História Don't tell me lies - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Adrian Harris, Aiden, Alan Deaton, Allison Argent, Benfeitor, Bobby Finstock, Breaden, Brett Talbot, Chris Argent, Cora Hale, Corey Bryant, Danny Mahealani, Decaulion, Derek Hale, Dr. Valack, Enis, Erica Reyes, Ethan, Garrett, Gerard Argent, Hayden Romero, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jennifer Blake, Jordan Parrish, Kali, Kate Argent, Ken Yukimura, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Marin Morrell, Mason Hewitt, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Natalie Martin, Noshiko Yukimura, Personagens Originais, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Theo Raeken, Vernon Boyd, Victória Argent
Tags Ashley Benson, Crystal Reed, Dylan O'brien, Holland Roden, Sobrenatural, Teen Wolf, Tyler Hoechlin, Tyler Posey
Exibições 85
Palavras 3.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey my Werewolves, vim trazer mais um capítulo para vocês e já vou avisando, preparem os coletes a prova de bala porquê aí vem tiro...

Boa leitura!

Capítulo 49 - Eu vou te amar para sempre.


Fanfic / Fanfiction Don't tell me lies - Capítulo 49 - Eu vou te amar para sempre.

Ravenna POV'S

Desço do meu carro e caminho até a porta de entrada da casa de Liam. Bato na porta e depois de uns minutos a mãe dele abre.

-Em que posso ajudar? -Ela pergunta simpática.

-Boa noite, eu vim falar com o Liam, ele é meu amigo da escola. -Explico dando meu melhor sorriso.

-Ah claro, Ravenna, certo? Liam falou muito sobre você. -A mulher diz me dando passagem para entrar.

-Espero que tenha falado bem. -Respondo um pouco constrangida.

-Muito bem! Ele está lá em cima. Pode subir, é a segunda porta a esquerda. -Ela me explica e eu agradeço, subo as escadas mas paro quando chego no corredor. Começo a ouvir sons de lutas. Fico em alerta e começo a andar em passos lentos até a porta do quarto. Entro de uma vez e solto a respiração aliviada ao perceber que os sons de luta vinham de um jogo de videogame que Liam e Mason estão jogando.

-Ravenn? O quê faz aqui? -Liam pergunta não tirando os olhos do jogo.

-Hey Ravenna. -Mason me cumprimenta.

-Oi Mason. -Cumprimento de volta. -Vim ver se você está bem, precisava conversar.

-Uau, quando você ficou tão bom? -Mason pergunta após encerrar uma partida do jogo. -Andou praticando? Ou ganhou do nada reflexos super-humanos?! -O moreno pergunta sarcástico e o lobisomem troca um olhar assustado pra mim.

-Andei praticando, tenho esse jogo a muito tempo. -Liam da a desculpa.

-Eu deveria estar estudando, já está tarde. -Mason dita jogando o controle para o lado e se levantando do chão.

-Onde está indo?! -Liam pergunta e ouço seu coração palpitar mais rápido, semicerro meus olhos prestando atenção na situação.

-Para casa. Tenho prova de história amanhã. -Mason explica.

-Fala sério. Mais uma partida! -O beta insiste.

-Você disse a mesma coisa à quatro partidas atrás. -O moreno fala rindo e caminha até a porta do quarto. -E além do mais, Ravenn parece querer falar a sós com você.

-Você pode estudar aqui, e passar a noite. -Liam tenta o convencer e eu finalmente percebo o quê está acontecendo.

-Você está bem? -Mason pergunta estranhando o comportamento do amigo.

-Sim, estou. Você tem razão. Eu deveria estudar também, te vejo na escola. -Liam muda de idéia após pensar um pouco.

Mason encara o loiro por mais alguns segundos e se despede de mim com um aceno, logo ele sai da casa.

-Liam… -O chamo num murmúrio e me aproximo do mesmo que está encostado na cama, coloco minha bolsa em sua escrivaninha. -Sabe que pode me contar tudo, certo?

