História Don't wanna cry - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Conflito, Jimin, Manager, Passado
Visualizações 27
Palavras 1.876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiiiii. Voltei mais cedo.
Como vão? Eu estou bemmmmm mais ou menos.

Estava na ed quando, fazendo uma brincadeira de corrida, acabei caindo e ralando os dois joelhos. Ta ardendo muito. Mas pelo menos eu escrevi.

Bom, o cap que ia ser de hoje eu vou postar no FDS. Pq se não ninguém ia entender nada.

Tem beijo *-* mas só isso mesmo.

Hoje eu vou falar mais lá em baixo.

Obs: Essa fic foi inspirada de Imoral, é com o Jimin e é maravilhosa. Leiam

Sem mais delongas
Boa leitura

Capítulo 5 - Voz de pluma


 

Eu já disse que amo o meu chefe? Não? Então... Apresento-lhes a ironia. Digamos que nosso querido CEO nos deu um final de semana para respirar e deixar as emoções do daesang fluir para começar a segunda-feira mais animado. Até ai tudo bem. O problema é que quem teve esse tempo de sobra foram os meninos e os staffs, mas a manager, que organiza eventos, faz a agenda individual e em grupo, bola toda uma estrutura de fansing ainda tinha que passar o seu final de semana "de folga" ligando para os organizadores dos eventos de final de ano e ficar estressada por exigirem demais. Digamos que uma manhã que seria de paz e amor se transformou em uma manhã tensa e chata passando para uma tarde com dores nos ombros de tão tensos.

Uma semana se passou desde o problema com o Jimin e durante todo o tempo que nos encontramos nada de mais aconteceu. As brigas pararam de ser constantes e agora sempre são pequenas discussões que nos da na telha por motivos idiotas. Jimin também está cada vez mais observador e provocante. Sempre querendo chamar a minha atenção para um lado que não é nada bom. Além dele querer me ver uma pilha por conta de suas aventuras, também quer me ver tensa por tentar não ter pensamentos impuro com seu belo corpo.

Estava lendo o décimo contrato essa tarde. Minha cabeça doía e meu pulso pedia por ajuda. Olho para as horas e ainda são duas da tarde. Tombo a cabeça para trás e deixo meus olhos pesarem de tão cansada que estava. Os ombros tensos me incomodavam e a vontade de matar aquele velho aumentava a cada contrato que tinha que ler para depois assinar.

O interfone toca e me arrasto até a porta dando de cara com um Namjoon sorridente. Franzi o cenho e seu semblante vai de animado para preocupado.

- Noona, o que aconteceu com você? - Saio do caminho e o deixo passar.

- Estou trabalhando em algumas coisas que ficaram pendentes desde às sete da manhã. Logo termino e descanso, não se preocupe. - Namjoon não me conhecia muito bem para perceber que eu sou uma compulsiva por trabalho.

Ou acabei me tornando...

- O que faz aqui?

- Os meninos acordaram tarde e agora que a comida ficou pronta. Jin hyung perguntou se queria comer com a gente. Acho que ele fez carne assada.

- Ah, eu agradeço pelo convite, mas eu prefiro não incomodar. - Namjoon revirou os olhos e se sentou no sofá.

- Essa frase se tornou rotineira em seu vocabulário. O que aconteceu com a manager super animada e que sempre nos fazia sorrir mesmo mortos de cansaço depois de um treino puxado? E que sempre fazia bolinhos de arroz quando a gente pedia?

- Talvez tenha percebido que estava sendo intrometida demais e preferiu se retirar. - Namjoon se levantou e me seguiu até a cozinha.

- Sabe que isso comigo não rola. - Sorrimos. - O que o Jimin te disse para ficar assim?

- Por que vocês... - Meu celular toca e olhamos diretamente para o mesmo. Olho a hora e sinto meus ombros tensionarem mais.

Sobre o olhar curioso de Namjoon, corro até o aparelho e desligo o alarme respirando fundo e jogando a tensão para bem longe. Ou pelo menos tentando.

- Noona, você está bem?

