História Drácula (Ziall Au! Adaptação) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Larry, Niall Horan, One Direction, The Originals, Tvd, Zayn Malik, Ziall
Exibições 318
Palavras 1.771
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas :)


Então, na fic original, tem muitos personagens, e como os meninos são só 5 + o Josh, ia faltar muitos personagens.

Poderia ter feito personagens originais, mas queria que todos imaginassem a mesma pessoa, por isso o Justin e os Irmãos Gostosos Salvatore.

E ainda terão mais de The Originals, mas no futuro.

Enjoy it!

Capítulo 3 - Drácula Begins III


Niall visitou todos os castelos da redondeza, não achou nenhum vestígio de pessoas mortas, e todos os castelos abandonados, pareciam desabitadas, não tinha nada além de mobílias antigas e mofo, se bem que ele não subia nas torres e nem descia nos calabouços, afinal era melhor evitar o perigo.

E apesar de não ter vestígios da existência de mortos por vampiro, pois os únicos ossos que achou eram de antigos moradores que estavam nas criptas, ainda assim sentiu calafrios que não passavam, em todos os castelos que visitou.

Respirou, aliviado, quando chegou ao seu pequeno quarto, tinha terminado a visita aos castelos e vivo.

-x-

- O que disse?_ o conde falou alto com o servo, que se encolheu._ Como assim temos um novo padre intrometido na cidade e você não me diz nada?

- Não achei que fosse um intrometido, e também, você nunca quer saber o que passa na cidade, então não achei necessário dizer que o antigo padre morreu e foi substituído por um muito mais novo.

- Não me interesso mesmo, mas quando esse padre começa a investigar nossa existência, isso com certeza me interessa._ falou o olhando raivoso.

Seus olhos, com pupilas já pálidas, ficaram quase brancos por causa da luz da lua que entrava pela janela.

- Tinha dias que não ia à cidade, por isso não sabia que o padre estava investigando. E...

-Calado._ o interrompeu._ Ele não te viu?

- Não. Eu me escondi em uma das passagens secretas. E ele não visitou todos os lugares, é um medroso, nem nos porões e nas torres foi, e pelo que ele disse, estava aliviado por ter acabado as visitas nesses lugares assustadores.

- Falando com quem?_ voltou a alterar a voz.

-Sozinho._ falou dando uma risadinha._ É um idiota, falou sozinho o tempo todo, inclusive sobre não tomar banho hoje quando chegasse, pois o inverno estava começando.

- Mesmo assim, é bom tomarmos cuidado, amanhã vá à cidade pela manhã, e na missa de tarde.

- Sim senhor.

- Liam?_ perguntou notando a falta do mais novo.

- Saiu assim que o senhor acordou.

- Hum... Interessante._falou sorrindo._ Desde que viajei nenhuma morte aconteceu, você me disse. Então onde ele está se alimentando? Provavelmente em uma cidade vizinha, e o que ele anda fazendo em uma cidade vizinha? Brincando de casinha com os humanos outra vez. Por que ele não aprende nunca? Quantas vezes terei que ensinar a ele?

- Deixe o Liam em paz pelo amor de Deus!

- Nem por amor a Deus nem por medo do diabo._ falou dando sua saída triunfal pela janela.

-x-

- ONDE ESTÁ O LIAM?_ Louis acordou ao ouvir o grito do o conde, não o viu chegando nessa madrugada. Mas algo devia ter acontecido pra ele ter acordado tão estressado.

- O que houve?_ o servo perguntou assim que chegou ao quarto do Liam e viu apenas o caixão vazio e o conde o olhando.

- Onde está o Liam?_ perguntou com falsa calma.

- Provavelmente acordou mais cedo que você, como sempre faz.

- Não meu querido._ falou se aproximando devagar do mais novo._ Eu o esperei até quase o nascer do sol, minha pele já estava começando a sentir o calor incômodo, e eu estava dentro do castelo, ele nunca poderia estar lá fora até essa hora. Isso significa que ele não dormiu em casa, e se ele não dormiu em casa, só pode significar uma coisa, ele morreu.

- Ele não morreu, talvez tenha ido emb..._ ele parou de falar ao sentir o olhar desumano do senhor.

- Liam não ousaria me abandonar, não pode sobreviver sem mim, ele sabe disso._ ele parou e olhou para a janela e viu a imensa lua cheia._ Ele sabe, claro que sabe, não é?

Louis não respondeu, sabia que ele falando para si mesmo.

Liam não voltou em três dias corridos, mas o conde ainda o esperava todas as noites, próximo à janela com o olhar perdido.

Quem o alimentava era o Louis, que iludia viajantes que passavam próximo à estrada do castelo, e os deixava no quarto do vampiro, sabia que ele precisava se alimentar.

- Conseguiu descobri alguma coisa?_ perguntou após deixar o corpo sem vida do homem na sala.

- Não, todos os dias vou aos castelos ao redor e cidades e vilas vizinhas, mas não tenho nenhuma notícia do paradeiro dele, talvez tenha voltado para a Inglaterra, ou França.

- Não foi. Eu o sinto por perto._ falou sorrindo._ Ele não foi embora Louis, é apenas um rebelde, mas vai voltar.

- Sim senhor._ concordou sem acreditar nisso.

- Meu Deus! Já estava me esquecendo._ falou olhando para o mais novo pela primeira vez em dias._ E o nosso padre?Descobriu alguma coisa?

- Sim._ falou aliviado de ver o senhor voltando ao normal.

- Sim, ele acabou de se consagrar padre, essa é a primeira vez dele exercendo o sacerdócio.

- E...

- A Igreja o enviou aqui porque ninguém mais queria, como era um novato foi obrigado a vim.

