História Don't Play With My Heart - Larry Stylinson - Capítulo 16


Escrita por: ~ e ~_UnicornLarry

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Aposta, Drama, Harry, Larry, Louis, Romance
Visualizações 123
Palavras 2.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aeee olha só quem está de volta!! Eu mesmo
Quero avisar à vocês que, como a fanfic faz 1 ano amanhã, terá um capítulo bônus amanhã mesmo (não prometo nada rssss) !!!!
Boa leitura sz

Capítulo 16 - Do you accept to go to the prom with me?


 

Pov Louis

 

Era como se eu tivesse passado uma eternidade sem ir aquela escola, estava tudo diferente, talvez seja porque eu não esteja recebendo toda a atenção que costumava receber. Eu pisava na escola, e viam várias pessoas me cumprimentavam, perguntando como eu estava, se eu estaria disponível depois das aulas. E agora, todos me olham como se eu fosse um simples novato, mas o que posso fazer? Eu mudei, e mudei pra melhor. 

Levantei a cabeça e marchei até meu armário, quando paro no mesmo, avisto Niall falando com alguns garotos nerds. Hesito um pouco em andar até ele, não quero ser visto perto de nerds... Mas quando vejo, já estou caminhando até Niall. 

— E aí Irlanda? — o cumprimentei, que logo me olhou sorrindo. Olhei para os outros caras ali. — E aí? — Sorri para eles, que abriram a boca e sorriram, me olhando como se eu fosse um ator super famoso ou algo do tipo. 

— E aí Louis Tomlinson — um deles falou, ainda me olhando admirado. 

— Só Louis cara. — Ri do jeito como eles pareceram nervosos. 

— Depois falo com vocês — Niall disse olhando para os caras ali, que concordaram sorrindo, então saíram andando, de vez em quando olhando para trás para me olhar. 

— Esses caras são uns tapados. — Niall riu do meu comentário. 

— Nem me fale — falou ele, então começamos a andar, e eu nem sabia para onde. — Ficou sabendo que vai ter um baile no dia da formatura?
Perguntou eu franzi o cenho. 

— É, pelo visto não. — Ainda caminhando, chegamos ao armário dele. — Vai ser tipo um baile de outono, não será somente para os formados, ainda bem. — Falava ele fuçando seu armário. — E você tem que ir acompanhado. — De imediato abro um enorme sorriso. — Isso Louis... Você pode chamá-lo. — Não era preciso citar nomes. 

— E você acha que ele vai aceitar? Tipo, vai ser bem difícil Gemma o deixar vir para Holmes — fiz uma careta encarando o loiro que ainda não me olhou. 

— Sabe que posso te ajudar — o loiro me olhou sorrindo. 

— Valeu Niall — agradeci, acho que só um “valeu” não era o suficiente por tudo o que ele tem feito por mim. 

— Qualquer coisa por meus amigos — piscou então saiu andando. 

Apenas fiquei ali em pé, sorrindo pelo o que ele disse. Acho que nunca fiquei tão feliz em ser amigo dele, e por saber que ele me considera seu amigo. Ouvi o sinal tocar então sai andado. Vou andando alegremente até minha sala, não me importando com nada nem com ninguém, estou feliz, e se tudo der certo eu vou recuperar Harry de novo, e se isso acontecer mesmo, eu vou fazer de tudo para não o perder novamente. Enquanto ando, acabo trombando com alguém, me fazendo desequilibrar e cair. 

— Ai porra! Olha por onde... — Reconheço a voz e levanto meu rosto, dando de cara com Zayn, e ao seu lado Liam. — Olha só quem apareceu! — Exclamou ele ao me olhar. Bufei e me levantei, limpando minhas roupas. 
— Estava sumido Louis — Liam falou então olhei para os dois. 

— Assuntos pessoais — falei seco, não querendo mais papo com eles, que se diziam meus “amigos”. Então sai andando, passando por Zayn, mas o mesmo segurou em meu braço e me colocou em sua frente. 

