História Don't wanna cry - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Conflito, Jimin, Manager, Passado
Visualizações 15
Palavras 2.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiiiiiiiiiiiii. Olaaaaa, hoje estou animada.

Primeiro de tudo, o CAP tá um pouco TENSO. Tem babaquice do Jimin e tadinha da Moly :-\

Segundo, preciso de um esclarecimento.
Uma leitora no CAP passado me perguntou sobre o passado da Moly e isso me interessou. A parte que todas caem para trás sobre oq aconteceu com ela antes de toda essa confusão só vai sair laaaaaa para o final. Pq? Mas para frente eu explico.
A base da história está completa, mas estou sendo cautelosa na hora da construção. Isso é importante.

Terceiro, eu vou tentar postar nos finas de semana, mais nos domingos.
Minha escola é bemmmmm exigente e preciso de mais notas, no final de tudo n consigo escrever em um dia direto. Por isso escrevo todos os dias e vou postando aos poucos.

Nos vemos lá em-baixo.

Sem mais delongas
Boa leitura

Capítulo 4 - Audácia


 

Leiam as notas iniciais

- Moly, faltam dez minutos e não tem nem a sombra do Park por aqui. - Respiro fundo e acelero meus passos.

- Namjoon, quando eu o encontrar envio uma mensagem e você me encontra. - Recebi um ok e botei o celular no bolso correndo para procurar o Jimin.

Um dia estressante e ainda me vem com essa. Jimin estava atacado e não ter vergonha na cara para parar de ficar aprontando. Dez muitos apenas e nada do pirralho aparecer. Entre salas e corredores e nada do Park. E além de todo o meu desespero, não tinha nenhuma alma viva pelo corredor para pelo menos me falar por onde ele andava.

Minha atenção estava em qualquer ruído ou vulto que pudesse me dar uma pista qualquer. Estava correndo por um corredor onde as portas estavam trancadas e não me surpreendi de escutar um "mas rápido, Minnie" na terceira porta a esquerda.

- Pede para ela gemer mais baixo agora. - Revirei os olhos e tentei abrir a porta, que por sinal estava trancada.

Enviei uma mensagem para Namjoon e o mesmo disse que estava a caminho. Procurei envolta e achei um pequeno grampo que seria de ótimo uso. Botei na fechadura, girei por alguns lados e quando menos esperei a porta abre e os gemidos ficam mais altos.

- Desculpa se eu não vou te deixar gozar.

Jimin estava intacto. Um pouco suado, mas o estrago não estava muito grande. A garota pressionada na parede estava somente sem a parte de baixo. Parece que ambos não tinham tempo suficiente para fazer o serviço completo.

- Você. - Apontei para a menina. - Sai. E você, se arruma agora porque faltam menos de dez minutos para o Bangtan entrar e se você não estiver na concentração agora, alguém pode morrer e esse alguém acho que pode ser você. - A muito contragosto ele põe o pinto para dentro da calça preta e se vira para mim com uma cara não muito boa.

O loiro respirou umas mil vezes antes de avançar em mim e pegar meus pulsos com força. Eu não entendi o motivo de tal ato e acabei me assustando com o movimento repentino.

- Eu tô cansado de você, eu tô cansado de ficar me controlando como se eu fosse um boneco e em menos de três meses me fez odia-la de uma forma que nem eu sabia que era possível. - Seus olhos com as lentes azuis estava cravado em mim e a cada palavra o aperto era maior. - Você acha que é a dona da razão, que pode entrar na nossa vida do nada e achar que está nos fazendo bem. Não está. Os meninos só estão sendo educados quando aceitam que poderia fazer a janta ou quando a convidam para comer com a gente. Eles não te suportam. Então pode imaginar que eu não te suporto em dobro. - Meu coração batia tão forte que era possível escutar o barulho.

- Jimin, você tá me machucando...

- Estou é? Isso é pouco para uma pessoa que.. - Namjoon entra na sala e empurra Jimin para longe. O problema é que o garoto estava grudado no meu pulso e quando o mais velho o empurrou, deslocou meu osso e a dor foi tão forte que tive que gritar.

- Noona, você está bem? 

- Leva o Jimin para a concentração, vocês tem menos de cinco minutos para entrar. Não se preocupa comigo. - Sem pensar muito, os dois saem da sala e me permito cair no chão.

Estava muito fraca por conta do susto e por conta da dor. Minhas pernas não me obedeciam e as palavras do loiro ainda rondavam minha cabeça. Será mesmo que eles não me suportam? Eu sou tão intrometida assim? Não parece que realmente seja isso. Se for por causa do convite nas duas últimas sextas-feiras eles podiam ter me falado que só queriam ficar em paz e não ter a minha companhia. Ficaria meia chateada mas super entenderia.

Tentei afastar esses pensamentos e botei meu pulso no lugar. Doeu tanto que até umas lágrimas escorreram e minhas pernas ficaram mais fracas. Me levantei mesmo assim e a passos lentos, fui para os bastidores perto do palco onde os managers autorizados podiam ficar.