- Sim eu estou. - Forço um sorriso e vislumbro o remédio em cima da mesa. - Então, vocês querem que eu vá comer com vocês? - Tento mudar de assunto.

- Sim, queremos. - Franze levemente o cenho e sorri desconfiado. - Se quiser pode vir comigo. A comida estava quase pronta.

- Bom, já que gostam da minha presença, eu vou. - Seu sorriso se alarga. - Mas eu espero que não esteja os incomodando.

Se Jimin disse que eles não queriam a minha presença, eu pagaria para ver. Ele que não me quer por perto, ele que não me suporta então não vou deixar que suas palavras fiquem me impedindo de tentar uma amizade com os meninos. Ele estava sendo um idiota, então vou ser uma idiota e meia.

- Que nada. Gostamos mesmo de passar um tempo com a nossa manager louquinha. Com todo o respeito - Rimos. - Você vai agora?

- Pode ir na frente. Preciso fazer umas coisas antes, mas assim que terminar eu vou para lá. Eu juro. - Sorriu de novo e o acompanhei até a porta.

Assim que Namjoon saiu, corri para a cozinha e rapidamente tomei meu remédio tentando fazer as lágrimas não descerem. Respirei fundo e me agachei perto do balcão repensado sobre tudo que me aconteceu até hoje.

Como uma pessoa pode ficar assim de uma hora para outra? Você está doente, Moly.

Minha cabeça começou a pesar mais que antes e sentia todo o meu corpo tremer. A cada dois dias era a mesma coisa. Ficava longe de qualquer um que possa desconfiar do meu pequeno - grande - problema até que o desconforto pudesse passar. Sabia que fugir ia ter suas consequências, só não sabia que era tão difícil arcar com elas.

Me levantei e fui tomar um banho quente para relaxar e tentar me esquentar do frio que estava fazendo. Coloquei uma calça de moletom preta e um blusão com mangas longas brancas. Olhei no espelho mais uma vez e suspirei saindo do apartamento.

Chegando perto da porta da frente, já conseguia escutar algumas vozes um tanto que altas demais. Botei a senha no painel e entrei. Chegando na cozinha eles soltaram um "noona" de surpresa e me colocaram, segundo eles, na melhor cadeira da mesa dos Bangtans.

- Noona, estamos muito felizes que tenha aceitado nosso convite. - Disse Taehyung.

- Por mais que nós não sabemos o motivo de seu afastamento repentino, queremos que não faça mais isso. - Revirei os olhos sorrindo com o comentário de Jungkook.

- Agradeço pelo convite e espero que não me afastar de vocês. Para falar a verdade eu nem tinha percebido tal ato. - Olho para o pirralho que mantinha um olhar indiferente sobre mim.

Jimin parecia pensativo. Me olhava sempre que podia e de uma forma nada discreta. Os meninos estavam tão eufóricos que nem perceberam nossa batalha silenciosa.

- Se você se afastar, nós vamos lhe dar um cascudo. - Todos olharam para Hoseok e o mesmo ficou sem graça pela "falta" de respeito.

- Eu deixo. - Rimos.

'-'

Nesse momento já eram umas seis da tarde e ainda estava no apartamento do Bangtan. Jimin havia ido para o quarto dizendo está cansado enquanto os demais brincavam comigo de um jogo no vídeo game que desconheço o nome.

- Namjoon trapaceou de novo. - Diz Taehyung voltando para o sofá. - Não é possível.

- Ah não. Quando eu falo que é impossível ele está ganhando de nós praticamente todas as vezes vocês ficam falando que eu que não sei jogar. Agora aguenta ai. - Diz Jungkook.

- Esse jogo requer habilidade. Eu jogava com um amigo meu quando morava nos Estados Unidos. - Disse sorrindo triste.

- Olha só, agora sabemos de pelo menos uma coisa da sua vida antes de vir para cá. - Diz Yoongi. - Precisamos de mais detalhes.

- Eu já morei em três lugares. - eles fazem uma rodinha ao redor de mim e tomo coragem para contar algumas coisas. - Espanha, Estados Unidos e agora Coreia.

- Três lugares bem diferentes.

