História Double Life | Vkook/Taekook [HIATUS] - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 28
Palavras 3.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Policial, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Dividido


O garoto acordou subitamente. O lugar estaria completamente escuro se não fosse pelas luzes da cidade que entravam pela janela e iluminavam, ainda que minimamente, o cômodo que ele logo reconhecera como quarto.

Levantou-se da cama macia onde estava e começou a tatear as paredes em busca de um interruptor. Tropeçou em algumas coisas até conseguir acender a lâmpada do lugar.

O quarto era relativamente grande. Ao lado da cama de casal encostada na parede estavam em sequência um criado-mudo, uma estante com vários livros e uma escrivaninha. Na parede ao lado da escrivaninha tinha uma janela de vidro e na frente da cama, uma TV com um console de vídeo-game.

Quando foi coçar os olhos para se acostumar com a claridade, percebeu que o seu rosto estava molhado, o que indicava que o seu hospedeiro estava chorando antes dele entrar em seu corpo. Logo ele sentiu um súbita vontade de desbravar os outros cômodos da casa.

Ele abriu a porta de seu quarto e logo percebeu que não morava sozinho, pois além da porta do seu quarto havia outras três por perto e também percebeu a existência de uma escada. Ele foi descendo os degraus devagar para não fazer barulho. A casa não parecia ter ninguém no momento pois o silêncio estava tomando conta do recinto.

Taehyung chegou ao andar de baixo e começou a vagar pela escuridão procurando por outro interruptor. No meio de sua busca, o rapaz fez a proeza de derrubar algum objeto de alumínio no chão fazendo o barulho fino e continuo ficar ainda maior enquanto tentava aparar o objeto com os pés.

"Aish!" - Taehyung começou a praguejar.

A luz se acendeu enquanto ele estava ocupado demais agarrando seu pé e pulando de dor. A claridade, que novamente feriu seus olhos, fez com que ele cobrisse, com a outra mão o seu rosto. Ele foi se adaptando até ver direito a mulher que usava uma calça de moletom e uma camisa de mangas compridas. Ela havia acabado de acordar.

"Filho?, Está tudo bem com você? Eu ouvi um barulho" - A mulher perguntou, parecendo preocupada. Taehyung se assustou. Ela parecia muito jovem para ser sua mãe.

"S..sim, Claro…Eu.." - Ele travou um pouco. Tinha se assutado até com sua própria voz, que era definitivamente mais grossa que a de Mark. - "Acordei porque tive um pesadelo"

A expressão da mulher suavizou - "Filho.." - Falou afagando a cabeça do mais novo ainda sonolenta - "Volte a dormir, ok? Você tem aula amanhã." - Ela falou e ele apenas assentiu e fez o mesmo percurso, agora no claro, de volta para o seu quarto.

—x—

O som de uma música americana desconhecida despertou Taehyung. Ele acordou desnorteado até assimilar que trocara de corpo novamente. Que tinha uma nova vida agora. Ele tateou a cama até encontrar o aparelho telefônico do qual vinha o som. Estava sem senha, então ele começou a mexer no aparelho. Não chegou nem a abrir o aplicativo de mensagens, pois sua mãe já estava gritando do primeiro piso para que ele se apressasse para a escola.

O quarto dele tinha o próprio banheiro, então ele não precisou sair pela casa abrindo todas as portas até achar o cômodo, mas passou um bom tempo analisando o próprio reflexo no espelho.

Alto, magro pele levemente bronzeada, cabelos castanhos, olheiras e aparência cansada. Levou sua mão até a barra da camisa de manga longa do pijama e a levantou, revelando um pulso emaculado.

"Pelo menos esse não se corta" - Falou consigo mesmo - "Kim Taehyung" - Fitando a própria imagem - "É um prazer conhecê-lo"

—x—

Taehyung não imaginava que passar um tempinho a mais no banho fosse atrasá-lo tanto assim. Ele não estava mais acostumado a ir à escola. Não estava mais acostumado a ter horários à cumprir, e já amaldiçoava o fato de ter que voltar a ter dezessete anos e ir a escola enquanto sua mãe continuava a gritar e ele nem sabia onde Taehyung "original" colocava o uniforme.

