História Down to Paradise City - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses, Metallica
Personagens Axl Rose, Duff Mckagan, James Hetfield, Kirk Hammett, Lars Ulrich, Matt Sorum, Nikki Sixx, Sebastian Bach, Slash, Tommy Lee
Tags Axl Rose, Bandas, Drama, Duff, Guns N' Roses, James Hetfield, Kirk Hammett, Lars Ulrich, Metal, Metallica, Motley Crue, Nikki Sixx, Rock, Romance, Sebastian Bach, Slash, Steven
Exibições 83
Palavras 2.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey babes! me perdoem pela demora, é algo chamado vestibular hauhauahuah
Bem, esse capitulo está bem safado ehueheuh e eu espero muito que gostem!
Continuem comentando! É o que mais e incentiva a escrever!
Espero que gostem e por favor comentem!
Vejo vocês lá embaixo!

Capítulo 10 - Metallica


Fanfic / Fanfiction Down to Paradise City - Capítulo 10 - Metallica

Meu nariz sangrava de leve. Limpei com a parte de trás da mão e esfreguei na roupa, sujando de leve a roupa que usava. Podia sentir os efeitos da cocaína percorrendo meu corpo e dominando minha mente. Logo eu estava sorrindo sem motivo, me fitando no espelho completamente perdida na insanidade que tomava minha cabeça. Comecei a rir que nem besta, encostando a mão no espelho, em seguida a testa, com o estúpido pensamento que poderia ser que nem a Alice no livro Alice Através do Espelho, atravessando o espelho e entrando em outro mundo.

Fui distraída de meus pensamentos ao sentir mãos quentes seguraram minha cintura e o corpo de alguém colar no meu. Olhei novamente para o espelho e era Lars com um sorriso tão bobo quanto o meu. Eu podia sentir seu membro ereto encostado na minha bunda. Joguei meu corpo para trás encostando minhas costas em seu peito nu. Suas mãos subiram aos meus seios massageando-os por cima do vestido e me fazendo soltar um suspiro. Sua boca estava em meu pescoço, sugando minha pele, sentindo sua língua quente me molhar.

Kirk se aproximou com calma, mas a euforia já estava me tomando, então o puxei pelo pescoço. Selei nossos lábios antes que ele falasse mais alguma coisa. Deus, como seus lábios eram macios e atrativos. Ele ficou um pouco acanhado no começo, mas logo se soltou e o beijo foi aprofundado, com nossas línguas em uma valsa sexy, com nossas línguas girando em sincronia. Quando parei o beijo, planejando fazer outras coisas com minha boca, Kirk mordeu meu lábio inferior de leve e o puxou.

Kirk sorriu ao ver o que eu ia fazer. Desci as mãos até seu membro coberto pela calça, desabotoei-a e tirei sua cueca vermelha lentamente. Lars subiu meu vestido e tirou minha calcinha, ainda estávamos em pé. Ele arrancou sua calça e sua cueca, colocando seu membro entre as minhas pernas, molhando-as com seu lubrificante natural. Começou a fazer movimentos de vai e vem, entre minhas pernas, roçando em meu clitóris enquanto agarrava minha bunda. Agarrei o pênis de Lars e comecei a fazer movimentos de sobe e desce lentamente, em sincronia com os movimentos de Lars, observando a expressão dele ao decorrer dos movimentos. Kirk estava mordendo o lábio inferior, me fitando. Encostei meus lábios em seu membro e vi os músculos de seu pescoço se contraindo, o que me deixou feliz. Empinei minha bunda, ficando curvada e Lars continuava com seus movimentos. Comecei a chupa-lo com minha boca úmida e quente, a medida que os gemidos de Kirk aumentavam, eu aumentava a velocidade, levando seu membro até o fundo de minha garganta, com uma das mãos em suas bolas, até que ele explodiu em minha boca, engoli sem reclamar e subi para seus lábios novamente. Como eram viciantes.

-Vamos para cama... – Lars sussurrou em meu ouvido, puxando o decote de meu vestido e brincando com meus mamilos.

