História Double Chocolate - Capítulo 1


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, Suga, V
Tags Bts, Taegi
Visualizações 65
Palavras 5.074
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu não sou boa com notas... espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 1 - Cappuccino


 Lá estava ele mais uma vez, pronto para pedir sempre seu café com chocolate duplo e muito granulado. Ele nunca aceitava ser atendido por outros atendentes da cafeteria, apenas comigo.


Me dirigi até o local em que o homem de cabelos pretos se sentava.

- Deseja alguma coisa Senhor? - Disse levando meu bloquinho de notas.

Ele olhou para o cardápio mas logo o soltou.

- Café com chocolate duplo e muito granulado. - Sorriu.

- Aguarde um minuto. - Anotei e sai do local.


Fui para a cozinha e fiz seu café, ele sempre pedia isso, todos os dias as três horas da tarde, esse senhor no qual não sei ao menos o nome, sempre aparece, sempre pede a mesma coisa e so aceita ser atendido por mim.


Quando outro atendente tenta anotar seu pedido ele simplesmente o ignora, em alguns casos pede para que me chamem, no começo, foi assustador para mim, mas agora notei que não tenho que me preocupar, ele parece ser inofensivel.

Voltei até sua mesa.

- Aqui está. - Coloquei o pedido na mesa.

- Obrigado, Taehyung. - Sorriu.

Retribui com um sorriso fraco e voltei para o balcão.

Ele tem o costume de ficar em torno de uma hora, algumas vezes chega a ficar alguns 30 minutos a mais, mas bem raramente.


Nunca entendi o motivo certo do por que ele faz isso, o por que de ficar tanto tempo, por que pede sempre a mesma coisa e principalmente, o por que dele nao aceitar ser atendido com alguém que não seja eu.


Me sentei na cadeira que tinha atrás do balcão aguardando que alguém viesse pedir algo ou pagar a conta.

- Você não se assusta com ele? - Sook, outra atendente da cafeteria se aproximou de mim secando um copo que havia lavado e guardando o mesmo.

- Não mais, ele nunca me fez nada de ruim, é apenas um cliente... Isso me deixa apenas  confuso, mas nao acho que eu precise sentir medo dele.


- Acho que eu sentiria. - Apoiou seu ombro no balcão me encarando.


- Por que? - Virei a cadeira que era giratória, ficando de frente para a garota.


- Não sei, ele só aceita ser atendido por você, além de que, eu ja notei algumas vezes olhares estranhos dele direcionados a você.


- Como assim?

- Aish Taehyung, não sei explicar, só sei que ja notei isso, sabe, olhares mal intencionados, talvez com uma segunda intenção.

- Nunca notei. - Suspirei. - Relaxa Sook, eu sei me cuidar.

A garota apenas murmurou um "ok" e foi atender as mesas.

Continuei no balcão caso alguém pretendesse vir pagar a conta.


Já haviam se passado um bom tempo, quem sabe algumas duas ou três horas, e o homem ainda estava ali. Não era normal ele ficar tanto tempo, geralmente ficava no máximo uma hora e meia, raramente chegava a isso.

Suspirei e fui ate sua mesa.


- Gostaria de pedir alguma coisa senhor? - Olhei para ele e logo o homem parou de digitar não sei o que em seu notebook e passou a prestar atenção em mim.


- Não obrigado, estou satisfeito - Sorriu e manteve seu olhar sobre mim até o momento em que eu saísse de perto e voltasse para o balcão, depois novamente passou a digitar novamente algo em notebook.


As horas continuavam a passar e ele ainda permanecia no lugar, eu notava seu olhar sobre mim em alguns momentos, eu já estava começando a ficar assustado.


Ao contrario do que meus pensamentos indicavam - que ele que ficaria ate o estabelecimento fechar - logo ele foi embora, faltando exatamente uma hora e meia para fechar.



