História Drácula (Ziall Au! Adaptação) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Larry, Niall Horan, One Direction, The Originals, Tvd, Zayn Malik, Ziall
Exibições 295
Palavras 2.933
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Alguns recados importantes
LEIAM, OU FICARÃO PERDIDOS
SÉRIO, FICARÃO MESMO

Como viram no capítulo passado, a história volta 300 anos atrás, então alguns personagens mudarão de nome.

Niall: Nath
Liam: Leon
Josh: Jacob
Justin: Austin
Demi <3 : Thamy

Agora sim já podem ler o capítulo :)

Capítulo 6 - Drácula Remember


Fanfic / Fanfiction Drácula (Ziall Au! Adaptação) - Capítulo 6 - Drácula Remember

Algo sempre me leva de volta a você
Não demora muito.
Nao importa o que eu diga ou faça
Ainda sinto você aqui, até o momento que vou embora.
Gravity - Sara Bareilles

300 anos antes...

- Zayn!_ Nath gritou, correndo em sua direção o abraçando.
Ali, no meio da floresta, podiam ser o que quisessem.
- O que foi?_ perguntou sorrindo._ Disse que voltaria. Me desculpe demorar tanto, mas atravessar o Mediterrâneo demorou mais do que imaginei. Eu sei que planejei ficar fora por seis meses e não um ano, mas meu pai mudou os planos e tivemos que ficar por mais tempo na África, isso sem contar o fato de que você iria se casar, então preferi continuar lá.
- Cala a boca idiota. Deixe as explicações pra depois._ falou o agarrando pelas golas das vestes finas e caras, sabendo que ele o odiaria por isso e o beijou.
Zayn correspondeu ao beijo, e o dominou, mostrando que também estava com saudade.
- Me leve com você dá próxima vez Zayn. Me promete isso?_ perguntou afastando-se um pouco._ Nunca mais me deixe pra trás. Promete isso, que nunca irá embora sem mim.
- Nath, não posso te levar, mas prometo que sempre vou voltar pra você. Nem que seja do inferno._ falou voltando a beijá-lo.
- Me promete mesmo, que voltará sempre pra mim não importa o que aconteça ou onde esteja?_ insistiu se afastando mais uma vez.
Zayn tirou uma adaga de prata fina polida de 30 centímetros, com o emblema de sua família na ponta, a cabeça de uma onça e em seus olhos, dois pequenos rubis.
Cortou sua palma mão esquerda, e também a do Nath, que fez uma careta de dor, mas não reclamou, Zayn uniu suas mãos feridas, deixando o sangue pingar na terra.
- Eu prometo Nath que voltarei para você._ falou segurando em sua nuca com a mão sã e olhando em seus olhos azuis.
- Eu prometo Zayn, que passe o tempo que passar, minha alma e meu coração sempre serão seus.

- Como está o casamento?_ o mais velho perguntou tentando não tremer a voz, enquanto estava recostado em uma árvore, com Nath recostado em seu peito, entre suas pernas.
-Normal, faço minhas obrigações quando a coitada da Thamy insiste muito. Se me pai tivesse cumprido a promessa que minha fez no leito de morte, eu estaria livre, hoje eu seria um padre, sem obrigações com uma esposa que não amo e nem desejo, mas não, ele tinha que fazer as coisas do jeito dele.
- Você é único filho homem, sua mãe morreu jovem e não deu mais filhos ao seu pai, normal que não queira que você entregue sua vida à igreja, ele quer que a geração dos Horan viva através de você e não da sua irmã.
- Eu sei disso tudo, mas..._ falou apertando sua cintura e encostando sua testa na do mais velho._ Vamos fugir Zayn, me leve embora.
- Não podemos Nath, temos compromisso com nossas famílias. Infelizmente sabíamos que isso aconteceria um dia._ falou beijando sua boca com carinho._ Esse corpo não será só meu e o meu não será só seu, mas isso é._ falou tocando em seu peito._ E isso é._ e tocando a têmpora._ Da mesma forma que os meus sentimentos e pensamentos também são seus.
- Quero isso só pra mim também._ falou tocando em seu pênis, fazendo o Zayn sorrir.
- Ainda é só seu, mas no futuro, quando não for mais, tenha em mente, que é só a você que ele deseja._ falou começando a despir o namorado, que também fazia o mesmo com ele no meio da floresta.