-Por que está dizendo isso? -Ele pergunta voltando a fazer contato visual.

-Porquê Kira me contou o quê aconteceu no hospital, vocês lutaram contra berserkers e desde então você não é o mesmo. Não consegue se concentrar em nada, tem medo de ficar sozinho... -Começo a listar o quê tenho percebido.

-Eu tenho tido pesadelos. -Liam sussurra voltando a encarar o chão.

-Com que frequência? -Pergunto preocupada.

-Todas as noites desde que lutei com um deles. -O lobisomem explica e eu respiro fundo pensando no que fazer.

-Ajudaria se eu passasse a noite aqui? Por hoje? -Pergunto com um sorriso acolhedor.

-Tem certeza? -Ele indaga.

-Eu que te pergunto, já vou avisando que eu ronco. -Falo com uma careta e ele solta uma risada gostosa.

-Eu tenho sono pesado. -Liam responde e eu sorrio.

-Parece que somos uma boa dupla então! -Murmuro.

-Posso apagar a luz? -Pergunto segurando o botão do abajur. O beta olha por todo o quarto, talvez se certificando de que não há ninguém ali. Ele acena com a cabeça e eu desligo o abajur. -Boa noite.

-Boa noite. -Ele sussurra se virando para o outro lado, fecho meus olhos para começar a dormir.

Começo a ouvir sua respiração ofegante e abro meus olhos novamente, porém não falo nada, seu coração começa a acelerar.

-Você não está aqui. Você não está aqui. -Ouço Liam sussurrar repetidas vezes e me viro para ele.

-Liam! -O chamo e ele parece acordar num susto. -Foi só um pesadelo, não foi real. -Sussurro tentando o acalmar, sua respiração se torna pesada e ele olha para todos os lados do quarto tentando achar algum berserker. -Olha pra mim. Hey. -Volto a dizer e puxo seu rosto para me olhar nos olhos. -Não vai acontecer nada, ninguém vai te machucar. Não vou deixar, eu prometo. -Murmuro e ele assente ainda em choque, seu coração desacelera e sua respiração volta ao normal. -Agora, vamos dormir. -Dito e me viro, penso mais alguns segundos e me viro novamente chamando sua atenção, nos encaramos por alguns segundos e eu o puxo para deitar em meu peito, começo a fazer um carinho em seus cabelos e ele parece se acalmar mais ainda.

-Isso é bom. -Ele sussurra e logo cai no sono, não demora muito e eu me entrego ao cansaço.

(…)

-Onde você estava?! -Derek pergunta após eu entrar no loft, olho para trás e percebo que Scott também está presente. Meu primo está sentado no sofá e o alfa em pé enfrente a mesinha de centro com uma sacola vermelha.

-Na casa do Liam. -Respondo simples guardando as chaves do loft em minha bolsa.

-A essa hora? -Derek volta a perguntar e eu reviro os olhos por sua preocupação desnecessária.

-Eu dormi lá. -Respondo novamente sem paciência.

-Porquê você dormiu lá?! -Scott pergunta num tom elevado, sinto o cheiro do nervosismo e até um pouco de raiva nele.

-Eu aprecio muito a preocupação dos dois em relação a minha vida pessoal mas relaxem, continuo solteira. -Digo e pisco meu olho direito, Derek dá uma risada anasalada enquanto Scott arqueia as sobrancelhas.

-Certo. -Derek volta a falar e empurra a sacola vermelha em direção a Scott.

-Não vai nem perguntar o porquê de eu ter demorado para devolver? -Scott pergunta surpreso.

-Quanto você ganha na clínica veterinária? -O Hale pergunta cruzando os braços.

-Um salário mínimo. -O alfa responde dando de ombros.

-Esse é o motivo. Todos podem ficar tentados Scott. Até mesmo um alfa genuíno. -Derek fala despreocupado.

-Alguém pode me explicar o quê está acontecendo? -Pergunto confusa me aproximando deles.