Dez minutos depois ele estava praticamente apenas engolindo seu café da manhã enquanto sua mãe continuava reclamando sobre o atraso. E desviou o olhar para a televisão que estava ligada em um canal de notícias e por um momento seu coração parou.

"A tentativa de assalto ao banco central de Seul aconteceu na madrugada dessa sexta-feira e teve um final trágico. Um dos assaltantes foi morto em uma tentativa de resistência, e os outros não foram identificados. A identidade do assaltante não foi confirmada e a polícia está investigando."

"Olha ai, é por isso que você não pode andar com pessoas de caráter duvidoso. Esses jovens de hoje em dia só pensam no que não presta" - A mãe dele falou o tirando do seu estado de choque.

"Mas e se essas pessoas estivessem fazendo isso por...um bom motivo?" - Ele perguntou ainda com o coração apertado ao se lembrar de seus amigos. Ao lembrar de Jimin.

Ficou alguns segundos pensando em como eles estariam agora, se estavam tristes ou se nem se importavam com sua morte.

"Esse tipo de gente não tem bons motivos. Eles só querem dinheiro para fazer mais coisas ruins." - Sua mãe falou e ele ficou pensativo - "Agora levanta que você tá atrasado até demais! Eu vou te levar pra escola e ir trabalhar"

"Mas eu ainda não terminei…" - Ele falou apressando as colheradas e enchendo a sua boca de comida.

"Fica com fome até a hora do almoço, agora vamos" - Ela falou já na porta e ele correu, seguindo ela até o carro.

Lá fora, Taehyung percebeu que sua casa era relativamente de estrutura boa, típica da classe média alta, e se perguntou em que sua mãe trabalhava, ou o que acontecerá com seu pai

—x—

"Por que Jungkook nunca mais foi lá em casa?" - A mulher quebrou o silêncio enquanto estava dirigindo.

"Eh…" - Taehyung não fazia ideia de quem era a pessoa - "Quem?" - Ele falou e ela o olhou estranho.

"Jungkook" - Ele repetiu - "Meu Deus, o que você tem hoje? Aquele pesadelo te afetou"

"Nada, eu tô bem" - Ele suspirou.

Logo chegaram na escola, e ao adentrar o lugar percebeu que realmente estava atrasado, pois não se via um ser humano se quer nos corredores, e ele não fazia a menor ideia de onde ficava a sua sala de aula.

Sem saber o que fazer, ele simplesmente começou a andar pelos corredores, escaneado o lugar com os olhos até esbarrar em uma mulher de estatura baixa, usando o cabelo preso em um rabo de cavalo e um olhar inquisidor.

"O que está fazendo fora da sala?" - Ela perguntou puxando ele pelo braço - "Já para dentro, o professor já entrou" - O deixando na frente da porta.

"Kim Taehyung" - Uma voz grossa se fez presente assim que ele abriu a porta da sala de aula. Os alunos já estavam em seus lugares o olhando, assim como o professor, que levava o olhar enraivecido no rosto. - "Está esperando o quê para se sentar?"

Taehyung logo apressou-se para sentar. Ignorando um garoto de cabelos pretos que apontava para o lugar vazio ao seu lado, e acomodando-se em uma das carteira do fundo.

Ele olhou para o quadro, constatando que a matéria do professor "super receptivo" era matemática. Pegou o caderno de Taehyung e abriu na matéria, mas o garoto não anotava nada de matemática no caderno. Só nesta matéria havia anotações de biologia, gramática, inglês e etc. Então ele desistiu de tentar prestar atenção naquela aula e sua mente vagou para Jimin.

