História Dragon Ball Chronicles - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Tags Bulma, Chichi, Dragon Ball, Gohan, Goku, Lunch, Vegeta, Videl
Visualizações 219
Palavras 2.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - As crônicas de Bulma parte 2


Fanfic / Fanfiction Dragon Ball Chronicles - Capítulo 6 - As crônicas de Bulma parte 2

Oi, eu sou o Goku! Essa é a história da minha reunião com velhos amigos na casa do Kame, pouco antes da chegada do Raditz. Por favor, não contem para a Chichi.

Estávamos todos reunidos como não fazíamos a tempos. Sentados na sala do Kame estavam eu, o próprio mestre Kame, Kulilin e Bulma, além é claro do meu pequeno filho Gohan. Todos estavam fascinados com o garoto e eu estava feliz com as reações. A tartaruga foi brincar com ele do lado de fora enquanto continuávamos conversando sobre os velhos tempos. Conversa vai, conversa vem, Kame decidiu que tiraria um cochilo na rede enquanto Kulilin foi ver o Gohan e a tartaruga brincando na praia. Me propus a ajudar lavando a louça com a Bulma. Ela estava super bem, usava cabelos bem curtos, um shortinho branco e uma blusinha azul tomara que caia.

- Então... Quem diria, ein! Você pai! - disse Bulma sorrindo e se apoiando na pia. Sabia que o trabalho ia ficar todo para mim.

- Sim! Chichi é ótima! Estamos nos dando super bem - eu falei para ela retribuindo o sorriso e começando a enxaguar os pratos.

- Eu nem consigo imaginar você fazendo essas coisas - disse Bulma olhando para o teto.

- Que coisas? - eu perguntei confuso.

- Você sabe... Sexo... - ela falou corando.

- Ah sim! Ha, ha. Eu gosto bastante e Chichi também! - eu disse rindo. - Quem diria que haveria algo quase tão bom quanto lutar?

- Ha, ha, ha. Ai, ai, Goku. Só você - ela disse sorrindo pra mim.

- Me lembro que quando eu era criança a tinha visto mais de uma vez nua - eu falei lavando agora os talheres. - Você sempre ficava irritada e eu não entendia o porquê. Eu era um bobão mesmo.

- Se você fosse mais velho, talvez eu não me importasse tanto - Bulma disse me olhando fixamente.

- Sério? Que estranho - eu respondi distraído enquanto guardava a louça. Então Bulma se aproximou de mim e abraçou por trás. - O que está fazendo?

- Eu fico pensando... Será que o Yamcha foi a escolha certa? - então Bulma começou a descer suas mãos até minha cintura e abrir minha faixa.

- B-bom... isso quem tem que saber é você, n-não? - eu perguntei encabulado enquanto minha calça era arriada até meu pau mole ficar exposto. 

- Diga-me, Goku... Nunca pensou em experimentar outra garota além da Chichi? - Bulma me perguntou agora agarrando meu pau com uma de suas mãos. Senti meu corpo todo se arrepiar com aquele toque.

- B-bom... Nunca pensei nisso... - eu falei sentindo meu pau dar sinal de vida entre os dedos dela.

- É sempre bom experimentar de tudo antes de tomar a decisão final, sabia? - Bulma perguntou ao pé do meu ouvido enquanto suas mãos faziam movimentos suaves ao longo do meu pau que ia endurecendo.

- A-a-a-acho que você tem razão... - eu disse já sentindo meu corpo se arrepiar por conta do tesão.

Bulma então me virou de frente para ela e olhou bem para o meu pau meio duro e minha virilha peluda. Então abaixou minhas calças até os joelhos e meteu minha pica na boca. Eu deixei escapar um gemido sem igual de tesão enquanto ela começava o boquete no meu pau que rapidamente endurecia. Ela tinha muito mais habilidade que a Chichi e me chupava com um tesão que eu mal podia acreditar. Me apoiei na pia atrás de mim enquanto Bulma mamava na minha pica agora dura e segurava nas minhas fortes coxas.

- Vamos para o quarto de hóspedes - disse Bulma tirando meu pau molhado da boca. Eu só assenti com a cabeça e a segui.

