História Don't Let Me Die Here - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Rosalya, Violette
Tags Alexy, Castiel, Lysandre, Rosalya
Exibições 53
Palavras 1.211
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, meus amores!
Gostaria de pedir mil desculpas por ter demorado tanto para atualizar! O problema é que eu estava em semana de provas finais e como todos, dediquei meu tempo a isso. Esse período já acabou (Graças a Deus) e eu pretendo voltar a postar com tudo ok?
Em questão das minhas outras fanfics, eu dei um tempo em Falling Skies (acho que volto com ela logo, pois as ideias para ela estão fluindo), e Counting Stars, minha nova história com o Justin, o próximo capítulo sairá hoje (provavelmente). Link de ambas nas notas finais.
Espero que me desculpem! Vamos para de enrolação e já para o capítulo. / Aviso logo que tal foi escrito com muito carinho, e dedicado as Lysandretes /
Ah, esse magya da foto é o Chace Crawford que interpreta o Lys <33

Capítulo 12 - Your Pain Is Mine


Fanfic / Fanfiction Don't Let Me Die Here - Capítulo 12 - Your Pain Is Mine

 

You shout it loud
But I can't hear a word you say
I'm talking loud, not saying much
I'm criticized, but all your bullets ricochet
You shoot me down, but I get up
(Titanium - David Guetta ft. Sia)

 

P.O.V Angel

 Lysandre me ligou hoje cedo, disse que o avião já havia pousado. Tranquei as portas do apartamento e entrei no carro. Não que ele tenha pedido para eu buscá-lo, eu só preciso rever meu melhor amigo. Nas últimas semanas, eu não falei com Castiel. Ele também não cogitou a ideia de me procurar. Não nego, eu sinto saudades do ruivo, das suas brincadeiras e até das crises de nervosismo que ele tinha. Sempre foi bom o acalmar, ver o quanto ele, apesar de esconder, é vulnerável. Estacionei em uma das vagas do aeroporto e desci rapidamente. Cumprimentei alguns dos seguranças e fui em direção ao portão seis, local onde desembarcaram.

 Rolei os olhos pelo grande salão e o encontrei em um dos cantos, sentado em um sofá. Aproximei-me do platinado e ele se levantou, dando-me um abraço apertado. Eu queria, mas não consegui segurar as lágrimas.

- Angel – olhou no fundo dos meus olhos – Quanto tempo! – me abraçou novamente – Senti tantas saudades!

- Eu também, Lys! – funguei – Tem várias coisas que você precisa saber – assentiu enquanto caminhávamos até o carro.

Contei a ele tudo o que aconteceu, como eu reagi à volta de Castiel, a descoberta de Rosalya, o drama inteiro. Ele pediu que eu o deixasse vê-la.

- Angeline, eu vou até a casa da Rosa – beijou minha testa – Depois nos vemos!

 

P.O.V Lysandre

 Quando me contavam a situação de Rosalya, parecia muito comum. Estou prestes a bater em sua porta e confesso, não estou preparado para encarar como ela está lidando com isso. Uma pequena frecha foi aberta, revelando uma garota totalmente pálida, olhos inchados e cabelos desgrenhados. Abracei-a enquanto minha visão se embaçava por conta das lágrimas. Senti minha camiseta umedecer. Tranquei a porta enquanto ainda a tinha em meus braços. Sentamos no sofá e fitamos o chão por um determinado tempo. Não sabíamos o que falar. Segurei suas mãos e acariciei seus pulsos, como sempre fazia para acalmá-la.

- Angel me contou tudo – ela me encarou com os olhos marejados.

- Não diga nada a Leigh, por favor!

- Você dirá a ele! Tudo tem seu tempo.

- Obrigado, Lys – me abraçou novamente – Por tudo!

- Sempre que precisar! – deitei-me no chão e apoiei sua cabeça em meu peito. Ficamos ali, parados, sentindo o peso da vida. O peso do desmoronamento dos sentimentos. Conseguia ouvir seu coração batendo rápido, sua respiração descompassada. Minha camiseta veio a encharcar seguido de soluços. Dessa vez não a interrompi. Ela precisa chorar, é necessário que a dor consuma um pouco.

 Não sei como Leigh reagirá à notícia de que não poderá ter filhos, pelo menos não com Rosalya. Meu irmão não faz o tipo de cara que se prende a pessoas. Desde criança, sonhamos com uma família perfeita, uma esposa linda e uma casa cheia de crianças. Todos nos damos esse luxo.

 Senti a respiração de Rosa ficar leve, sinal de que ela dormiu. Observei seu rosto enquanto ela descansava. A expressão calma, a ruguinha mínima que se criava em sua testa, a semente de um sorriso, os fios de cabelo loiro que caíam na frente de seus olhos. Mesmo Rosalya sabendo disso, eu assumo todos os dias que ela é a mulher mais bonita que conheci. Bonito de verdade é quando ela cora após elogios. Incrivelmente perfeita. Pego-a em meu colo e levo até seu quarto. Ele não mudou nada. Os tons claros na parede, os ursinhos na poltrona, pôsteres de bandas, várias fotos de nós em um mural. Repousei seu corpo na cama e puxei as cobertas, cobrindo-o.