Permaneci sentado na cadeira giratória por algum tempo, hora ou outra levantando para atender a um cliente ou até mesmo recolher o dinheiro de alguém que desejava pagar a conta. Porém meus pensamentos estavam longe, sei que isso acontecia ja a um bom tempo, mas hoje após a conversa que tive com sook, não consegui parar de reparar nos olhares que o mesmo lançava sobre mim durante um certo período. As vezes ele parecia meio atordoado, como se quisesse me dizer algo ou até mesmo fazer algo.


Apesar de tudo eu não sinto medo, talvez um leve arrepio ao pensar nessa situação meio estranha onde fui me enfiar.


Diferente de todos os outros dias, o homem cujo não sei ao menos o nome, me causou um fio de curiosidade sobre si.


Era estranho sentir isso, ele sempre foi apenas mais um cliente para mim, porém, depois do que Sook disse... Foi como se eu conseguisse enxergar outra coisa nele, talvez fosse apenas uma coincidência, Sook deve apenas ter se confundido quanto a suas palavras.


Suspirei e me levantei ao notar um cliente parado no caixa. Não apenas um cliente, aquele cliente.

- São 10.000 wons. - Disse para ele logo depois de olhar sua conta.

O Homem apenas assentiu, não disse nada, apenas pagou e pegou o ticket. Pegou uma caneta que estava em cima do balcão, escreveu algo atrás do mesmo e logo me entregou.

- Não abra aqui. - Depois de dito, saiu do estabelecimento.

Talvez fosse melhor obedecer e abrir depois.

Guardei o papel no meu bolso e voltei a me concentrar no meu trabalho.


 Meu turno finalmente acaba e eu vou até o vestiário tirar o uniforme e vestir minhas roupas abituais.


Sai do vestiário ainda ajeitando a camiseta e concentrado em fechar minha mochila quando sou surpreendido por Sook  super animada.


- Eu vi o tal cliente misterioso te entregando um papel, o que é?



Ela parecia um tanto cautelosa, sussurrava como se estivesse me contando algum segredo, porém nem eu mesmo sabia o que tinha la.


- Eu ainda não sei, ele pediu para abrir mais tarde, qualquer coisa eu te falo depois ok?


- Hum... ok.


Acenei para a mesma e sai da pequena cafeteria indo em direção ao prédio onde morava. Parei em frente ao meu apartamento e comecei a procurar as chaves em um dos bolsos.

"O papel"

Pensei e então retirei o mesmo de lá. Talvez devesse ler mais tarde, seria algo importante?


Abri a porta e adentrei no apartamento ja escuro - era quase noite-, deixei o tal papel acima da mesinha no canto e fui até o quarto e guardei minhas coisas -joguei elas em um canto qualquer.



Retirei minhas roupas, até pensei em vestir outra porém decidi ir tomar um banho.



Entrei dentro do box e liguei o chuveiro, tomei um banho rápido e logo o finalizei, sai, do banheiro e fui para o quarto novamente logo vestindo uma roupa confortável para ficar em casa.


Teria de cozinhar algo para comer, eu sou um pessimo cozinheiro, só me dou bem fazendo café, qualquer tipo de café.


Fiz apenas um prato de miojo e uma caneca de cappuccino.


Fui para a sala e me sentei no sofá, liguei a televisão e passei a procurar algo legal para assistir e passar o tempo.


Coloquei em um canal aleatório e comecei a comer meu "jantar".

Apos alguns minutos ali, apenas sentindo o calor que o prato de miojo trazia finalmente terminei de comer e coloquei o prato acima da mesinha de centro.

Ja ia me esquecendo do meu cappuccino. Peguei o mesmo e beberiquei apenas alguns pequenos goles ja prestando atenção no filme que estava passando.


Infelizmente o filme se acabou com um Taehyung caindo em lágrimas graças a cena de morte do personagem principal. É aquele ditado, fazer o que.


Me ajeitei no sofa e sequei as lágrimas.

Peguei meu celular entrando no facebook.

"Você recebeu uma solicitação de amizade."

Min Yoongi.

Não conheço. Entrei em seu facebook e olhei suas fotos, eu sentia que ja conhecia ele, era muito bonito.

