História Draco Queen - Drarry - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Astoria Greengrass, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Narcissa Black Malfoy, Ronald Weasley, Rose Weasley, Scorpius Malfoy
Tags Alvo Potter, Draco Malfoy, Drag Queen, Drarry, Harry Potter, Hogwarts, Romance, Scorbus, Scorpius Malfoy
Exibições 688
Palavras 1.196
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei um cadin, mas aqui está um pouco de Drarry para vocês.

Capítulo 7 - Casa nova


Draco acabou desistindo de ir trabalhar naquela noite. Estava sentado em frente à televisão observando Harry morrer de rir com um reality de dança que passava num canal. Draco esperava a hora passar quando ouviu um barulho vindo da janela. Ao olhar para fora viu Elena com uma carta amarrada a pata. Correu até ela e abriu passagem para a penosa entrar.

Recebeu umas bicadas da coruja ao tentar tirar a carta da pata dela.

“Ela é brava.” Concluiu Harry ao ver a cena.

“Muito.” Disse Draco também bravo pelas bicadas que ganhou. “Pegue um pouco de ração de coruja. Está na primeira prateleira da cozinha.”

Harry foi buscar enquanto Draco desenrolava a carta para ler.

Quando o moreno voltou, avistou Draco com a mão na boca, horrorizado com algo que lerá. “O que tem de tão trágico aí?” Harry perguntou dando um pouco de comida a coruja e acariciando as penas dela.

“Você vai ficar sabendo disso a qualquer momento, por que não agora?”

Draco passou a carta para Harry e esperou para ver a reação do homem, mas ele apenas enrolou a carta novamente e a devolveu para o loiro.

“Já esperava por isso, se é uma reação desesperada minha que você espera.” Ele disse, ainda acarinhando a coruja. “Alvo já vinha dando sinais de que ficaria na Sonserina, comentei com Gina, mas ela achou que era besteira minha.”

Harry abraçou Draco e se deitou em seu ombro. “Aposto que Alvo não me mandará sequer uma carta avisando sobre o ocorrido. Não depois do divórcio brusco que tive com a mãe deles.”

Draco ficou meio sem jeito com o abraço inesperado. Não eram amigos de infância, muito pelo contrário. “Também não é assim, Potter, sabe? Você é o pai deles, sua relação com sua ex-esposa não pode interferir nisso.” Ele disse, desengonçado.

Harry levantou a cabeça e secou algumas lágrimas que escorriam por baixo dos seus olhos de aro redondo. “Você tem razão, amanhã escreverei uma carta para ele o parabenizando. Agora vou dormir um pouco, meu dia foi cheio.”

“Fica no meu quarto eu dormirei no de Scorpius essa noite. É a primeira porta assim que passar pela cozinha.”

“Obrigado por tudo que está a fazer por mim, de verdade.” Harry agradeceu.

Draco sentiu suas bochechas ruborizarem e agradeceu mentalmente por Harry não ter esperado uma resposta.

**

Harry acordou na manhã seguinte já com a carta que havia escrito para o filho em mãos. Expirou aliviado quando viu a coruja do filho de Malfoy dormindo no sofá da sala. Se sentou na frente dela e ela abriu os olhos como se soubesse quem estava na sua frente.

“Essa carta é para meu filho e essa é para Scorpius, seu dono.” Ele a avisou, tirando do bolso uma segunda carta. “Eu quero que você entregue as duas a Scorpius, mas o mostre a dele antes, ele precisa ler a dele antes de tudo, está bem?”

E a coruja piou, avisando a Harry que o havia entendido.

O moreno amarrou as duas cartas na pata dela e ela alçou voo.

Draco apareceu alguns minutos depois com o rosto ainda amassado.

“Ouvi um pio de Elena.” Ele disse, distraidamente coçando os olhos.

“Ela acabou de partir.” Harry disse, fechando a janela por onde a coruja passou. “Bem, vou procurar casa para mim. Você sabe onde tem casa para alugar?”

Draco coçou a cabeça e mordeu uma maçã. “Olha, a casa no fim da rua estava sendo alugada, só não sei se ainda está disponível.”

“Eu vou dar uma olhada. Me acompanha?” 

