História Don't Look Back - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Criminal, Drama, Justin Bieber, Madison, Passado, Revelaçoes, Romance, Ryan Butler, Violencia
Exibições 69
Palavras 2.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii eu sei que demorei sorry mas fui ao concerto do Justin!!!! Não me deu tempo para terminar o cap
Espero que gostem
Boa leitura 💜

Capítulo 5 - Bipolar


- Porque me pediu para ficar mais um pouco? - perguntei encostando as costas na porta.

- Porque quero dormir...  - passou a mão pelo rosto. - E como não quero que vá sozinha, você vai ficar até eu acordar novamente. - respondeu e eu apenas assenti. - Pode se deitar comigo se quiser, domir no chão não é muito agradável como deve ter percebido e no sofá não deve ser muito melhor.

Segui-o até ao quarto e mal entrei foi surpreendida pelo quão arrumado ele estava. Não sei mas quando olho para o Justin vejo uma pessoa desorganizada que não se importa onde deixa a roupa ou a comida e não um garoto arrumado. Algo que me surpreendeu ainda mais foram os retratos virados a baixo que ele tinha em cima dos móveis, mas não achei boa ideia perguntar o motivo.

- Vai se deitar ou ficar olhando cada canto do meu quarto? - disse rude de novo e eu revirei os olhos.

Me deitei ao seu lado e fiquei pensando no que tinha feito a noite passada... havia coisas que não devia ter feito, como tê-lo beijado... mas que podia fazer agora? O pior é que não conseguia parar de pensar no assunto..  mas pior ainda era o que eu ia ouvir do meu pai quando chegasse de casa, era melhor nem pensar...

Justin's p.o.v.

Acordei com o barulho irritante da campainha, fui forçado a me levantar porque o barulho irritante me deixava dormir.

- Sim... - disse antes de abrir a porta do prédio para ver quem era.

"Abre a porta Bieber. " a voz do Richard soou me fazendo estremecer.

Não o queria deixar subir mas se não o fizesse ele ia me esperar fora e depois ia ser muito pior. Abri a porta e nem 2 minutos depois ele estava tocando a campainha de minha casa.

- Muito bem Bieber. - disse entrando pela minha casa a dentro. - Andas me a desiludir sabes?

- Então porquê ? - sorri cínico e ele negou.

- Ouvi dizer que estiveste na boate ontem e não me vieste visitar... a companhia era assim tão importante? Mais importante que a Ashley? 

- Você não sabe o que tá falando. - disse entre dentes. 

- Não sei ?  - riu. - Eu acho que sei. Você já trocou a minha filha por outra qualquer, não me admirava nada que a tivesse levado para um motel. - riu. - Mas eu não sensuro Bieber... Ashley não valia muito e estou feliz que finalmente se tenha dado conta disso.

- Filho da puta. - rosnei cerrando os punhos numa tentativa de me controlar, mas não consegui soquei o seu rosto, foi mais forte que eu.

- Você vai pagar por isto. - riu-se eu tinha lhe dado exatamente o que ele queria. - Até muito em breve Bieber. - disse saindo a porta.

Mal ele saiu eu atirei com a porta, fazendo um grande estrondo. Todo o meu corpo tremia, eu estava com raiva dele,  queria chorar, os meus olhos deviam estar super vermelhos e cheios de lagrimas, ele sempre vinha mexer com o meu psicólogo, a minha vontade era mata-lo. Eu amo a Ashley e não admito que alguém duvide disso, eu não quero gostar de mais ninguém, quero a Ashely.

Joguei a primeira coisa que me apareceu na frente contra a parede causando um barulho enorme que assutou a Madison no quarto.

- O que é que está a acontecer? - ela apareceu de repente na sala desnorteada. 

- Vai te embora! - disse abrindo a porta para ela sair, não queria vê-la na frente, não queria ver garota nenhuma na frente, não queria ver ninguém.

- O quê? Você não ia me levar? - perguntou confusa.

- Eu disse para você sair caralho, tá surda?! - gritei a fazendo estremecer.

- Você é um idiota. - ela disse saindo a porta sem olhar para trás.

Bati a porta com força e soquei a parede, estava me sentindo mal por te-la beijado, era como se tivesse traído a Ashley, eu podia simplesmente dizer que não tinha gostado, mas pela primeira vez eu gostei de tar com alguém e agora isso estava mexendo com o meu psicológico, ainda mais por causa do Richard. Ele queria que eu ficasse na merda mais uma vez, e conseguiu. Não conseguia mais segurar as lágrimas eu me estava a sentir a pior pessoa de sempre, uma merda, e para piorar por mais que eu quisesse não pensar no fato que a tinha deixado ir sozinha, mas não conseguia. Estava me a irritar o fato de me preocupar tanto com os outros ultimamente, principalmente com uma garota. 

Não aguentei, limpei o rosto peguei as chaves do carro e o meu celular e fui atrás dela.

Desci as escadas do prédio a correr para nao ter que esperar o elevador e fui ao seu encontro ela estava perto ainda.

