História Don't Touch Me, Mingyu! - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Seungcheol "S.Coups"
Tags Amorzinho, Jeongcheol, Meanie, Minwon, Nem Tão Texting Assim, Otp, Seventeen, Texting, Viadagem
Visualizações 407
Palavras 1.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU VOLTEI MAMÃE. VOLTEI PARA OS SEUS BRAÇOS. Pq eu pensei nessa música mesmo?

OIE! HOLA! HI! ANNYEONGHASEYO! NI HAO! Tudo bem coceis?

65 anos depois, eu atualizei DTMM. QUASE NÃO SAI, mas to aqui, firme e forte irmão. É nois.

COMO EXPRESSAR MEU AMOR POR ESSA FOTO DA CAPA? NÃO SEI.

Boa leitura *^*

Capítulo 16 - Logo, logo estarão casados.


Fanfic / Fanfiction Don't Touch Me, Mingyu! - Capítulo 16 - Logo, logo estarão casados.

-- Cheollie?

Jeonghan deixou duas batidinhas sobre a porta branca de madeira, não ouvindo nada além do chuveiro ligado.

Desde a terça-feira passada, em que Seungcheol voltara pra casa por volta das 2 da manhã, eles estavam sem se falar. O moreno não dissera nada, apenas seguiu para o quarto e dormiu, acordando antes que o loirinho e indo para o trabalho. Não o buscava mais, não o ligava mais, nem atendia ligações. Sexta-feira e a situação continuava a mesma.

Mas Jeonghan estava feliz, amanhã seria sábado e nenhum dos dois precisaria sair de casa durante o dia todo, Seungcheol não fugiria de si assim.

Ele também estava feliz por Wonwoo, que fora pedido em casamento. Na verdade, estava meio chateado, por que os dois mais novos se conheciam a menos de um mês e já iam de casar, já ele e Choi -- juntos a anos.-- nunca falaram sobre isso. Talvez estivessem ocupados e acomodamos de mais. Ou talvez, Seungcheol tivesse conseguido tudo o que queria e não o quisesse mais. Aquilo aterrorizava o loirinho.

Desistiu de tentar conversar e seguiu até a cama, se deitando ali e observando as roupas do mais velho. Sempre amarrotadas, sorriu com o pensamento, assustando-se ao ouvir a porta abrir.

-- Seungcheol, nós precisamos conversar.

-- Você vai dormir aqui? -- Foi a única coisa que o menor disse, sem encará-lo.

-- Sim...

-- Tudo bem. -- Ele pegou as roupas e saiu, encostando a porta para seguir até o quarto de Wonwoo, onde Jeonghan estava dormindo antes, já que o moreno baixinho já se mudara quase totalmente para a casa de Mingyu.

-- Seungcheol... -- Ele soltou baixo, sentindo o olhos arderem assim como a garganta. Suspirou, abraçando os lençóis e o próprio corpo, e deixou que as lágrimas simples escorressem de seus olhos até o nariz, poucas delas indo até o colchão.

Ele sabia que não conseguiria dormir, pois os lençóis estavam com aquele típico cheirinho de maçã de verde, proveniente do hidratante usado pelo moreno antes de se deitar. Ele havia pego aquela mania de Jeonghan, desde a primeira massagem há muitos meses, em que tudo acabou em sexo, como sempre.



-- Hm. Que cheiro gostoso. É de que? -- Choi levantou a embalagem de plástico, tentando ler o rótulo de letras pequenas.

-- Maçã verde. -- O loiro de fios longos ditou baixo, ainda concentrando nos ombros lisos a sua frente.

-- O cheiro é muito bom. Será que também tem gosto de maçã? -- Ele falou a última frase mais para si que para o outro, colocando um pouco do hidratante verde em um dos dedos e passando na língua.

-- Seungcheol, eu não acredito que você fez isso!

-- Tem gosto de sabonete, Hannie.

-- Claro que tem, é hidratante! Meu deus Cheol.

-- Grr, é horrível! Eu vou denunciar eles.



Ele riu sozinho, limpando o rosto e respirando fundo, antes de colocar o cobertor sobre o corpo.



×


-- Tudo bem Hannie?

-- Não Noona, não está tudo bem. -- Ele deixou a bandeja sobre o balcão e o rosto sobre a mão, suspirando mais uma vez. Aquele havia virado um hábito nos últimos dias.

-- Eu percebi pequeno. Você anda suspirando pelos cantos, nunca mais vi seu sorriso, Seungcheol não vem te buscar mais. Vocês terminaram?

-- Não Noona. Mas ele não fala mais comigo, me ignora, não olha pra mim. Nem sequer dormimos no mesmo quarto mais. Estou com medo de que ele não queira mais ficar comigo, sabe? -- Ela assentiu, segurando as mãos do loiro.

-- Você precisa forçar a conversa com ele. Esteja decidido a conversar. Hoje é sábado, então ele deve estar em casa, dê um jeito de ficar sozinho com ele em um cômodo e o tranque, ele não poderá fugir. Eu sei que se ele quiser terminar com você vai ser ruim, mas é melhor que ficar desse jeito.

-- Você tem razão Noona. Hoje eu vou falar com ele.

E, naquele sábado, ele foi pra casa decidido. Estava um pouco temeroso ao pensar no término, mas eles tinham que conversar. Chegou em casa por volta das catorze horas e deixou a bolsa de ombro em cima do sofá, estranhando o silêncio incômodo.