— Qual é Lou, não vai contar aos seus amigos o que andou aprontando? — seu sorriso sarcástico estava ali, e a palavra “amigos” não combinava de jeito nenhum com eles. 

— Eu já disse, é pessoal, não quero que vocês estraguem as coisas de novo — falei e logo eles entenderam. 

— Opa! Opa! Nós não estragamos nada, pequeno Tomlinson, você que acabou se envolvendo demais com aquela vadiazinha do Harry Styles. — Liam falou sorrindo, então todo meu sangue ferveu, eu segurei com força o colarinho de sua camisa, e o empurrei, fazendo encostar-se aos armários. Fiquei na ponta dos pés, para poder ficar cara a cara com ele. 

— Chame-o de putinha de novo, e você vai ver o que o pequeno Tomlinson pode fazer com você Payne — falei ameaçador, bufando em seu rosto, Liam se encolheu. 

— Algum problema, senhores? — Ouvimos a voz da inspetora, então logo me afastei e endireitei minha postura. 

— Não inspetora Walker — falei sem olhá-la. 

— Então o que fazem aqui? Já para suas salas! — disse autoritária. 

— Isso não vai ficar assim, Tomlinson. — disse Liam, saindo andando juto a Zayn. Rosnei e andei para minha sala, a qual cheguei atrasado. 

 


— Não vejo a hora de estar livre disso tudo. — Niall falou enquanto sentávamos numa mesa livre do refeitório. 

— Você ainda tem mais um ano Horan — ri dele que fez uma careta. 

— Sorte sua que é seu último ano.

Resmungou pegando sua fatia de pizza e a devorando como se estivesse há meses sem comer. Apenas balancei a cabeça negativamente e comecei a comer, também não vendo a hora de estar livre da escola, e poder ir para Londres, onde vou ficar com Harry. Esse pensamento me fez sorrir, nunca fui o tipo de cara que pensa no futuro casado, com filhos e um cachorro, mas eu penso com Harry, penso em nos casarmos, termos milhares de filhos e cachorros. 

— Ei! Ei! — Niall me chama, interrompendo meus pensamentos, olho para ele que não me olha. — Porque Malik está nos encarando? 

— Não sei — dei de ombros, talvez eu soubesse, mas preferi ficar calado. 

— Será que é porque eu peguei a última caixinha de leite? Olha se ele está esperando que eu compartilhe, isso nunca vai acontecer —falou ele inocentemente, me fazendo rir. 

— Ele está olhando porque tivemos uma “conversa” hoje mais cedo — fiz aspas com os dedos. — Não foi exatamente uma conversa. — O que aconteceu? — perguntou ele curioso, ainda comendo sua pizza. 

Contei tudo ao loiro, e ele ficou furioso quando cheguei à parte em que Liam chamou Harry de vadiazinha, isso fez com que Horan quisesse se levantar e bater neles no meio do refeitório, mas eu disse que era exatamente isso que eles queriam. Queriam que nós dois nos irritássemos, e chamasse atenção da escola inteira, eu conheço Liam e Zayn muito bem. Mas convenci Niall a ficar quieto, e não ligar para eles, afinal, se um cão late você certamente não irá bater o pé. 

O resto das aulas passou lentamente, me fazendo corroer por dentro. Mas assim que o sinal bate, eu saio da escola apressadamente, me despedindo de Niall com um simples “falou”, a fim de chegar em casa, pegar o celular, ligar para Harry, e o convidar para o baile de formatura daqui a duas semanas. 

Mas assim que cheguei à esquina da minha casa, avistei o carro do meu pai, estranhei, então caminhei ainda mais rápido, quando entrei na casa, minha mãe estava mexendo em seu notebook no sofá, enquanto meu pai falava ao celular, andando de um lado para o outro da sala enorme. Franzi o cenho olhando-os, que ainda não me notaram, caminhei em direção as escadas, pronto para correr e me trancar em meu quarto, quando ouvi a voz firme do meu pai. 

