História Don't Let Me Die Here - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Rosalya, Violette
Tags Alexy, Castiel, Lysandre, Rosalya
Exibições 187
Palavras 1.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi Brasil! Postei hoje mesmo, porque estou com uma imaginaçao dos céus! O próximo agora só segunda! ^-^
Fanfic de Amor Doce no ar!
No momento da música OUÇAM ANJINHOS! Enquanto leem, ok?
Tentem nao me matar! MUITA TRETA! <33
Beijinhos de Luz!
Nos vemos nas notas finais...

Capítulo 2 - Stay


Fanfic / Fanfiction Don't Let Me Die Here - Capítulo 2 - Stay

- Lysandre já foi e Debrah acho que também! – disse Castiel.

- Ok! Fala logo o que você tem para dizer! – exclamei nervosa.

- Calma Angel! Você ainda tá com raiva de mim e tudo bem! O que tenho para te falar é muito importante! – fomos em direção à cozinha.

 - Você tá me deixando preocupada Cast, fala logo! – ele me serviu um chá. Acha que vai me acalmar assim, querido? Que engano!

- Eu vou precisar viajar! – sério Castiel? Me preocupou tanto para nada?

- Nossa! Meu Deus! Ele vai viajar, ouviram? CASTIEL IRÁ VIAJAR! – ironizei.

- Porra Angel! Me escuta! – falou ele se exaltando. Baixa a bola, ruivo! Murmurei em resposta.

- Eu vou viajar em uma turnê com a banda – pausou – E só volto daqui a um tempo – Lysandre também não faz parte de tal? E não me falou nada! Maldito vitoriano!

- Quanto tempo? – indaguei. Preocupa-me o tempo que ele irá passar lá.

- Alguns anos – como assim? – Exatos dois anos! – Dois? É muito tempo!

- Wow! Isso tudo? – assentiu ele – Não acredito Castiel! Tudo isso? – perguntei.

- Sim! Angel eu queria te falar, mas tentei achar o momento ideal – ele se encaminhou ao centro da sala, onde eu estava andando de um lado para o outro.

- E ‘’o momento ideal’’ é depois de uma transa com Debrah? – o encarei fazendo aspas no ar.

- Eu atrasei tudo! Viajo daqui a três dias Angel! – confessou ele friamente.

- E me contou tudo agora? Três dias antes? – já não controlava as lágrimas que insistiam em fugir.

- Não chora! Por favor! – disse ele me abraçando.

- Espera! – pensei – Vocês tem um baterista, um guitarrista, um compositor, mas e o vocalista?

- Então... – parou – Sobre isso... – Ele parecia nervoso.

- Então?  - incentivei-o a continuar.

- A vocalista será Debrah! Ela pediu e eu concordei, nós precisávamos de alguém e ela estava lá.

 Aquilo me atingiu em cheio. Era como se alguém tivesse arrancado meu coração com as próprias mãos. Senti uma dor tão grande no peito que pensei que alguém tivesse me perfurado as costelas. Minha reação foi dizer várias verdades ao ruivo.

- Debrah? É sério? Aquela mesma vadia que te traiu? Não podemos estar falando da mesma Debrah! – ele me encarou tão profundamente que era como se ele pudesse ver minha alma e toda a minha angústia.

- Não admito que você a chame assim, Angel! Ouviu? – gritou ele.

- Vai fazer o que? Me bater? Vem! – chamei-o. Essa altura do campeonato eu já chorava horrores, não de tristeza por ele ir embora, mas de fúria. Ele iria com ela!

- Angel! Perdão! Não queria te fazer chorar – mas já fez né fofo?

- Escolhe! – o encurralei. Ele terá de decidir!

- O que? Não acredito! Você parece uma criança! – ele tentou se desvencilhar, mas eu em momento algum iria fraquejar.

- Escolhe! Eu ou ela? – indaguei com raiva! Muita raiva! Mas do que meu corpo suportaria.

- Angel! Para com isso! Que infantil! – ele estava rindo, uma risada sem humor.

- EU OU ELA? – perguntei sem paciência.

- Quer saber? Que você se foda! É o que você merece! Se foder muito, sua ingrata! Vai embora da minha casa, Angel! AGORA! Nunca mais quero olhar na sua cara! Ciúmes? Eu pensei que você me entendesse. – desabafou ele

 Eu entendia Castiel, mas desde que ele decidiu voltar com a vadia, ele não foi o mesmo. Deixava de sair conosco para ficar com ela. Normal? Ok! Até que ele se distanciou de nós. Ouvir aquilo dele era a última coisa que desejava. Ela o mudou. Não é o mesmo. Ele jamais me diria aquilo! Castiel era daqueles amigos que te contava histórias de unicórnios e de ursinhos para você dormir bem e nas noites de trovão ele te abraçava forte perto da lareira, te esquentando.