Aceitei a solicitação


Bom... não seria um crime ver algumas fotos dele certo? Ele esta muito bonito na do perfil, mas vai ver é só o ângulo, e ainda posso tentar me lembrar dele.



Entrei no perfil do mesmo e vi todas as suas fotos que foram do perfil -se resumiam a três fotos.

Bom, ele compartilhava fotos de algumas paisagens e algumas frases de música. Parece ser alguém profundo, consegui até mesmo encontrar uma foto na capa onde ele sorria ao tocar as teclas de um piano. Dedos finos e longos... ele tem mãos bonitas também.

Chega, chega, por que estou olhando as fotos desse homem? Ta que ele é muito bonito, mas bonitos tem vários por ai.

Desliguei a tela do celular e depois olhei para o relógio acima da mesinha.

"Quanto tempo eu passei olhando o perfil desse cara?"


Expulsei esses pensamentos da mente e me foquei em terminar meu cappuccino.


"O papel"

Essa lembrança ecoou em minha mente e eu fui ate a mesinha pegar o papel.

Peguei o papel e como se o destino conspirasse, alguém tocou o interfone.

Fui ate o telefone e era o porteiro dizendo que eu tinha correspondência.

Desci para a portaria e peguei as cartas na caixinha de correio.


- Contas, contas, contas, apenas contas. - Disse a mim mesmo enquanto olhava as cartas. - Isso nao é conta. - Vi uma cartinha azul clarinho e logo abri ela.


Era apenas uma foto que minha mae me mandou da cachorrinha dela, jura mae? Não era muito mais fácil enviar por mensagem?


Ri baixinho e voltei para o meu apartamento.




Logo trancando a porta e indo em direção a minha cama.



Pego meu celular vejo mais algumas coisas em minhas redes sociais, mas logo me lembro do horário.

Acho melhor dormir, amanhã sera um dia cheio e eu não estou afim de dormir em cima do balcão ou escondido no vestiário.


Assim coloquei o celular para carregar e me deitei ajeitando algumas cobertas.

Apenas suspirei e apaguei o abajur aque estava aceso ao lado da minha cama. Fechei os olhos e logo adormeci.


Acordei com os raios de sol invadindo meu quarto e machucando meus olhos, maldito dia que fui esquecer de fechar a cortina.


Ainda faltam 30 minutos para minha hora de acordar, nem adianta voltar a dormir. Parabéns Taehyung.


Suspirei e me levantei, fui ate o banheiro e fiz todas minhas higiene logo indo para a cozinha comer.

Faltavam 40 minutos para o meu turno começar e eu ja estava pronto, um recorde para quem sempre batalha para chegar no horário certo.


Peguei meu celular e minha carteira, sai de casa e fui para meu local de trabalho, Sook já havia chegado e estava a organizar as mesas, ajudei a menina com isso e logo a cafeteria abriu tendo fanáticos por bebidas com cafeína adentrando o local, ocupando uma mesa e fazendo seu pedido.



Aquele lugar estava mais cheio do que o normal, Meus olhos vagaram pelo mesmo a procura de algo.



Tinha alguma coisa diferente, Parecia mais claro e com muita vida... mas algo está faltando.

Continuei a servir alguns clientes e atender aos novos que iam chegando.

O tempo parecia voar, via as pessoas entrendo e saindo como se fosse automático.

Vi que ja beirava o horário de almoço e aquela sensação de vazio ainda estava la, talvez fosse fome certo?


Eu e Sook marcamos de ir almoçar juntos hoje, ela parece estar tão inquieta quanto eu.


- O que aconteceu?


Perguntei enquanto a fitava meio preocupado.


- Um amigo... bom, um conhecido para falar a verdade, que eu gosto muito, me chamou para sair.




Disse tudo de uma vez, como se estivesse segurando aquilo a muito tempo.


- Oh, que bom, você precisa mesmo desencalhar.



A olhei engraçado e bebi um gole de suco.


- Oras, estou brincando! Não precisa me olhar como se eu fosse um monstrinho.