— William, o seu celular — pediu e eu fiz uma careta. 

— Como é? — perguntei, mesmo tendo ouvido muito bem. — Então além de eu não poder sair e falar com meus amigos, estou sem celular? 
Olhei incrédulo para ele, e para minha mãe, que não falava nada, apenas teclava em seu notebook. 

— O seu celular William – falou firme, então fui até o meu quarto, peguei meu celular e o entreguei. 

— Eu odeio vocês! — falei e subi ligeiramente as escadas, indo até meu quarto e trancando a porta do com força. 

Passei o resto do dia jogado na cama, não tinha mais nada a fazer. Eu sei que eles são meus pais, mas eles nunca foram presentes na minha vida, porque só agora eles querem ser? Que saco! Logo hoje que eu preciso falar com Harry eles tomam meu celular, patético. 

Tentei dormir, mas fracassei, tentei até estudar para os finais das provas, mas eu não conseguia me concentrar em nada, a não ser na chance que estou perdendo em ligar para Harry. Grunhi ainda deitado naquela cama, o quarto já estava escuro, já eram seis horas. Minha barriga roncou, eu tinha que sair daquele quarto, e foi exatamente o que fiz, a casa estava um completo silencio como sempre, desci as escadas e caminhei até a cozinha, adentrei na mesma e vi apenas uma empregada fazendo seu trabalho. 

— Onde estão meus pais? — perguntei me sentando no balcão. 

— Seu pai foi à um jantar de negócios, e levou sua mãe junto — respondeu sem me olhar, apenas lavando e enxugando os pratos. 

— Que horas eles voltam? – perguntei novamente. 

— Oito — falou ela. 

— Certo, eu vou sair – disse e estava pronto para cruzar a porta e sair dessa casa, quando ouvi a voz dela. 

— Seu pai me disse para não deixá-lo sair — falou ela, agora me olhando. 

— Você não vai me impedir – falei simples e tentei sair, mas mais uma vez ela me chamou. 

— Senhor Tomlinson, eu posso ser demitida por isso — ela fez cara de triste, então pensei em tudo que passei com Harry, eu quero mudar, droga, mas eu preciso sair e falar com Niall, pedir para ele o celular, só assim falarei com Harry. 

— Te dou vinte e quatro libras, se manter a boca fechada — a subornei, pegando uma nota de vinte e quatro libras em meu bolso. — Pega, é só ficar calada e me dar cobertura, não vou demorar, eu prometo. — 
Estendi a nota, ela hesitou em pegar, mas assim que o fez, eu sorri e saí da cozinha, mas logo voltei. — Me prepara um sanduíche — mandei e sumi novamente da cozinha.  
Subi as escadas, entrei no meu quarto e troquei de roupa, depois desci e fui à cozinha, onde comi meu sanduiche e logo saí daquela casa. Fui andando apressado até a casa de Niall, quando cheguei, bati na porta, e quem a abriu foi sua mãe, acho que o nome dela é Maura. 

— Olá Louis — falou simpaticamente. — Niall está no quarto, entre, entre. — Pediu e me deu espaço para entrar, a casa dos Horan’s não é tão grande, mas acho que é ideal para uma família como a deles viver. Maura e Bobby só tinha Niall e Greg como filhos, Greg já é casado e tem um filho. 

— Obrigado, eu vou... Eu vou subir — falei, não sou acostumado a falar com os pais dos meus amigos, então de imediato subo as escadas e vou para o quarto do Niall. 

Passo pelo corredor e paro na porta do quarto dele, já vim uma ou duas vezes aqui. Bato na porta, então ouço os passos se aproximando e logo a porta de abre, Niall arregala os olhos ao me ver, então quando olho para baixo, ele está somente de cueca. 

— Credo Horan! Coloca uma roupa! — exclamei tapando meus olhos com as mãos. 

— Desculpa, eu pensei que fosse minha mãe! — ouvi seus passos, e deduzi que ele saiu correndo. — O que quer aqui Louis?! — Tirei minhas mãos do rosto e o vi vestindo uma bermuda. 