-É o dinheiro do Peter. Scott achou no armário do Garret. -Derek explica simples.

-Onde está seu dinheiro?! -Scott pergunta confuso.

-Você está pisando nele. -Meu primo fala apontando pro chão.

-Tem outro cofre? -Scott pergunta assustado.

-Não seu besta, o prédio é dele! -Explico.

-E tenho minhas próprias contas bancárias. Uma é reservada pra pagar a faculdade da Ravenn. -Derek explica e aponta pra mim, sorrio. -Todo o dinheiro do cofre era do Peter e sinceramente, acho que seria melhor se esse resto nem voltasse para ele.

-Concordo. -Digo e eles olham para mim. -O quê foi? Ele é meu pai mas continua sendo um psicopata, garanto que um assassino sem dinheiro é melhor do que milionário. -Termino e subo as escadas, tenho que me arrumar para a escola. Apuro minha audição para ouvir o final da conversa dos dois, já falei, sou curiosa.

-Eu sei que Lydia esteve aqui ontem a noite. -Scott começa e eu arregalo meus olhos. -Deaton está tentando descobrir o quê Kate fez com você. Se tem alguém que pode achar respostas, esse alguém é ele.

A conversa termina e eu solto a respiração, tiro minhas botas e começo a desabotoar minha camiseta.

-Ravenn! -Scott me chama entrando no quarto e eu pulo de susto. -Desculpa… Eu não sabia que você estava… Eu posso voltar depois. -Ele gagueja ao ver que estou quase seminua.

-Qual é Scott. Você já me viu com menos roupas que isso. -Digo revirando os olhos e ele fica vermelho de vergonha, dou risada. -Mas fala, o que aconteceu?

-Eu queria saber se você… Quer, quer ir a um encontro comigo. -Scott pergunta, para um alfa ele parece estar muito inseguro.

-Acho que a Kira não iria gostar dessa ideia. -Sussurro confusa.

-Nós terminamos. -Ele explica e por mais errado que seja, uma certa alegria domina meu peito. -Então, você quer sair comigo?

-Quero. -Murmuro com um sorriso e ele sorri também.

-Certo, eu passo pra te buscar às 20:00. -Ele diz e ouço seu coração acelerar. -Quer carona pra escola?

-Se não for te incomodar, eu não vou demorar aqui, já estou descendo. -Respondo pegando uma roupa e minha toalha para ir tomar banho.

-Vou estar esperando lá embaixo. -Scott diz e fecha a porta. No mesmo segundo dou pulinhos não conseguindo conter minha alegria.

-Lydia? Lydia! Você está me ouvindo? Olhe, eu passei. -Malia fala animada e mostra sua prova para a ruiva.

-Um C-? -Lydia murmura com uma careta.

-Suas anotações são ótimas quando não estão escritas em códigos! -Malia dita com um sorriso e volta a olhar orgulhosa para sua prova. O treinador passa entre nós e coloca uma prova com nota F na mesa da coiote.

-Decepcionante Malia. Muito decepcionante. -Ele dita e segue em frente deixando Malia pra trás com uma expressão triste.

-Vai se sair bem na próxima, vamos estudar a noite toda se for preciso. -Garanto e ela dá um sorrisinho triste.

-Posso ajudar vocês se quiserem, um grupo de estudos sempre é uma boa. -Kira fala pela primeira vez e eu aponto pra ela em concordância, olhamos para ruiva que encara o quadro negro sem piscar.

Está escrito "Valor na hora da morte ajustado pelas inflações, John D. Rockfeller 318 bilhões, Cornelius Vanderbilt 150 bilhões e Henry Ford 188 bilhões." Eu e Kira trocamos um olhar significativo.

-Acabou Lydia, os computadores estão desligados, os pagamentos foram cancelados… -Começo a sussurrar tentando acalmar a ruiva.

-Sem mais assassinos, sem assassinatos. Ninguém vai morrer. -Kira continua e eu sorrio para ela.