Cheguei e a apresentação estava no final. A gritaria das fãs estéricas se fez presente e logo eles saíram. O clima entre nós estava tão pesado que me senti super mal. Eles respiraram, beberam água e voltaram para o palco. Alguns minutos se passaram e logo todos estavam liberados para ir para o hotel e descansar. Iríamos voltar para a Coreia no final do dia de amanhã.

Fomos todos para o camarim e assim que encontrei uma poltrona, me sentei. Minha cabeça começou a doer junto com as dores no corpo por conta do nervosismo e a dor insuportável no pulso. A animação por ter ganhado mais um daesang estava contagiando a todos e até mesmo a mim que vez ou outra dava um sorriso. Jimin não parecia nada culpado por mais cedo ou arrependido ou com vergonha do que fez. Algumas vezes seus olhos recaiam sobre mim e sua indiferença era assustadora. Depois de todos estarem mais calmos e prontos para irem, vieram até mim e formaram uma fila.

- Sabem que eu não preciso fazer um outro discurso, né? - No Melon, quando eles ganharam o primeiro daesang, eu fiz um discurso que emocionou até o Jimin. - Bom, vocês sabem que é orgulho das suas famílias, das fãs e de todos que sempre lhes acompanharam. E por mais que eu não estivesse desde o início, eu estou bem feliz, muito orgulhosa e grata por estar participando desse momento tão especial.

- Abraço em grupo. - Hoseok me puxou pelo braço e automaticamente gritei por conta da dor. - O que foi, noona?

- Ah, eu só estou com o pulso dolorido. - Ele pega minhas mãos delicadamente e, mesmo tentando puxar para que ele não visse, ele me segurou com mais força.

- Noona, quem fez isso? - A voz do J-Hope estava tão séria fiquei surpresa. - Noona..

- Não foi nada. - Sorri.

- Mnagaer, um está inchado até a alma com marcas de mãos e o outro está tão marcado que... Alguma aventura sexual deu errado? - Seu sorriso malicioso me fez ruborizar e automaticamente neguei.

- Não fique pensando besteiras garoto. - Ele voltou a ficar sério. - Eu sou um pouco desastrada, só isso.

- Noona, isso não é ser desastrada nem aqui e nem no Brasil. - Sorri. - Vamos cancelar a comemoração e ir com você até o hospital. - Conclui Jungkook.

- Meninos, não precisam se preocupar comigo, eu vou pôr vocês na van e seguir para o hospital de táxi sozinha enquanto a comemoração podem fazer sem mim mesmo. - Sorrisos cúmplices foram lançados e um olhar preocupado estava sendo direcionado a mim por parte do Namjoon.

Trocamos mais algumas palavras e seguimos para o estacionamento. Durante o caminho, fiquei ao lado de Taehyung e Jin. Os dois falavam algumas piadas me fazendo rir me distraindo da dor incessante no meu pulso. Chegamos na van, coloquei eles lá e fui para o lado de fora para pegar um táxi e seguir para o hospital.

'-'

Pelo menos não é um gesso. Fiquei mais de duas horas naquele hospital somente para por uma tala que cobria todo o antebraço. Eles quase botaram a porcaria daquele gesso duro e branco que me incomodava até a alma, porém eu consegui convencer de colocar a tala. Eu só não posso ficar tirando e colocando o tempo todo.

Já se passavam das duas da manhã quando resolvi pegar um táxi para o hotel. No meu celular haviam algumas mensagens de todos os membros. Literalmente todos. E quando eu digo todos o Jimin também está nessa, o que me assustou bastante.

Eram três mensagens. Na primeira perguntava se estava bem; na segunda, se eu ainda estava no hospital e na última um pedido de desculpas. Na verdade, só estava escrito um desculpa bem direto.

Outro que me deixou surpresa foi o Namjoon. Uma quase declaração de desculpas e um aviso que, mesmo chegando tarde, teria que conversar com todos os membros juntos. Ele achou que a máscara do Park teria que cair. Sua atitude indiferente estava o incomodando e por isso decidiu revelar o que tinha acontecido. Por isso as mensagens de todos os membros perguntando se estava bem.

Esse ato me deixou mais nervosa. As palavras que o pirralho jogou na minha cara foram duras e mexeu comigo. Não sei se preocuparam mesmo ou se estavam seguindo o protocolo de educação dos coreanos - que, caso fossem desrespeitosos ou não seguissem algumas regras que a sociedade impõe, poderiam ser mal educados e nenhum deles querem isso; isso descarta o Jimin.

Depois de alguns minutos, finalmente cheguei no meu destino e paguei o taxista saindo logo depois e dando de cara com um Namjoon aflito.

- Noona. - Correu até mim e me abraçou forte. - Estava preocupado. Não deu notícias.

- Desculpe por isso, mas estava esperando os raios x e aquela área estava cheia hoje. Acho que tiraram o dia para quebrem alguns ossos ou coisa do tipo. - Sorrimos. - Mas eu li todas as mensagens.

- Então já sabe o que está por vir? - Pergunta com receio.