 

 Escorei-me na bancada, tomando o café recém-feito. Tirei o celular do bolso e liguei para Leigh. Preciso avisá-lo que eu cheguei.

- Lysandre? – suspirou – Porra, pensei que nunca ia me ligar! – ouvi um gemido de fundo – Cala a boca! – murmurou ele.

- Não acredito! – bati a mão com força na pia – Você está traindo a Rosalya? – sussurrei – De novo?

- Eu? q-quer dizer... na-não – começou a gaguejar.

- Não minta para mim, Leigh!

- Lysandre, tu acha que eu ia conseguir ficar esse tanto de tempo sem transar? É só uma puta qualquer!

- Sabe o que você deveria ter? – bufou do outro lado da linha – Vergonha na cara! Na moral! – desliguei rapidamente.

 Joguei o celular no tapete da sala e subi as escadas, indo em direção ao quarto de Rosa. Ela ainda dormia. Tirei meu tênis e chutei-os para algum lugar dali. Tirei minha camiseta e deitei ao lado da platinada. Aconcheguei-a em meu peito e comecei a acariciar seus cabelos. O perfume de rosa que eles liberavam, tomou conta da minha respiração e acabei adormecendo.

 

P.O.V Alexy

 Todos dançavam ao som de Gold (Kiiara), corpos mexendo no ritmo da batida. Pedi um Sex On The Beach ao bartender, que me serviu prontamente. Rolei meus olhos pela boate, encontrando em um local mais afastado, um garoto fodidamente lindo. Caminhei até ele.

- Oi! O que faz aqui sozinho? Me chamo Alexy e prazer só na cama! – dei meu melhor sorriso malicioso.

- Olá! Sou Andrew! – apertou minha mão enquanto desencostava da parede – Estou esperando começar minha música – arregalou os olhos assim que Crazy In Love começou a tocar. Era a versão feita para Cinquenta Tons De Cinza.

 Andrew foi para a pista, começando a dançar sensualmente no ritmo da melodia. Passava as mãos pelo corpo, de vez em quando mordendo os lábios. Meu pau já dava indícios de vida, pulsando sem parar dentro da calça. Apertei-o por cima do pano, fazendo com que eu sentisse mais desejo ainda. O moreno me olhava enquanto dançava. Seu olhar era cheio de luxúria e suas íris tinha um tom mais escuro que o normal. Eu poderia fodê-lo em cima de uma mesa qualquer, agora mesmo.

You got me looking, so crazy, my baby

 Minhas mãos coçavam ansiando pelo brinquedinho de Andrew nelas. Dei alguns passos em direção a ele, mas fui interrompido pelo barulho do meu celular. Olhei com fúria para o aparelho.

- Lexy?

- Rosalya Monroe, eu estava prestes a foder um gostoso, e você me atrapalhou! – fiz biquinho mesmo sabendo que ela não veria – Corta a amizade!

- Alexy, meu amor! Eu preciso que você venha aqui em casa! – bufei alto.

- O que porra eu vou fazer aí?

- Precisamos decidir o que fazer no aniversário da Angeline! – revirei os olhos. Puta merda, ela estragou minha foda por nada.

- Vai tomar no cú, Rosinha! Eu iria foder o Andrew até o dia amanhecer, gemendo até ficar rouco! E tu me chama para organizar festa da Angel? Depois decidimos!

- Alexy! – gargalhou – Controla esse fogo, purpurina! Parece que tá na seca há anos! – riu novamente – Vem logo, amor! Te amo! – desligou na minha cara.

 Voltei o olhar para o centro da boate, mas não encontrei o moreno, deve ter ido embora. Entrei em meu carro e dirigi até a casa de Rosa. Havia um acúmulo de pessoas em frente a uma praça. Freei e desci rapidamente, abrindo espaço entre toda aquela gente. O que porra estava acontecendo ali?

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, eu amei escrever! E esse suspense no final?
Sim, meu povo! Teve ponto de vista do Alexy Purpurinado! Pensaram que ia rolar hot né? SAFADENHOS ( ͡° ͜ʖ ͡°)
Bom, eu tenho duas perguntas básicas para fazer: Qual livro favorito de vocês? E filme?
Gente, feedback é super importante! É gratificante para um autor quando ele vê seus leitores comentando sobre e etc. Então peço que sempre que puderem, deixem suas opiniões! <33

Titanium --> https://www.youtube.com/watch?v=JRfuAukYTKg
Ezra Miller (Andrew) --> https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/22/21/92/222192742ceb2fe16ed787cb41cd4998.jpg
Falling Skies --> https://spiritfanfics.com/historia/falling-skies-6977078
Counting Stars --> https://spiritfanfics.com/historia/counting-stars-7140385


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...