-Ainda não. -Lydia sussurra encarando a janela e um arrepio passa pela minha espinha.

Minha respiração fica ofegante e meu pulmão parece estar sendo espremido, o cheiro de Liam domina minhas narinas e eu me levanto da mesa no mesmo segundo.

-Hale, quer permissão para sair da aula? -O treinador pergunta gritando como sempre.

-Agradeceria. -Murmuro e saio da sala em passos rápidos, começo a correr assim que entro no corredor perto da academia da escola.

Vejo Liam sendo espremido por um dos pesos, tem quase 140 quilos nas barras. A tiro de cima dele e ele levanta no mesmo segundo respirando fundo para recuperar o fôlego.

-Liam?! -Mason chega perto de nós preocupado.

-Eu estou bem! -Liam murmura tossindo.

-Se você não quer andar com o resto da alcatéia tudo bem, mas pelo menos não afaste seus amigos de você. -Sussurro pra que apenas ele possa me escutar.

-Pronta? -Scott pergunta me entregando um capacete. Ele já está em cima de sua moto.

-Pensei que você me buscaria no loft. -Murmuro confusa.

-Houve uma mudança de planos. -Ele sussurra e ouço seu coração acelerar.

-Você ainda não me contou para onde vamos. -Falo com um sorriso.

-Isso é surpresa mas garanto que você vai gostar, bom, eu espero que goste. -Scott sussurra a última parte inseguro e eu dou risada. Coloco o capacete e subo na garupa, passo meus braços em volta de sua cintura para me segurar e sorrio quando percebo que ele se arrepia ao meu toque.

-Certo, você está me deixando confusa. -Falo enquanto caminhamos até a porta do loft.

-Confia em mim? -Ele pergunta.

-Você sabe que sim. -Sussurro e ele sorri, esse sorriso, esse maldito sorriso que me desmonta sem nenhum esforço.

-Certo, então feche seus olhos. -Scott manda e eu arqueio minhas sobrancelhas. -Vai logo. -Ele me apressa e eu levanto minhas mãos em sinal de redenção, fecho meus olhos e ele agarra minha mão para me guiar.

Percebo que entramos no loft.

-Pode abrir agora. -Ele sussurra e eu me arrepio por ele estar bem atrás de mim e ter sussurrado com a boca grudada em minha orelha, sua respiração vai contra meu pescoço me fazendo arfar.

Abro meus olhos e um sorriso largo se instala em meu rosto, o loft está iluminado apenas pelas luzes de velas que estão espalhadas, alguns lugares estão com pétalas de rosas vermelhas e brancas no chão.

-Você fez isso sozinho, para mim? -Pergunto maravilhada, tenho certeza que meus olhos estão brilhando.

-Bom, eu tive uma pequena ajudinha da Lydia e do Stiles. -Ele fala coçando sua cabeça em um ato de vergonha. -E eu pedi para Derek liberar o loft para nós por hoje.

Me viro para olhar diretamente em seus olhos castanhos, ele segura minhas duas mãos e eu as aperto.

-Por que fez tudo isso? -Pergunto num sussurro como se estivesse compartilhando um segredo com ele.

-Porque eu te amo. -Ele sussurra de volta fazendo meu coração palpitar cada vez mais rápido, ele cola nossas testas e eu passo meus braços envolta de seu pescoço, Scott segura minha cintura. -Eu fiz tudo isso porquê eu percebi que estava te perdendo, cada vez que eu te via saindo com o Brett ou até mesmo com Liam, era como se meu coração fosse esmagado. Eu sentia que estava te perdendo aos poucos e consequentemente perdendo uma parte de mim. Ravenna eu te amo hoje, amanhã, eu vou te amar pra sempre. Você é a minha companheira, é a minha amante, é a minha loba. Eu não sou nada sem você. E eu espero, de todo o meu coração, que você ainda possa voltar a me amar.