Caminhamos até a cama. Me joguei nela, sorrindo não sei se pelo prazer, pela coca ou pelos dois. Kirk puxou meu vestido enquanto Lars abria minhas pernas. Kirk então abocanhou meus seios com gosto, os chupando, beijando, mordiscando, brincando com meus mamilos. Fechei os olhos. Eu me segurava para não gemer, não queria que eles soubessem o quão louca estava, mas Lars colocou a face entre minhas pernas, com um olhar extremamente sacana, e logo sua boca quente e úmida estava se deliciando com minha buceta, a lambendo, fazendo movimentos circulares com sua língua, e isso junto ao que Kirk fazia... era impossível não gemer alto. Eu já estava extremamente molhada, a ponto de escorrer pelas minhas pernas, quando Lars me pegou de surpresa, enfiando dois dedos de uma vez dentro de mim. Gemi mais alto ainda. Abri os olhos, fitando Kirk se masturbando e sugando meus seios enquanto Lars mexia seus dedos dentro de mim, entrando e saindo, fazendo o “vem aqui” com o dedo. Gozei gostoso e eu podia sentir um sorriso se formar em minha face. Lars notou meu prazer e sorriu vitorioso.

-Minha vez – Kirk disse, trocando de lugar com Lars.

-Fica de quatro – Lars disse e o fiz.

Kirk meteu forte em mim e soltei mais um gemido. Lars colocou seu membro em minha boca e comecei a chupa-lo com gosto. Kirk metia em mim, fazendo meu corpo ir para frente e para trás, assim como minha boca, no membro de Lars. As mãos do dinamarquês agarraram meus cabelos, os segurando com força, auxiliando como os movimentos, seus gemidos eram audíveis e deliciosos de ouvir, me deixando mais excitada ainda. Uma de suas mãos massageava meus seios. Kirk agarrava minha bunda, metendo em uma velocidade rápida e de forma profunda. Kirk saiu de mim e em um gemido alto e rouco, gozou nas minhas costas.

-Gostosa – Kirk sussurrou em meu ouvido e se jogou na cama ao meu lado.

-Deita – ordenei para Lars, retirando a boca de seu membro e ele sorriu sacana.

Montei em Lars, cavalgando em seu membro com rapidez. Fechei meus olhos, jogando a cabeça para trás e me deixando aproveitar o momento de puro prazer. Suas mãos estavam em meus seios e seus dedos deslizavam por meus mamilos. Podia ouvir seus gemidos mesclando com os meus. Kirk assistia com um sorriso sacana, colocando sua cueca.

-Eu...vou...- Lars começou a falar, mas eu o interrompi.

-Eu...tambem – respondi ofegante.

Senti seu liquido quente e viscoso preencher meu interior e gozei com ele. Cai ao seu lado, exausta mas satisfeita. Estava deitada entre Kirk e Lars, minha perna sob o a barriga de Kirk e a mão de Lars na minha cintura. Ouvi as vozes dos dois conversando, mas logo apaguei.

***

Acordei com a cabeça dolorida e a visão turva. Cocei os olhos arqueando o corpo. A luminosidade do quarto era insuportável, as cortinas haviam sido escancaras e eu podia ver a sombra de quem havia cometido tal atrocidade com minha visão.

-Apaga isso – resmunguei colocando a mão a frente da face, tentando inibir que os raios de sol me cegassem.

-Já está na hora de você ir pra casa – a sombra disse e pude reconhecer com facilidade a voz rouca e rude.

-Bom dia para você também, James – respondi, me enrolando nas cobertas.

-Bom dia para quem? Por que para mim começou mal – retrucou – tendo a sua presença aqui

-Quanta gentileza – estiquei a mão a procura de Kirk e Lars, mas eles não estava mais lá.

Me arrastei até a beira da cama, enroscada no lençol. Sentei e fitei a imagem de James sem camisa, somente com uma calça de moletom bege. Me era um grande encanto a barba em sua faça, por mais que deixassem seu rosto mais rude e másculo ainda.

-Vá embora – disse grosso.

-Argh, não vai nem me oferecer um café – me levantei.

-Um café prolongaria sua presença e gastaria meu dinheiro, então não

-Acho que você tem dinheiro para me pagar um cafezinho – me pus a sua frente, arqueando a sobrancelha.

-Tenho mas prefiro gastar com outras coisas mais...interessantes – começou a caminhar em direção a porta, parou e escorou na mesma e apontou para o lado de fora – agora, tchau

-Por que essa necessidade de me expulsar? Deus, seja mais cavalheiro – revirei os olhos caminhando em sua direção.

-Por que você não é agradável

-Eu sou uma delicia de companhia, ok? Se você se permitir, sou boa com papos em geral

-E em dar para estranhos, pelo visto – dirigiu-se a cama com os olhos.

-Tenho minhas necessidades sexuais e eles tinham cocaína – dei de ombros.

-Se encaixa no perfil de puta

-Só por que gosto de sexo James? Deixe de ser tão machista! Se for assim você também é um “puto” visto que transa com qualquer coisa que tenha pernas – cutuquei-o no peito – talvez sua mente neandertal não compreenda, já que é meio...atrasado, mas tenho fé que um dia vai evoluir

-Fala como se fosse a rainha da sabedoria

-Eu sou a rainha dos palcos e talvez a princesa da poetização de inutilidades – encostei do outro lado da abertura da porta – posso tomar um banho pelo menos?