Pelo visto, Taehyung mora na mesma cidade que 'Mark' e os meninos

Taehyung pensou em como faria para vê-los de novo, como eles reagiriam, se daria para ver Jimin novamente e se o mesmo o aceitaria desta forma, aliás, ele já não era mais Mark e sim Taehyung.

Será que ele sente minha falta?

Não lhe surpreenderia se o restante dos garotos tivessem continuado suas vidas, seguindo em frente sem ressentimentos depois que Mark morreu. No entanto Jimin não entrava em sua cabeça como uma pessoa fria e sem sentimentos, ele tinha a convicção que Jimin ainda precisava dele.

Taehyung passou a mão pelos seus cabelos e descansou sua cabeça na carteira onde permaneceu até o final do terceiro horário.

Ele foi despertado de seus pensamentos quando ouviu um toque seguido de arrastões de cadeiras, levantou o olhar e percebeu que todos os alunos estavam indo em direção à porta. Concluiu que teria que seguí-los para ao menos saber onde se localizavam as partes principais do colégio. Seria estranho o garoto que já estava há um bom tempo na escola aparecer repentinamente se comportando como um novato, perguntando a todos onde ficava o banheiro.

Os alunos saíam de suas salas rapidamente fazendo os corredores que segundos atrás estavam completamente vazios se encherem de rostos desconhecidos. Taehyung deixou que o fluxo das mesmas o guiasse. Logo avistou várias mesas e sentiu o familiar cheiro de comida de cantina, percebeu que estava no refeitório.

Ele chegou mais perto do aglomerado de pessoas e tomou uma bandeja nas mãos enquanto avaliava a comida, que não tinha a melhor das aparências, mas ele não podia reclamar estava faminto desde o café da manhã. Taehyung se sentou em uma mesas do fundo após se servir.

Logo ao começar a comer se deparou com o olhar do garoto que tentava chamar sua atenção mais cedo. Ele estava do outro lado do refeitório fazendo cara de dúvida para Taehyung que ergueu uma sobrancelha enquanto levava o copo de suco até a boca, o que fez o outro ficar mais confuso ainda. Taehyung tirou sua atenção do garoto de cabelos escuros e se afundou em seu pensamentos.

Ele não tinha achado nenhum resquício de tristeza na vida de seu novo hospedeiro. Por que será que ele teria vindo para este corpo se a sua vida era aparentemente normal? Ainda não fazia sentido. Ele queria descobrir o que havia acontecido, mas não queria perder o seu foco em encontrar Jimin. De qualquer forma, ele iria descobrir o que estava acontecendo com Taehyung a qualquer momento, mas Jimin estava sentindo sua falta, provavelmente chorando, e só em pensar nisso seu coração se apertava.

Seus pensamentos se esvaíram quando um ser ocupou a sua visão, certamente decepcionado. Os cabelos do rapaz caíam sobre a sua testa formando uma sombra em seus olhos. As narinas bufavam levemente. Taehyung ficou curioso em saber quem era esse que tanto o importunava.

"Que ideia é essa? Tá me ignorando agora?" - O garoto espalmou a mesa onde Taehyung almoçava. Sua expressão agora se alternava em risadas nervosas e raiva. Taehyung não fazia ideia do que estava havendo.

"Por que eu te ignoraria?" - Ele falou levando o garfo com purê de batata até a boca - "Cara, isso tá gostoso" - Olhando para seu prato e depois olhou de volta para o moreno.

"Você está agindo como uma criança! É meu hyung mas está sendo mais imaturo que eu" - O mais novo balançou a cabeça em negação - "Você não fala nada com nada, discute comigo e depois me ignora, é isso?" - O moreno replicou a reação do mais velho - "Não se pode julgar uma pessoa daquele jeito. E eu só estava defendendo ela."

"Me desculpe" - Taehyung falava maciamente o que fez parecer um tom sarcástico - "Mas, quem é você?"