- Não quero deixar para amanhã. Sei que precisavam ficar descontraídos, mas eu prefiro resolver isso logo.

- Concordo. E também nós já comemoramos suficiente. Estávamos sem você. Deu tempo para... - Olhei feio para o mais novo que sorriu sem graça. - Vamos ao que interessa.

Entramos no hall e seguimos para o elevador. O quarto andar brilhou no painel e saímos seguindo em direção ao quatro do pirralho. Senti meus ombros ficarem mais tensos que o normal. Eu iria só tentar não deixar os outros brigarem com o problemático. Sei que estava precisando de umas palavras poucas e boas, mas isso ficaria entre a gente. Só dessa vez.

Namjoon abriu a porta e todos os meninos se levantaram. Jimin mantinha os olhos conectados aos meus e a seriedade neles não me assustava mais. Nos encaramos por um bom tempo até a minha atenção ser roubada por um coçar de garganta fazendo eu começar o meu discurso.

- Bom, sei que vocês devem estar confusos de como tudo aconteceu até porque Namjoon só disse o que viu e creio que o Park não tenha aberto a boca para falar algo. - Todos concordam. - Mas eu não quero que fiquem preocupados sobre o que pode ter acontecido naquela sala, então não precisam saber o motivo da nossa briga.

- Mas manager...

- Eu disse que não precisava se preocupar, Jin. Jimin e eu temos muito para resolver, e eu não quero que se metam nisso. É entre eu e ele. Agradeço pela preocupação e o carinho, mas o Jimin já pode resolver os seus problemas sozinhos. - Encaro o pirralho e a batalha de olhares era excitante. - Vocês podem ficar aqui, Jimin, para o meu quarto. - Os meninos assentiram e Jimin bufou me seguindo para fora do quarto.

Seria a batalha do ano? Não. Talvez do mês mas isso não importa, afinal eu não queria brigar. O que Jimin fez comigo era totalmente errado e não podia deixar isso passar. Essa carinha de anjinho era só para tentar se safar dos problemas, mas eu não os resolvia assim. Não é como se fosse um problema que podia ser resolvido de uma forma tranquila e que podia ser deixado para amanhã. Isso foi grave. Eu podia ter denunciado por agressão. Mas sei que minha consideração ao grupo foi maior, além de dar mais uma chance para o garoto.

- Eu já pedi desculpas.

- Pelo celular? Eu sei. Sua cara de pau me deixa sem reação às vezes. Mas eu quero uma desculpa formal e ao vivo, Park, porque pelo o que você fez nem deveríamos estar tendo essa conversa.

- Você me tirou do sério.

- Por estar fazendo algo certo? Estavam te esperando para entrar na concentração. Você ficou sumido e nada da gente te encontrar. Quem deveria ter feito isso com você era eu.

- Ia ser uma rapidinha, eu ia voltar a tempo.

- Não era nem para você ter começado. - Me altero. - Deveria ter pelo menos a consideração pelos seus hyungs e continuar ao lado deles; vocês acabaram de ganhar outro daesang. Mas não, na primeira oportunidade some para comer uma garota qualquer. Meu deus...

- Ah, Moly...

- Cala a boca que você está errado. - Dei dois passos para frente e ficamos tão próximos que nossas reparações se misturavam. - Eu quero minhas desculpas. - A respiração estava pesada e a tensão era palpável.

- Desculpas. - Ele disse tão baixo que nem escutei direito.

- O que disse? - Dei um sorriso.

- Me desculpa senhorita Moly por ter feito você ficar mal e por ter te machucado. - Ele olha para baixo e pega meus dois pulsos. - Eu não vou mais fazer nada disso em você e fui tomado pela raiva.

- Que isso não se repita.

- Pode deixar, não vai acontecer.

- Agora vai. - Ele respira fundo e se vira. Antes de abrir a porta, ele disse:

- Sabe Moly, eu gosto de você. Seu jeito dominador enlouquece qualquer um e isso me inclui. Sei que gostou do que viu no banheiro e sei que se não fosse pelos meninos, adoraria ter sua boquinha no meu pau. - Virei a cabeça lentamente para o lado e me deparei com o seu sorriso de lado. - Esse vestido tá tão apertado, que suas maravilhosas curvas estão a mostra. - E com isso, ele se vai.

Park Jimin era uma tentação. Isso eu não podia negar. O garoto me deixou com indícios de tesão e super ofegante com a sua audácia...


Notas Finais


Jimin, olha onde vc se mete garotoooo.
Oi, voltei
Vcs gostaram? Mandem suas opiniões.

Uma coisinha que preciso falar é... Próximo CAP vai ser mais complicado.
ALERTA DE SPOILER
Namjoon e Moly, vcs precisam se cuidar.
E assim foi a curiosidade.
Preciso que fiquem bem calmas, eu vou deixar vcs curiosos, OK? Então respira
OBRIGADA A TODOS OS FAVS, EU FALO SOBRE ISSO COMO UM AGRADECIMENTO MAIS FORMAL DEPOIS, EU JURO 💜💜💜💜
Por hj é só

Bj Bj fuii ~Pandda '-'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...