— Eu vim pedir sua ajuda, estou sem celular, e preciso muito falar com Harry e o convidá-lo para o baile — falei entrando no quarto, e sentando na cama, mesmo sem ele me dizer se podia sentar ou não. 

— Ah, claro, toma, pega meu celular — ele pegou o celular e me estendeu. — Eu vou... Eu vou buscar algo para comer, enquanto você liga pra ele.

Sorri em agradecimento, então peguei o celular e o vi sumir. Procurei o numero do Harry na agenda, logo encontrei, então liguei. Levei o celular ao ouvido, esperando Harry atender. Meu coração estava batendo forte, mas eu não posso vacilar. No quarto toque ele atendeu. 

— Fala Nialler! — Exclamou ele, com sua voz um pouco rouca, mas animada. Sorri ao ouvi-lo, hesitando um pouco em falar. — Niall? Tá aí? 

— Oi Hazz — falei quase num sussurro. 

— Louis? — estranhou ele. — O que está fazendo com o celular do Niall?
Perguntou. 

— Eu meio que... Meio que estou sem meu celular no momento — falei fazendo uma careta. 

— O quê? O que aconteceu? 

— Não se preocupe. Eu te liguei para... — travei, eu nunca convidei ninguém para um baile, as garotas e garotos se jogavam pra mim, e eu só fazia apontar o dedo e escolher algum. E se Harry não quiser ir comigo? 

— Para...? — sua voz soou no outro lado da linha. 

— Vocêaceitairaobailedeformaturacomigo? — perguntei rapidamente, e acho que nem eu mesmo consegui entender. 

— Espera, respira, e fala com calma — falou ele, então respirei e tentei falar novamente. 

— Você aceita ir ao baile de formatura... comigo? — pedi novamente, ouvindo o celular ficar mudo, meu coração acelerou, é claro que ele vai negar. 

— Eu aceito — ouvi ele responder, então meu rosto se iluminou, formando um sorriso enorme. 

— Mas como eu irei? 

— Eu dou um jeito, nem que eu tenha que ir te buscar. 

— Essa seria uma ótima ideia — falou ele, e pelo tom de sua voz, eu sabia que estava sorrindo. 

— É... seria... — suspirei sorridente. Então ficamos em silencio, não sabendo o que falar. 

— Eu... eu preciso ir agora, tenho lições para fazer, quando será o baile? 

— Daqui a duas semanas – respondi. 

— Tudo bem, então... até daqui a duas semanas... — Sorri largo com isso. 

— Até... – Sussurrei, então ele desligou e a linha ficou muda. Fiquei ainda sorrindo, sentado na cama de Niall, então o mesmo chegou. 

Ficamos ali, tentando arrumar um jeito de fazer Harry vir para Holmes. Não conseguimos pensar em nada, mas teríamos duas semanas para pensar em algo. Quando eu estava já indo embora, a mãe de Niall insistiu para que eu ficasse para o jantar, e assim o fiz, ficando com eles. Os pais de Niall nos perguntaram sobre as faculdades de Londres, essa pergunta fez Niall e eu travar. Mas logo arrumamos uma desculpa, dizendo que achamos uma faculdade perto de um apartamento bom para nós, e essas coisas, os pais dele engoliram, dizendo que estavam orgulhosos do filho por se interessar pela faculdade. E observar os pais dele o elogiando, me fez pensar em meus pais, e desejar que os mesmos fossem mais atenciosos comigo. 
As horas foram se estendendo, e quando me deu por mim, já eram oito e meia. Então sai às pressas da casa de Niall, correndo até minha casa. Quando cheguei há mesma alguns minutos depois, vi que meus pais ainda não haviam chegado, suspirei em alivio e me tranquei no quarto, me jogando na cama. 

Hoje foi um longo dia.


Notas Finais


Sei que é chato mas, quero saber se vocês estão gostando do rumo da história, então pelo amor de larry comenteeem
até a proxima!!

xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...