-Eu nunca deixei Scott McCall. Nunca deixei de te amar sequer por um dia. -Sussurro e ele sorri. Roço meus lábios nos dele e antes que eu possa pensar, Scott cola nossas bocas como se aquilo dependesse de nossas vidas. O beijo é lento, nesse momento, nesse exato momento é como se eu me sentisse completamente segura, como se nada pudesse contra nós. Quando estou com ele, me sinto completa, sinto que podemos vencer todos os problemas.

-Deus, como eu senti falta disso. -Scott sussurra me dando vários selinhos. Sorrio e decido provoca-lo.

-E disso? -Pergunto e arranho sua nuca com minhas unhas, distribuo alguns beijos em seu pescoço e depois deixo um chupão em seu pescoço, ele se arrepia por completo.

-Sim, principalmente disso. -Ele murmura e me dá impulso para cima, passo minhas pernas pela sua cintura e ele agarra minhas coxas, vamos de encontro com a porta do loft e começamos a nos beijar, antes o beijo era calmo e estávamos matando a saudade, agora o beijo é veloz e sedento, estamos matando a saudade de nossos corpos colados um ao outro. Ele começa a andar até o sofá e se senta ainda comigo em seu colo. Passo minhas unhas em seu abdômen por baixo da camiseta e começo a abrir os botões da mesma enquanto ainda nos beijamos e Scott sobe suas mãos por baixo de minha saia, ele aperta minha bunda e eu vou contra sua cintura rebolando propositalmente em cima de seu membro. Ele geme e separa o beijo, desliza a alça de minha blusa e sutiã entre meus ombros os tornando nus e então distribui beijos na região, ele passa os beijos que se tornam chupões em meu pescoço, Scott aperta minha cintura contra ele nos colando mais ainda e eu tombo minha cabeça para trás aproveitando completamente o momento.

Começo a ouvir rosnados e percebo que ele também ouviu, nos separamos um pouco e olhamos para a janela que é de onde vem o som.

-Scott? -O chamo assustada.

A janela se quebra espalhando estilhaços por todo o chão quando Kate e um Berserker pulam para dentro do loft, pulo do colo de Scott no mesmo segundo e nos levantamos do sofá em alerta.

Kate está transformada em jaguar, rosno deixando minhas presas e garras a mostra. O Berserker corre contra Scott e eu contra Kate. Eles começam a lutar logo atrás de nós e eu soco o rosto de Kate, ela cambaleia para trás mas logo retoma o controle da situação, me pega pelo pescoço e me joga contra a parede, tento me levantar a tempo mas ela é mais rápida e senta em minha cintura começando a me arranhar, grito de dor com o sangue escorrendo de minha barriga. Rujo ao ver Scott sendo erguido pelo berserker e depois jogado contra a porta do loft. Ve-lo sofrendo dispara uma adrenalina indescritível em meu corpo, puxo o cabelo de Kate e ela caí para o lado. Me levanto em um pulo e chuto sua barriga, vou deferir mais um golpe contra ela mas o berserker corre até mim e me joga no chão do outro lado do loft. Já estou sangrando pela boca, testa e barriga. Vejo que Scott começa a lutar contra Kate. O som de ruídos de ossos do berserker me faz tremer por uns segundos, ele me encara e eu respiro fundo voltando a realidade. Me levanto e pego uma corrente que estava presa a grades. Passo a corrente entre minhas mãos e começo a bate-las no chão desafiando o grandalhão, bato contra a cabeça do berserker e sai faíscas. Me desconcentro quando vejo Kate encurralando Scott e o socando. O berserker agarra a ponta da corrente e me puxa contra ele, depois deferindo um soco incrivelmente forte contra meu rosto que me faz perder o chão por alguns segundos. As coisas a minha volta começam a girar e perco as forças de minhas pernas. Acabo caindo ajoelhada no chão e o berserker segura meus cabelos não me deixando cair desmaiada. Solto um grunhido de dor.

-O que quer de nós?! -Scott pergunta num fio de voz, ele está sentado no chão já sem forças pra lutar contra Kate.