Apertei suas bochechas e a mesma voltou a sorrir.


- Você acha que eu devo ir?


- E por que não? Você não tem namorado, não é casada e muito menos uma criança.


Ela sorriu e apoiou a cabeça sobre os pulsos.


- E você?  Quando vai sair com alguém taehyung.



 - Eu? Quando eu vou sair? - Ri. - O dia que a pessoa perfeita descer de um cavalo branco e me pedir para ter um encontro com ela.


- Boa sorte então princesinha.

- Muito obrigado plebéia.


A menina estreitou os olhos e riu logo se levantando e indo limpar as mesas vazias.


Eu continuei no caixa atentando as pessoas que vinham pagar.

Olhei no relógio que tinha no balcão, já era quase hora de fechar. Estranho, eu ainda estou sentindo aquele vazio.

Dei de ombros e fui para o vestiário assim que meu expediente acabou.

Troquei minhas roupas e fui ajudar Sook a terminar de limpar as mesas.

Havia se passado o dia inteiro e tinha algo errado.

Suspirei lembrando de todos que atendi hoje, estranho, eu nao fiz nenhum cappuccino com chocolate duplo. Areegalei os olhos como se lembrasse de algo. Era isso que estava deixando tudo vazio! Aquele homem nao havia aparecido!

Suspirei, por que eu estava pensando nisso? Eu nem se quer me importava com esse cara.

Esse pensamentos me levaram a lembrar do papel que ele me deu, mais que coisa Taehyung, vai completar um dia que você está curioso para saber o que tem nesse bendito papel e mesmo assim esquece de ler ele.

Suspirei dando um tapa na minha própria testa e acelerando os passo para chegar em casa mais rapido.

Depois de alguns minutos andando, finalmente cheguei ao meu apartamento. Eu estava acabado, o dia hoje foi muito cansativo, diversos clientes, muita gente para apenas um Taehyung e uma Sook.

Caminhei ate meu quarto e me despi jogando as roupas no sexto de roupas sujas e logo e tirando de baixo do chuveiro.

Tudo que eu queria agora era tomar um banho bem demorado para me acalmar e ir direto para a cama dormir, acordar no dia seguinte repetir novamente os mesmos atos. Oh vida cruel.



Adentrei em meu quarto e acendi a luz. Vesti uma box preto e fui até a sala na intenção de procurar o tal papel.



Onde sera que eu deixei? Estava procurando na estante quando ouço o celular tocando no quarto.


Aish, talvez seja melhor ir atender.
Fui até o mesmo e peguei o aparelho logo vendo que era sook.


-  Alô.


- Oi taezinho.


- Oi sook, que foi?


- Calma taehyung, guarda a pistola bebê - disse e soltou uma risada irônica- mas então... o que acha de uma social na casa de um amigo meu?


- Estou cansado sook, acabei de tomar banho e pretendo ir dormir. -disse um tanto sério e me deitei na cama. Não estava tão cansado assim.


- Você é tão chato quanto o meu avô kim taehyung. E não adianta dizer que não vai, pois eu vou ai te buscar em 30 minutos.




Antes que pudesse argumentar algo a mesma desligou o telefone, me deixando ali sem escolha alguma.


Me levantei e fui até o guarda roupas. Eu sei que deveria fazer algo, mas tenho que me arrumar antes que ela chegue aqui e me veja apenas com essa box preta.


Vesti um jeans preto colado e uma blusa branca sozial, Calcei um tênis para parecer menos formal e arrumei o cabelo.



Suspirei e me sentei no sofa aguardando que a garota chegasse.


Não demorou muito e eu tinha uma Sook ansiosa batendo na porta do meu apartamento.


- To agindo calma minha filha.


Disse pegando minha carteira e meu celular e logo indo para a porta.


Abri a mesma e vi Sook toda arruma, alguém queria impressionar o crush.


- Vamos TaeTae? - Ela perguntou e eu assenti com a cabeça.

Nos dois fomos até o carro dela, le-se dos pais dela, a casa desse cara nao era tao longe do meu apartamento, então logo chegamos no local.