"Você é incrível" - Ele fechou os olhos e cerrou dentes e punhos - "E não de um jeito bom" - Estava caçando palavras para dizer sem gritar de raiva - "Você não precisa fazer isso."

O mais novo estava aparentemente decepcionado, contia suas mãos em cima da mesa o tempo todo, seus olhos estavam marejando aos poucos.

"Jungkook, venha aqui!" - Do outro lado do recinto uma voz ecoou o impedindo de derramar algumas lágrimas. Ele virou o rosto para o lugar de onde a voz tinha vindo e retornou o olhar para Taehyung com mágoa estampada em seu semblante, partindo em seguida. Taehyung seguiu o garoto com os olhos até chegar perto da outra pessoa que o chamava. Ele riu.

"Então esse é o tal Jungkook."

—x—

Já dentro do carro, voltando para casa, Taehyung prestou atenção na estrada durante todo o percurso. Não sabia quando podia ocorrer um imprevisto e ele ter que voltar a pé, e não seria normal ele não saber o caminho de volta para casa. Sua mãe também estava atenta, mas nele.

Chegando em casa Taehyung se direcionou à cozinha antes de subir ao seu quarto. Abriu a geladeira para caçar alguma guloseima e levar ao seu cômodo. Ele pretendia passar o resto da tarde trancado no mesmo para evitar falar com alguém, pelo menos por enquanto. Pegou o que dava para carregar nas mãos e fechou a porta da geladeira se deparando com a imagem de sua mãe e uma sobrancelha arqueada.

"Você não almoçou na escola?" - Ela disse alternando o olhar para Taehyung e os biscoitos de arroz que ele abraçava.

"Sim, eu comi" - Ele saia de perto do eletrodoméstico e se afastava da cozinha lentamente - "Eu só…estou poupando tempo" - Ele se virou dirigindo-se às escadas.

"Kim Taehyung!" - Ela caminhou até ele e parou no pé da escada. Pôs as duas mãos nas bochechas do filho e trouxe o rosto dele para mais perto do seu. Ela colocou um dos polegares rente à pele inferior dos olhos de Taehyung e a abaixou analisando se havia alguma vermelhidão excessiva.

"O que você está fazendo?" - Taehyung tirou as mãos da mulher de seu rosto assustado dando um passo para trás subindo um degrau.

"Você está muito estranho ultimamente. Está andando confuso, atordoado, sonolento e está comendo até a fechadura da porta" - Ela descansava suas mãos na cintura - "Você está me escondendo algo Tae?"

Taehyung parou por um momento percebendo algo estranho. Ele só passou menos de um dia inteiro no corpo atual. O mau comportamento percebido pela sua mãe já devia estar acontecendo há mais tempo. Voltou de seus devaneios quando retornou a atenção à mulher preocupada em sua frente.

"Eu tô bem, mãe" - Taehyung não sabia ao certo o que falar, mas sabia que não era bom sinal ela estar preocupada com ele, provavelmente ela iria intervir de alguma forma em sua vida, e não era o que ele queria. A mulher mudou totalmente sua expressão.

"Você me chamou de mãe?" - Ela suavizou a pressão, estava espantada.

"Sim" - Taehyung afirmou hesitante e se virou novamente, porém agora subindo sem parar até chegar em seu quarto fechando a porta de um vez. - "Caramba" - Ele colocou as embalagens de biscoito em cima da sua cama.

Queria por os pensamentos em ordem, tinha muita coisa para digerir, estava cansado, confuso.

Mesmo depois de tanto tempo mudando de vida, passando por várias situações, se habituando à vários corpos, era difícil o contado inicial, pois ele deveria desvendar todos os conflitos externos e internos das pessoas, o que era mais mistério para ele do que para os outros.

Estava acostumado com situações delicadas, no entanto não tratava das coisas com frieza, buscava lembrar que essas pessoas só foram invadidas porque tinha sentimentos, e não podia mudá-las assim. Tratava os casos com atenção, tinha essa qualidade. Porém estava dividido, seu foco estava entre dois alvos. Os dois casos eram complicados de se resolver, os dois eram profundos oceanos cheios de trevas e tempestade. Cabia a ele em qual se afogar. Qual deles ele seria capaz de desbravar.