-x-

- Zayn! Zayn! Onde está?_ ele despertou com a voz do sobrinho, filho de sua irmã mais velha.
O mais velho acordou Nath, que estava encostado em seu peito, eles levantaram apressados vestindo as roupas.
Zayn sempre deixava o sobrinho na entrada da floresta vigiando. Pois sua família e a do Nath eram influentes e de renome, não podiam se envolver em nenhum escândalo.
- Precisamos ir. Eu te vejo amanhã no castelo dos Biebers.
- Não, por favor!_ Nath falou o abraçando._ Vamos aproveitar que todos vão e ficar na sua casa, ou na minha.
- Preciso de um pouco de sociedade, dançar, conversar, beber, preciso de música. Esqueceu que passei 12 meses em contato com selvagens? Mas prometo que darei um jeito de conseguirmos um lugar melhor que essa floresta.
- A floresta não é o problema, e sim o curto tempo. E só de pensar que viveremos assim pra sempre, com essa limitação. Isso..._ respirou fundo, chorando de raiva e tristeza._ Isso é tão injusto. Eu quero viver com você, casar com você. Ser só seu e você ser só meu. Mas isso nunca vai acontecer.
Zayn o abraçou apertado e beijou o topo de sua cabeça enquanto fazia carinho em sua bochecha.
- Eu prometo Nath que um dia viveremos juntos, que eu serei só seu e você será só meu._ falou unindo suas mãos machucadas outra vez.
- Você está prometendo muita coisa, acho bom cumprir todas._ falou beijando sua boca.
- Eu cumprirei todas Nath, nem que seja após a morte. Agora temos mesmo que ir. Meu sobrinho cansou de me chamar.
- Dê um abraço no Leon, e o agradeça também.
- Eu dou sim. Até amanhã Nath.
- Até, Zayn Malik._ Nath falou sorrindo triste ao ver seu amor se perdendo na imensidão da floresta.

-x-

Na tarde seguinte Zayn foi ao castelo dos Bieber, que era a família mais rica de toda a região e suas festas eram as melhores, da música à comida, da decoração à bebida, não hesitavam em esbanjar dinheiro, um dinheiro que parecia apenas render.
Zayn sempre notou os olharem cumpridos que o herdeiro dos Bieber lhe lançava, mas muito tímido e medroso do que sentia, nunca se aproximou dele, e Zayn, antes do Nath se mudar para a região, preferia manter segredo de seus gostos sexuais.
Era uma época perigosa, e apesar de ser meio inconsequente, não queria expor sua família, ou prejudicá-los por sua culpa, então ignorava o Austin, e ia encontrar prazer nas cidades vizinhas e disfarçado, sempre com capa e na calada da noite, sempre escolhia os bordéis secretos e confiáveis, onde as donas sempre deixavam alguns homens disponíveis para clientes como ele.

Mas com a chegada dos Horan, tudo mudou.
O rapaz loiro, alegre, engraçado, bom de luta e sempre comunicativo, se tornava tímido sempre que estava perto do mais velho, mas ainda assim o olhava e nunca desviava o olhar. Um dia voltando de uma corrida de cavalos, enquanto passavam próximo a um lago, Nath desceu de sua montaria, Zayn o seguiu e se aproximou, perguntando se estava bem, ou se a bebida tinha lhe causado algum mal.
Nath olhava para os próprios pés, mas assim que o mais velho chegou perto o suficiente, segurou seu rosto e o beijou. Zayn, surpreso com a atitude dele, nem fechou os olhos, mas ainda assim correspondeu ao beijo roubado.
O mais novo o soltou, apavorado, montou no cavalo e fugiu.
Zayn só conseguiu encontrá-lo sozinho outra vez um mês depois, pois o mais novo fugia sempre que o via, mas em uma reunião de amigos na casa do loiro, que ficou bêbado demais e foi expulso pelos convidados para seu quarto.
Nath na verdade nem estava tão bêbado, apenas tonto, mas não sabia como esconder a vergonha por ter agarrado outro homem, e ter que lidar com a presença dele, mas assim que entrou no quarto, pronto para passar a tranca na porta, alguém a empurrou.
O grito de susto ficou preso em sua garganta quando Zayn cobriu sua boca com a mão, apenas seus olhos reagiram, estatelados, assustados. O mais velho tirou a mão de sua boca e sorriu, fazendo o coração do Nath bater acelerado.
- Vim retribuir o favor._ falou antes de agarrá-lo pela nuca e o beijar.
Após esse dia e durante dois anos, mantiveram o romance escondido, até que o pai do Nath resolveu que era hora do filho casar, e o pai do mais velho decidir que já estava na hora de começarem a conhecer outras terras.

