História Downfall - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jeff The Killer, Lendas Urbanas
Personagens Personagens Originais
Tags Assassinato, Creepypasta, Jane Arkensaw, Jane The Killer, Jeff The Killer, Jeffrey Woods, Slender, Violencia
Exibições 50
Palavras 1.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Era para eu ter postado beeem antes, mas acabei tendo vários compromissos e não tive tempo nem de escrever, mas prometo que vou postar mais frequentemente hehe
Esse capítulo ficou pequeno mas o próximo será maior, prometo u.u
Boa leitura!

Capítulo 9 - A Small Gift


Fanfic / Fanfiction Downfall - Capítulo 9 - A Small Gift

Depois que recebi o convite de Bárbara para a festinha de Billy, tentei contornar a situação, eu não gostava de festas, e muito menos as que envolviam um bando de crianças gritando, correndo, suando e esbarrando em mim o tempo inteiro. Inventei uma desculpa qualquer de que minha mãe estava muito cansada por conta do trabalho, mas que veria direitinho e a informaria se nós realmente iríamos.

A senhora Woods aceitou de bom grado o convite. Tentei segurar o riso quando vi Jeff e Liu fazendo caretas, acho que eles também não queriam ir. Eu os entendo, no fundo, mesmo que eu não conte para ninguém, eu não gosto de crianças, não levo jeito algum com essas criaturinhas irritantes, e não consigo entender como as pessoas conseguem achar um bebê algo fofo, eles só comem e defecam, além de vomitarem o tempo inteiro. Ugh!

 

 

Despedi-me de todos e fui para casa, estava exausta, aquele trabalho tinha sido bem difícil de fazer. Acho que conseguiremos uma boa nota, mesmo comigo me desviando do assunto o tempo todo apenas para brincar com Smile. Eu jogava sua bolinha vermelha e ele me trazia de volta. Parece algo bobo, mas é bem divertido. Eventualmente Jeff ficou bravo comigo, chamando minha atenção, para assim finalmente terminarmos o cartaz do trabalho.

Subi as escadas e fui tomar um banho para relaxar. Meus pensamentos estavam distantes. Enquanto cantarolava distraidamente, escuto um barulho na porta, parecia que alguém estava arranhando a madeira. Dei um pulo para trás, aquilo tinha me assustado.

Saio do chuveiro, colocando a toalha envolta de meu corpo, ainda contrariada, destranco a porta e a abro vagarosamente, com medo do que encontraria ali.

Meu medo se transformou em desespero, quando encontro meu gato, agoniando e se contorcendo no chão. Aquilo me deixou desesperada, olhei de um lado para outro, sem saber o que fazer. Em meio ao meu desespero, o animalzinho acabou vomitando no chão. Ele miava de um jeito estanho, parecia sentir dor.

Saí correndo para meu quarto e peguei a primeira roupa que vi, voltei para onde meu gato estava e o enrolei em um pano velho, descendo as escadas com muito cuidado. Aquilo só podia significar uma coisa: meu gato tinha sido envenenado.

Cheguei perto de seu ração, e fico espantada com o que vejo, ao lado do seu potinho de comida, estava um bilhete, escrito com letras recortadas de revistas e jornais, como aquelas cartas de ameaças.

“ Olá, gracinha. Como vai?

Espero que goste do presentinho que dei para seu bichano, isso é uma troca pelo que aconteceu hoje, espero que goste!

Ass.: Seu admirador secreto”

 

 

Meu sangue começou a ferver, só tinha uma pessoa capaz de fazer aquilo, e era a mesma que vivia me chamando de “gracinha”. Eu sabia, sabia que ele iria fazer alguma coisa, Randy nunca deixaria barato depois do que fizemos, só nunca pensei que ele fosse tão baixo.

Chamo minha mãe e peço para que ela leve o gato para o veterinário, inventei qualquer desculpa, não contei quem o tinha envenenado, só falei que o felino estava passando muito mal. Ela não contestou, e foi prontamente levar o gato.

 

Meus pensamentos foram em Jeff, era óbvio que Randy iria dar o troco nele também, comecei a me desesperar mais do que antes.

“Ele vai envenenar o Smile também!”

Atravesso a rua correndo, chego na porta da casa arfando e começo a tocar a campanhia freneticamente. Escuto passos rápidos vindos das escadas e em questões de segundos e porta já estava aberta, com Liu apavorado, olhando para mim.

— Desculpe a demora, minha mãe teve que ir ao mercado, e eu estava dormindo. — disse preocupado, vendo meu desespero — O que aconteceu Jane?!

— Randy... ele... Smile... onde está o Jeff?! — tentei falar em meio ao desespero.

— Tenha calma, por favor! — segurou em meu ombro, olhando em meus olhos — Jane me conta calmamente o que aconteceu.

