furioso, tinha medo de arriscar e pensava em um modo de livrar Kyra de Laurie – solta ela, Laurie.

– Por que eu deveria? E que planos Loki? – ela gargalhou apertando o pescoço de Kyra que estava quase desmaiando – Ela arruinou minha vida. Eu tinha feito planos para mim, para você, para nós.

Loki estremeceu, ela estava completamente louca, mas ele não foi capaz de dizer nada.

– Eu chegaria aqui, te beijaria, declararia meu amor para você e pronto! Seriamos felizes para sempre, mas não – ela apertou mais Kyra quem se contorceu ficando sem ar – ela tinha que estragar tudo, eu vou matar você! – ela gritou.

– Pare com isso! – Thor gritou – solte-a agora!

– Cala essa boca, seu oxigenado! – ela fitou Thor com ódio nos olhos – eu sempre o odiei, não sei o porque! Foi tudo em vão, porque eu te detestava por causa de Loki, mas foi tudo em vão! – ela gritou e então pegou a faca do chão, Kyra não conseguia se mexer direito, só fitava Loki tentando não desmaiar – Eu vou mata-la.

– Não vai! – Odin saiu de trás deles, Kyra pode sentir Laurie estremecer.

– Seu velho! – Laurie gritou – se afaste ou eu irei cortar a garganta dela sem pensar duas vezes.

Odin continuou andando com cautela e Kyra sentiu um corte no seu pescoço.

– Pare! – Kyra gritou, chorando e de olhos fechados – pare, Odin!

Ele então olhou em direção a faca, o sangue do pescoço de Kyra estava escorrendo e ele então parou, Loki deu dois passos e mais fundo foi o corte, a única coisa que ele fez foi gritar, ele estava sem seu cetro então, não podia ataca-la, seu grito saiu esganiçado, mas o foi máximo que conseguiu:

– Não mate-a – ele berrava – por favor Laurie, não mate Kyra e meu filho.

Kyra novamente sentiu Laurie estremecer e então começou a chorar, mesmo com os olhos embaçados, percebeu todos os olhares em cima da garota, olhares surpresos, amedrontados e principalmente, olhares preocupados.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...