Zayn cumprimentou os senhores do castelo e depois o filho, Austin, e o melhor amigo do herdeiro, Jacob Devine, irmão da esposa do Nath, conversou com eles um momento e depois com os outros amigos e conhecidos, até que seu olhar foi para a porta, onde um bonito casal entrava: Nath e Thamy.
Ela sorridente, e ele lutando para manter um sorriso falso, mas seus olhos não disfarçavam o desconforto, e ao encontrar o olhar do Zayn, seus olhos se encheram de lágrimas e sua mão apertou a da esposa, que fez uma careta de dor, e se soltou com raiva, porém ele nem se importou em pedir desculpas, foi em direção às bebidas, sem desviar o olhar do mais velho, que a cada minuto ficava ainda mais preocupado, se perguntando o que tinha acontecido.
Duas horas após ter chegado, Nath o olhou e abandonou o salão disfarçadamente, Zayn o seguiu um tempo depois, mesmo inquieto, afinal esse não era um lugar seguro para se encontrarem.
Chamou seu sobrinho que bebia com uns amigos de sua idade, 15 anos, mas ele o olhou triste, já sabendo o que o tio queria.
Zayn, compadecido, sorriu e disse que não era nada demais, apenas o aconselhou a não beber muito, Leon sorriu e voltou para os amigos, feliz por não ter que perder a festa.
Zayn achou Nath na estreita ponte do riacho e assim que viu o moreno se aproximando continuou a caminhar, parou num lugar coberto de vegetação, mas ainda próximo a água e a ponte.
- Nath? Você está bem?_ Zayn perguntou tocando em seu ombro, enquanto o mais novo olhava para o riacho.
Ele se voltou para Zayn, e o abraçou chorando.
- Eu... Eu... Vou ser pai._ falou chorando copiosamente.
Zayn estava preparado para muita coisa, mas não para isso. Um filho era sua semente, parte dele, planejava mesmo num futuro fugir com Nath, depois de deixar tudo certo para sua família, mas agora o loiro tinha algo maior que o prendia.
- Calma meu amor._ falou tentando também se tranquilizar, enquanto passava a mão em seus cabelos.
- Como? Como isso é possível?_ perguntou inconsolável._ Em seis meses de casamento só transamos seis vezes, uma vez por mês, e ela ainda engravida!
- Nath..._ falou o afastando para olhar em seus olhos, e beijou de leve._ Isso iria acontecer de uma maneira ou de outra, agora ou depois.
- Eu não quero essa família, não é a família que escolhi._ falou o olhando desesperado.
- Eu sei, mas é a família que o seu pai e nossa realidade escolheram, mas um dia haverá um mundo onde eu e você, poderemos viver em paz, onde seremos uma família, eu não sei quando, mas o mundo é tão grande, e eu vou procurar esse lugar para nós e voltar para te buscar.
- Mas vai demorar, você pode nunca achar.
- Eu vou achar e te buscar, já te prometi isso._ falou mostrando a palma da mão._ E mesmo que demore, mesmo que já estejamos velhos, avós, vamos viver juntos, nem que sejam nossos últimos dias de vida, mas os passaremos juntos. Você vai me esperar?
Nath só ergueu a mão cortada e colocou na mão no mais velho e entrelaçaram os dedos.
- Sempre vou esperar por você Zayn.
Zayn o abraçou e o beijou uma última vez, precisavam voltar, e Nath sabendo disso, apertou o abraço e correspondeu desesperado ao beijo.