Chegando ao local, percebi que não era bem a famosa "social" só entre amigos. A musica estava alta e havia várias pessoas entrendo e saindo do local.




- Não era só pros mais íntimos?


Sook riu baixo e estacionou o carro num local próximo a aquele.


- Ele tem muitos amigos sabe...



Sorri tentando me conformar e pensando que aquilo tudo não seria tão ruim e que logo logo eymu estaria em casa dormindo.


Descemos do carro e fomos até a porta em uma tentiva de chegarmos vivos e "virgens" até o outro lado.


Eu só não digo que nunca mais irei a algum lugar com sook, pois eu sigo a seguinte frase : "nunca diga que dessa agua não beberas, pois um dia vai que beberas".



Quando finalmente fui tirado de meus devaneios, percebo que aquela baixinha ja havia desaparecido entre as pessoas e eu me encontrava só. Muito obrigado sook, eu vou sobreviver sem você.


Segui até o centro da sala onde vi um mine "bar" do outro lado. Parece que ela tem uns amigos bem ricos mesmo em, só eu que ando com a galera cheia de saúde.

Fui até la e peguei uma bebida, logo olhando em volta a procura de algum lugar para me sentar.


Encontrei um lugar bom para me sentar, tinha várias pessoas porém ninguém notaria minha existência.


Me sentei em um puff marrom no local.

A bebida era boa, era viciante. Tinham garçons passando pelo local com bandejas oferecendo mais bebidas, pedi a mesma que havia pedido antes, era realmente ótima.

- Isso tem álcool? - Perguntei ao homem quando me entregou a bebida.

- Tem sim. - Disse logo saindo.

Ok, um pouquinho de álcool não vai fazer mal nao é mesmo? É só um pouco 

Só um pouco, essa frase se repetiu na minha mente no momento em que eu pegava meu quinto copo da bebida.

Não parecia ser tao forte, eu estava sóbrio, nao estava tão alterado quanto deveria estar se tivesse grande quantidade de álcool.

Pedi mais um copo assim que a bebida acabou, o garçom assentiu e foi pedir a bebida.


Notei um cara se aproximar de mim com minha bebida em mãos, ele me entregou e se sentou no puff ao meu lado.


Eu conheço esse garoto... É o cara da cafeteria.


 O mesmo olhava para um ponto fixo em sua frente e parecia me "ignorar".



- Olá, você é aquele cara que esta sempre na cafeteria?



Perguntei tentando ser simpático e não demonstrar muita curiosidade.


- É, sou eu.



Ele continuava a fitar o nada... bom, eu esperava que fosse o nada, pois quando olhei para frente vi que o mesmo estava olhando para uma... para uma garota?


- Eu não sabia que você tinha uma namorada.



Disse tentando esconder a decepção enquanto ainda fitava a mesma. Mas por que estava decepcionado? Nunca saberei.


- E eu não tenho.



Disse divertido e logo vi um sorrisinho tímido surgir em seu rosto. Ta, o desconhecido fica bem bonitinho sorrindo.


Sorri também e agora passei a fitar o mesmo.


- E qual o seu nome?



O mesmo desviou o olhar da garota e passou a me fitar agora. Eu nunca havia mantido contato visual com o mesmo por tanto tempo.


- Eu me chamo min Yoongi, e você? 



- Kim Taehyung, mas pode me chamar apenas de tae.


O mesmo parecia uma criança sorrindo. Aquela cena fez meu coração se aquecer um pouco.


- Bom, eu tenho que ir.



Disse apontando para a garota que nos fitava.


- Se não ela desiste de mim.



Soltou uma risadinha assoprada e se levantou indo na direção da garota.


Fiquei meio confuso. Ok, se ele não tem namorada, quem é aquela? Uma "peguete"? Então ele é do tipo que gosta de diversão apenas por uma noite? Oras, ele deve ser só mais um cretino.


Continuei ali, sentado durante um longo tempo apenas me afundando em meus próprios pensamentos, até que vejo uma Sook parcialmente bêbada se aproximando com um sorrisinho.