- VOCE FEZ SUA ESCOLHA CASTIEL! – gritei, mas era um grito triste que era diminuído pelo som dos meus soluços altos. Eu estava chorando por ele! Isso nunca!

- Vai mesmo e não volta nunca! Eu te odeio Angeline Muller! – nesse momento eu não ouvia mais nada, apenas o som da tapa que eu desferi no rosto dele ecoou pela sala.

 - Você não tem direito de me odiar, maldito! Eu sempre te ajudei em tudo! Seus pais se separaram eu estava lá! Quando você pediu a emancipação eu estava lá! Quando Debrah te traiu eu limpei suas lágrimas! Eu ouvi falar do quanto a amava, mesmo sabendo que ela é uma merda! EU TE OUVI! EU CHOREI COM VOCE QUANDO NINGUÉM SEQUER NOTOU SUA DOR! Eu que deveria te odiar imensamente por não me agradecer! Eu vou embora! – disse fechando a porta com toda a força que emanava daquela briga.

 Pensei em ligar para Lys, mas ele disse que ira sair com Íris. Rosa? Jantando com o Leigh. Todos ocupados demais. Lexy viajou e Nathaniel? Ele nunca me entenderia. Ao chegar em casa, desabei em minha cama e chorei durante horas. Tudo jogado fora! Uma amizade linda de anos! Tudo pelo ralo, por conta de uma vadia! Olhei meu violão que estava em um canto próximo ao guarda roupa. Peguei-o e dedilhei algumas cordas com a voz embargada e os olhos vermelhos, lágrimas quentes molharam minhas bochechas rosadas e eu cantei aquela música.

All along it was a fever

(Foi uma febre o tempo todo)

A cold sweat hot-headed believer

(Um suor frio, uma pessoa impulsiva que acredita)

I threw my hands in the air I said show me something

(Joguei minhas mãos para o alto, eu disse ‘’mostre-me algo’’)

He said, if you dare come a little closer

(Ele disse ‘’se você se atreve, chegue mais perto’’)

 

 

Round and around and around and around we go

(Por aí, por aí, por aí nós vamos)

Ohh now tell me now tell me now tell me now you know

(Oh, diga-me agora, diga-me agora, diga-me agora, você sabe)

 

Not really sure how to feel about it

(Não tenho muita certeza de como me sentir quanto a isso)

Something in the way you move

(Algo no seu jeito de se mexer)

Makes me feel like I can't live without you

(Faz com que eu acredite não ser possível viver sem você)

It takes me all the way

(Isso me leva do começo ao fim)

I want you to stay

(Quero que você fique)

 

It's not much of a life you're living

(Não é uma vida e tanto a que você está vivendo)

It's not just something you take, it's given

(Não é apenas algo que você toma, é algo dado)

Round and around and around and around we go

(Por aí, por aí, por aí nós vamos)

Ohh now tell me now tell me now tell me now you know

(Oh, diga-me agora, diga-me agora, diga-me agora, você sabe)

 

Not really sure how to feel about it

(Não tenho muita certeza de como me sentir quanto a isso)

Something in the way you move

(Algo no seu jeito de se mexer)

Makes me feel like I can't live without you

(Faz com que eu acredite não ser possível viver sem você)

It takes me all the way

(Isso me leva do começo ao fim)

I want you to stay

(Quero que você fique)

 

Ohh the reason I hold on

(Oh, o motivo pelo qual me mantenho firme)

Ohh 'cause I need this hole gone

(Oh, porque preciso fazer este buraco desaparecer)

Funny you're the broken one

(É engraçado, você é quem está em ruínas)

But I'm the only one who needed saving

(Mas eu era a única que precisava ser salva)

'Cause when you never see the lights

(Porque quando você nunca vê as luzes)

It's hard to know which one of us is caving

(É díficil saber quem de nós está desabando)

 

Not really sure how to feel about it

(Não tenho muita certeza de como me sentir quanto a isso)

Something in the way you move
(Algo no seu jeito de se mexer)

Makes me feel like I can't live without you

(Faz com que eu acredite não ser possível viver sem você)

It takes me all the way

(Isso me leva do começo ao fim)

I want you to stay, stay

(Quero que você fique, fique)

I want you to stay, ohh

(Quero que você fique, oh)


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...