-x-

Leon viu Thamy chorando num canto com o irmão a abraçando e o Austin perto, olhando para os lados, apreensivo.
Procurou pelo tio e pelo Nath, mas eles não estavam no salão, ainda não tinham voltado.
Sempre desconfiou do que faziam, e do que eram_ bem mais que amigos_ amantes, mas não os julgou, amava o tio mais que tudo nessa vida, pois sempre cuidou de sua mãe e dele, principalmente quando seu pai falecera.
Era um Payne por causa do pai, mas seu coração estava na família Malik, e seu tio fazia questão de lhe lembrar disso sempre.
Implorava para viajar junto pelos países exóticos e diferentes, mas o tio não deixava, dizia que tudo o que tinham seria dele, e que precisava aprender a administrar as terras e ser respeitado pelos servos.
Leon não entendia, já que o tio seria o senhor de tudo quando seu avó morresse, pois era o único filho homem da família, sua mãe, mesmo bem mais velha, não tinha direito ao senhorio das terras, mas o tio dizia que não, que nada seria dele e sim do sobrinho.
Leon viu Jacob sair com raiva do salão, com Austin o acompanhando agitado, então o adolescente os seguiu, preocupado.
Se escondeu atrás de umas árvores quando eles alcançaram uma estreita ponte e pararam de correr, começando a andar devagar, olhando sempre para trás.
O coração do Leon batia acelerado e o desespero começava a tremer seu corpo, sabia que algo estava errado, e a culpa por não ter ido com o tio o consumia.
Olhou novamente e viu o Austin parado preocupado na ponte, mas sozinho. Quis passar por ele e gritar pelo tio, para o avisar, mas quando preparou o grito, Jacob voltou, com o rosto irado.
Leon estava sem saber o que fazer para chegar ao outro lado do riacho, onde sabia que o tio estava e alertá-lo, suas alternativas eram: passava por eles na ponte, ou dava a volta pela entrada principal do castelo, que era muito longe, mas sabia que não daria tempo de alcançá-los.
Seu desespero só aumentou quando voltou a olhar e viu os dois amantes saindo da floresta de mãos dadas. Os viu travando, quando viram os dois amigos impedindo a entrada da ponte, Zayn soltou suas mãos apressados.
- Não precisam mais disfarçar seus sujos, pecadores. Eu vi a nojeira que estavam fazendo._ falou com um misto de ódio e nojo._ Dois homens se beijando! Como se atrevem a isso?
- Jacob..._ Austin disse tocando no ombro do amigo, tentando acalmá-lo, mas esse se desvencilhou e puxou a arma das roupas do amigo.
Austin era um dos únicos que tinha essa arma de pólvora, era rara e cara, nem todos tinham o privilégio de tê-la.
- Você ousou trair minha irmã seu porco imundo e vai pagar por isso, vai morrer primeiro._ falou mirando o Nath e disparando.
Leon cobriu a boca quando viu o tio entrando na frente do Nath, que o amparou assombrado, antes de cair com ele por cima de si.
Austin gritou e puxou a arma do amigo, o socando e o arrastando de lá.
Leon correu para perto do tio quando os dois sumiram de vista, o Nath chorava vendo o sangue sair em abundância do furo na boca do estômago do mais velho, que olhava triste para amante.
- Desc..._ sangue saia de sua boca._ A promessa. Desculpa.
- Não!_ o amante e o sobrinho gritavam desesperados.
Leon tentava manter os olhos do tio abertos, conversando com ele, mas sabia que era tarde demais, mas mesmo assim, sem esperança, o chamava enquanto seus olhos iam devagar perdendo a vida.
E então, os olhos do Zayn se abriram de repente, desesperados e em lágrimas, o sobrinho olhou para trás e viu o Nath com a adaga entre suas mãos trêmulas, e antes mesmo do Leon gritar para não fazer isso, viu o amante enlouquecido enfiá-la no mesmo lugar que o Zayn tinha recebido o tiro.
Com os olhos esbugalhados, jogou a adaga nos próprios pés, tentou andar para a frente, mas cego pela dor, cambaleou para trás e caiu no riacho, sendo arrastado pela correnteza tranquila.
Leon mesmo querendo ficar perto do tio, sabia que nunca seria perdoado se deixasse o corpo dele na água, então chorando, o encostou em uma árvore, com a adaga ao lado de seu corpo e pulou na água, mesmo já estando anoitecendo.
Quando voltou, já escuro, com o corpo já sem vida do Nath, o do tio não estava mais lá, e nem havia rastro, ou trilha de sangue e nunca mais foi encontrado.
Jacob dissera a todos que ambos foram mortos por bandidos, o seu amigo Austin, por medo e covardia, sustentou a mentira, e o Leon, para proteger o segredo dos amantes proibidos, também.
Viveu amargurado e arrependido, uma vida assombrada por fantasmas do passado, sempre se perguntando como teria sido se tivesse ido vigiar os dois naquela fatídica tarde.

-x-

Zayn abriu os olhos e já não estava mais numa tarde na floresta, sangrando, e sim no pequeno quarto do padre, que o olhava preocupado.
- Você..._ falou sem fôlego e confuso._ Viu isso?
- O quê?_ Niall perguntou também confuso e tirando sua mão da dele, recostando na parede, assustado com o olhar perdido do vampiro.
- Não sentiu nada?_ tornou a perguntar.
- Só que minha mão parou de doer, e está curada. Não era isso que estava fazendo? Me curando?
- Sim._ mentiu confuso, mas olhando para a sua e vendo curada também._ Eu preciso ir.
Ele se levantou, e se aproximou seu rosto do padre.
- Não se recorda de nada mesmo?_ falou olhando dentro dos seus olhos, o padre ofegou com aqueles lábios tão próximos aos seus, mas abaixou a cabeça e negou._ Não dirá nada disso para ninguém._ disse antes de sair do quarto, com sua super velocidade.

-x-x-x-

   


Notas Finais


Niall já será loiro pq descolorir o cabelo em 1300 e 1600 não dá haha

E sobre Niall ter uma irmã e não o Greg, ele precisou ter um motivo para o pai o obrigar a casar e não virar padre, ou seja, ter uma irmã ao invés de um irmão.

E a irmã do Zayn deixei bem mais velha, pra ele ter um sobrinho com poucos anos de diferença.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...