História Don't Let Me Down - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~Baekhyou

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Jeonghan, Jihancheol, Jisoo, Seungcheol
Exibições 98
Palavras 833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lírica, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei mas cheguei, não vou apresentar mais desculpas pois já está ficando chato. Espero que gostem!
Boa leitura.

Capítulo 6 - User Angel_Yoo: Hey, we need to talk.


Fanfic / Fanfiction Don't Let Me Down - Capítulo 6 - User Angel_Yoo: Hey, we need to talk.

Angel_Yoo: Hey, acho que devemos conversar.

S.coups: Você acha? Eu tenho certeza. Olha, eu não estou com raiva de você, apenas quero saber o por quê de não gostar de mim. Tem que haver um motivo!

Angel_Yoo: E tem. Me desculpa, eu não queria que achasse que não gosto de você. Essa nunca foi minha intenção.   

S.coups: Qual foi sua intenção? Eu juro que estou tentando entender você, então, por favor, colabore.  

Angel_Yoo: Eu estava confuso. Você já deve ter gostado de alguém, sabe que o amor pode deixar alguém confuso.   

S.coups: Então a culpa não é minha?   

Angel_Yoo: Não, não é culpa sua. 

S.coups: Mudando de assunto... Você gosta de sopa de legumes?  

Angel_Yoo: Claro, quem não gosta?    

S.coups: Hey, eu não gosto muito de sopa de legumes.   

Angel_Yoo: Então você é uma exceção da natureza. Seungcheol... Você irá busca Jisoo no aeroporto?   

S.coups: Sim. Quer que eu fale alguma coisa pra ele?   

 Angel_Yoo: Apenas diga que não irá demorar muito pra a gente se encontrar.   

S.coups: Eu estou incluído nesse encontro?   

Seungcheol começa a roer as unhas em sinal de nervosismo. Suas mãos começa a soar, sua barriga dá voltas. A resposta de Jeonghan demora um pouco, mas quando chega, trás uma felicidade imensa.   

Angel_Yoo: Claro que sim. Agora que comecei a fala com você, eu não irei para nunca mais.

Seungcheol é despertado de seus pensamentos com três batidas na porta. Logo Mingyu aparece avisando ser a hora do almoço. Não tinha passado muito tempo desde que tinha se mudado pra nova casa com os meninos. Foram poucos dias trazendo suas coisas pessoais pra nova casa. A casa era confortável, porém estava uma bagunça. Roupas, cuecas, louças sujas, caixa de pizza espalhada pela sala. Não importa o quanto tentassem, eles nunca conseguiam manter a casa limpa por muito tempo. 

— HYUNG! Wonwoo pegou minhas batatinhas de novo! — grita Hansol apontando pra Wonwoo que mantinha um olhar inocente. 

— Você não tem como provar —retruca cruzando os braços. 

— Você pegou minhas batatinhas ontem! Hoje foi você de novo. 

— Como você sabe que fui eu que peguei? — pergunta franzido o cenho.

— Fui no seu quarto ontem — fala olhando maliciosamente para o menino de cabelos negros. 

—Seungcheol Hyung, aquele quarto cheira a sexo selvagem. 

— Tem um cheirinho de lubrificante e couro também, ne? — diz Seungcheol. 

— É, tem sim — concorda com o mais velho. Ao perceber que estava desviando da conversa das batatas, ele grita: — Tinha migalhas de batatinhas no chão! 

— É, fui eu sim — assumiu. Hansol arregala seus olhos como se estivesse descobrindo a cura para o câncer. 

Vendo a cara do amigo, Wonwoo continua.

— Você não pode comprar outro saco, não? Deixa de ser implicante.

— Você acha que dinheiro nasce em árvore? — pergunta ironicamente. —Você por acaso acha que estou cagando dinheiro? Você vai me dar outro saco! Sabe, coisas terríveis podem acontecer com você. 

— Da logo o dinheiro da batatinha pra criança, Wonwoo — diz Mingyu enquanto abraça o namorado por trás.

 — Isso mesmo, escute seu namorado — fala com um olhar ameaçador. 

Seungcheol continuou calado. Sabia que tudo não passava de uma pequena ameaça sem fins mortais. Hansol não era capaz nem de matar uma formiga. E Wonwoo acabaria dando o dinheiro das batatinhas. A pequena briga nunca ia além disso. E assim era a vida naquela casa. Cada dias mais diferente que o outro.   

 (...)

   Esgotado, não tinha passado muito tempo no avião, no máximo uma hora e meia. Mas a semana de Jisoo tinha sido bem cansativa, o que não colaborava com o estado de espírito do garoto. 

Os dois únicos amigos que Jisoo tinha, foram deixados em Seoul. Jihan e Soonyoung iriam apenas semana que vem. Soonyoung tinha prometido dar aulas para as crianças naquela semana. 

Jisoo estava perdido, não sabia pra onde era a saída. Teria que ligar pra Seungcheol. Pegou o celular, mas quando ia digitar o nome do menino na lista telefônica ouviu seu nome ser chamado. O músico olhou para trás em busca de quem tinha chamado seu nome. Seus olhos visualizaram Seungcheol. Seu coração começou a bater de uma forma inimaginável, sua respiração se tornou pesada. Era como se estivesse preso em um dos seus sonhos, mas daquela vez tudo era real. Seungcheol correu em direção a Jisoo que despertado de seus pensamentos lhe esperava de braços abertos. O braço do maior circulou a cintura fina de Jisoo. Alguns soluços foram ouvido por Seungcheol, e com isso ele deixou algumas lágrimas escorrer pela sua face. Só pessoas próximas a ambos sabiam o quanto eles esperavam por esse encontro. Mas estava faltando alguém ali naquele abraço, e ambos sabiam muito bem quem eram.

— Jeonghan falou que não iria demorar para se encontra com a gente — diz Seungcheol durante o abraço. 

— Não vai demorar muito pra ele estar aqui, nos abraçando. —Sela a testa do menor. — Vamos esperar ansiosamente por esse dia — murmura contra o peito do maior.   


Notas Finais


Só faltava o jeonghan, ne? :'( difícil essa vida, mas uma hora esse momento chega.
Comentem, a opinião de vocês é muito importante pra mim.
Vocês tem teorias para o próximo capítulo? Compartilhe elas *~*
Até logo ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...