-Rainha dos palcos? Não soa meio convencida e arrogante?

-Mas eu sou, convencida e arrogante, assim como você – bati em seu peito com a palma de minha mão duas vezes – mas creio que a teimosia e a brutalidade sejam mais característicos de seu ser

-Você realmente acha que sabe de tudo né? Mas não sabe nem o começo

-Não me importo de saber o começo e não acho que sei de tudo, mas tenho certeza que sou boa em analisar pessoas – suspirei – posso tomar banho agora?

-Já está se achando a dona da casa? – bufou – tome um banho rápido, vou pegar uma toalha para você

-Resolveu ser cavalheiro agora? – impliquei – ei, onde estão minhas roupas?

-Ah – sorriu de leve, acho que de uma maneira risonha, mas James era difícil de decifrar – Kirk e Lars roubaram, não faço ideia de onde estejam, eles gostam de observar mulheres peladas logo de manhã, então – agora ele riu, mas depois se conteve novamente – pode pegar uma blusa minha, vou deixar junto a toalha

-Ah – ri envergonhada – agradeço

-Faço de tudo para me livrar o mais rápido de você – ele respondeu sarcástico e sumiu no corredor.

***

Tomei um banho quente, me livrando de toda a sujeira e com a iludida ideia de que ao me lavar, toda a “sujeira” da noite anterior sairia junto a agua escorrendo. Me sequei e coloquei a blusa de James, era uma blusa dos Misfits e era enorme em meu corpo. Estava sem calcinha e precisava de algo para cobrir minhas partes intimidas, então sem que James soubesse, roubei uma cueca de sua cômoda.

Desci as escadas da casa e me deparei com Kirk e Lars jogados no sofá.

-Ahhh poxa – Kirk disse.

-PORA JAMES! – Lars pestanejou alto.

-Podem devolver meu vestido agora? – revirei os olhos resistindo a vontade de rir.

-Não – Lars disse sorridente.

-Tem algum telefone por aqui? – questionei.

-Ali na cozinha – Kirk respondeu apontando.

Caminhei até a cozinha e disquei o numero da Hell House, rezando para que não Axl não atendesse.

-Hmmm – alguém gemeu do outro lado da linha e pude reconhecer, a que nível de convivência e intimidade cheguei com esses caras?

-Slash...me faz um favorzinho?

-Ah, Dakota? Pera, da onde vocês tá ligando? Você não está aqui em casa?

-É sério que você não notou que eu não voltei para casa? Na verdade, vocês realmente voltaram sem mim? – gargalhei.

-Caramba, deve ter sido a cocaína – gargalhou do outro lado – o que posso fazer por você, cara Dakota?

-Pode vir me buscar?

-Passa o endereço

-Estou exatamente aonde vocês me deixaram ontem a noite

-Na casa do Metallica? O James não te matou ou te expulsou dai não?

-Ainda não mas está tentando com todas as suas forças

-Ah, sim – riu alto – estou a caminho, de bicicleta – implicou.

-NEM OUSE – ri e ele se juntou a minha risada.

-Até daqui a pouco Dakota

-Até Slash

Fiquei sentada na calçada a espera de Slash, fitando a rua e sentindo o calor de estar com uma blusa preta e ainda por cima sentada no asfalto. Olhei para a janela da casa e James me fitava sem expressão alguma, até que sumiu da minha visão, se escondendo atrás das cortinas.

A porta se abriu em seguida e James caminhou em minha direção com um copo de agua.

-Toma – esticou a mão em minha direção.

-Ah- estranhei e peguei o copo – obrigada – tomei tudo de uma vez.

-Não pense que estou gostando de você , mas Lars me obrigou a fazer isso – disse sério.

-Se você diz –dei de ombros.

O carro de Slash estacionou ao meu lado e buzinou duas vezes. Me levantei, caminhando até o carro, segurei a porta do carro para abri-la, mas me virei e fitei James.

-Até mais, James – falei, hipnotizada por sua face.

-Até mais, Violet- respondeu, dando ênfase em meu nome e me deixando completamente perturbada enquanto me sentada no carro e Slash dava partida. 


Notas Finais


Eai babes? O que acharam? Gostaram do hot? Como será que James sabe o nome dela? Como será esse caminho com Slash no carro? E o que será que Axl vai achar quando eles chegarem em casa?
Me contem o que acharam babes!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...