Entramos e trancamos a porta para que ninguém entrasse. Terminei de tirar minha calça e assim que Bulma se aproximou de mim, abracei-a e nos beijamos intensa e obscenamente. Agarrei a blusinha azul tomara que caia dela e puxei para baixo, revelando seus grandes e suculentos peitos. Eram mais ou menos do mesmo tamanho dos da Chichi, talvez um pouco menores, mas igualmente deliciosos. Caí de boca nos dois e comecei a chupá-los com tudo. Bulma gemia e me olhava mamando nos seus peitos.

Tirei minha boca daquelas tetas e comecei a brincar com elas com as minhas mãos, acariciando, afofando e provocando os mamilos duros. Bulma então se afastara um pouco e começara a tirar o short branco, revelando sua calcinha de rendas também branca. Então tirou a calcinha também ficando só com a blusinha azul enrolada abaixo dos seios, cobrindo sua barriga. Fui até ela e inspecionei sua xoxota coberta por pelos azuis. Comecei a beijar sua virilha e fui descendo para sua xotinha que já estava encharcada. Bulma se encostou na parede enquanto sentia minha língua explorar sua boceta molhadinha. Ao mesmo tempo que eu a chupava minhas mãos percorriam meu pau duro, mantendo minha ereção no ápice.

- Ohh.. Gokuuu!! Quem diria... A Chichi te ensinou direitiiinho! - gemeu Bulma enquanto minha língua ia certeira no clitóris dela, levando-a à loucura. - Deita nessa cama e deixa comigo!

Me afastei sorrindo para Bulma enquanto olhava seu belíssimo corpo. Me deitei na cama e ela veio por cima de mim, montando na minha pica dura e enfiando-a de uma vez na xota encharcada dela. Ela deixara escapar um longo gemido quando o fez e ficou alguns segundos sentindo meu pau pulsando lá dentro, depois começou a subir e descer deliciosamente. Eu agarrei naquela bunda gostosa dela controlando as subidas e descidas por todo o meu pênis. Sentia cada centímetro da xoxota deliciosa e apertadinha da Bulma. Nunca achei que fosse comer outra mulher além da Chichi e devo dizer que estava gostando daquilo.

Bulma ia gemendo bastante, suas mãos revezavam entre acariciar os próprios seios e os curtos cabelos. Sua blusinha azul embolada no meio do corpo só dava um ar mais sexy a ela que ia quicando com habilidade. Estava montada em mim de joelhos na cama, ainda de tênis e subia e descia sem parar. Minhas mãos agarravam suas nádegas com tanta intensidade que eu tinha medo de machucá-la, mas ela parecia estar adorando. Fiquei com medo de alguém na casa ouvir, mas Bulma parecia não se importar e foi quicando e gemendo como bem queria.

Me lembrei de algo que Chichi adorava que eu fizesse e resolvi experimentar na Bulma também. Levei minha mão direita para o meio da bunda dela que subia e descia sem parar e com um dedo comecei a acariciar o cuzinho dela. A garota estremeceu e mordeu os lábios de tesão enquanto me olhava com seus olhos semicerrados.

- Ohh, seu safadinho... - ela disse para mim com um sorriso malicioso. Então parou de quicar e, apoiando suas duas mãos no meu peitoral, começou a rebolar no meu pau, me levando à loucura. - Não acha que é hora de você tomar as rédeas da situação?

Abracei-a e giramos na cama, agora comigo por cima e ela por baixo virada para cima. Meu pau ainda estava dentro dela e assim que paramos naquela posição de missionário comecei a meter nela com tudo. Bulma fechou os olhos por conta da pressão enquanto gemia e eu a calei com um beijo intenso, sentindo meu pau penetrar sua boceta e suas coxas se fecharem ao redor do meu quadril. Suas mãos me abraçavam e seguravam firme na minha blusa laranja, quase rasgando-a enquanto eu a fodia sem parar com meu saco roçando na cama que rangia incansavelmente. Levei meus beijos até seus apetitosos seios que balançavam desordenadamente cobertos por finas gotas de suor.

- Hmmm... Gokuuu... I-issoooo... Continuuuaaa... hmmm... - foi gemendo Bulma cada vez mais intensamente.

- Você é deliciosa, Bulma... - eu sussurrei para ela sem me conter.

Meus lábios beijavam os seios dela com um tesão indescritível, minha língua lambia aqueles mamilos durinhos e minha boca inteira chupava aqueles peitos, querendo-os todos dentro de si, ainda que não conseguisse. Fui metendo e metendo nela e quando dei por mim, Bulma havia atingido seu orgasmo e estava tremendo suavemente e me pressionando contra ela. Seu gozo escorria por sua bocetinha com meu pau duro lá dentro e após o clímax ela estava exausta. Sua respiração era ofegante e seus olhos perdidos de prazer. 