Olhei novamente para a direção do homem que falava com a mulher. Nisso eu me lembrei de seu nome... Eu conheço esse nome.

Ele é o cara que me pediu em amizade no Facebook, aquele que eu fiquei stalkeando... Meu Deus, nada mais faz sentido


Suspirei logo Sook se sentou no Puff ao meu lado com um copo de bebida em maos.


- TaeTaaaaaae. - A garota disse extremamente manhosa. - Eu to passando mal...

- Também, olha o tanto que você bebeu.


Suspirei, a bebida que ela estava bebendo tinha um cheiro forte de álcool, ela mesma cheirava a álcool.


- Vamos embora, vou te levar para sua casa.


- Nãooo. - Ela disse se levantando. - O garoto que eu gosto esta aqui... Ele vai me levar. - Sorriu.

- Ah então ta...


Parece que voce vai ir para casa sozinho Taehyung.


Peguei mais um copo da bebida que tomava antes, eu sabia o caminho de casa, porém era muito longe.


Finalizei a bebida e sai da casa, indo em direção ao meu apartamento.


Peguei meu celular e olhei as horas, 23:37, se eu estiver com sorte chego em casa uma da manhã.


Continuei fazendo meu caminho ate ver um carro começar a andar devagar em minha direção. Tentei acelerar meus passos porém o carro continuava a me seguir.


- Eiei! - Ouvi uma voz gritar do carro. - Quer carona Tae? Posso te levar ate sua casa, nao é seguro andar sozinho nas ruas a esse horário.

Era o cara da cafeteria, Yoongi.


Eu deveria entrar no carro de um desconhecido? Ta, já nos conhemos... mas eu só sei seu nome.



O mesmo acelerou e parou o carro do meu lado.


Ja era tarde, corria o risco de ser roubado ou coisa pior. Bom, é melhor que andar ne?


Fui até a porta e entrei.


- Eu moro um pouco longe, é la perto da cafeteria, no prédio azul.



O mesmo sorriu e começou a dirigir.


- E a sua "amiga"? Por que não a levou para casa tambem?



- e quem disse que não levei?


Deu uma risada mas ainda sim mantinha seu olhar fixo na rua.


Apenas murmurei um "hum" e comecei a olhar através da janela. A rua estava completamente vazia.


Ficamos em silêncio pelo resto do caminho. Quando chegamos ele apenas parou o carro e eu desci.


- Obrigado senhor min.



Disse sorrindo e fechando a porta do carro.


- Me chame apenas de yoongi -sorriu sem mostrar os dentes e olhou para frente- de nada, me liga ta?



Disse e saiu.

Como assim me liga? Eu nem ao menos tenho seu número.


Apenas dei de ombros e entrei dentro do prédio. 



Entrei dentro de casa, eu estava cheirando a álcool, isso me dava nojo.



Suspirei e me joguei na cama, amanhã eu tomava um banho antes do trabalho.

Ótimo, quando eu finalmente consigo me deitar o sono não vem.

Me levantei e fui ate a cozinha, as vezes tomar um copo de leite me acalma e me deixa tranquilo o suficiente para dormir.

Coloquei o leite no copo e andei pela casa tentando me cansar, vi aquele papel em cima da mesinha.

- Ah! O papel! - Suspirei e fui até a mesinha.

Peguei o papel, poxa, fazia um tempo que ele me entregou esse papel e eu ainda nao li.

Suspirei e coloquei o papel no bolso ao sentir meu celular tocar.

Corri até o quarto.

- Número privado? - Estranhei porém logo atendi. - Alô?

- Tae... - Eu nao conseguia reconhecer a voz dele.

- Como sabe me nome?


- Eu te amo. - Ele disse e logo desligou, deve ser algum amigo da Sook me passando trote.


Soltei o celular em cima da cama e logo me deitei. Eu vou dormir com sono ou sem sono.




Uma semana depois




Acordei não tao disposto afinal, nao havia tido uma noite de sono maravilhosa como a que pretendia ter.



