História Don't love me - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jungkook, Taehyung, Você
Visualizações 207
Palavras 1.019
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello, bitches! Eu voltei! Aproveita que eu tenho muita imaginação e adoro escrever...

Se vc n me conhehe, ignora. Sou um pouco bitolada.

Capítulo 1 - New girl in town


Fanfic / Fanfiction Don't love me - Capítulo 1 - New girl in town

Em uma nova construção, o trator que remexia a terra, bateu em algo metálico.

- Achamos alguma coisa aqui! Vamos desenterrar! - grita um dos trabalhadores, o curioso.

Depois de tanto tirar os restos de terra de cima, fora revelado um caixão revestido de cadeados.

- Me dêem um canivete! - grita um ambicioso.

Corta todas as correntes, uma por uma, assim que tenta abrir a fechadura, corta lhe o dedo, escorrendo um filete de sangue.

(S/N) ON~

Assim que senti aquele cheiro tão conhecido pelo meu nariz, abri aquela caixa dos infernos e pulei no pescoço do primeiro que vi. A sede era tanta que logo todos a minha volta estavam mortos. Segurei o último em meus braços e o ouvi implorar pela vida.

- Por favor, eu tenho que cuidar da minha família.

- Me perdoe, mas você não faz ideia da sede que sinto agora.

 Me lembrei de um amigo e resolvi ver se meu lobinho ainda estava vivo.

Corri pelas ruas, que antes eram de barro e agora eram de um material desconhecido por mim. Fui até sua antiga casa e bati três vezes, como nosso código secreto.

- Não brinca! - ouvi gritar do outro lado da porta e me enchi de felicidade. - É você! - grita assim que abre. - Que saudades, querida. - Jin me aperta.

- Ah...Oppa, eu estou muito cansada e desinformada. Me sinto velha. - ri de minhas reclamações e me puxa pra dentro.

- Vou lhe fazer um chocolate quente. - sorri animado e corre para a cozinha.

- Sua casa não mudou nada, Oppa.

- Muito obrigado, porque nessa cidade tudo mudou tão drasticamente que alguma coisa tinha que ser igual.

- Falando nisso, posso dormir aqui? - perguntei meio desajeitada.

- Claro, meu bem. - me entrega o chocolate.

- Obrigada. - o tomei, que falta desse sabor. - Ah Jin, estou tão feliz em revê-lo.

- Eu também, foram dois séculos inteiros! - me abraça.

- Quero tanto matar aquele bruxo, que nem sei o que faria se o visse andar. - me lembro do dia em que fui parar naquele caixão.

Era uma noite fria e Hoseok me chama na porta, desesperado. Corri até o mesmo e o recusei o que me pedia, abrigo. Sabia de seus crimes e queria vê-lo apodrecer diante de minha nobre casa.

Mal sabia eu que esse era um bruxo, dos rancorosos e que guardava um amor por mim. Me lançou o feitiço de que viveria pra sempre e veria todos que me amam morrer.

Depois de anos, o vi novamente, infeitiçou todos da aldeia e me declarou como um demônio. Me prenderam em um caixão preto e o envolveram com cadeados.

Implorei para sair, mas me enterraram e me esqueceram. Os anos se passaram e só hoje me acharam, graças à ganância humana em construir piscinas e casa enormes.

Jin me conta sobre tudo que aconteceu nesse tempo. Como o material desconhecido que agora sabia o nome, asfalto. Agora temos carros, celulares, mulheres estudam, podem ter relações LGBTs e serem livres, dentre tantas outras maravilhas que conquistamos.

Todo seu pró tem um contra. Os caçadores de vampiros ficaram espertos e sabem identificar quem são. O que antes nem sabiam se era verdade, hoje tem armas que jamais gostaria de experimentar.

- Acho melhor ter cuidado, (S/N). Hoseok está à espreita. - avisa.

- Jin, se ele quisesse me matar, já teria feito. - concordou e voltou a me abraçar. - Pra que isso tudo...?

- 200 anos não é pouco. Passei por muita coisa sem você. Conheci até uma pessoa.

- Ui, que pessoa?

- Ele se chama Namjoon. Ah...ele é muito fofo.

- Me apresenta à ele um dia. - concordou com a cabeça e saltitou até seu quarto, trazendo roupa de cama. - Não vou ficar...

- Ah, vai sim. - coloca no sofá e alisa meu rosto. - Quero cuidar da minha princesa.

- Jin, - seguro sua mão. - eu preciso me inturmar. Acho que seria bom me matricular para a escola.

- Péssima ideia. Você sabe que agora os caçadores estão muito mais inteligentes. É muito perigoso.

- Sei que se preocupa comigo, mas eu realmente preciso de amigos.

- Sério?! Pensei que só eu bastasse. - cruza os braços e faz biquinho.

-  Não é desse jeito. Preciso de falsos amigos pelo menos. Quero sentir minha liberdade e volta e a ser uma adolescente inconsequente.

- Pode crêr, você já é.

- Não sou. Vou me matricular agora.

- Jura? Às - olha o relógio. - 3:00 da manhã?

- Melhor não. - me sentei novamente e suspirei.

- Se for fazer essa burrada, faz mais tarde. - sorrio e o abraço.

- Você é o melhor.

- Eu sei que sou. Enfim, preciso te dar uma coisinha que te pertence. - vai ao quarto novamente e volta. - Isso é seu, não é? - me estende um anel muito conhecido pelos meus olhos.

- É sim...- o peguei e coloquei em meu dedo, o olhando com lágrimas nos olhos.

- Você não me disse sobre isso, acabei descobrindo sozinho.

- Pensei que tivesse. - abaixo a cabeça e encaro o anel, lembrando de tudo que já aconteceu.

- Não chore por ele, que não te merece. - levanta meu rosto e sorri fraco.

- Não vou. - levanto decidida. - Pelo menos vou poder andar no sol agora.

- Só não me esquece aqui. Passei muitas luas cheias sem você e a experiência não foi boa.

- Mas agora você tem aquele Namjoon pra te ajudar, né? - a olho maliciosa.

- Me respeita, garota! - ri e coloca um filme, sentando no sofá.

- Nossa. Televisão com cor! - me aproximo, tocando a tela.

- É. Evoluímos muito bem.

- Máximo. - me sento ao seu lado e encosto minha cabeça em seu ombro.

- Acho que vou ter que te ensinar umas coisas antes de ir se matricular na escola.

- Melhor...- fiquei vidrada no filme que passava. Som, cor, edição e qualidade bem melhores que antes. Genial!

....


Notas Finais


Até amanhã, babies...

~Kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...