- Goku... você acabou comigo... - sussurrou Bulma com o rosto corado de tesão.

Sorri para ela e beijei seu pescocinho suado. Então a segurei firme no quadril e voltei a meter nela gostoso. Via aqueles peitos se agitarem na minha frente enquanto Bulma tentava abrir as pernas o máximo que podia. Meu corpo pingava suor sobre o dela e meu pau escorregava para dentro e para fora daquela xota sem dificuldades. Então resolvi mudar de posição, saí de dentro dela e indiquei para que ficasse de quatro. Bulma, safada como era, prontamente obedeceu com um sorriso malicioso e ficou me olhando por cima dos ombros. Montei por trás dela e enfiei minha pica dentro da boceta dela com tudo. Bulma deixou escapar um gritinho quando meu pau foi até o talo. Segurei com uma das mãos os curtos fios de cabelo dela enquanto com a outra, eu voltava a brincar com o ânus dela.

Preferia os cabelos compridos da Chichi, é bem verdade, mas a Bulma era tão gostosa que aquilo mal fazia diferença. Antes que ela se desse conta, meti meu dedo médio dentro do cuzinho dela, fazendo-a estremecer de surpresa e tesão. Comecei a aumentar o ritmo das estocadas e a segurar com mais firmeza nos cabelos dela. 

- OHHHH!! GOKUUU!!! - gritou Bulma. Agora eu tinha certeza de que alguém teria ouvido.

Levei minha mão dos seus cabelos à sua boquinha, tapando-a. Minha outra mão agora enfiava o segundo dedo no cu dela enquanto meu abdômen ia se movimentando com muita habilidade, estocando meu pau fundo na xoxota dela. Bulma segurava nos lençóis molhados da cama enquanto sentia sua bunda chacoalhar com as minhas metidas e seus peitos se agitarem junto de sua barriguinha. Sua blusinha azul estava encharcada com o suor, o que era um problema, pois ela teria que vesti-la depois da foda. 

Aquela posição era o meu grande trunfo, era onde normalmente a Chichi gozava. Como a Bulma já gozara anteriormente, não me preocupei em me segurar. Fui metendo e metendo nela, montado feito um animal e agora penetrando meu terceiro dedo naquele cuzinho super apertado, arrancando gemidos cada vez mais intensos abafados pela minha mão. Bulma tinha os olhos arregalados, nunca antes havia sido penetrada no cu e na xota, ainda que em um deles fossem apenas dedos, era uma sensação completamente nova para ela. 

- Caralho... e-eu vou gozar... - eu disse para ela aumentando o ritmo da foda.

Bulma foi gemendo e gemendo e meu corpo foi batendo contra o dela cheio de tesão. Tirei minha mão da boca dela para segurar no quadril dela e ter melhor equilíbrio. Ela tentava controlar os gemidos, mas era quase em vão, eu a estimulava como jamais haviam feito. Sentia que estava chegando no ápice do meu prazer. Sentia meu pau cada vez mais sensível e meu corpo cada vez mais contraído. Chichi sempre dizia para não gozar dentro dela ou poderíamos acabar com outro filho, portanto tinha que me controlar para gozar fora da Bulma. A última coisa que eu precisava agora era de um filho com ela.

- Goza na minha bunda, Goku! Enche essas nádegas de porra - gemeu Bulma completamente controlada pelo tesão.

- AHHH - foi a minha vez de gemer quando meu clímax chegou.

Tirei meu pau da xota da Bulma no último instante. Minha porra ejaculava com força e estalava contra as nádegas deliciosas dela, deixando-a toda meladinha. Bulma ficou me olhando por cima dos ombros naquela posição por um tempo e confesso que meu pau demorou para amolecer. Quando enfim o fez, nos sentamos e começamos a nos arrumar.

- Você realmente é um garoto crescido, Goku - disse Bulma com um sorriso indiscreto. Seus cabelos curtos estavam todos descabelados, sua xotinha molhada, pingando lubrificação, sua bunda melada com a minha porra e seus seios úmidos por conta da minha baba.

- Quem sabe não nos encontramos outros dias? - eu sugeri. Colocando minha calça.

Infelizmente Raditz apareceria em alguns minutos na casa do Kame e eu só teria a oportunidade de me reencontrar com a Bulma anos depois. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...