- Sim. O choque cultural foi o mais interessante.

- E você nasceu aonde? - Pergunta Hoseok.

- Brasil.

- Como assim?

- Manager. - Olhamos para trás e vemos um Jimin com cara de tédio. - Preciso de uma ajuda com a gaveta do armário.

- Não pode resolver sozinho?

- Se pudesse não teria te chamado.

- Nem para ajeitar uma gaveta você serve? - Respirei fundo e segui para o seu quarto. - Me diz qual é....

Lembre de me fazer uma nota mental. Não se pode confiar em tudo que Park Jimin diz. Um momento de deslize e já estou em suas mãos. Eu nem entrei no quarto direito e o garoto já me pressiona na parede colocando meus pulsos para cima. Ele não aperta, só tenta me manter presa.

- Eu vou te falar uma coisa. - Chega perto do meu ouvido. - Está conseguindo me provocar direitinho.

- Provocar? Eu não estou fazendo nada Jimin, agora me solta. - Digo séria.

- Esse seu jeitinho de ser mandona pode excitar muitos homens por ai. É bom se sentir desafiado.

- É bom? Não sabia. Agora me solta porque eu não estou gostando nada dessa brincadeira.

- Ahhhh, Moly. Isso não é uma brincadeira. Isso está bem longe de ser uma brincadeira. - Tento puxar meus pulsos mas o aperto é maior.  - Noona, eu não quero te machucar.

- Mais do que já fez? - Solto um riso debochado. - Ah Jimin, não se cansa de repetir o erro. Me solta garoto, eu disse que você não ia mais tocar em mim. - Tento chutar seus países baixos, mas ele logo desvia.

- Me dá o que eu quero. - Franzi levemente o cenho e ele se aproxima colando nossos corpos. - Eu só preciso matar quem estava me definhando.

- Você tem três segundos para.... - Jimin solta minhas mãos e pega minha cintura com força colando nossos lábios.

Quanto mais eu tentava empurrar, mas ele pressionava minha boca na dele. Jimin aperta minha bunda com vontade,  por conta do susto acabo abrindo a boca e, sem permissão, sua língua me invade.

Lento e sexy. Jimin trabalhava de uma forma bem gostosa e excitante. Enterro minhas mãos em seus fios loiros enquanto o mesmo me apertava possessivamente explorando cada pedacinho do meu corpo.

O beijo foi ficando mais afoito e mais quente. Uma de suas mãos pega minha coxa e percebo que tinha alguém muito animado. Jimin me queria e tinha isso ao meu favor.

- Não é tão fácil. - Consigo o empurrar e desvio de seus braços. - Não vou cair nessa Jimin. Já dei o que queria, então com licença. - Me ajeito e corro para a porta. Sua mão puxa levemente meu braço e olha por cima dos ombros.

- Você não sabe nem a metade do que eu quero fazer com você. - Seu típico sorriso cafajeste aparece e solto o ar com todas as minhas forças.

Como da última vez, me despedi rapidamente dos meninos, mas me surpreendi quando Namjoon disse querer falar comigo. Entramos no meu apartamento e segui até a sala onde meu celular tocava. Olhei no visor e o número era desconhecido. Com um certo receio, atendi a chamada mas me arrependi quando aquela voz soou como uma pluma me fazendo perder o ar. Literalmente.

- Achou que ia se livrar de mim para sempre, Moly?

Deixei o celular cair e senti minha cabeça fazendo uma pressão me deixando zonza. A falta de ar me sufocava e algumas lágrimas ameaçavam cair.

- Noona, o- o que tenho que fazer? - Pergunta Namjoon nervoso.

- A bo-bombin-inha. - Antes que pudesse inalar alguma coisa, apaguei no carpet da sala.


Notas Finais


Estão gostando? Espero que sim.
Próximo CAP vai ser tranquilo (ou assim eu espero)

Gente, foca aqui.
Como essa é a primeira do meu perfil, estou dando algumas dicas com quem vai ser a próxima fic e depois o tema e o casal principal. Espero que consigam adivinhar $-$

Bj Bj fuii ~Pandda '-'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...