-Eu quero compreender Scott. -A loira diz ainda em sua forma azul de jaguar.

-O quê? -Ele pergunta confuso.

-Minha família. Os Argent estão na ativa a 400 anos, uma família poderosa, rica e aristocrata de caçadores de lobisomens. Mas de alguma forma, em menos de um ano, essa família foi dizimada por um adolescente idiota. -Kate diz com desdém. -Então, minha pergunta é simples. O quê tem de tão especial em Scott McCall?

-Ele não é uma vadia psicopata que mata pessoas porquê não aceita que foi rejeitada pela família. Ninguém te ama Kate, já parou pra pensar que você é um estorvo na vida de todos?! Deveria ter se matado quando teve a chance, sabe porquê? Quando nos recuperarmos, e nós vamos, eu vou me certificar de que vou bater tanto em você que me pedirá misericórdia. -Cuspo tudo que estava entalado em minha garganta, Kate sorri e caminha lentamente até mim.

-Você me quer? Me leve. Apenas eu. Ela não tem nada haver com isso. -Scott dita tentando impedir Kate.

-Oh não querido, ela tem tudo haver. -A loira diz com um sorrisinho macabro e chega até mim. O berserker me solta mas eu não tenho forças pra levantar, Kate me pega pelo pescoço e então corre comigo e me prensa em uma parede, ficamos cara a cara. -Sabe Ravenn, eu me pergunto, como consegue acordar todos os dias? Sabendo que toda a sua família morreu por sua culpa, que todos se sacrificaram pela bastarda inútil que você é. Allison não deveria ter lutado por uma amiga que cavou a cova dela. -Kate sussurra pra mim e meu sangue ferve.

-Diga o que quiser, faça o que quiser enquanto você pode. A nossa alcatéia vai nos achar, não importa onde você nos leve. -Dito confiante.

-O que garante que seus amiguinhos vão achar vocês? -Kate pergunta ainda com pose superior e apertando cada vez mas meu pescoço.

-Isso. -Sussurro e reúno todas às forças que me restam, sinto algo queimar dentro de mim como se um vulcão estivesse prestes a entrar em erupção. Rujo contra o rosto de Kate com toda minha alma, transparecendo o perigo e o pedido de socorro para o meu bando e o de Scott. Consigo sentir que isso vai ser o suficiente para eles nos encontrarem.

-Agora que acabou com o seu showzinho inútil, nós iremos todos à La Iglesia. -Kate murmura contra meu rosto e sinto seu soco ser deferido contra meu rosto me fazendo perder qualquer resquício de lucidez, a última coisa que consigo ver são os olhos castanhos de Scott e ouvir sua voz clamando para que a jaguar me deixe em paz. Tudo escurece.

Meus olhos se abrem aos poucos revelando o local escuro que estou, respiro fundo mas ainda com dificuldade por não ter me curado totalmente, foram muitos ferimentos. Sinto o sangue seco em minha testa e lábio. Passo a mão por minha barriga mas logo me arrependo por ter encostado em um dos arranhões fundos causados por Kate. Arfo de dor. Me levanto aos poucos para que meu corpo não doa mais ainda, arregalo os olhos ao ver os diversos ossos e caveiras espalhados pelo chão. Me levanto por completo e começo a dar passos curtos pelo que reconheço ser um tipo de calabouço. Ando até as grades e ignoro os sons de ossos se estilhaçando ao irem de encontro com a sola de minha bota.

-Scott! -Grito por seu nome num misto de preocupação e nervosismo. -Scott! -Grito novamente, tento apurar meu olfato e sentir seu cheiro mas a única coisa que sinto é o cheiro de umidade e terra. -Por favor Scott. -Sussurro num último pedido de socorro e esperança de que ele esteja bem.


Notas Finais


Estou muito ansiosa para ver o que acharam desse capítulo então, deixem sua opinião! Até a próxima my loves ❤
http://www.polyvore.com/m/set?.embedder=22716235&.svc=copypaste-and&id=221881825


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...