Draco olhou para ele de modo sério.

“Não pense besteiras. Sabe, você mora aqui, então se me indicasse adiantaria o processo.”

Draco negou com a cabeça. “Preciso ir no meu trabalho explicar a minha falta.”

“Você realmente depende da venda do seu corpo para viver?”

Draco se engasgou com um pedaço da maçã.

“Malfoy, nós transamos, ou se esqueceu disso?” Harry disse de forma normal, como se eles tivessem apenas jogado uma simples partida de xadrez bruxo.

“Potter, o que eu faço com o meu corpo não é da sua conta.” Draco disse, começando o dia de mau humor.

“Mas se for por dinheiro eu posso ajudar. Quanto você ganha por dia? Quantos galeões você consegue a cada dia trabalhado?”

“Vinte galeões.” Draco mentiu. Ganhava apenas quinze, mas queria saber o que Harry faria com essa informação.

“Eu te pago vinte galeões para me acompanhar até a casa.” Harry disse, derramando da carteira várias moedas douradas. “Você aceita?”

Draco engoliu em seco. Era verdade, vinte galeões ocupavam as mãos de Harry. Ele arqueou a sobrancelha em desconfiança.

Pegou algumas moedas na mesa e avaliou. Chegou até a morder algumas entre os dentes. 

“Vou colocar uma roupa, tirar esse pijama.”

Recolheu todas as moedas que estavam expostas sobre a mesa e as levou junto.

**

Estavam esperando a corretora chegar para fazer a avaliação, mas Harry já tinha certeza de que ia aluga-la.

Alguns minutos depois, com Draco mantendo uma certa distância dele, uma mulher já de idade apareceu.

“Qual dos dois é o senhor Potter?” Ele perguntou, ajeitando os óculos no rosto.

“Sou eu.” Harry respondeu se pondo à frente da senhora. “Estou interessando no imóvel.”

“Claro, claro. Me acompanhem.” Ela disse destrancando a porta principal.

Depois de visitarem todos os cômodos daquela pequena casa, Harry assinou os papéis necessários para adquirir a casa.

A senhora, sorridente, lhe entregou as chaves e se foi.

“Só faltam algumas coisas, como por exemplo, comida.” Harry disse abrindo a geladeira assim que seu estomago roncou. “Preciso ir no mercado, só não sei por onde começar, a anos que Gina ficou com essa função.”

“Você pagou vinte galeões pelo meu dia, se quiser, posso te ajudar a fazer compras, pois meu honorário ainda está valendo.”

“Sim, está valendo.”

**

“Mercado trouxa é tão diferente do mercado bruxo.” Harry disse, tentando se lembrar das poucas vezes que acompanhou sua tia até um deles.

“Nem me fale.” Draco disse pegando um carrinho de compras. “Minha mãe veio aqui comprar maçãs da Pomadoria.”

“Por onde iremos começar, Malfoy?” Harry perguntou observando aquelas muitas prateleiras que pareciam inacabáveis.

“Bem, frutas, cereais e leite é sempre um bom começo.” Draco disse apontando para uma prateleira de cereais.

“Acho que não conseguirei viver sem Gina.” Harry lamentou tristemente. “Essa parte mais doméstica vai arruinar minha vida.”

“Eu não acredito que você tem uma visão tão distorcida da função de uma mulher como esposa.” Draco reclamou enquanto colocava uma embalagem de pão no carrinho.

“Não, Malfoy, não tenho, mas eu não a via como mulher de qualquer forma, sempre a vi com uma irmã.”

“Uma irmã e tiveram três filhos. Imagina se tivesse fogo no relacionamento de vocês. Iriam procriar como verdadeiros Weasley.”

Harry riu da fala de Draco. “Fogo eu só sinto por Richard.” Ele ficou vermelho.

O estomago de Draco se revirou e ele sentiu vontade de se bater por ter uma reação tão infantil e adolescente. Ele era Draco Malfoy, o garoto que se travestia e se deitava com homens, não uma menininha entrando na adolescência.

“Vamos continuar as compras.” Ele disse, empurrando o carrinho com mais velocidade, ganhando distância do cicatriz.


Notas Finais


Harry tem um namorado???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...