- E..._ falou olhando desinteressado para as próprias unhas.

- Foi alertado pelo Papa e por outros religiosos da lenda dos demônios chupadores de sangue._ o vampiro sorriu, mas sem deixar de olhar para as unhas._ Por isso ele está investigando todas as mortes e os castelos da região.

- Pensei que ele fosse alguém mais interessante, mas é só mais um padre comum. Que pena, imaginei que minha vida entediante daria uma agitada com algum caçador de vampiros.

- Ainda bem que não é, melhor ficar livre de problemas.

- Você passou dias circulando por lá e só descobriu isso? Você é um péssimo fofoqueiro.

- Ele é um excelente espadachim, luta muito bem, e ensina os meninos a lutar. É muito bonito e jovem, cobiçado por todas as mulheres da cidade. Está bom de fofoca por hoje?_ perguntou irritado, fazendo o vampiro sorrir por vê-lo caindo em suas provocações mais uma vez._ Ah já ia me esquecendo, o povo está dizendo que ele é um santo, pois a vinda dele coincidiu com sua viagem, ou seja, desde que veio...

- Nenhuma morte aconteceu._ falou sorrindo.

- Exatamente. Agora se me der licença?_ falou fazendo uma referência e deixando a sala para voltar a dormir.

- Talvez esse padre não seja tão entediante afinal._ falou olhando em direção à cidade._ Deixo ele ficar iludido ou jogo a realidade na cara dele? Não, pergunta errada, quando vou jogar a realidade na cara dele? Essa é a pergunta certa.

-x-

Niall tinha voltado a sentir a inquietação que já não sentia desde que havia chegado à Transilvânia, sem contar os sonhos sombrios e escuros, com morcegos que se transformavam em demônios brancos e quase sem cor. O mesmo sonho todos os dias. Fora a sensação que tinha de estar sendo observado, até mesmo em meio à multidão, se sentia sozinho e exposto.

Apesar da cidade estar vivendo na tranquilidade e às vezes algumas missas serem quase ao anoitecer, e algumas tabernas ficarem aberta até pouco mais das sete da noite, para os homens beberem, pediu que todos não se descuidassem. Mas alguns mais corajosos se arriscavam em sair à noite, inclusive ele, quando precisava.

E nessa noite, uma criança tinha morrido, então foi até a casa da família confortar e dar a extrema unção.

Não voltou tão tarde, mas já estava escuro, e por causa do vento gelado, as pessoas não saíram de casa, nem os viciados em álcool.

Enquanto andava apressado para a igreja, podia sentir sombras atrás de si, olhava assustado para trás, mas não via nada, apenas alguns morcegos que passavam rápido por ele, quase se batendo.

Apertou o terço e segurou seu pingente de madeira em formato de cruz, e rezando o Pai Nosso correu em direção ao templo, que para seu alívio, estava próximo.

Rezou para que por milagre a porta estivesse aberta, mas sabia que a tinha trancado, pegou a chave do bolso interno das vestes, que acabou caindo, por causa do tremor de sua mão, olhou para trás, e não vendo nada, se abaixou para pegar. Sentiu um vento frio passar por ele. Na verdade, mais que um vento, como se o vento tivesse forma, ou sombra, pois o Niall não apenas sentiu o vento frio, mas uma sombra que passou rapidamente por ele.

Fez o sinal da cruz e voltou a correr, alcançando as grandes portas da igreja. Assim que colocou a chave na porta ouviu uma voz grave, fria, e apesar de autoritária, era charmosa, na verdade atraente:

- Não entre._ Niall foi vencido por essa voz, mesmo que já tivesse destravado a porta e seu medo o obrigasse a entrar e se esconder, parou e se virou, como se estivesse hipnotizado.

- Quem está aí? Se manifeste em nome do filho de Deus!_ falou alto tentando controlar o tremor na voz.

"Não apareça! Não apareça! Por tudo que é mais sagrado, não apareça!"

Niall se arrepiou ao ouvir uma risada fria atrás de si, porém ao olhar para trás, não havia ninguém, apenas a porta, e não tinha como ter ninguém ali, pois o teria visto passar. Segurou na maçaneta, tentando entrar mais uma vez.

- Quem mandou você entrar padre? Eu te mandei ficar.

O padre paralisou, respirou fundo, segurou a cruz de madeira e se virou.

Alguém pousou em sua frente, e pensou que estava tendo alucinações, não era um demônio, ou monstro, como imaginou, muito pelo contrário, era lindo.

Seus eram cabelos pretos, e com um topete arrumado, com uma mecha branca na frente, a pele pálida e sem nenhum defeito, apenas uma barba rala, sua capa preta e elegante, a postura elegante que pousou, toda essa combinação o deixava perfeito.

Até que o vampiro levantou a cabeça. Niall tremeu ao ver aqueles olhos brancos e assustadores, mas nada se comparou ao sorriso mortal que lhe lançou, um sorriso que expôs duas presas afiadas.

E num instante o vampiro que estava longe, de repente parou em sua frente, há menos de 10 cm de distância.

Niall sentiu a respiração calma e fria emanando do vampiro, queria falar, mas sua voz não saia, queria correr, mas estava paralisado de terror. Seu corpo tremia como se estivesse nu no frio.

Alcançou a cruz de madeira e tremendo a estendeu para o monstro, e pela primeira vez seus olhos se encontraram.

O vampiro o olhou apavorado, assustado e começou lentamente a caminhar para trás, Niall sorriu e começou a rezar o Pai Nosso, em agradecimento quando o vampiro o olhou uma última vez e sumiu na noite escura e sem estrelas.

-x-x-x-



Notas Finais


Se tiver dois comentários, volto ainda hoje 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...