Fiz minha higienes e tomei um café da manhã, literalmente café, essa foi minha primeira refeição do dia, café.


Suspirei e logo peguei caminho ate a cafeteria.


Assim que cheguei Sook já estava no local, vesti meu avental e virei a plaquinha colada na porta passando do fechado para o aberto indicando que agora o local  estava aberto para funcionamento.



Liguei o ar condicionado e me sentei na cadeira a á frente do balcão aguardando que as pessoas começassem a aparecer.


Três horas de se passaram e pouquíssimas pessoas pisaram no local, algo que era até que raro.


- Hoje a cafeteria está tao deserta. - Disse e Sook assenti com a cabeça.



Desde aquela festa eu nao vi mais Yoongi, ele havia dito para que eu o ligasse porém eu nao tinha seu numero. Suspirei, era estranho não ver ele aqui, para alguém que sempre vinha na cafeteria era novidade ele nao aparecer mais.


[...]



Retirei meu avental e fui para o restaurante na frente da cafeteria, havia chegado o meu horário de almoço porém tive que ajudar Sook a recolher as coisas da mesa, então perdi 10 minutos dele, nao daria para voltar em casa e comer algo.



Me sentei em uma mesa e preferi pedir algum prato de comida, nao estava a fim de ir no bife.


Finalizei a comida e voltei para a cafeteria, eu ainda tinha 5 minutos de horário de almoço, então apenas fiquei sentado aguardando ele acabar.


[...]


Na parte da tarde vieram muitas pessoas, estava difícil cuidar de tudo sozinho. Sook havia passado mal e precisou ir em bora, restava so eu aqui.


Eu nao aguentava mais, estava muito cansado, teve um determinado momento que chegou a ter fila de espera do lado de fora para conseguir lugar para sentar.


Suspirei e dei graças a deus que meu turno acabou.


Atendi todas as pessoas que pude e disse as outras que ja iria fechar o local.


Fui até o vestiário e me troquei, após terminar de arrumar todas as minhas coisas rumei para casa ainda ajeitando as roupas na mochila.


Cheguei em casa e guardei todas as minhas coisas. Fui para o banheiro e tomei um banho demorado. Em meio as gotas que caiam com certa brutalidade, me encontrei pensando naquele homem que ja não considerava tão estranho aos meus olhos... ele parecia um tanto interessante agora.


Talvez estivesse ficando louco, ter me apegado a um estranho -ou um pouco conhecido pelas poucas vezes que entrei em seu perfil para checar se era ele mesmo.


Sai do banho e logo me vesti indo deitar. Permaneci fitando o teto durante um longo tempo. Era isso, não conseguiria dormir tão cedo.

Ao decorrer da semana  tudo parecia na mesma. A cafeteria as vezes parecia um verdadeiro inferno, e as vezes parecia até mesmo um deserto de tão vazia. Porém essa semana além da cafeteria, eu também me sentia vazio. O baixinho de sorriso gengival não apareceu mais lá pedindo seu cappuccino com chocolate duplo.



Senti falta de ver a mesa que ficava em frente a janela quieta. As pessoas que se sentavam la agora eram barulhentas e riam o tempo todo, nada comparado ao homem que apenas fazia seu pedido e permanecia ali sentando mechendo em seu notebook.


É, eu estou com saudade de preparar um cappuccino de chocolate duplo.


[...]


Suspirei e preparei o último pedido feito, Sook limpava as mesas vazias e marcava os pedidos dos clientes, em quanto eu os fazia.


Já estávamos no período da tarde, duas semanas e aquele homem baixinho ainda nao havia aparecido novamente.


Ninguém pedia o mesmo pedido que ele, porém nao era de preparar o pedido que eu sentia falta... Era de preparar o pedido para ele.


Meu turno estava quase acabando, na verdade, já ate passou do horário, a cafeteria abriu ium pouco mais tarde, po isso ficou aberta por mais tempo também.


Quando finalmente nosso turno finalmente acabou, Sook se vestiu em quanto eu fechava a cafeteria.