- Madison! Espera! - pedi e ela levantou o dedo do meio pra mim sem para de andar. - Eu te levo merda! - Fui até ela. - Você tá me ouvindo? - a puxei fazendo com que se virasse para mim.

- Me solta ! - ela me empurrou. - Eu não vou com você a lado nenhum.

- Eu quero te levar. 

- Você teve chorando ? - perguntou olhando no meu rosto e a sua expressão mudou. - O que é que se passou lá dentro ?  - perguntou.

- Nada.. eu vou te levar vêm.. - tentei terminar ali com o assunto.

- Algo foi... eu posso te ajudar. - ela disse e eu soltei uma risada irônica.

- Você não sabe do que tá falando... cala a boca e vem. - comecei a andar em direção ao carro e ela veio atrás de mim.

- Você tava chorando e quase deitando a casa abaixo... algo foi...

- Cala a merda da boca caralho. Entra! - abri a porta para ela que revirou os olhos entrando no carro e eu fiz o mesmo.

- Você pode falar comigo sabe... - ela insistou, se ela não calasse a boca a minha mente ia explodir.

- Eu vou te dar um tiro se você não se cala.

- Calma, eu tou só tentando ajudar.  - disse se encostando no banco confortavelmente.

- Se calar a merda da boca vai ajudar. - respondi um pouco rude e ela bufou.

- Porque é que não me deixou vir a pé ? Qualquer lugar é melhor que tar aqui!

- Desculpa lá se te tou a ajudar. 

- E quem disse que eu preciso de ajuda, eu não preciso de você. - respondeu ainda mais rude que eu.

Madison's p.o.v.

Ele consegue ser tão irritante, não sei como acabo sempre ao seu lado. Tanto está tudo bem, como está tudo mal, essa sua bipolaridade não vai muito comigo.

- Que estupido. - pensei em voz alta e ele travou de repente me assutando.

- Pode sair se quiser, está a vontade. - ele disse me olhando com cara de gozo.

Estávamos no meio do nada, talvez ele achasse que eu não era louca para sair ali, mas eu era. Tirei o cinto de segurança e sai, o deixando sozinho no carro. Queria ver a cara dele mas não tinha coragem para olhar para trás. 

Peguei o meu celular para ligar ao Mike e dei me conta que estava sem bateria para piorar a minha situação, mas também não queria voltar para trás agora, ia continuar a pé para casa nem que só chegasse lá de noite.

- Você vai mesmo ir sozinha? - ouvi ele gritar ao fundo.

- É o que parece. - respondi sem parar de andar.

Ouvi a porta do carro bater e não resisti olhar, ele estava vindo na minha direção com a mesma cara de mau que insistia sempre em fazer.

- Qual é o seu problema? - segurou meu braço me virando para ele.

- O meu? Você devia olhar mais para você! - respondi no mesmo tom que ele.

- Você é mesmo mal agradecida, eu devia ter te deixado morrer. - disse com nojo e eu soltei o meu braço.

- E você é um ogro que acha que tem o mundo na barriga! Acha que quê?! Que pode maltratar as pessoas e tá tudo bem? As pessoas tem sentimentos sabe?! - gritei com ele e decerta forma ele pareceu ser atingido pelas minhas palavras.

- Você não sabe do que tá falando.... - respondeu calmo. - Eu nunca devia ter falado para você, não devia ter te ajudado e muito menos te ter trazido comigo. - respirou fundo.

- Eu nunca sei... - revirei os olhos. - Então porque está aqui agora?  Eu não estou te obrigando.

- Me deixa te levar a casa. - pediu e eu virei costas com a intenção de continuar a andar mas ele me impediu. - Foda-se não sejas orgulhosa.

- Eu não quero estar com uma pessoa que não quer estar comigo. Não quero ir com você se não quer que eu vá ! 

- Mas eu quero te levar se não estava aqui caralho, não complique.

- Você que está complicando tudo! Eu não consigo entender.

- Não é para estender só deixa eu te levar.

Fomos o resto do caminho em silêncio eu só abria a boca para falar o caminho e ele nem dizia nada. As suas palavras pareciam um disco riscado na minha cabeça, " Eu nunca devia ter falado para você, não devia ter te ajudado e muito menos te ter trazido comigo" ,  eu sentia-me indesejada perto dele só queria sair daquele carro, se ele não me queira por perto eu também não queria estar. A grande pergunta é, se ele não me queria junto dele porque tantos problemas em me deixar vir a pé?

- Qual delas é ?  - ele perguntou me tirando dos meus pensamentos e só aí eu percebi que já estava na minha rua.

- Aquela ali ao fundo com o portao alto. - respondi já sentindo todo o meu corpo tremer ao pensar em enfrentar o meu pai.

Ele parou em frente a minha casa e ficou olhando atentamente.

- Ta olhando o que? - perguntei e ele deu um leve sorriso.