Voltar para Jimin era um ideia insana, ele não era mais a mesma pessoa talvez não seria tão aceito como fora na outra vida. As pessoas mudam. Talvez fosse melhor esquecer e seguir com a vida Taehyung.

Jimin vira Mark morrer, seus olhos enxergaram a verdade e o ato heróico que o seu parceiro se prontificou a fazer. Viu o corpo de Mark deitado no asfalto perdendo a vida sem saber que ele reencarnaria depois. Não ele não contara seu segredo para Jimin, fora medroso.

Talvez Jimin percebesse, no seu ponto de vista, que Mark morreu e não haveria jeito de tê-lo de volta. Iria sofrer por um tempo, como toda decepção, mas depois seguiria em frente, o tempo se tornaria seu remédio.

Taehyung poderia muito bem deixar essa história para trás sem causar surpresas, ele estava morto de qualquer forma. Mas não queria. Queria voltar para a pessoa que amava e passara os últimos dois anos acompanhado.

Afinal, Mark prometera que iria encontrá-lo. Talvez Jimin não acreditasse mais nessa promessa, mas para Taehyung esse desejo ainda estava aceso e queimando em seu coração.

Deveria viver a vida de Taehyung mas nada o impedia de seguir o que queria, menos o fato de que seria difícil conciliar as duas histórias, ou impossível. Poderia ao menos tentar e estava decidido.

Um sorriso se abriu subitamente em seu rosto seguido de inquietação. Taehyung pegou um travesseiro e pôs em cima do rosto soltando um grito grave abafado. Largando o objeto logo em seguida.

Por que ele não a chamava de mãe?

Os pensamentos vinham novamente.

"Aish! Não sei, não sei!" - Ele agarrou outro travesseiro e se pôs de lado. Fechou os olhos e adormeceu.

—x—

O quarto estava escuro e havia pacotes de biscoito no chão. A única claridare existente era a que emanava da tela do notebook. Taehyung procurava no mapa onde ele se localizava. Por mais que tenha passado tanto tempo vagando pela cidade com os meninos, ainda não a conhecia totalmente.

Taehyung morava na parte leste da cidade, era o que o mapa mostrava, teria que fazer uma longa caminhada para chegar na "toca" dos garotos, o que o deixava chateado. No entanto tentava por em sua mente que valeria à pena.

Seus olhos de fecharam junto à uma respiração profunda jogando sua cabeça para trás, ele os abriu novamente e se deparou com o teto do quarto. Era branco por total, assim como suas idéias.

Queria muito, estava curioso em relação à vida de Taehyung. Tantas perguntas apareciam em sua cabeça como anúncios de produtos desnecessários na janela do computador, mas diferente dos mesmos, ele não teria a facilidade de esperar alguns   segundos para poder fechar. Elas ficariam alí, fixadas, até que ele tomasse a decisão de achar respostas.

Por que o garoto de mais cedo estava chateado com ele? Por que, de acordo com sua mãe, o mesmo não o visitava mais? Por que ele não chamava sua mãe de "mãe"? Ela seria mesmo sua mãe? Por que estaria cuidando dele se não fosse?

Um suspiro pesado fora jogado ao ar, Taehyung pegou o seu aparelho telefônico que descansava sobre o criado-mudo e resolveu fuçar sua própria vida. Entrou na janela de mensagens e começou a ler as mais recentes. Havia uma mensagem não lida. Era de sua mãe.

Estou na frente da sua escola. Onde está você? - Mãe

Ela havia mandado à tarde quando foi buscá-lo depois da aula. Devia estar preocupada por ele não ter respondido. Logo abaixo estava a foto de Jeon Jungkook. Ele maximizou a imagem e ficou analisando seu rosto. Ele vestia um casaco pesado preto e camisa branca por dentro, seus cabelo negros estavam parcialmente cobertos pelo gorro vermelho que usava. As mãos estavam perto do seu rosto com seus dedos formando um "V". Taehyung se admirou.