— Randy envenenou meu gato e provavelmente Smile também! — falei de uma vez — Precisamos ver se ele está bem!

Liu assentiu, me puxando pelo braço em direção ao quintal, porém era tarde demais. Jeff já tinha chego lá antes, ele estava ao lado do cão, chorando. Randy provavelmente tinha colocado mais veneno na tigela de Smile, já que de nós três, o que ele mais odiava era Jeff.

— Jeff! — corri até ele, me ajoelhando ao seu lado — Foi ele, não foi?!

Jeff olha para mim, com os olhos marejando, ele abraçava Smile, o animal no seu colo já não demonstrava sinais de vida.

— Ele mandou um bilhete, aquele desgraçado — continuei — eu sabia que ele iria dar o troco...

— Ele vai pagar pelo que fez. — disse ríspido, olhando para frente.

Assenti, olhando para ele. Liu se ajoelhou ao nosso lado, observando Smile, seus olhos começaram a se encher de lágrimas, assim como os meus.

— Isso não vai ficar assim — diz Jeff, rancoroso — eu vou matá-lo, vou matar todos eles!

Jeff se levanta com dificuldade, deitando o corpo de Smile no chão. Ele seca as lágrimas, enquanto encarava o horizonte.

— Eu vou atrás do Randy.

— Jeff — me pronunciei, levantando — isso não deu certo da última vez, não podemos arriscar de novo! E se ele fizer algo pior da próxima vez?!

— Ele não vai estar vivo para fazer algo pior da próxima vez. — diz friamente, fazendo meu sangue gelar.

E assim Jeff saiu dali, deixando eu e Liu nos encarando preocupados. Seja lá o que Jeff iria fazer, não seria boa coisa. Eu o tinha visto brigar uma vez, e sua perda de controle significava desastre.

— Temos que segui-lo Liu, não podemos deixar que ele faça alguma idiotice de cabeça quente.

— Você tem razão, vamos.

 

 

 

Seguimos Jeff, tentando convencê-lo de não fazer nenhuma idiotice, mas ele parecia não nos dar ouvidos. Não importava o que tentávamos falar, até mesmo chegamos a suborná-lo, ou segurá-lo, mas ele não tinha parada.

— Vocês não entendem? Eu tenho o Smile desde que eu era bem pequeno, ele foi meu companheiro a vida toda, e agora ele se foi! — ele diz, finalmente, ainda andando em passos largos — Aposto que seu gato também era importante Jane — olhou para mim — e você quer simplesmente deixar aquele idiota se safar dessa?! — me olha indignado.

— E-eu... — não sabia o que falar, de repente um choque percorreu todo o meu corpo, Jeff tinha razão, eu estava tão preocupada com a situação que acabei me esquecendo de que Randy realmente merecia aquilo, ele aterrorizava todos na escola, praticava bullying, roubava, saía armado por aí e ainda por cima me fez uma ameaça de estupro, e eu estava o defendendo de maneira indireta, não deixando Jeff se vingar — Você tem razão, ele merece isso. — digo friamente, o encarando — Vá em frente e faça o que é preciso.

Ele me deu meio sorriso e prosseguiu mais rápido, nos deixando para trás.

— Você tem certeza de que isso é a coisa certa a se fazer Jane? —Liu me pergunta.

— No fundo, no fundo, nós queremos que Randy pague pelo que fez. — digo, me impressionando com o tamanho de minha calma — Ele merece isso, você não acha?

— Acho. — disse calmamente, me encarando — Você quer ver o que Jeff vai fazer? Você sabe, só por precaução?

— Claro! — sorrio — Mas vai ficar tudo bem, contanto que nenhum dos dois esteja armado...

 

 

Chegamos no local onde Randy e seus babacas ficavam, em uma esquina, fumando. Enquanto nos aproximávamos, ouvimos gritos de agonia e terror, aquilo começou a me desesperar, não era um bom sinal.

Corremos para a direção dos sons, e encontramos os três garotos no chão, gemendo de dor e sangrando, pareciam ter várias fraturas e cortes profundos, mas nenhum em locais fatais. Começo a entrar em pânico com a cena, aquilo era horrível demais, parecia uma cena de crime, mas o que realmente me assustava era Jeff, que estava de pé, ao lado dos idiotas.

Aquilo fez com que minha espinha gelasse e todos pelos de meu corpo se arrepiassem, eu sabia que Liu estava com medo também, apenas pelo seu olhar.

Jeff estava insano, gargalhando como um louco.


Notas Finais


Vish, Jeff ficou descontrolado, f.u.d.e.u
Jane, você deu corda para o Jeff se enforcar, não deveria ter concordado com a ideia dele!
Espero que tenham gostado! Kissus!

Desculpem qualquer erro, não tive tempo de revisar, qualquer coisa me deem um toque nos comentários ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...