- Nada.  - negou com a cabeça. - Tá nervosa porquê ?  - perguntou e eu o olhei de imediato. Como ele sabia que eu estava nervosa.

- O meu pai vai me matar por eu ter faltado ao seu jantarzinho. - revirei os olhos e ele riu da minha cara.

- Rebelde a menina - disse ainda rindo.

- Vai se fuder. - sai batendo a porta, ele consegue ser tão idiota, que nojo.

Comecei a andar em direção a casa toquei a campainha e o portao começou a abrir lentamente enquanto eu resava para que não fosse o meu pai a estar em casa. 

- Madison. - me chamou e eu virei me de modo a encara-lo. - Boa sorte. - piscou para mim e desapareceu numa questão de segundos me deixando sozinha.

Entrei o portão e caminhei lentamente até a casa, abri a porta tentando fazer o minimo barulho possível mas quando entrei por completo dei logo de caras com o meu pai.

- Onde você andou? -disse logo sem me dar tempo para respirar. - Você tem a noção do que fez não é ? Da falta de respeito que foi?! O Jason e os pais dele ficaram super desiludidos com você Madison!

- Eu já tinha falado que não vinha aquele jantar nem a nenhum que inclua o Jason! - disse num tom agressivo.

- Vejo como fala comigo.

- Eu não sou nenhuma criança você não pode me obrigar a fazer tudo o que você quer. - disse sem alterar o tom.

- Muito bem. Fique sabendo que está de castigo.

- O que? Mas-

- Mas nada! Está de castigo e acabou aqui a conversa pode subir para o seu quarto.

Subi as escadas até ao meu quarto correndo e fui diretao ao meu macbook e mandei mensagem ao Jason dizendo tudo o que eu estava sentindo, eu não queria mas estava tão irrtada foi mais forte que eu, tudo isto era culpa dele. Eu o odiava. Nem 2 minutos depois já tinha uma resposta pedindo para se encontrar comigo, mas eu nem respondi mais, estava de castigo e também não queria vê-lo na frente.

Pus o celular a carregar e quando o liguei vi o monte de chamadas do Mike que tinha, tive de lhe ligar, ele ficou chateado e com razão. Agora estava de castigo, sem melhor amigo e de coração partido. Podia piorar?

 

Justin's p.o.v.

Depois de deixar a Madison fui dar uma volta precisava de por as ideias no sítio, precisava me abstrair do mundo. Quando voltei a casa o Ryan já havia  chegado e ou muito me engano ou ele ia me dar na cabeça.

Fui até a sala e me juntei a ele que assistia a um progama qualquer.

- Vi a Madison aqui dormindo com você aqui ontem a noite... - ele disse puxando a conversa.

- Eu a trouxe para aqui...  ela estava bebada e queria que eu fosse com ela para a boate do Richard e eu não podia ir... então a trouxe.

- Ele viu te?

- Ele veio aqui em casa de manhã. 

- E você?

- Eu lhe dei um soco. - disse seco.

- Correção você fez merda! O que ele veio cá fazer ? 

- Não quero falar Ryan... 

Me levantei e fui em direção ao quarto. Não queria pensar em merdas que me iam deixar mal, como o Richard. Peguei um cigarro de maconha e acendi, precisava relaxar mais um pouco. 

Comecei a vaguear pelo celular e não sei bem como encontrei o numero da Madison. Desde quando eu tenho o numero dela? Havia uma grande parte de mim que me dizia para apagar o numero e fingir que ela não existia, ela ia acabar comigo e o Richard ia me torturar por culpa dela, mas por outro lado eu queria lhe ligar e brincar um pouco com a cara dela. Traguei o cigarro mais uma vez enquanto pensava se ligava ou apagava o número. Resolvi ligar. Talvez mais tarde me arrependesse.

Chamou umas 3 vezes ela atendeu a gritar.

"Foda-se eu não quero falar com-"

Calma, calma, calma! - a interrompi.

"Justin ? "ela disse surpreendida.

- Já  vi que não morreu. - ri me ela fungou.

"Antes tivesse. " disse baixo.

- Você tá chorando? - perguntei  e ela não respondeu. - Madison? Que é que você têm ? - perguntei e ai ela comecou mesmo a chorar. - Foi com o seu pai ? 

Não consegui dizer mais nada porque me desligou  o celular, tentei ligar de novo, mas ela rejeitava, porém só desisti quando atendeu.

" O que  você quer? " disse tentando parecer o mais normal possível.

- Saber o que se passa com você. - respondi.

" Você não tem muito a ver com isso. De manhã também não me contou sobre você"  

- E se eu contar você vai contar? 

"Duvido que seja do seu interesse. "

Nós já falamos. - respondi e desliguei.

Saltei da cama e fui embora nem avisei o Ryan onde ia, quando ele deu conta que  eu tinha saído já era demasiado tarde pra me dizer alguma  coisa.

 


Notas Finais


Onde irá o Justin? Haha parece me obvio
Coitado que acham que lhe vai acontecer
Bjs e ate ao proximo😘💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...