- Até amanhã Tae. - A garota sorriu e saiu do local.


Acenei com a mão e tranquei a cafeteria, sai do local tirando meu avental na rua mesmo, não teria problema leva-lo para casa apenas hoje, eu sóqueria ir embora logo.


- Taehyung! Espera! - Escutei uma voz masculina gritar atrás mim.


Me virei procurando quem me chamou, logo vendo que Yoongi Corria em minha direção.



Olhei para o mesmo meio confuso durante sua "corrida".


- Olá, Yoongi?


- Sim, sim -ele dizia entre palsas enquanto suspirava recobrando o ar perdido- podemos ir tomar um café ? Quero te falar algo.



- Café? - levantei uma sombrancelha enquanto o fitava sorrindo.



- Ok, sem café, vamos apenas conversar então.



Sorriu e então rumamos até um banco que tinha ali perto da calçada.


- Você não gosta de mim ne? Claro que não deve gostar.


Ele disse meio triste enquanto me sentava ao seu lado.


- Por que diz isso?



- É que você nunca me ligou - ele parecia cansado e olhava para o chão o tempo todo- mas isso não importa agora. O que importa é que;



Ele suspirou e se ajeitou no banco.


- Eu vou te deixar em paz.

- Como assim em paz?

- Eu já notei que voce nao quer nada comigo... E-eu... Vou parar de tentar.

- Yoongi do que voce esta falando?

Ele suspirou novamente e me encarou.

- Eu te amo Taehyung. Eu amo voce desde que comecei a frequentar a cafeteria, me apaixonei pelos seus detalhes,  sorrisos que voce dava e pelas coisas minimas que fazia... Eu nao conheço você o suficiente mas sei que te amo.

Eu me sentia confuso com isso. Eu nao sabia o que dizer.


Mantive meu olhar sobre o dele sem dizer absolutamente nada, minha boca se movia ao que minha mente formulada palavras, porém eu nao as pronunciava. 


Suspirei e baixei minha cabeça.


- Eu não sei o que dizer.


- Não diga nada, eu ja entendi, eu vou parar de correr atrás de você. - Disse e então se levantou caminhando em direção a algum lugar. 


- Não Yoongi! Não é isso. - Me levantei correndo ate ele para que conseguisse o alcançar. - Eu não sabia que gostava de mim... É algo novo pois nos nem nos conhecemos...


- Eu sei que não, porém eu ja disse, me apaixonei pelos seus pequenos detalhes, pelo que via de voce ao longo dos dias, e pelo que eu sabia sobre você. Sei que nao sente o mesmo e que nao quer nada comigo, afinal voce não me ligou.


- Mas eu nem sei seu numero...


Ele suspirou novamente. 


- Até outro dia Taehyung. - Disse acenando e logo se virando voltando a caminhar na direção em que caminhava antes. 


Suspirei e coloquei as maos no bolso do casaco que vestia, sentindo um pequeno papel amassado no bolso dele. 


Como eu havia esquecido? Faz mais de duas semanas que estou curioso para saber o que tem nesse papel e simplesmente esqueço, faz quanto tempo que eu o coloquei aqui? Uma semana?


Abri o papel amassado logo vendo alguns numeros bordados graças ao tempo em que ficou dobrado. 


Me xinguei mentalmente por nao ter aberto antes. Peguei meu celular e salvei o número vendo que já havia uma chamada com ele.


Yoongi me ligou, a um tempo atrás, o número que eu achei que fosse um trote... Era dele. 


Disquei para o numero e corri na direção em que ele havia ido logo vendo o garoto parado em uma rua esperando os carros passarem para poder atravessar.



- Alô? - Voltei a prestar atenção na chamada no momento em que ouvi ele se pronunciar. 


- Yoongi. - Suspirei. - Por acaso você nao quer tomar um cappuccino?


Notas Finais


Eu e a Mark fizemos essa one com muito amor -amor, risus- para vocês, espero que tenha ficado tão bom quanto o esperado. Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...