Por conta de sua confusão e as inúmeras perguntas inundando o seu cérebro, ele não percebeu o quanto Jungkook era bonito. Ele riu sozinho olhando para a foto. Voltou para a conversa e percebeu que eles não se falavam havia dois dias. A última mensagem era um "Boa noite" de Taehyung, sem resposta. Ele pressionou novamente os dedos no celular e subiu mais um pouco a conversa, Viu que ele e Jungkook conversavam bastante. Muito provavelmente ele era o seu melhor amigo.

Taehyung tocou a barra superior para ver a foto dele mais uma vez, no entanto, acidentalmente o seu dedo tocou a opção "ligar". A foto de Jungkook tomou conta do seu celular juntam com a palavra em destaque na tela "Chamando".

Taehyung se desesperou ao ver aquilo, pensava em tudo menos em apertar o grande e único botão vermelho que encerraria a ligação. Por algum motivo a chamada se encerrou sozinha. Taehyung respirou mais aliviado, ele não queria ter ligado para Jungkook. Não queria ter que falar com ele agora.

Seu coração batia mais rápido e mais forte que o normal. Ele estava de olhos bem abertos.

"Mas o que é isso?" - Taehyung falava sozinho enquanto descansava sua mão no peito sentindo suas palpitações aceleradas - "Por que você está agitando meu coração?" - Ele olhava confusa e fixamente para o celular. Ele passou as mãos nos seus cabelos enquanto a chacoalhava, como um meio estúpido de tentar esquecer o que acabara de acontecer. Ele deveria estar de mente limpa para a sua missão. Esta noite ele iria ver Jimin.

Levantou da cama e seguiu até a porta, a abrindo devagar, esperando que sua mãe, ou a mulher que morava com ele, não aparecesse para o impedir de sair. Ele não a encontro pelos corredores nem ouviu som algum. Era um bom sinal.

Ele trancou a porta do quarto novamente, se dirigiu ao banheiro, tomou um banho e se vestiu com alguns casacos a mais, pensando no frio que passaria lá fora durante a caminhada até o garotos.

Desceu as escadas e parou em frente à divisão da sala de estar com a sala de jantar. Ouviu o som da TV ligada. A mulher estava assistindo um programa de culinária.

Droga

Ele teria que passar pela sala se quisesse sair de casa, então começou a dar passos leves em direção à porta para evitar outra conversa estranha, porém, quando ele pisou um vez, o piso de madeira deu uma rangida prolongada sob seus pés. Sua mãe virou de costas e o viu próximo a saída.

"Aonde você vai mocinho?" - Ela perguntou pausando a TV e se virando por completo.

"Eu vou…na casa do Jungkook" - Pausa - "Fazer trabalho de matemática!" - Foi a primeira coisa que lhe veio a cabeça.

"Fazer trabalho?" - Ela o jogou um olhar cético - "À noite?" - Ela não parecia convencida.

"Sim, eu…passei a tarde dormindo e esqueci que tinha esse trabalho para fazer. Só lembrei agora." - As palavras saíram aos poucos mas saíram. - "Não vou demorar muito, eu prometo" - Ele disse beijando-a na testa e se virando para a porta novamente.

Quando a abriu, percebeu que já havia alguém parado em frente à ela prestes a bater.

"Jungkook?"

—x—


Notas Finais


Olá! ^^
Here I am, once again (8
Enfim, postei o segundo capítulo depois de um século, mas postei.
Quanto as falas, eu decidi que não vou mais colocar todas em itálico, só vou deixar os pensamentos e as mensagens desse jeito. Porque dá muito trabalho.
É isso :)
Obrigada por ler.
Bjs <3

-S❁


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...