-- Seungcheol? -- Ele chamou baixo, seguindo dali para o quarto do casal, que estava com a porta fechada. A abriu, reparando na roupa em cima da cama, era simples, uma calça Jeans clara e uma blusa branca, além de um casaco com listras mínimas. Aquelas roupas não eram suas, mas com certeza não eram de Seungcheol. O moreno era bem mais encorpado, e a calça era feita para uma pessoa bem magra assim como ele.

Ele se abaixou para pegar uma caixinha de anéis e parou para observar as duas alianças douradas dentro da pequena vasilha vermelha de veludo.


YJH & CSC


-- São as nossas iniciais. São lindos...

-- Então você aceita se casar comigo?

Jeonghan se virou para porta ao ouvir a voz de Seungcheol. O mais velho estava encostado na parede, com um sorriso de canto nos lábios e os braços cruzados, encarando o loiro que permanecia paralisado.

-- Você... Está... Me pedindo em casamento? -- Ele perguntou com os olhos pequenos arregalados, vendo que o menor se aproximara de si aos poucos.

-- Sim. É essa a resposta que você me dá agora, sabe? -- o Yoon riu baixo, encarando agora as alianças em suas mãos.

-- Sim. Mas você tem que me responder muitas coisas antes de eu ter certeza da minha resposta. -- Respirou fundo, sentando na cama e pedindo que o outro se sentasse também. -- Pra começar, por que estava sem falar comigo a semana inteira?

-- Eu queria te fazer uma surpresa. Você iria começar a falar do casamento do Wonwoo e eu não ia conseguir mentir. Eu até iria pedir no mesmo dia em que Mingyu, só que as nossas alianças ainda não tinham chegado.

-- Você sabia que o Mingyu ia pedir o Woo em casamento? -- Exclamou meio assustado.

-- Sim. Nós planejamos os dois pedidos juntos, a viagem de casamento, a festa e até as roupas.

-- Seungcheol, isso é minha roupa de casamento? -- O Choi assentiu, vendo a expressão indignada do Yoon. -- Eu uso isso pra ir ali no mercado Cheol! Vai ser nossa festa de casamento ué.

-- Vai ser na praia Jeonghan! Você por acaso quer ficar de terno e gravata na praia? -- O outro fez um bico, negando levemente. -- E além do mais, você nem vai ficar com elas por muito tempo...

O moreno o abraçou, deixando um beijo no pescoço branquinho e apertando um pouco mais o abraço.

-- Eu mereço um sim descente agora, Yoon Jeonghan?

-- É, merece um sim, sim. -- Ele abraçou ao menor de fios negros e deitaram-se na cama, mesmo por cima das roupas brancas.

-- My Evil Angel...

Seungcheol suspirou contra o pescoço branquinho e sorriu, nem ele mesmo estava acreditando naquele momento. Em menos de um mês, eles estariam casados.



Em algum lugar de um Shopping mediano em Seoul, o casal de noivos mais novos passeavam por todas as lojas, já que Wonwoo mal via uma coisa e saia correndo pra querer comprar. Era claro como água que Mingyu seria responsável por segurar todas as sacolas de ursinhos, copos, xícaras e roupas que Jeon decidia comprar. O moreno não parava quieto! Não que Kim estivesse irritado, já era maravilhoso ver os olhinhos brilhando a cada ursinho de cor diferente que Mingyu o deixava comprar.

-- Paga um sorvete pra mim amor?

Ah, Wonwoo havia descoberto bem o poder que aquela palavra tinha sobre Mingyu e suas ações. O pedido poderia ser absurdo, mas com o uso daquela pequena palavra e de um biquinho mínimo, ele seria feito por Kim.

-- Não acha que já gastou de mais?

-- Você deveria me dar as coisas que gosto por que sou seu amor, mas parece que você não me ama não é? -- Jeon fez um biquinho, já se forçando para ficar com os olhos marejados.

-- Não Wonwoo, eu não quis dizer isso!

-- Você quis sim! Só quis se aproveitar de mim, me pedindo em casamento pra fazer você sabe o que! -- Ele se virou de costas para o maior e tampou o rosto, Mingyu aproximou-se dele e abraçou-o por trás, deixando alguns selares em seu pescoço.

-- Não foi só por isso. Eu te pedi por que te amo, e simplesmente não consigo viver sem você. Vamos, você sabe que eu te amo, não faça essa cara.

-- E que cara você quer que eu faça? -- Wonwoo se virou e tentou se livrar do abraço do outro, apenas para dizer que não estava se entregando totalmente.

-- Sorria. Seu sorriso é a coisa mais preciosa que você tem.

-- Eu só vou sorrir quando você pagar um sorvete pra mim.

O moreno baixinho afastou-se do mais novo, que suspirou, tendo que ir atrás dele na direção de uma sorveteira qualquer. Teria que aguentar Wonwoo a partir de agora, mas não estava arrependido, daqui a menos de um mês eles estariam casados.


Notas Finais


SURPRESA!!!!!! E ai, ainda querem me matar? Vai, eu sei que não.

E SE VOUSER CHEGOU ATÉ AQUI, VAI CORRENDO LA EM "I Love Your True Self" POR QUE TEM CAPITULO NOVOOOOOO. Só isso mesmo.

Alias, Ces viram que eu postei a Soonhoon né? Acho bom ver mais coments por lá u.u

ATÉ O PROXIMOOOOO~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...